Black Bullet | Vol 2 - Cap 1 (Parte 2)

 





Black Bullet
Volume 02 - Capítulo 01 (Parte 02)

-Parte 02-

Depois da escola, Rentaro mudou de trem e foi para o Primeiro Distrito da Área de Tóquio. Em seu caminho, ele distraidamente olhou para os Monolitos pela janela enquanto se perguntava por que ela o escolheu.

Cerca de um mês antes, Rentaro havia arruinado uma cerimônia que deveria homenagear suas realizações salvando a Área de Tóquio e destruindo um Gastrea Estágio Cinco. Ela deveria ter ficado ressentida com ele. Eles definitivamente não tinham o tipo de relacionamento em que ela lhe ofereceria um trabalho.

Ainda não totalmente satisfeito, Rentaro desceu na estação em frente ao palácio de Seitenshi. Depois de alguns minutos de caminhada, o palácio de Seitenshi apareceu. Parecia ter sido construído no estilo neo-gótico de arquitetura. A coisa toda parecia consistir em muitas curvas orgânicas, com as janelas de vidro curvas que podiam ser vistas através dos pilares de pedra que pareciam ossos e a área em frente à entrada inclinada como ondas. Por mais que o visse, sempre seria um lindo prédio de estilo ocidental, mas para Rentaro, que carecia de senso estético, parecia apenas o mau gosto de gente com muito dinheiro.

Ele deu a um segurança seu nome e o propósito de sua visita. Depois que o segurança chamou e conversou um pouco, Rentaro teve permissão para passar, espremido entre mais guardas à frente e atrás dele.

Havia cadeiras dobráveis ​​alinhadas de forma ordenada, e na frente delas havia um refletor e uma bancada. Provavelmente era aí que o porta-voz sempre se posicionava para responder sem problemas às perguntas da imprensa. No passado, Rentaro teve a oportunidade de ver eventos semelhantes quando estava no palácio do imperador, então houve uma estranha familiaridade quando ele veio a um lugar como este.

Por causa desses pensamentos, ele ficou surpreso ao perceber que foi a própria Seitenshi que subiu ao pódio. Bem na frente dela estavam algumas pessoas espalhadas. Parecia que ela estava praticando algum tipo de discurso. Parecia que ela ainda não tinha notado Rentaro.

A chefe de estado da terceira geração da Área de Tóquio estava usando o mesmo vestido branco puro que sempre usava e tinha uma expressão tensa no rosto. Como sempre, ela possuía uma beleza tal que era difícil de se aproximar. “Hoje é um dia de boa sorte e desejo saúde e alegria aos que estão aqui reunidos. Agora, há apenas três pontos dos quais gostaria de falar hoje. Somente três-"

Seu contato visual, o posicionamento de sua respiração, o ritmo de sua fala - tudo estava perfeito. Diante dos olhos de Rentaro, havia uma governante nacional de sua idade apresentando um discurso que envergonharia os adultos.

Rentaro relutou em interromper e ouviu com atenção, colocando a mão nas costas de uma cadeira ao lado. Quando ele fez isso, uma perna daquela cadeira rangeu alto e ele ficou surpreso quando todos se viraram para olhar para ele.

A Seitenshi ajustou sua postura sentada e cruzou as mãos elegantemente na frente do vestido, abrindo um sorriso. “Boa tarde, Satomi. Você chegou bem na hora.”

De repente, a memória de quase agarrar Seitenshi ressurgiu na mente de Rentaro, e ele olhou para baixo ligeiramente, coçando a nuca. "Hum, desculpa por antes."

"Não estou preocupada com isso."

Olhando para o sorriso fraco do Seitenshi, ele resmungou em seu coração que ela não apenas parecia bem, mas também tinha um bom caráter. Não admira que ela fosse tão popular entre os cidadãos.

Uma mulher que parecia uma secretária ergueu os óculos afiados ao se aproximar dele. "Quem é?"

“Kiyomi, é a primeira vez que você o encontra, não é? Esse é
Rentaro Satomi, da Agência de Segurança Civil Tendo, o herói da Área de Tóquio que levou matou um Gastrea Estágio Cinco.”

A mulher chamada Kiyomi ficou surpresa. “Rentaro Satomi… Você quer dizer o ex-cantor infantil de TV e stripper de um bar gay? Esse Rentaro Satomi?”

“Quem você está chamando de stripper em um bar gay?! Quem está espalhando esses falsos rumores, afinal ?!”

Por causa do blecaute de notícias incompleto imposto, estranhos rumores estavam sendo espalhados, principalmente online. Ter suas informações pessoais distorcidas foi uma grande dor de cabeça para Rentaro. Com base nesses rumores, Rentaro era um ex-engenheiro de cultivo de cogumelos shiitake, ex-conselheiro de fortunas e ex-terapeuta animal. A de cantor infantil de TV e a de stripper de bar gay eram novas para ele.

"Ei, se você não precisa de mim para nada, estou indo para casa."

"Eu preciso de você para algo." A Seitenshi sinalizou com um olhar dizendo aos que estavam ao seu redor para recuar, desceu da plataforma e se aproximou dele.

“Satomi, Presidente Saitake, o representante da Área de Osaka, está visitando informalmente a Área de Tóquio depois de amanhã.”

"O que?!" Rentaro congelou inconscientemente quando ela disse um nome que ele reconheceu. Sougen Saitake?

"Está certo. Tenho certeza que você já sabe disso, mas atualmente o Japão está dividido em cinco áreas - áreas de Sapporo, Sendai, Osaka, Hakata e Tóquio - governadas por cinco chefes de estado. Um deles, o presidente Saitake, enviou uma mensagem inesperada outro dia dizendo que iria visitar a Área de Tóquio e que queria uma conferência comigo”.

"Por quê…?" A Área de Osaka não havia contatado a Área de Tóquio em todos esses anos. O que ele poderia querer depois de todo esse tempo?

"Eu não sei. No entanto, acredito que grande parte da razão pela qual ele escolheu agora é por causa da ausência de Kikunojo.”

“Agora que você mencionou, aquele velho está na China ou na Rússia ou algo assim, certo? Eles mostraram na TV.”

A Seitenshi assentiu silenciosamente. Saitake e Kikunojo tinham uma longa história de oponentes políticos desde antes da Grande Guerra, então vir enquanto Kikunojo estava fora pode ser visto como covardia ou dissimulação.

"Entendo. Bem, você disse que me queria como acompanhante, mas o que exatamente você queria que eu fizesse?"

“Quero que você se sente ao meu lado na limusine quando viajarmos, fique atrás de mim durante as reuniões e seja meu guarda-costas.”

"Isso significa que você quer que eu fique no lugar do velho onde ele sempre está e seja seu substituto?"

"Para ser mais claro, sim."

Rentaro não sabia mais o que pensar. O que diabos a chefe de estado nacional estava pensando na frente dele? "Fica a seu critério?"

"Sim."

"Quando o velho voltar e descobrir sobre isso, vai ficar furioso, sabe."

"Por que ele ficaria?"

"Porque... eu segui Kisara Tendo."

Como se ela entendesse apenas com isso, a Seitenshi soltou um "Ah."

“Eu não faço planos com base em preocupações sobre a briga da família Tendo.”

"Mas você sabe que não é uma questão tão simples quanto uma briga de família."

Ela não disse nada.

"De qualquer forma, você já não tem guardas adequados ao seu redor?"

“Eu estava prestes a apresentá-lo a eles. Por favor entrem."

Quando a Seitenshi ergueu o braço para convocá-los, houve o bater de botas de soldado e homens sem fio fora do lugar entraram na sala de conferência de imprensa e formaram uma fila. Esses eram os guardas pessoais do Seitenshi, que sempre eram vistos de lado durante as transmissões de TV. Rentaro contou seis deles.

Todos usavam sobretudos brancos e gorros de uniforme, com revólveres na cintura. Ele não queria dizer isso, mas mais do que guardas, eles se pareciam exatamente com os traiçoeiros militares da Segunda Guerra Mundial. Como eles se pareciam assim, era estranho que não houvesse uma espada militar em sua cintura.

"Satomi, este é o capitão, Yasuwaki."

Um homem visivelmente alto e bonito deu um passo à frente, sorrindo com o braço direito estendido. "Prazer em conhecê-lo. Eu sou Takuto Yasuwaki. Minha patente é segundo tenente e tenho a honra de ser capitão da guarda. Eu ouvi muito sobre você. Se alguma coisa acontecer durante o serviço, conto com você, Satomi.”

“Ainda não aceitei a oferta, sabe. Além disso, não vim aqui para servir. Só vim ouvir a explicação de um trabalho.” Mesmo enquanto falava, Rentaro estava interiormente surpreso. O homem parecia ter trinta e poucos anos. Ele era muito jovem para ser o capitão da guarda pessoal da Seitenshi.

Rentaro olhou para a mão direita estendida por um tempo e então ergueu a cabeça para olhar para Yasuwaki. Ele tinha olhos penetrantes em um rosto estreito e pontudo que parecia nervoso. Por trás de sua voz insinuante, aqueles olhos o encararam friamente. Rentaro podia senti-los em sua pele, que de repente se tornou tão sensível quanto um radar. Por algum motivo, ao contrário do tom de voz de Yasuwaki, Rentaro aparentemente não foi muito bem-vindo.

Parecendo sentir a inquietação no ar, o Seitenshi interveio apressadamente. "Satomi, não é um pouco indelicado de sua parte não retribuir o aperto de mão?"

Yasuwaki tirou levemente o chapéu e sorriu para ela. “Não, Lady Seitenshi. Estou acostumado a ser tratado dessa forma por oficiais da civsec. Mesmo sendo um herói, ele ainda é um mero estudante do ensino médio, então ele deve estar um pouco nervoso.” Yasuwaki não pareceu particularmente ferido quando retirou a mão e fez uma reverência educada.

Ele sabe como se comportar, Rentaro pensou. Foi minha culpa?

A Seitenshi olhou para trás e para frente de Rentaro para Yasuwaki. Então, com uma estranha inquietação, ela rapidamente passou a discutir a compensação.

Rentaro deixou isso entrar por um ouvido e sair pelo outro enquanto colocava a mão no queixo e pensava, deixando seus sentimentos pessoais de lado por um momento. Ele se sentiu mal por fazer isso com Kisara, mas não era realmente um trabalho que ele queria fazer.

Em primeiro lugar, durante o incidente terrorista anterior, ele passou por muitos problemas porque o governo estava escondendo informações importantes. O trabalho desta vez parecia ser um pedido pessoal da Seitenshi, mas soava como o desejo egoísta de uma princesa onde ele definitivamente pegaria a ponta curta do bastão.

Outra razão era que ele simplesmente não achava que era bom o suficiente. Um trabalho como esse deve ser realizado por uma unidade especializada de guardas VIP. Uma coisa era se não houvesse dinheiro e o cliente quisesse manter os custos baixos contratando um oficial da civsec, mas para o governante nacional isso era impensável. Proteger uma garota indefesa como a Seitenshi provavelmente seria um trabalho estressante. Ele não achava que algo iria acontecer, mas se algo acontecesse, a responsabilidade seria muito grande.

“Bem, então, se você aceitar o trabalho, preencha a papelada necessária e entre em contato conosco.”

A secretária feminina finalizou a explicação padrão e entregou o contrato a Rentaro. Então, o Seitenshi concluiu, dizendo: “Eu tenho outro compromisso” e saiu, levando seus guardas pessoais com ela.

No momento em que Rentaro esticou o braço perguntando: "Uh, ei, onde é a saída -" todos já haviam deixado a sala de conferência de imprensa.

Perdido, Rentaro coçou a nuca, enfiou as duas mãos nos bolsos e vagou pelo palácio de Seitenshi. No entanto, ele parou de repente e coçou a cabeça três minutos depois, quando percebeu que estava perdido. Depois de passar por uma sala de recepção decorada com gigantescos cervos empalhados e crocodilos e similares, e depois por uma sala de reuniões trancada, Rentaro se viu em um corredor que nunca havia visto antes com um tapete vermelho, sem saber como havia chegado lá.

Enquanto Rentaro andava à procura de um trabalhador para pedir informações, de repente sentiu uma pontada de dor quando seu braço foi torcido nas costas. "Não diga uma palavra", uma voz abafada sussurrou em seu ouvido, e ele foi empurrado para um banheiro masculino próximo e jogado contra a parede. Rentaro viu estrelas e pensou que sua testa tivesse se partido ao ver uma mancha de sangue espalhar-se pela parede.

Desgraçado. Ainda preso, Rentaro deu uma cotovelada em seu captor atrás dele e o fez tropeçar. Libertando-se, ele usou sua mão esquerda para agarrar a cabeça de seu oponente e acertá-la na parede em troca.

"Filho da puta."

Rentaro sentiu alguém vindo por trás para acertá-lo e aproveitou o ataque erguendo o braço direito para bloquear sem olhar. Então, ele usou um pouco de aikido para torcer e jogar seu oponente na parede.

Houve um suspiro quando o ar foi empurrado para fora dos pulmões de seu atacante.

"É o bastante." Ouviu o clique de uma arma sendo engatilhada e Rentaro parou de se mover. Virando-se lentamente, ele viu os seis guardas de antes, incluindo Yasuwaki. Um estava de guarda do lado de fora do banheiro, dois haviam sido espancados por Rentaro e dois haviam sacado as armas e apontado para Rentaro.

E o último, Yasuwaki, estava com os braços cruzados nas costas, olhando para Rentaro como uma cobra atormentando algo mais fraco do que ele.

"O que você está tentando fazer... bastardo?" Rentaro disse.

Yasuwaki caminhou rapidamente até Rentaro, e assim que Rentaro pensou ter tirado uma grande faca de seu quadril, Yasuwaki enfiou o lado do rosto de Rentaro na parede do banheiro o mais forte que pôde. Yasuwaki aproximou a boca da orelha de Rentaro e sussurrou com a voz abafada: "Rentaro Satomi, recuse este trabalho. É meu trabalho apoiar Lady Seitenshi.”

"Hã?"

"Você me deixa com nojo. Quem se importa se você é o herói que derrotou um Zodíaco? Você teve sorte de ser o único no módulo de canhão-elétrico abandonado, seu filhote. Se eu estivesse lá, teria derrotado o Zodíaco.”

Rentaro não disse nada.

"Por que você?" Yasuwaki continuou. “O Senhor Tendo deixou Lady Seitenshi comigo enquanto ele estava fora. A posição ao lado dela deve ser a minha."

"Você está sempre ao lado dela, protegendo-a, não é?"

Yasuwaki bufou. "Idiota. Não é o mesmo que estar com ela no carro ou durante as reuniões. Além disso, Rentaro Satomi”- Yasuwaki se inclinou e sorriu, lambendo os lábios repulsivamente -“Lady Seitenshi cresceu lindamente e fará dezesseis anos esse ano. Você não acha que é hora de a governante da Área de Tóquio ter um sucessor também?”

“Oh, é assim que é? No final das contas, é sempre isso, hein?"

Yasuwaki sacou a arma de seu quadril e a enfiou entre
Sobrancelhas de Rentaro. "Cale-se. Agora, terei sua resposta.”

"Eu não vou ouvir você."

Yasuwaki guardou sua arma rapidamente e se dirigiu para o corredor com um movimento do queixo. "Esmague os ossos de seus braços e pernas."

Esses caras estavam falando sério? Mantido por guardas em seus lados esquerdo e direito, ele ficou enojado e se debateu violentamente até que de repente o aperto em sua mão direita se afrouxou. No instante seguinte, antes que ele pudesse pensar sobre isso, sua mão alcançou a arma em seu quadril. Ele mirou ligeiramente à direita do rosto surpreso de Yasuwaki e puxou o gatilho.

A bala voou direto e roçou a bochecha de Yasuwaki, e então o som explosivo de fogo de armas pequenas em uma pequena sala trovejou por todo o palácio. Em seguida, houve um breve momento de silêncio, e o cheiro de fumaça de pólvora picou as narinas de Rentaro.

"Esse cara…"

"Não acredito que você atirou no palácio da Seitenshi." Os guardas ficaram chocados.

Yasuwaki rugiu para os guardas, que começaram a parecer nervosos. "Juntem-se, idiotas!"

Segurando a bochecha onde a bala o havia acertado, Yasuwaki estreitou os olhos que ardiam de ódio. "Eu vou te matar... Eu vou te matar, seu filho da puta!" Cuspindo sua ameaça de despedida, ele e os guardas recuaram rapidamente.

Em seu lugar, os trabalhadores entraram em grande número. "Você está bem?" perguntaram a Rentaro.

Quando Rentaro acenou para longe, as mãos se estenderam para ele em seu estado de confusão e se levantou, ele olhou para a saída de Yasuwaki e onde os outros saíram. Aparentemente, os guardas pessoais do Seitenshi estavam longe de ser honestos ou diligentes.

Rentaro recebeu tratamento simples e foi interrogado pela equipe e considerado inocente. Quando foi conduzido para fora do palácio pela equipe, ele decidiu aceitar o trabalho.

Quando Rentaro saiu do palácio, o sol estava baixo e o céu tingido de vermelho. Ele se espreguiçou com força, e os ossos de seu corpo emitiram sons deliciosos de estalo. Cada vez que ele tinha que passar por esse tipo de questionamento, seus ombros enrijeciam.

De repente, ele sentiu uma dor aguda e pressionou a mão no curativo em sua testa.

Por outro lado, apesar da questão extremamente séria de atirar com ousadia com uma arma no palácio da Seitenshi, ele teve permissão para voltar para casa com uma facilidade surpreendente. Por algum motivo, a equipe entendeu sua situação, mas quando Rentaro tentou voltar a conversa para Yasuwaki e os outros guardas, a equipe se assustou e olhou para baixo.

Parecia que a equipe dentro do palácio tinha algum conhecimento da arrogância dos guardas pessoais da Seitenshi. Pelo menos, o suficiente para descobrir imediatamente que algo havia acontecido entre Rentaro e os guardas quando eles viram Yasuwaki e os outros saírem do banheiro, com Rentaro dentro com sangue escorrendo de sua testa. Rentaro suspirou. Tinha se tornado algo irritante.

Então, ele olhou para cima e pensou: Oh? Havia uma bicicleta circulando a fonte elaboradamente projetada em frente ao palácio do Seitenshi. Ela estava circulando o tempo todo. Andando de bicicleta estava uma garota da mesma idade de Enju, com cabelo que provavelmente poderia ser chamado de loiro platinado. O vento soprou seu lindo cabelo para cima, e ele refletiu a luz vermelha do sol poente, brilhando intensamente.

No entanto, a menina usava um pijama folgado, calçava chinelos de casa, estava com a boca entreaberta e pedalava a bicicleta com uma expressão modesta no rosto . Foi difícil assistir.

As pessoas que passavam tinham expressões em seus rostos que deixavam claro que não queriam se envolver com o que parecia ser um sonâmbulo em uma bicicleta presa em uma volta sem fim ao redor da fonte redonda, e eles aceleraram seus passos para ultrapassá-la.

Rentaro teve um mau pressentimento e encolheu os ombros, caminhando rapidamente para passar a garota de lado, deixando bastante espaço entre eles. Com uma sensação de alívio, ele acariciou o peito e tentou não olhar para trás enquanto voltava para casa.

De repente, houve o som de algo caindo atrás de suas costas.

"Ei…! O que…?! Veja para onde você está indo!" A voz estrondosa chegava a cem metros, e quando Rentaro relutantemente voltou, havia três meninos delinquentes com cabelos loiros descoloridos cercando a garota de antes. A menina havia sido jogada da bicicleta e parecia não saber o que tinha acontecido. Surpresa, ela olhou para a esquerda e para a direita, mas então os chutes começaram impiedosamente e Rentaro fechou um olho.

As costas da garota bateram na borda da fonte, e a voz abafada que escapou quando o ar foi retirado de seus pulmões chegou até Rentaro.

“Por que você não está dizendo nada? Diga alguma coisa, vadia. Você passou por cima do meu pé com essa bicicleta!"

"Ah cara, esse pé provavelmente está quebrado."

“Você tem que pagar uma compensação! Compensação!"

Um dos meninos começou a pisar nos raios da bicicleta invertida girando em vão, em um acesso de raiva. A menina não sabia o que estava acontecendo e apenas ficou com a boca aberta. Havia mais pessoas ao redor deles que evitavam a garota e passavam, e alguns começaram a aparecer que não queriam se envolver e se afastaram completamente.

Rentaro se sentiu mal por ela, mas ele não era uma pessoa tão boa a ponto de agir como um herói e ir ajudar. Seu sentimento de não querer se envolver venceu e ele se virou, mas quando de repente pensou no que Enju diria se ela estivesse aqui, suas pernas pararam como se estivessem coladas ao chão.

Rentaro passou os dedos pelos cabelos. Droga. É melhor ligar para os pais dela, disse para si mesmo ao colocar a mão no de cabelo espetado que cutucava a garota e que parecia ser o líder, forçando-o a se virar para encarar Rentaro.

O garoto de cabelo espetado fez uma careta desagradável e disse: "Hein?" Rentaro olhou para o menino com pouco entusiasmo. A violência pura desse tipo de tagarela de rosto assustador era definitivamente mais fácil de lidar do que o dissimulado e rancoroso Yasuwaki.

Quando Rentaro não disse nada, o menino disse: "Quem diabos é você?" e aproximou o rosto do de Rentaro para ameaçá-lo.

Rentaro não disse nada e apenas bateu nas próprias costas duas vezes, onde sua arma estava enfiada no cinto.

Os olhos reptilianos do garoto de cabelo espetado emitiram uma luz perigosa e houve um silêncio opressor. As fibras das roupas de Rentaro cutucaram sua pele.

Ele não sabia quanto tempo havia passado, mas o menino de cabelo espetado finalmente girou nos calcanhares e disse: "Ei, vamos embora" e saiu, levando seus amigos com ele.

Exalando suavemente e relaxando os ombros, ele jurou para si mesmo que nunca faria isso novamente. Enquanto Rentaro se virava em censura, viu a loira olhando para ele com a boca aberta.

“Um herói... É a primeira vez que vejo um.” A garota de pijama que ele salvou olhou para ele com uma expressão distraída.

“Você não tem que me agradecer. Se apresse e vá para casa!"

Enquanto ele acenava descuidadamente e ia embora, a garota agarrou a manga de seu uniforme. "Onde estamos?"
Rentaro cobriu o rosto com a palma da mão e balançou a cabeça suavemente. Droga, ele tinha se envolvido, afinal.

Sentando a garota em um banco em um parque verde da vizinhança, Rentaro foi até uma torneira, molhou uma toalha e a trouxe de volta. Torcendo a toalha, ele enxugou o rosto da garota. "Fique parada por um segundo."

A garota ergueu o queixo, estreitou os olhos e ficou lá.

"Você parece estar... acostumado com isso."

“Eu tenho uma aproveitadora da sua idade em casa, é por isso. Pronto, tudo limpo.” Rentaro deu um passo para trás para olhar para a garota, colocando a mão no quadril e acenando com a cabeça uma vez.

A menina abaixou a cabeça para se curvar em agradecimento - mas estranhamente, ela não levantou o rosto de volta. Rentaro achou isso suspeito e espiou seu rosto por baixo. Suas pálpebras pareciam pesadas, piscando sonolentas quando ela começou a adormecer.

"Ei…"

Levantando de repente a cabeça, a garota enfiou a mão no bolso e tirou um frasco com uma etiqueta em inglês, tirou um comprimido de dentro dele e o colocou na boca. Rentaro achou que ela estava comendo alguma coisa e deu uma olhada furtiva no rótulo da garrafa e franziu a testa. Aparentemente, eram pílulas de cafeína.

"Eu sou... noturna, então se eu não fizer isso, não posso ficar acordado durante o dia." Enquanto falava, ela jogou um grande número de comprimidos na boca, um após o outro, mastigou sonolentamente e engoliu. Rentaro não sabia muito sobre esse tipo de pílula, mas percebeu que era mais do que uma dose normal.

"De onde você veio? Qual o seu nome? Onde está seu guardião? Por que você está de pijama e chinelos?”

A menina olhou para suas próprias roupas e inclinou a cabeça lentamente. “Não sei...” Levou cerca de dez segundos para reagir.

"O que você quer dizer com 'não sei'? Caramba... E quanto ao seu nome, então?"

"Meu nome é..." Por algum motivo, os olhos da garota mudaram por um momento, mas então ela pareceu desistir e ergueu o rosto.

"Tina... É Tina Sprout."

“Eu sou Rentaro Satomi.”

"Me chame de Tina."

“Então, você pode me chamar de Rentaro.”

“Rentaro…?” Tina olhou para Rentaro distraidamente com a boca entreaberta.

"O que foi?"

"Eu só... queria olhar."

Rentaro encolheu os ombros. Isso foi cansativo. “Bem, Tina,
Eu vou te perguntar de novo. Onde está o seu tutor?"

"Eu não tenho um."

Ela não tem? "De onde você veio? Você pode apenas me dizer o que você lembra."

Com os olhos semicerrados, Tina inclinou a cabeça para a frente e para trás, esquerda e direita, colocou o dedo indicador no queixo e começou a falar devagar. “Tudo que lembro é que acho que acordei no meu apartamento hoje, tomei banho, troquei de roupa e saí.”



“Não minta! Você não mudou de roupa ou tomou banho, você parece que acabou de acordar!"

Tina abriu a boca e disse, “Oh,” suavemente, seus olhos ainda semicerrados. "Você me conhece melhor do que... eu me conheço... não é?"

"Ei... a bicicleta que estava quebrada era sua, certo?"

"Bicicleta? Eu estava... andando em algo... assim?"

"Deixa pra lá. Você deve ir à guarita da polícia e pedir instruções.”

"Eu não posso... realmente..."

"Apenas faça. Percebi agora que não posso lidar com você.”

"Não... diga isso."

Rentaro escreveu seu número de telefone em um pedaço de papel e entregou a ela. “Aqui, se você se perder de novo, pode me ligar, então vá até o posto policial. Por favor."

"Então, posso tentar ligar para você como um teste agora?"

"Por que você tem que fazer algo assim...?"

"Porque você pode ter me dado um número de telefone falso." Rentaro não tinha palavras.

Tina deu as costas e mexeu no celular, e então o bolso do peito de Rentaro começou a vibrar. "Eu sei que isso é repentino, mas você está interessado em meninas de dez anos, certo?"

"O que... o que...?"

"Eu estava bem ciente de você olhando para a pele saindo do meu pijama."

"Vá ver um oftalmologista."

“Tive medo de dizer isso pessoalmente, mas você realmente tem uma cara de infeliz, não é, Rentaro?”

"Cale-se."

“Eu também não tive a chance de dizer isso, mas sei onde fica meu apartamento.”

Rentaro se sentiu um tolo.

Tina sorriu fracamente e fechou o celular lentamente. “Hoje foi um dia muito divertido.”

Aparentemente, na mente dessa garota, essa farsa foi salva em sua memória como um dia divertido.

Não foi nada divertido para mim, sabe, ele quase disse, mas guardou para si depois de ver o rosto feliz dela.

Tina deslizou lentamente para fora do banco e sorriu. “Espero que possamos nos encontrar novamente.”

Rentaro coçou a cabeça, desistiu e deu um grande aceno de cabeça, enxotando-a com a mão.

"Pois bem, adeus, Rentaro." A garota curvou-se educadamente e saiu cambaleando do parque. Rentaro observou ela ir embora, sem exalar de alívio até não poder mais vê-la. Ela não parecia uma criança má.

Pensando que tinha outra história para contar a Enju, ele caminhou na direção oposta da garota.

--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit