Black Bullet | Vol 2 - Cap 1 (Parte 6)

 





Black Bullet
Volume 02 - Capítulo 01 (Parte 06)

-Parte 6-

Quando eles entraram na limusine para ir para casa, uma espessa cortina de escuridão havia caído. Embora Enju tivesse passado muito tempo esperando no carro, ela agora dormia profundamente no colo de Rentaro, babando e pendurada em cima dele. Caramba, você é uma grande guarda, ele pensou. Assim que o carro chegasse ao palácio de Seitenshi, o primeiro dia de trabalho seria concluído com sucesso. Ele sabia que deveria estar feliz por nada importante ter acontecido, mas...

Quando ele ergueu o rosto, ele viu a Seitenshi sentada lindamente em frente a ele com as mãos dobradas cuidadosamente no colo, olhando pela janela para a escuridão lá fora com uma expressão levemente melancólica no rosto.

“Não fique tão deprimida”, disse Rentaro.

O Seitenshi respondeu à voz de Rentaro e lentamente mudou seu olhar. "Eu não estou deprimida..." Parando no meio da frase, ela balançou a cabeça calmamente. “Tem razão, estou um pouco... De um modo geral, sempre acreditei que se falasse com sinceridade, a pessoa com quem falava compreenderia de onde vim, não importando quem fosse, e acredito que ainda mais agora.”

"Não é como se fosse sua culpa, você sabe. Até Kikunojo teria problemas com alguém como Saitake. Você fez um bom trabalho."

A Seitenshi deu um sorriso malicioso enquanto colocava a mão no queixo. "Você é inesperadamente gentil, Satomi. Mesmo assim, você me surpreendeu hoje. De um político iniciante a um escultor de Buda e a um soldado do Projeto de Criação da Nova Humanidade, parece que você teve um passado complicado.”

Rentaro desviou o olhar sobressaltado. "Inferno, todas essas são partes do meu passado que prefiro esquecer. Não me faça pensar sobre isso.”

"Você vai esculpir algo para mim algum dia?"

"De jeito nenhum."

A Seitenshi colocou a mão na boca e riu. A atmosfera dentro do carro pareceu relaxar um pouco. “Mas você é incrível, Satomi. Você não recuou nem um pouco contra Saitake. Acho que é dessa parte de você que gosto, Satomi."

"Gosta?"

“Sim, todos com quem entro em contato, desde meus tutores até Kikunojo, falam comigo com respeito. Não há ninguém ao meu redor que me diga as coisas diretamente como você, Satomi. É muito refrescante.”

Ah, agora entendi, pensou Rentaro. Durante o incidente terrorista Kagetane Hiruko, Rentaro não disse nada que fizesse Seitenshi gostar dele; em vez disso, ele a atacava constantemente. Ele ficou se perguntando por que a Seitenshi o indicou para este trabalho, mas agora fazia sentido. “Mas por que um oficial da civsec? Você tem seus próprios guardas pessoais, não tem? Você sabe, como aquele cara que parece um policial militar?”

“Yasuwaki? Ele... ele é muito deslumbrante. É um pouco assustador estar com ele."

Mesmo quando Rentaro respondeu com um grunhido indiferente, interiormente ele pensou que servia bem a Yasuwaki. Yasuwaki parecia estar tentando astutamente atrair a atenção do Seitenshi, mas parecia que seu motivo oculto não estava ganhando muita força.

A Seitenshi tirou um pouco de suco de pêssego do frigobar e despejou em um copo. Ela também ofereceu um pouco para Rentaro, então ele aceitou. Ele estava planejando apenas tomar um gole, mas quando engoliu, a doçura fria penetrou em seus órgãos internos e ele bebeu o copo em um piscar de olhos. Aparentemente, ele estava com mais sede do que pensava.

Quando Seitenshi ergueu o rosto de sua xícara, por algum motivo, seus olhos pareciam nublados com a resolução de beber saquê envenenado. Ela olhou para Rentaro. “Satomi, há rumores de que o presidente Saitake tem promovido relações com países estrangeiros.”

O carro se aproximou de um meio-fio e o corpo de Rentaro balançou um pouco para a direita. Em seu colo, Enju murmurou algo em seu sono. As luzes da cidade brilharam no topo de metal brilhante do carro, deslizando enquanto eles passavam.

“Continue...”, disse ele.

“Ouvi dizer que a América e outros países estrangeiros têm entrado em contato secretamente com Saitake, fornecendo capital e armas.”

“Qual é o benefício para os países estrangeiros?”

“Varanium.” A Seitenshi parou de falar por um momento e ergueu o rosto. “O varânio é o material usado para as armas e munições dos oficiais da civsec e dos monólitos que separam os humanos de Gastrea. Tudo isso é essencial na luta contra os Gastrea. Um pequeno país sem tantas terras como o Japão ainda está bem, mas grandes países como a Rússia e a América precisam de uma grande quantidade de Varanium para retomar as terras roubadas pelos Gastrea. E estimativas aproximadas da quantidade de Varanium deixada no solo indicam que, mesmo se juntássemos todo o Varanium do mundo, não seria o suficiente para tomar de volta todos os continentes dos Gastrea. Você entende o que significa?"

Rentaro entendeu tão bem o que ela queria dizer que foi quase doloroso. Diferentes recursos naturais em todo o mundo foram distribuídos de forma desigual. O Oriente Médio era rico em petróleo e a África do Sul abundante em ouro e diamantes. O varânio foi encontrado em ilhas vulcânicas. Mesmo que as ilhas fossem separadas, ainda poderia ser dito que a maior parte foi encontrada no Japão.

Rentaro conheceu recentemente um menino que fugiu do trabalho nas minas e ficou chocado com suas péssimas condições de trabalho. A mineração ilegal de Varânio no Território Inexplorado pode parecer um fracasso à primeira vista quando se olha o risco e o retorno, mas levando em consideração que havia um fluxo constante de mineiros ilegais, desde que se tivesse em mente o risco de ser esmagado por uma mina inteira, ainda era possível encontrar algum lucro razoável nela.

Os pensamentos de Rentaro vieram um após o outro. Agora que ele pensou sobre isso, a maior parte da conferência parecia envolver Saitake empurrando condições desfavoráveis ​​na Área de Tóquio e a Seitenshi recusando-as. Pelo que ela acabou de dizer, parecia que Saitake estava procurando uma desculpa para começar uma guerra.

“Então, o que Saitake quer tanto fazer que receba ajuda de países estrangeiros é...” A voz de Rentaro sumiu.

"Sim. Ele provavelmente deseja unir o poder militar das áreas de Tóquio, Sapporo, Sendai e Hakata. Em troca, ele forneceria um suprimento estável de Varanium.”

“O Saitake está sendo controlado pelos países maiores?” "Eu não sei."

Rentaro pôs a mão no queixo. “Eu não acho que ele é alguém que faria apenas o que foi mandado.”

“Eu também não penso assim. Os países estrangeiros provavelmente pensam que domesticaram o Saitake, e Saitake provavelmente está planejando impedi-los.” O Seitenshi se endireitou e continuou com uma voz clara. “Nos dez anos que se passaram desde o fim da guerra, cada país se escondeu dentro de Monólitos para apenas recuperar seu poder nacional. Porém, agora é a hora de olhar para fora e recuperar a terra que foi perdida. Quem quer que recupere seu poder nacional primeiro será o líder mundial das gerações futuras. Essa parte do pensamento de Saitake não está incorreta. Em outras palavras, quem quer que controle o Varanium controlará o mundo.

“Satomi, a partir de agora, países ao redor do mundo entrarão em contato com as diferentes áreas do Japão de forma cooperativa ou com hostilidade em busca do varânio. E a próxima geração de guerras não será ostensiva com mísseis balísticos ou bombardeiros, mas se concentrará em assassinatos realizados por oficiais da civsec com altos postos de IP que são fortes o suficiente para balançar o equilíbrio militar do mundo.

“Em nenhum momento, todos os oficiais da civsec mais fortes chegarão ao Japão, o país dominado pela maldição dos recursos naturais. Satomi, no incidente terrorista anterior, você derrotou Kagetane e Kohina Hiruko e afugentou um Zodiaco. Infelizmente, a Área de Tóquio não pode permitir que um de seus recursos humanos experientes divirta-se agora. Terei que pedir que você trabalhe continuamente de agora em diante. Para mim e para o nosso país.”

Rentaro bateu o pé com uma irritação que mal conseguia se conter. “Você decidiu isso sozinha. Você realmente decidirá tudo com base no que for conveniente para você, não é?"

"Eu reconheço isso." Então, a Seitenshi colocou as duas mãos na parte inferior do abdômen com uma expressão triste. “Eu também posso desabar no redemoinho da turbulência. Como agora posso ter filhos, as pessoas ao meu redor continuam me dizendo que devo me apressar e ter um sucessor. No entanto, em vez de ter um filho com os melhores genes usando meios mecânicos, prefiro ter um filho por meio do amor, mesmo que seja orgulhosa.”

Rentaro começou a se levantar sem pensar. “Contra-ataque de volta! Por que você só pensa na morte? Se você sabe que Saitake é tão perigoso, então há muitas maneiras de se opor a ele, não é?"

O rosto do Seitenshi se contorceu com uma expressão mais triste do que Rentaro já tinha visto. "Até você está dizendo as mesmas coisas que Kikunojo?"

"O que?" - "Satomi, você disse que sua perspectiva era estreita. Estou pensando em retomar as terras da área de Tóquio e, um dia, conectá-las de volta às áreas de Sendai e Osaka. Um dia, quando todas as áreas estiverem conectadas novamente, os cidadãos vão se lembrar, não é? Que dez anos atrás, o Japão era um país, e éramos concidadãos, todos olhando para o mesmo céu. E então, eles ficarão envergonhados por terem ficado presos nas caixas apertadas das áreas de Tóquio ou Osaka."

“Não tenho intenção de invadir, e mesmo que ocorram tentativas de assassinato ou homicídio, não tenho intenção de ceder. Vingança e coisas do gênero também são absurdas. Tais atos covardes são como tentar lavar sangue com sangue."

“Satomi, você sabe quem são as primeiras vítimas de uma guerra? São as crianças que mal abrem os olhos e os idosos. Durante o período de confusão após a guerra, fui visitar as diferentes partes da área de Tóquio com minha mãe e fiquei chocada.

“Em um ambiente com péssima higiene, havia crianças que estavam doentes e não podiam nem se mover, mas quando eu sorri para elas, elas fizeram o possível para sorrir de volta para mim. Mas no dia seguinte, elas ficavam com frio e as moscas enxamearam sobre elas.” A Seitenshi balançou a cabeça com firmeza. “Eu não quero ver nada tão terrível nunca mais. Devo ser a personificação da paz. Não com palavras, mas com ações”.

A Seitenshi cruzou as mãos e as torceu em uma posição de oração. “Satomi, não suporto ter mais sementes de tristeza plantadas neste mundo...”

Rentaro sentiu um arrepio na espinha.

Eu a considero com respeito e carinho. É por isso que há coisas que não posso perdoar!

Rentaro foi lembrado do que o verdadeiro cérebro por trás do incidente terrorista anterior, Kikunojo Tendo, disse sobre a Seitenshi. Na época, Rentaro não entendia as ações de ódio de Kikunojo contra os Filhos Amaldiçoados e sua incapacidade de odiar Seitenshi, mas agora Rentaro sentia que talvez pudesse entender.

Rentaro desviou o olhar dela. “Você é o tipo idealista que morre jovem.”

“Eu não quero me tornar uma pessoa que não pode falar sobre seus ideais.”

“Então você precisa aprender a superar os outros melhor.” A Seitenshi ficou em silêncio.

Rentaro baixou o olhar e esfregou as costas e ombros da adormecida Enju. Finalmente, ele ergueu o rosto. "Você é estúpida... Mas eu não odeio isso."

A Seitenshi corou levemente. "M-Muito obrigada."

Nesse momento, ele sentiu uma dor aguda e repentina na mandíbula. Sua cabeça zumbia como se tivesse acabado de receber um uppercut.

Enju, que até agora não havia acordado mesmo com todos os tipos de empurrões e tremores, de repente deu um pulo, seus olhos vagando para a esquerda e para a direita. Aparentemente, ele tinha levado uma cabeçada pela garota que acordava. A dor trouxe lágrimas aos seus olhos.

"O-O que foi isso?" Rentaro olhou para ela enquanto coçava o queixo.

Enju cruzou os braços e acenou com a cabeça enquanto ela olhava para trás e para frente. “Meu radar Rentaro reagiu a algo agora mesmo...”

“Radar R-Rentaro…?”

“Sim, ele reage quando Rentaro parece estar pensado algo desagradável.” Enju parecia ter obtido um novo poder diabólico. Ela olhou para trás e para frente, e quando ela finalmente estabeleceu seus olhos na Seitenshi, ela olhou para ela silenciosamente.

"O-O que foi?"

“Você não pode ter Rentaro.”

"H-Hum, eu não sei do que você está falando..."

“Rentaro é do planeta dos seios, então ele não reconhece mulheres com seios menores que os de Kisara. É por isso que é impossível. Você deve desistir agora.”

A Seitenshi olhou para Rentaro com desprezo. “Satomi…
Isso é nojento."

"Essa é uma acusação grosseiramente falsa." Rentaro negou com todo o corpo, olhando para Enju com ressentimento. "S-Sua pequena..."

No entanto, Enju não estava mais olhando para ele e, em vez disso, estava olhando fixamente para a frente deles. “Rentaro, estou com um mau pressentimento por algum motivo.”

O carro estava se aproximando de um cruzamento de quatro vias e parou lentamente em um semáforo vermelho. Começara a borrifar e a vista da janela estava distorcida pela água. Rentaro colocou seu rosto ao lado do de Enju para olhar na mesma direção que ela.

Além da janela para a qual Enju estava apontando, em um prédio distante que se elevava à noite, não havia nada fora do comum, exceto algumas luzes vermelhas de orientação de aviação nas bordas do prédio. Pelo menos era o que parecia a Rentaro. No entanto, Enju era uma Iniciadora cujas funções corporais, incluindo seus órgãos sensoriais, ultrapassavam em muito as dos humanos comuns.

Sem saber por quê, Rentaro também ficou nervoso e orou fervorosamente para que o carro voltasse a andar em breve. Finalmente, como se suas orações tivessem sido ouvidas, o sinal ficou verde e o carro começou a andar. Ele deu um suspiro de alívio.

No entanto, Enju ainda não havia relaxado. Olhando para a seriedade contínua de Enju, ele mudou seu olhar mais uma vez. Perto do telhado do prédio, por uma fração de segundo, houve o brilho de alguma coisa. No instante em que percebeu que era um clarão de focinho, a espinha de Rentaro congelou e, antes que ele pudesse gritar, ele empurrou a cabeça de Enju para baixo e cobriu a Seitenshi com seu corpo.

Então, eles foram atacados por uma grande calamidade.

Cercado pelo som de vidros quebrando e o guincho dos freios de emergência da limusine, a Seitenshi começou a gritar. O carro continuou a deslizar para o lado e bateu em um sinal de trânsito. Rentaro estava perdendo o juízo quando foi jogado na porta do carro pelos G's dentro do carro e quase perdeu o fôlego.

Um sniper dentro da cidade?

“Rentaro!” Enju gritou.

Rentaro chamou a atenção imediatamente e gritou: “Enju! Saia. Leve o motorista com você.” Rentaro também abriu a porta com um chute e, pegando a Seitenshi, que estava em estado de choque, pela mão, rolou para fora do carro.

Bem no meio da cidade, em um cruzamento. Primeiro, eles precisavam encontrar um abrigo para se esconder. Logo depois que ele pensou ter visto um flash de luz no telhado do prédio novamente, houve o eco de uma explosão. A bala do atirador pegou no tanque de combustível da limusine, fazendo-a pegar fogo, distorcendo o ar ao redor com seu calor. Ao redor deles, o público em geral gritavam, seu pânico era contagioso, e a onda de choque da explosão fez a Seitenshi cair para frente.

Quando Rentaro foi ajudá-la a se levantar, a Seitenshi balançou a cabeça, com o rosto rígido. “S-Satomi, acho que não consigo andar...” Rentaro cerrou os dentes e olhou para o prédio.

Isso era ruim.

Houve um terceiro flash de luz. Ele ficou na frente para cobrir a Seitenshi, mas então parecia arrependido. Não adianta, isso iria passar por ele e atingi-la. Sua coluna sabia que seria um golpe direto, e ele fechou os olhos com força. “Ahhhhhhhhhhhhhh!”

Então, ele ouviu o grito de Enju e o som estridente do ataque. Enju rolou várias vezes no chão depois de ser jogada para trás.

A princípio, Rentaro não sabia o que havia acontecido, mas logo percebeu ao ver Enju puxando a bala do atirador de seu sapato. Surpreendente.

Rentaro não sabia onde Yasuwaki e o resto da guarda pessoal de Seitenshi tinham estado até agora, mas os guardas agora vieram formar uma parede ao redor deles enquanto eles se retiravam. A Seitenshi recuando ainda parecia estar em estado de choque, e seu rosto estava pálido enquanto ela tremia, agarrando as mangas de seu vestido.

De repente, ouviu-se um zumbido como o de um inseto batendo as asas e Rentaro olhou em volta, mas não viu nada fora do comum.

Que som foi aquele agora?

Enju puxou o braço de Rentaro com força e gritou. “Rentaro, o que está fazendo?! Se você não se apressar e se esconder—”

“Não, o inimigo já fugiu.” Rentaro torceu o pescoço para olhar em volta. As chamas dançaram e as cinzas sopraram ao vento. A limusine em chamas lançou uma espessa fumaça negra para o céu, e a mania que se espalhou para as massas não deu sinais de diminuir. As rajadas de chuva ficaram mais fortes, molhando seus cabelos e escorrendo por suas bochechas.

Rentaro olhou feio para o prédio distante, ignorando a chuva que o encharcava. Estava a cerca de um quilômetro de distância. À noite, com ventos fortes e chuva extra, seria difícil o suficiente para atirar três vezes seguidas à queima-roupa, quanto mais fazer os três disparos irem para onde deveriam.

"Maldito... Quem é você...?!"

“Sinto muito, Mestre. Eu falhei. Havia um oficial de civsec habilidoso protegendo ela. Depois de recuperar o Shenfield, vou recuar imediatamente.”

“Um oficial da civsec? Isso não estava nas informações. Não eram apenas aqueles guardas pessoais idiotas da Seitenshi?"

Ignorando seu mestre furioso xingando “Droga, droga” no rádio, Tina colocou o rifle de precisão antitanque Barrett em seu estojo.

"Ei, você viu o oficial da civsec?"

"Sim, mas estava muito longe para ver como ele era." Se Tina tivesse visto corretamente, o terceiro tiro foi chutado por uma Iniciadora. As balas de Sniper antitanque que Tina usava eram classificadas acima de tudo como um armamento poderoso. Ela pegou isso?

Ela era incrivelmente habilidosa. Uma adversária forte.

Tina terminou de se preparar para se retirar e segurou o cabelo que estava sendo soprado pelos redemoinhos de vento ao redor do prédio. Ela se virou e olhou para baixo, brilhando com olhos gelados.

"Quem é Você…? Quem entrou no meu caminho...?”

--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit