Shinmai Maou no Testament | Vol 11 - Cap. 2




CAPÍTULO 2: AQUILO QUE SUFOCA TODAS AS COISAS VIVAS

Quando o corpo maciço de Kouryuu e a energia elementar da Terra da compatibilidade com cinco elementos entraram em choque, a onda de choque resultante trovejou ao destruir a Torre de Tóquio. O convés de observação principal levou todo o peso do ataque - nenhum vestígio dele permaneceu, como se tivesse sido arrasado por uma explosão sem chama.
“————”
Mas das nuvens de poeira dos destroços saltou um jovem envolto em uma luz prateada ofuscante: Toujou Basara. Mesmo depois de enfrentar tal ataque, não havia um único arranhão nele. Isso não foi devido apenas a suas próprias habilidades, no entanto. Basara, mais uma vez, sentiu-se grato a todas que lhe emprestavam suas forças.
Basara agora estava vestido com uma armadura de corpo inteiro que compartilhava a cor de sua espada, Brynhildr - ele parecia um pouco semelhante a Shiba, que havia absorvido Reginleif. Basara era agora o mais forte e mais completo que ele já havia estado no momento. De volta ao Reino dos Demônios, a aparência que ele teve quando lutou com Leohart foi a de si mesmo, utilizando seus poderes demoníacos. Quando ele lutou com Celis no Village, o poder que ele exercia era o de Belphegor que estava adormecido em Brynhildr, mas foi desbloqueado graças ao contrato com Hasegawa; uma combinação entre os poderes de demônios e deuses que correm por suas veias.
Na primeira luta com Shiba, Basara controlou seus poderes demoníacos e divinos através do uso de Banishing Shift, mas mesmo assim, ele não teve chance contra Shiba. Sua forma atual foi o resultado de levar o contrato de mestre-servo que ele tem com Mio e as outras, até seus limites.
No entanto, havia uma clara diferença que separava Basara de Shiba; enquanto Shiba havia transformado completamente sua aparência, Basara ainda estava com apenas a armadura. Essa diferença era a própria representação de suas diferentes crenças; enquanto Shiba descartou sua identidade como "humano" e escolheu se tornar algo poderoso o suficiente para derrubar demônios e deuses, Basara escolheu encarar essa batalha como quem ele era.
Como usuário do Banishing Shift, Basara sabia que não podia perder o controle de seus poderes. Ele prometeu nunca machucar seus entes queridos. E é por isso que ele usou as linhagens das quatro raças, o poder dos Cinco Elementos e os cinco contratos, para obter o controle total de seus próprios poderes. Em seu estado atual, Basara era poderoso o suficiente para enfrentar o Shiba.
Basara quis parar no ar. Com o poder do dragão, ele foi capaz de se mover livremente no ar. Olhando de cima, ele avaliou sua situação atual. Seus olhos dispararam na direção da Torre de Tóquio, procurando por seu aliado de confiança, Takigawa.
Quando Kouryuu atacou Takiagwa antes, que estava em sua forma demoníaca, ele levantou o braço direito para criar uma esfera protetora ao seu redor. Se este fosse qualquer outro inimigo, seu escudo protetor teria resistido a qualquer ataque que se aproximava, mas este era Kouryuu, o dragão com os poderes combinados dos Quatro Deuses. Kouryuu quebrou a esfera demoníaca e colidiu no chão. No entanto, o solo permaneceu intacto, enquanto uma nuvem de poeira semelhante a uma nuvem de cogumelo subia às alturas do que costumava ser a Torre de Tóquio. Mas, debaixo daquela nuvem de poeira, não havia corpo a ser encontrado.
"Você não precisa agir tão surpreso."
Basara virou-se lentamente para a voz atrás dele e viu Shiba flutuando casualmente, sem se preocupar com o rosto.
“Kouryuu está no centro, exercendo o poder da Terra. Ele não é tão estúpido a ponto de destruir a própria fonte de energia que lhe dá força.
Um sorriso frio substituiu sua expressão distante quando viu o novo traje de Basara.
Ah? É esse o poder que você ganhou enquanto fugia de mim com o rabo entre as pernas? Você acha que será suficiente para me vencer? Hmm…"
"Vamos ver se vai funcionar para você desta vez."
E com isso, Shiba desapareceu de vista e, no momento seguinte, Basara sentiu um golpe esmagador na caixa torácica esquerda.
Parte 2
Uma nuvem de poeira envolveu toda a área. Kouryuu sentiu seu corpo esmagar o jovem alvo. A Esfera Demoníaca que ele desencadeou não era dos Cinco Elementos a que estava acostumada, então o dragão sofreu algum dano para penetrar na barreira, mas nada sério. Com sua afinidade com a Terra, sua saúde estava se regenerando lentamente por causa de seus arredores.
Mas havia algumas coisas preocupantes que cocavam em sua mente. Primeiro, a quantidade de energia enviada pelos Quatro Deuses subiu para níveis minúsculos. Talvez os inimigos estivessem restringindo os quatro deuses. A sincronização com o Shiba também atrapalhou a velocidade com que o Kouryuu poderia materializar todo o seu poder.
No entanto, ainda era uma questão de tempo até que Kouryuu pudesse materializar seu poder. E também havia acabado de derrotar um dos inimigos. Com seu trabalho completo, Kouryuu se preparou para voar em direção a Shiba para dar uma mão contra sua luta, mas foi atingido por um golpe esmagador na frente.
Abafando sua surpresa, Kouryuu percebeu que o ataque agora era do mesmo elemento que o jovem usou antes para sua barreira. Olhando para a pousada construída no parque a sudoeste da Torre de Tóquio, Kouryuu foi recebido com a visão do inimigo, com certeza estava derrotado. Olhando para baixo, Kouryuu percebeu que o "corpo" que ele havia esmagado antes de seu ataque era uma "boneca". Percebendo que tinha sido, Kouryuu olhou de volta para o jovem, apenas para se ver cercado por centenas de clones do homem.
No entanto, mesmo quando cercado, Kouryuu não estava perturbado. Habilidades relacionadas a clones e subtituições geralmente criavam versões mais fracas do lançador de feitiços. Ou seja, eles não tiveram chance contra o poderoso dragão. Além disso, todos os clones estavam em pé no chão, que era o elemento do dragão. Eles estavam pedindo uma execução em massa.
Invocando seu poder, Kouryuu atacou o chão para engolir os clones.
Mas isso não aconteceu.
Em vez disso, era Kouryuu que estava sendo engolido pelo chão.
Olhando para baixo, Kouryuu viu que o chão a seus pés não era de sua cor marrom habitual, mas escuro como breu.
"Você sabe, você deve ter se distraído com a barreira de Salomão, mas outras afinidades também são capazes de manipular o céu e a terra, sabia?"
O jovem continuou.
“Meus clones das sombras são feitos de energia demoníaca concentrada. Se eu quiser, posso fazê-los agir como "gatilhos" de alguns ataques mágicos em larga escala. E meu Elemento Escuridão não é seu elemento padrão. Portanto, um ser do Elemento Terra como você não será capaz de lidar com a escuridão.
“Tenho certeza de que você pode engolir esta área central, se quiser, e até minha magia não será capaz de combater isso. Mas você não vai. E isso é porque você está priorizando recuperar toda a sua força. ”
“Se você lançasse um ataque em toda a área, esgotaria sua energia atual do Elemento Terra e a taxa de materialização de seu poder diminuirá. E é por isso que você preservou seu poder apenas lançando ataques diretos, investindo contra nós. ”
Kouryuu de repente ficou mais cauteloso com o jovem que se opunha a ele; embora não achasse que ele seria poderoso o suficiente para derrubá-lo, havia subestimado o quanto de ameaça ele era.
O dragão liberou sua energia do Elemento Terra de uma só vez, a onda de choque dourada destruindo as centenas de clones das trevas que o cercavam. Mas quando seus clones estavam sendo destruídos, Kouryuu viu o jovem estender o braço em direção a ele, acenou com o dedo.
Venha me pegar.
E Kouryuu respondeu da mesma maneira - não se importando que isso comprometeria o processo de manifestação, avançou em direção ao jovem inimigo, seu corpo grande subindo com o poder do elemento Terra.
Parte 3
Tendo diminuído a distância entre ele e Basara em um instante, Shiba havia atacado com sucesso seu adversário - com um soco no braço direito irradiando uma quantidade enorme de Ki.
Foi um ataque semelhante ao que Shiba havia causado a Basara, um ataque que impediu que este último lutasse mais durante a primeira vez que lutaram entre si.
E ainda-
O poder destrutivo de seu ataque anterior estava muito longe do que estava sendo desencadeado por seu ataque atual; seu poder havia crescido para um nível completamente diferente, com a combinação da corrupção de Reginlief, a compatibilidade adquirida com os Quatro Deuses e Kouryuu se manifestando simultaneamente a isso.
Dito isto, Basara não teria sido capaz de escapar da morte certa se estivesse no mesmo estado em que estavam quando lutaram pela primeira vez.
"... Whoah !?"
No entanto, Shiba foi subitamente forçado a mudar após testar suas capacidades - e ele não parou por aí.
“————”
Usando o Ki ao seu redor, ele empurrou o espaço ao redor com as palmas das mãos e os pés, a reação resultante permitindo que ele se movesse e se esquivasse em três dimensões e sem limite.
Shiba estava girando seu corpo hecticamente para evitar uma série de ataques que o atingiam mais rapidamente do que seus olhos podiam seguir.
No entanto, Shiba não se sentiu alarmado.
A presença de alguém sempre pode ser detectada na sequência de qualquer ataque consciente, e isso se estende a outros sinais, como vigor ou sede de sangue, quando a intenção hostil também está presente, e até os fingimentos vêm com alguma forma de consciência. Dito isto, a capacidade de Shiba de manipular Ki e detectar Ki circundante significava que ele poderia evitar os ataques de seu oponente sem dificuldade.
E ele poderia fazer mais do que apenas desviar dos ataques de seu oponente, se tivesse uma noção da consciência deles.
"-Aí está você."
Girando, Shiba soltou um golpe de backhand com a mão direita, o ataque resultante produzindo um som estridente e maciço.
Seu soco foi bloqueado.
Mas como? Não havia utilidade defensiva que devesse funcionar contra os ataques de Shiba, agora aprimorados com grandes quantidades de Ki. Esse Ki se infiltrava através de qualquer arma com a qual ele entrava em contato e com seu portador, e seu Ki era capaz de penetrar através da 'Universal Rejection' de Basara.
"...Heh." Shiba sorriu profundamente com a inesperada ocorrência estranha.
Foi a primeira vez para ele - ter o Ki de seus golpes incapaz de passar por um oponente. Seu único consolo foi o fato de que ele conseguiu voar para trás no momento em que o espaço foi atacado.
"Entendo... então você é capaz de se defender contra o meu Ki agora", disse Shiba, recompondo-se enquanto se acalmava depois de se afastar do oponente. Ele então recebeu uma declaração resoluta de Basara, empunhando Brynhildr enquanto ele estava bem na frente dele.
“Eu já te disse isso. Resolvi bater em você e me preparei para isso.
Shiba olhou fixamente para Basara. "Parece que você finalmente conseguiu colocar a natureza abstrata do conceito dessa 'Universal Rejection' sua contra mim."
A Universal Rejection de Basara foi uma habilidade que permitiu a Basara desviar qualquer ataque, independentemente de sua natureza, mas não representava nenhuma ameaça para Shiba; A capacidade de Shiba de manipular Ki não era apenas uma manifestação física, mas possuía outro lado - uma ativação conceitual aplicada a resumos.
O que havia decidido o resultado de sua primeira batalha foi o confronto entre a fisicalidade de algo que repelia tudo e o conceito abstrato de algo que poderia passar por qualquer coisa - mas Basara realmente conseguiu se defender do Ki de Shiba dessa vez.
Isso significava que a Universal Rejection de Basara havia ativado seu mecanismo conceitual de ser capaz de repelir todas as coisas - e Shiba deduziu a razão pela qual ela ocorreu da aura complexa de Ki Basara que estava sendo liberada.
“Humph. O sangue de um Demônio e um Deus - de suas duas mães - e o sangue de Jin-san, um membro do Clã dos Heróis que bebeu profundamente o sangue do dragão maligno Fafnir e ganhou seus poderes ... parece que os poderes de sua herança de quatro linhagens diferentes está ganhando vida. E o equilíbrio individual entre cada linhagem é impressionantemente uniforme. ”
Além disso-
“Há também o selo de Salomão feito por Mio-chan e as outras e a compatibilidade resultante deles... Mesmo assim, tudo isso por si só não deve ser suficiente para você se defender do meu Ki.
A proficiência de Shiba em manejar Ki havia aumentado drasticamente desde a primeira batalha; o fato de Basara ser capaz de se defender dos ataques de Shiba significava que Basara havia conseguido alcançar um poder ainda mais forte que o de Shiba durante seu desaparecimento.
E havia apenas uma explicação possível para isso.
"Mas é claro, Basara, então você ..."
Um sorriso frio surgiu em seu rosto mais uma vez quando ele percebeu.
“Você finalmente cruzou a linha e fez o voto de mestre-servo com Mio-chan e as outras para me derrotar. É isso que é, não é?
Parte 4
Basara permaneceu em silêncio enquanto Shiba deduzia o que havia feito com precisão - a capacidade de Shiba de detectar e analisar Ki significava que não havia como escondê-lo.
... É natural que você saiba.
O poder atual de Basara surgiu da ativação da composição altamente equilibrada de suas quatro linhagens, bem como da compatibilidade de cinco elementos que veio dos votos de mestre-servo que ele fez com Mio e as outras.
Ser capaz de controlar toda a extensão de seu poder recém-adquirido era uma tarefa extremamente difícil, especialmente se esse poder vinha de uma fonte externa e não de uma mudança interna.
Um aumento de poder aditivo por si só poderia ter sido inadequado para atingir um poder que era suficiente para derrotar Shiba, então Basara optou por combinar todos os seus poderes multiplicativamente. Isso fez com que seu poder aumentasse tão drasticamente que se tornou um esforço inútil tentar controlá-lo; e assim ele só podia pedir a Mio e as outras para erguer uma barreira do Selo de Salomão com antecedência.
Apesar de tudo isso... Basara sabia que dar uma virada não era um erro.
E embora ele pudesse rastrear o atual nível de poder de Shiba até a compatibilidade com cinco elementos dos Quatro Deuses, bem como a manifestação simultânea do Kouryuu, além de vários outros fatores desconhecidos ... ele nunca imaginaria que Shiba seria capaz de liberar a corrosão de Reginlief .
Se Basara não tivesse elevado sua 'Universal Rejection' para alcançar sua aplicação conceitual em preparação à força gradualmente crescente de Shiba, esse ataque teria decidido a batalha ali e depois.
No entanto, também significava que a ativação conceitual de sua Universal Rejection só se aplicava ao Ki de Shiba; se a ativação conceitual se aplicasse a todas as coisas, Basara rejeitaria o próprio ar que ele precisava respirar e repeliria até o próprio espaço ao seu redor, deixando-o sem nada a seu redor.
Basara havia intencionalmente limitado a aplicação conceitual de sua Universal Rejection a trabalhar apenas contra o Ki de Shiba para evitar que isso acontecesse.
Claro, ele também poderia controlá-lo de uma maneira que também pudesse repelir ataques de natureza normal - mas era melhor não fazê-lo.
Os ajustes conceituais corretos significavam que Basara seria capaz de suportar os ataques de Shiba; ao mesmo tempo, um erro na dedução conceitual da matéria abstrata particular seria fatal.
Havia também o fato de que Shiba provavelmente não havia liberado todo o seu poder quando Basara havia bloqueado seu ataque inicial.
Shiba escondeu suas verdadeiras intenções até o fim durante a primeira batalha - certamente ele teria um trunfo na manga dessa vez.
"... Ainda assim, devo admitir que estou realmente surpreso por você ter chegado tão longe." Shiba disse, seu eu anômalo rindo levemente. “Enquanto eu fiz uma barreira com os Quatro Deuses e ganhei poder através de sua compatibilidade com cinco elementos, você decidiu usar suas garotas que te amam tanto para alcançar sua própria compatibilidade com cinco elementos e pediu que fizessem uma barreira contra os Selo de Salomão. O que você está fazendo é bem parecido com o que eu fiz, sem dúvida, mas os fundamentos por trás de nossas ações são noite e dia. ”
Depois de tudo-
“Estou usando os Quatro Deuses - os tesouros sagrados -, mas Mio-chan e as outras são seres vivos. Vamos, acho que você não precisa que eu lhe diga o quão cruel isso é. É hipócrita também, você grita o tempo todo sobre a luta para proteger aquelas dos quais não pode desistir, e ainda vai usar suas preciosas garotas como ferramentas para se fortalecer para me derrotar. ”
As palavras de Shiba foram recebidas com outro silêncio de Basara, e Shiba riu novamente.
“Ah, e isso não é tudo, certo? Você avançou seus contratos de mestre-servo em votos de mestre-servo - o que significa que você nunca poderá desfazê-los depois de fazê-los. Agora você está ligando aquelas a quem você ama pela eternidade - e eu me lembro que você também vaporizou os cadáveres de seus parentes da Vila no nada quando seu 'Banishing Shift' ficou fora de controle. Embora eu suponha que o fato de você querer me derrotar e proteger o que você ama faz com que seja uma causa justa."
Claro, esse não foi o caso.
"Você realmente está longe demais se tiver decidido algo que só lhe trará uma tragédia irreversível depois de todos esses anos e depois de todas aquelas terríveis batalhas contra as quais você lutou".
Ele o estava criticando por cruzar a linha.
"..."
Depois de passar um longo tempo em silêncio, ouvindo o que Shiba havia dito ... Toujou Basara finalmente abriu a boca para falar.
"Não negarei tudo o que fiz - o fato de ter sido responsável por uma tragédia horrível quando meu poder ficou fora de controle e quando condenei os cadáveres de meus companheiros ao nada."
Mesmo assim-
“Eu nunca vi as meninas como ferramentas - nem no passado, nem agora nem nunca. Mesmo agora, elas são extremamente importantes para mim e continuarão se tornando ainda mais insubstituíveis no futuro ... e tenho certeza de que elas também se sentem assim. Tudo o que fizemos foi fazer um voto eterno para garantir que ninguém possa tirar nenhum de nós. ”
E se-
"Você acha que eu vejo Mio e as outras como ferramentas, é só porque você considera os Quatro Deuses como ferramentas para você, não é?"
"..."
Foi a vez de Shiba ficar em silêncio, estreitando os olhos enquanto Basara continuava falando.
"Mas, assim como Byakko reconhece Takashi, os Quatro Deuses não são nada além de ferramentas - são entidades que lutam ao lado de seus manejadores."
E muito parecido com o modo como Sakuya aprovou Yuki - e como Brynhildr aprovou Basara.
“Você trata Reginleif e Kouryuu apenas como ferramentas para realizar suas próprias ambições. Alguém como você não tem o direito de dizer nada sobre o relacionamento - os vínculos - que compartilhamos entre nós.
Você vai me ouvir e vai ouvir bem.
“Só nós decidiremos se nossos títulos acabarão em tragédia. No mínimo, não aprovo o que você está fazendo e como está ameaçando tirar o sorriso e a vida delas - e isso é uma coisa que também não vou permitir que aconteça. ”
"Eu posso imaginar que você não vai ... então o que você vai fazer sobre isso?" Ele disse ironicamente, e duas substâncias escuras em forma de cólon do tamanho de seus punhos se fundiram atrás dele para formar uma esfera, que depois se dividiu em outras nove.
A aura de Shiba também estava ficando mais forte a cada minuto - ele estava prestes a mostrar sua verdadeira força.
É isso mesmo, os pensamentos de Basara mudaram novamente. Não somos os únicos que estão lutando com tudo em jogo.
Shiba também tinha um passado que não pode ser apagado - ele tinha seus encargos.
Mas Basara tinha coisas que ele não podia perder também.
Tais pensamentos bateram em seu peito enquanto ele segurava Brynhildr pronto.
"Shiba Kyouichi, eu vou derrotá-lo - e com tudo em jogo!" E Toujou Basara mudou-se para se contentar com sua palavra.
Parte 5
Um enorme círculo mágico foi lançado no palco ao ar livre do Parque Shakujii, no noroeste; enxames da Legião, uma horda incontável de espíritos malignos, eram constantemente convocados, mas também eram cortados por uma série de golpes de espada que eram tão fortes quanto eles.
A batalha já durou trinta minutos; o número de Legiões que Leohart havia derrubado com sua espada mágica, Loki, estava agora na casa dos milhares, mas a horda continuava incessante, à medida que continuavam aparecendo em hordas, independentemente de quantas ele cortasse.
Leohart tinha dois objetivos nessa batalha - o primeiro era subjugar Balflear e prendê-lo, enquanto o segundo era proteger Maria, que estava formando a barreira feita a partir do selo de Salomão.
E um fator importante da referida batalha foi a distância; Leohart mantinha uma distância constante e apropriada de Maria enquanto lutava, sabendo que a arrastaria para a batalha se estivesse muito perto, mas cuidando de não se afastar muito para evitar o evento de não poder defendê-la a tempo .
"Haaaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Uma lâmina esmagadora de ar cortou a Legião circundante, e Leohart correu a ponta da espada mágica pelo chão, erguendo a espada para cima em um movimento abrangente que ameaçava sacudir a terra embaixo dele. A onda de choque resultante agitou a areia e os destroços ao soprar as hordas de Legião que acabavam de emergir do enorme círculo mágico.
“...Corte quantas você quiser. É inútil."
Foi Balflear, que desapareceu no momento em que a batalha começou. Sua voz podia ser ouvida em todos os lugares, e a conjuração de outro círculo mágico que convocava ainda mais hordas da Legião revelou sua localização.
Eu vejo.
Tendo tentado destruir os círculos mágicos convocando a Legião várias vezes para verificar a realidade da situação, Leohart não podia mais negar que o que Balflear disse era verdade.
A Legião não seria impedida de seguir seus métodos atuais.
"A Legião é uma horda infinita de espíritos malignos ... não há como detê-los." Balflear riu ainda mais friamente com o esforço infrutífero.
"…Esse é realmente o caso?" Leohart disse, duvidando das palavras de Balflear. Embora a Legião parecesse gerar infinitamente, não importa o quanto ele cortasse, Leohart sentiu que havia algum engano envolvido.
Tendo perguntado imediatamente sobre Balflear e a Legião, de Maria, que havia lutado contra Balflear antes de sua chegada, Leohart suspeitava de uma das duas afirmações: a Legião era um deus de poder infinito e o fato de Balflear ter conseguido formar um contrato perfeito com a Legião - era falsa, ou que ambos eram falsos.
Era impossível que ambas as afirmações fossem verdadeiras - elas deveriam ser mutuamente exclusivas.
E havia o fato de que seus poderes demoníacos estavam restritos de todo o seu potencial dentro da barreira de cinco elementos feita com os quatro tesouros sagrados - incluindo a Legião de Deus Demônio. Ao mesmo tempo, Shiba não poderia ter adquirido tal poder supremo simplesmente por nascer do Clã dos Heróis, o poder necessário para manejar os tesouros sagrados e erguer a barreira mencionada acima.
Leohart então falou com o espaço vazio diante dele, sabendo que Balflear ainda podia ouvi-lo em algum lugar.
“Se o que você diz é verdade, em vez de ficar parado e tentar combater números absolutos como o que está fazendo agora, você pode simplesmente decidir o resultado da batalha combinando sua horda aparentemente infinita de Legiões em uma única entidade especial . ”
E isso não foi tudo.
"Eu sei tudo. Eu ouvi tudo isso de Lars, sabendo que ele tem mais história com você do que eu, e ele me contou o motivo real pelo qual você decidiu ajudar essa pessoa Shiba - e também o que você realmente deseja. Ainda assim, se o poder da Legião é tão infinito quanto você diz - você já deve ser incomparável a essa altura e não teria prosseguido com esse plano para fornecer a Shiba o poder absoluto que ele precisava. E, no entanto, você planejou esta operação com Shiba Kyouichi nas sombras, e agora você está apenas brincando de esconde-esconde enquanto nos enfrenta através de uma guerra de desgaste. ”
Mas não foi esse o caso, porque -
“Tem que haver um limite - seja com a Legião ou com você. E o poder infinito da sua Legião não está mais abaixo do referido limite. Eu diria que existe algo central em algum outro lugar - a mesma fonte que resulta nessa horda que é aparentemente interminável, não importa quantos seres sejam abatidos, quando, na realidade, está simplesmente reutilizando uma fonte finita para produzir novas hordas de Legião como a hordas anteriores são destruídas. Estou errado?"
"..."
Leohart foi respondido com um silêncio que não estava parado; a visão diante dele foi limpa; o círculo mágico se dissipou e as hordas de Legion também não foram encontradas em lugar algum.
"Ele ... recuou?" Maria perguntou enquanto continuava a fornecer o elemento Madeira necessário para sustentar a barreira feita a partir do Selo de Salomão.
"…Não. Eu acho que ele quer resolver isso de uma vez por todas."
Foi um silêncio que sugeriu que Balflear estava prestes a demonstrar a suposição de Leohart - um silêncio que anunciava o surgimento de uma Legião mais forte.
"... Deixe-me perguntar uma coisa, Maria."
"O que? Já contei tudo o que sei sobre ele e a Legião ...
“Eu não estou perguntando sobre Balflear. Quero saber sobre essa pessoa Shiba - sua história e a extensão de suas habilidades ", disse Leohart:" Há uma razão pela qual Balflear decidiu trabalhar junto com esse homem, com esse homem aparentemente tratando Balflear como seu único aliado como bem."
Tinha que haver alguma conexão entre os dois.
"Faça sua explicação breve - e concisa."
“O histórico e as habilidades de Shiba Kyouichi? Vamos ver…"
Maria passou a explicar a Leohart o que sabia do inimigo: de como ele era uma existência proibida feita no Vaticano, um clone do deus da guerra, Toujou Jin; e como ele era extremamente hábil em controlar Ki - talvez o suficiente para chamá-lo de mestre inigualável da arte.
Ela falou de como seu corpo estava cheio de Kegare que poderia engolir qualquer coisa ... ele também absorveu Reginlief, um membro dos Dez Deuses, através de outro experimento proibido.
As informações que Leohart recebeu junto com seu conhecimento existente das propriedades da Legião, bem como o fato de Balflear revelar que ele havia passado uma história mais longa com Shiba, pareciam as respostas que o Lorde Demônio precisava para confirmar suas suspeitas. 
"Então é assim que é ..." Leohart murmurou.
"O que exatamente você entendeu?" Uma voz suave disse de repente.
Leohart silenciosamente virou-se atrás dele para ver Balflear, agora a cerca de vinte metros dele, com a Legião ao seu lado - agora parecia drasticamente diferente.
“——————”
Sua carne estava agora dura e firme - seu físico agora era inegavelmente forte à primeira vista - em vez da textura viscosa e instável que ela havia assumido anteriormente; a simples pressão que vinha de sua mera presença volumosa lembrava a forma intimidadora do Caos o Deus dos Demônios que eles haviam testemunhado no passado.
Essa forma da Legião era sem dúvida o trunfo de Balflear.
“Não estou interessado em lutar contra uma guerra de atrito. Tudo o que Kouryuu precisa se manifestar é permanecer nessa barreira de compatibilidade com cinco elementos, com o poder de Kyouichi-dono apenas continuando a crescer o tempo todo. Estou simplesmente ganhando tempo. Bem-" disse Balflear. “Eu pararia aqui e ficaria em silêncio agora, mas você é alguém que eu costumava servir. Eu preferiria ter preferido se você simplesmente ficasse no Reino dos Demônios vivendo o resto de seus dias limitados com sua preciosa irmã mais velha... seria uma pena vir até aqui apenas para morrer sem nenhuma boa razão... "
Balflear tocou a Legião em sua forma final. "Esta é a verdadeira forma da Legião ... vou dizer isso agora - você não tem chance de derrotá-la."
"É isso mesmo, suponho que veremos isso", disse Leohart, preparando Loki na declaração de Balflear.
"...Embora isso esteja realmente bem?" Ele então lançou uma pergunta para ele: "É realmente bom você se mostrar assim, Balflear?"
"......"
Sua pergunta apagou qualquer traço de emoção que Balflear tinha em seu rosto.
“Pelo que eu sei, suas habilidades vêm de um contrato feito com o Demônio Wraith de alto escalão - habilidades que permitem que você se esconda em lacunas entre as dimensões. Perto do final da última grande guerra, você foi designado para minha unidade como minha ajuda e foi responsável por muitas operações secretas. Mas mesmo assim ”, disse Leohart,“ senti que algo estava errado depois de descobrir que você fez um contrato com a Legião, bem como seu relacionamento com esse homem chamado Shiba. Shiba Kyouichi não estava envolvido na batalha anterior, e ele não havia deixado o mundo humano durante esse tempo também; isso significa que vocês dois devem ter entrado em contato no mundo humano. ”
Mesmo então—
“E enquanto Shiba Kyouichi estava preso nos últimos vinte anos, por que você voltou ao Reino dos Demônios para participar da última grande guerra ...? Acho que encontrei minha resposta depois de ouvir a explicação de Maria sobre a história dele. E com isso também descobri por que você decidiu emprestar sua força a ele.
Ele então suspirou.
"Balflear... você ficou preso no Vaticano por um tempo após a última grande batalha, não estava?"
Que sujeito problemático, pensou Balflear. Leohart agora deve ter pelo menos alguma compreensão de sua história e seus segredos.
Por outro lado, Leohart sempre foi alguém extremamente conhecedor e inteligente - ele nunca precisou de um subordinado como Balflear.
Ele era direto e não gostava de mexer as cordas nem de trabalhar além das cenas, como Balflear e Lars, mas não era tolo.
Enquanto Balflear refletia sobre o incômodo diante dele -
“Os contratos que fornecem energia a alguém correm um risco diretamente proporcional à energia que está sendo fornecida. Normalmente, seria absolutamente impossível realizar o que você fez e contrair com a Legião como uma entidade única, não importa quantos milagres alguém possa imaginar. Do meu ponto de vista, você é um produto experimental feito a partir de um teste para ver se alguém poderia contrair um Deus Demônio após ser sequestrado pelo Vaticano - bem como o homem que você chama Shiba de ser um clone experimental de Jin Toujou. E duvido que você seja o único - disse Leohart. “Embora o número de baixas durante a última grande guerra seja desconhecido, presumo que metade desses mortos foram poupados não apenas como prisioneiros, mas também como sujeitos de teste - tudo por produzir avanços ridículos. E você, Balflear,
E talvez-
“Foi sua Legião que foi a peça final do quebra-cabeça para tornar Shiba Kyouichi a casca dos Kegare que restou dos experimentos que ninguém do Clã dos Heróis era capaz de lidar - e através de conter o suprimento inesgotável de Legião em seu corpo , não é? É por isso que você decidiu trabalhar junto com ele - é porque o desejo dele de vingança contra o Vaticano está alinhado com o seu.
“Isso está correto ... essa é a essência disso. Você está errado sobre um detalhe, no entanto." Disse Balflear. Ele então desatou a placa do peito de seu traje de batalha e desfez o selo mágico ativo e ótico.
Os prisioneiros do Vaticano não foram obrigados a fazer contratos com a Legião. Eu - nós - fomos simplesmente forçados a se tornar seus anfitriões. ”
Ele expôs o centro do peito - o coração da Legião de Deus Demônio.
"A pior parte de tudo isso é que o Vaticano havia descoberto uma maneira de eliminar o problema de terem sujeitos de teste insuficientes".
Os olhos de Leohart se arregalaram um pouco com a declaração de Balflear. "Poderia ser-"
“Sim - clonagem. Eu sou, como Kyouichi-dono, um produto vivo de um experimento. Mais especificamente, sou um experimento quimérico sendo realizado a partir de células com altas taxas de compatibilidade extraídas dos demônios que foram presos lá. Não me lembro do demônio do qual fui clonado ou de que número eu era quando fui produzido - talvez um dos muitos milhões de outros como eu. E foi através de inúmeros experimentos que o impossível finalmente aconteceu: um produto de sucesso nasce das profundezas do desespero-I, 13 th Edição BLFLA modelo: Soul Composição Batch, Experiência Número Ω ○○○ 48! “
Quando a embarcação que abrigava uma quantidade imensurável de Kegare como resultado da absorção contínua da Legião foi transportada pela primeira vez para a vila no Japão, ele se apresentou como "Shiba", derivado dos números restantes do código experimental de Balflear. (4 = Shi, 8 = Ba).
"Eu nunca teria pensado... algo assim aconteceu..." Maria sussurrou, pasma com a explicação de Balflear - e houve uma risada quase imperceptível dele.
"Isso só fez com que o tempo que eu passei com Kyouichi na instalação experimental durasse ainda mais."
“E é por isso que vocês dois decidiram trabalhar juntos. Exigir vingança contra o Vaticano - vingança contra o Clã dos Heróis, não é?" Leohart perguntou.
“É claro... e quando Kyouichi-dono absorveu Reginlief pela primeira vez, eu deixei a instalação em meio à comoção enquanto ele intencionalmente ficou para trás. Juramos lá e depois - nos reunirmos mais uma vez quando chegar a hora certa de encenar o glorioso drama de destruir tudo. ”
Você entende isso agora, não é?
"Fiquei do lado de Kyouichi-dono não porque passei mais tempo com ele - mas sofremos dentro de um abismo, um inferno com mais loucura e crueldade do que qualquer campo de batalha."
Leohart estava ainda mais certo da verdade depois de ouvir Balflear.
“...Como eu pensei, então... Você voltou ao reino dos demônios...
"Exatamente - para fazer um contrato com Wraith." Balflear respondeu imediatamente. "Recusei a morrer até a hora certa - tive que encontrar um lugar onde nem a lâmina nem a magia pudessem me prejudicar."
Wraith possuía a capacidade de atravessar as dimensões e permanecer em seu espaço à vontade; ele era um demônio de um escalão ainda mais alto, com o qual nem mesmo membros de alto escalão do Reino dos Demônios podiam fazer contratos.
No entanto, Balflear tornou o impossível possível, uma vez que ele era um anfitrião da Legião - e seus preparativos estavam completos no momento em que ele adquiriu os poderes de Wraith.
“Eu já testei todas as habilidades furtivas de Wraith quando estava operando na última guerra; se outros soubessem que minhas habilidades agora superavam as do meu comandante, eu teria atraído muita atenção desnecessária ... e se eu tivesse desaparecido do nada antes que os preparativos de Kyouichi-dono estivessem completos, eu teria convidado muita atenção e investigação . ”
Dito isto-
“Você me deu a solução que precisava quando me solicitou como seu ajudante. Você me colocou em uma posição em que eu não precisava me preocupar com nada - um porto seguro, se preferir - e, o mais importante, com isso, você me forneceu poder, posição e liberdade. Eu te ajudei a alcançar o sonho que você carrega há tanto tempo para retribuir o favor.
"Suponho que podemos concordar com isso - afinal, esses velhos não são nada diferentes do Vaticano."
"Sim. Até o Reino dos Demônios não é poupado do inferno pelo qual passei. Embora talvez esses tabus e o desespero que os acompanham não sejam tão raros quanto parecem."
E ainda-
"Mesmo assim, não posso deixar de lado tudo ... nem os pecadores envolvidos, nem o ódio que corrói minha própria dignidade." Balflear disse, sua voz ficando mais pesada a cada minuto.
“Suponho que entendi o que você passou e as emoções por trás disso agora, mas...” Leohart disse: “Por que você não pensou em me usar se queria uma vingança exata contra o Clã dos Heróis? É óbvio que muitos se oporiam à operação que você planejou com Shiba e, dado que eu ainda precisava do apoio do Reino dos Demônios, mesmo depois de suceder Wilbert como o novo Lorde Demônio, você poderia facilmente ter me coagido a lançar um ataque ao Vaticano, a sede do Clã dos Herois.” Disse Balflear. "Bem, eu também concordei com sua decisão de descartar os Cardeais até certo ponto."
"Você não sabe muito bem por que nunca considerei essa opção?" Balflear perguntou, rindo insensivelmente.
“Você lutou contra o Cardeais não apenas por justiça… A principal razão pela qual você fez tudo isso foi simplesmente para garantir que sua amada irmã mais velha seria capaz de viver sua vida no Reino dos Demônios sem trela ou preocupação. Eu sei muito bem disso através de como você tentou ativamente evitar conflitos com o Clã dos Heróis, em vez disso, procurando unificar o Reino dos Demônios em uma era de paz, e mesmo agora você está prosseguindo com uma negociação de aliança com a Facção Moderada - mesmo se você nos permitiu atacar Naruse Mio, filha de Wilbert, o Lorde Demônio anterior..."
Mas a verdade raramente é tão simples.
“No entanto, mesmo com a recomendação da facção em guerra e da facção conservadora, seus ideais ainda são muito parecidos com os de Wilbert de quando ele costumava reinar na facção moderada - para realizar suas próprias ambições e garantir a prosperidade das pessoas mais próximas a você. Isso não é diferente do que os Cardeais fizeram. … Não, não é esse o caso, agora, é? Para um rei que pretendia servir e se sacrificar para o seu povo, em vez disso, sacrificaria o seu próprio povo, para ele - ao mesmo tempo em que exercia o fato de que tudo é para aqueles que você ama como uma desculpa conveniente - você é simplesmente muito pior. ”
Mas essas coisas simplesmente não podiam ser toleradas, disse Balflear.
“Olho por olho - a dor deve ser paga igualmente, e o sofrimento deve ser compartilhado com aqueles que condenam outros a ela. O ódio que detenho é justo e não pode ser eliminado - como poderia ser, sabendo que satisfaria uma mera minoria insignificante, se fosse possível! Seja o Clã dos Heróis inteiro ou os Dez Deuses que foram responsáveis ​​nos bastidores - eles não podem ficar isentos de saber a extensão de como nós dois sofremos. ”
As palavras de Balflear foram o culminar do ressentimento de longa data que ele carregava com ele por quase vinte anos.
E a de Leohart foi uma resposta simples.
"...Eu não vou deixar você fazer o que quiser."
Parte 6
Apesar de finalmente entender os sentimentos fortes e ansiosos que seu ex-ajudante carregava com ele por tanto tempo, Leohart os rejeitou com firmeza.
“Eu não vou culpar você e seu ódio pelos Heróis e Deuses por suas experiências passadas ... e eu posso entender como suas ações são todas alimentadas por uma necessidade de vingança em relação a eles. No entanto, ”Leohart disse.
“Há muitos no Reino dos Demônios que vivem no momento, esperando o amanhã - eu imagino que as pessoas neste mundo também sejam assim. E tudo o que você e Shiba Kyouichi farão é reiniciar a guerra que envolveu o mundo humano e o Reino dos Demônios, quebrando o pacto de cessar-fogo entre os dois mundos. Uma guerra em grande escala entre o mundo humano e o Reino dos Demônios - possivelmente envolvendo até o Reino Divino - resultará apenas em uma calamidade terrivelmente irrevogável para todos os lados. ”
E-
“Essa batalha só trará novas dores e acenderá as chamas para um ciclo interminável de ódio. Vocês dois pretendem desencadear seu ódio no mundo, sem saber que estariam apenas criando muitos outros como vocês. Agora que o longo e doloroso período de conflito no Reino dos Demônios está finalmente chegando ao fim, não permitirei que mais um poço de sofrimento aconteça ao meu povo como o Lorde Demônio! ”
Balflear lançou um olhar penetrante para Leohart ao proclamar - ele não disse nada em resposta, pois estava plenamente ciente das conseqüências futuras de suas ações.
E Leohart continuou falando.
“O dever de um rei não é apenas responder àqueles que fizeram seus súditos sofrerem - um rei deve levar a alegria e a tristeza de seu povo para levá-los a um futuro melhor. Esse é o dever sagrado de um lorde e uma responsabilidade obrigatória que nada tem a ver com os sentimentos pessoais. Minha irmã mais velha e eu sabemos disso muito bem.
Não cometa erros.
“Minhas intenções de derrotar os Cardeais e apoiar um relacionamento entre a Facção Atual do Lorde Demônio e a Facção Moderada não são simplesmente fornecer um lugar onde minha irmã mais velha possa pertencer - e isso não mudou até agora. O pacto resultante entre as duas facções formará um poder sem oposição no Reino dos Demônios... um que manterá adequadamente outras forças sob controle e limitará a quantidade de sangue que precisa ser derramado. Eu acredito que isso traria prosperidade para todos no Reino do Demônios, presente e futuro.”
Não houve hesitação nas palavras de Leohart.
“O caminho que trilho é marcado pelos sorrisos do meu povo e dos meus camaradas que me esperam. E minha irmã mais velha e eu alcançaremos a verdadeira felicidade quando terminar de seguir esse caminho. Esse é o futuro que eu quero, o futuro que queremos!
Mas-
“E o que vocês dois estão fazendo! O que está por vir em seu esforço obstinado para satisfazer seu desejo de vingança e envolver os inocentes nele além de satisfazer a si mesmos? Agora você está se preparando para sacrificar inúmeras vidas para realizar suas ambições - o que o torna diferente dos Cardeais e do Vaticano agora? ... Diga-me, Balflear!"
"... Não fique cheio de si mesmo!" A voz de Balflear agora estava completamente gelada, tendo ouvido o suficiente dos gritos sinceros de Leohart.
“Nossa dor, nosso sofrimento ... nosso ódio há muito tempo ... eles pertencem a nós e a nós sozinhos! Só nós podemos carregá-los e mais ninguém ...! ”
Com forte ênfase nas palavras finais de sua declaração, a Legião, agora em sua forma final ao lado de Balflear, começou a se mover - uma aura catastrófica começou a surgir de todo o seu corpo titânico, turbilhões de um roxo azulado agitando o ar circundante.
Leohart se preparou, empunhando Loki pronto.
"Se você precisou da ajuda de Toujou Basara e Naruse Mio para derrotar o Caos por pouco, não acho que você possa fazer algo para derrotar um espírito maligno como a Legião." Balflear riu.
"... eu me pergunto sobre isso." Leohart disse, com um leve sorriso no rosto.
"Por que você acha que é o único que esconde seu verdadeiro poder?"
Ele então desencadeou o poder de sua espada mágica enquanto se apertava em seu punho.
"Devore-os - Loki!"
Leohart apareceu diante de Balflear e da Legião em um instante, sua lâmina puxada em uma posição horizontal.
Loki estava agora livre de seu estado contido habitual, e o atual inimigo de Leohart era sua presa - com isso veio a velocidade incrível de seu ataque cortante.
Loki era conhecido por muitos nomes, cada um dos quais possuía suas próprias habilidades individuais - e agora Leohart estava soltando todos eles ao máximo, concedendo a ele o poder de que precisava para derrubar o que estava em seu caminho.
Tendo diminuído a distância entre ele e seu inimigo e interrompido sua consciência com o Mestre das Travessuras, Loki aumentou seu ataque com Finalidade, ameaçando causar um desaparecimento imediato.
Leohart visou um ataque fatal e inevitável ao grande corpo da Legião; e no momento seguinte, o corpo titânico da Legião parecia explodir e se dispersar.
“———————?”
Leohart ficou subitamente surpreso; sua espada não parecia cortar nada, e ele logo percebeu o porquê.
A Legião não fora cortada - havia se separado sozinha em fragmentos. Esses fragmentos se recombinaram em seis grandes globos oculares, os objetos dispersos circulando uma circunferência hemisférica acima de Leohart e o espaço ao seu redor com seus ritmos individuais, não uniformes e com imensa velocidade.
"Que pena." Balflear disse, há muito que desapareceu.
Os olhos da Legião dispararam simultaneamente raios finos e em brasa diretamente em direção a Leohart que queimavam o espaço em que passavam - era um fenômeno avançado exclusivo para alguém com calibre de um Deus Demônio, algo muito mais diferente da mera magia .
- Foi uma troca entre os dois trunfos, um confronto entre ataque e defesa.
Tendo evitado com sucesso o ataque ameaçador de Leohart, fazendo com que a forma final da Legião se dividisse, Balflear sabia que ele alcançaria uma vitória estreita enquanto se escondia em uma brecha dimensional.
Leohart estava certo quando deduziu corretamente que havia um limite para a Legião; embora as propriedades da Legião fossem verdadeiramente ilimitadas, o mesmo não podia ser dito dos poderes de Balflear como seu anfitrião, e assim ele não podia aumentar o número de corpos da Legião 'ad infinitum' nem aumentar sua força.
Mesmo assim, sua força atual ainda seria mais do que suficiente para enviar Leohart ao seu túmulo, e Balflear havia superado com sucesso seu oponente nessa troca.
Leohart deveria morrer aqui - a verdadeira batalha era o que viria depois.
... Uma certa mulher não deixa isso passar sem lutar.
Liala, a 'Massacre Demoness', definitivamente viria após qualquer um responsável pela morte de seu amado irmão mais novo; mesmo assim, Shiba já havia atingido um nível de poder incomparável, e Balflear podia simplesmente se esconder dela entre dimensões.
E mesmo assim—
Balflear não se importaria, mesmo que ele morresse pela mão de Liala, e não era porque ele morreria de bom grado por expiação.
A morte de Balflear - e até a morte de Shiba - não cessaria seu ódio que veio da morte de Leohart, a quem ela amava acima de tudo. Ela continuaria caçando, descobrindo a operação que ocorrera vinte anos atrás e eliminando qualquer um que estivesse envolvido. Sua busca se estenderia não apenas ao Clã dos Heróis; mesmo o Reino Divino não seria poupado de sua ira se descobrisse que a operação de clonagem foi secretamente fundada pelos Dez Deuses - até o último ser vivo.
Ele pensou na ironia da situação - em como a morte de Leohart, que jurou impedi-lo de causar ainda mais tragédia e ódio, apenas traria um rastro de sangue na esteira de sua própria irmã mais velha, Liala.
“Uma pena”, quando ele deu seu último adeus a Leohart, os seis olhos da Legião continuaram disparando seus raios de desintegração ao mesmo tempo. Os lasers vermelhos perfuraram o corpo de Leohart e se aprofundaram no chão abaixo, causando uma explosão superaquecida, pois reduziu o Lorde Demônio a nada além de cinzas.
- Ou então ele pensou.
“—————”
Foi surpresa - não vitória - que o atingiu em seguida. Os lasers apontados para Leohart foram repentinamente desviados para o chão, e Balflear não pôde ver Leohart ou discernir por que seu ataque havia falhado devido à explosão resultante e à fumaça do ataque abrasador.
Ele não poderia ter escapado de uma explosão tão aquecida, mesmo que tivesse sido redirecionada, mas ...
"..."
Balflear engoliu em seco - ele estava se sentindo cada vez mais nervoso. Se Leohart conseguisse desviar de algum modo um fenômeno tão poderoso da Legião, também seria fácil para ele resistir à explosão e sair ileso.
"…Aí está você."
Balflear se encolheu ao se virar com a voz repentina - Leohart, sem saber, havia entrado no espaço dimensional exclusivo de Balflear apenas através dos poderes que recebera do contrato com Wraith.
Ele agora estava usando armadura preta; Loki permaneceu na mão direita.
E havia uma lacuna dimensional atrás dele.
Sem dúvida, a extensão total dos poderes de Loki permitiu que ele cortasse as dimensões e permitisse a Leohart entrar no reino pessoal de Balflear. E era provável que o poder de Loki agora ultrapassasse o de Wraith em termos de dimensões manipuladoras que permitiam Leohart identificar a localização exata de Balflear em meio a um espaço com um contraste de fase quase infinito.
“———————!”
Balflear imediatamente lançou um círculo mágico na frente dele; Legião seguiu pulando em direção a Leohart, seus seis olhos recombinando.
Se dividir em seis entidades não funcionasse contra ele, certamente a Legião seria capaz de derrotá-lo em sua forma final. E ele não o atacaria diretamente - ele permitiria que a Legião explodisse, liberando todo o poder corruptor interno para destruir seu inimigo.
Isso deveria funcionar, ele pensou - mas mais uma vez foi negado seu momento de vitória.
Leohart estava segurando Loki na cintura; a aura azul-púrpura sendo absorvida pela lâmina da espada.
No momento seguinte, Leohart desencadeou uma onda de choque em um movimento cortante, cortando a Legião de uma só vez; o ataque resultante também colidiu com o círculo mágico que Balflear usou para convocar o Deus Demônio, causando uma explosão maciça.
"Gaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Balflear foi atingido diretamente com o ataque à queima-roupa, fazendo com que ele fosse nocauteado do espaço dimensional para o espaço circundante; ele colidiu com a terra do Parque Shakujii abaixo dele, moendo a superfície ao redor quando caiu em um estrondo. Ele então caiu em uma das lagoas ocidentais do parque, o barulho estridente fazendo com que a água da lagoa explodisse em seu reservatório; no entanto, a água também amorteceu o impacto resultante, e ele foi deixado na costa de uma das ilhas flutuantes ao redor da lagoa.
"Ah ... ah ..."
Balflear mal conseguiu se manter consciente, apesar de ter sofrido um tremendo dano.
Balflear utilizara um círculo mágico destinado a convocar Legon; embora Balflear não possuísse a capacidade de utilizar plenamente os poderes da Legião, o círculo de convocação necessário para gerar o Deus Demônio era, no entanto, capaz de suportar seu poder ilimitado, e por isso ele reaproveitou o círculo mágico para se proteger do impacto total do ataque de Loki.
Rastejando para fora da lagoa com as últimas forças, Balflear viu Leohart chegando diante dele enquanto se erguia na ilha flutuante, agora encharcada.
“……………”
Balflear continuou encarando Leohart, agora totalmente vestido com uma armadura negra que lembrava sua própria espada, incrédulo.
O poder de Loki estava de fato muito distante do poder de Brynhildr de Toujou Basara - mas, da mesma forma que Balflear era incapaz de fazer uso completo dos infinitos poderes da Legião, Leohart também deveria ser incapaz de desbloquear toda a extensão do poder de Loki. Uma tentativa forçada de fazê-lo sobrecarregaria seu corpo e seu coração - foi por isso que ele usou Loki em um estado limitado quando lutou contra Toujou Basara e o Caos.
Mesmo para alguém como Leohart, deveria ter sido impossível usar toda a extensão do poder de Loki - a menos que houvesse alguma bênção ou contrato envolvido ...
"Você está me dizendo isso..." Balflear murmurou. Uma resposta impossível de repente se tornou possível em sua mente.
"Você fez um contrato de servo-mestre com Liala-dono?"
"...Eu não quero mais perder." Leohart disse, afirmando a suposição de Balflear, já que este permaneceu em choque.
Leohart pensou no momento em que ele teve que lutar contra Toujou Basara durante o conflito contra a Facção Moderada; inegavelmente perdera a batalha para ele, mesmo que a batalha tivesse sido interferida enquanto ela ainda estava em andamento.
Havia também o fato de que o Caos não poderia ter sido derrotado sem a ajuda de Basara e dos outros - o lembrou da realidade de que ele não tinha forças para ir contra a Facção Moderada e os Cardeais -, além do fato de que Basara possuía a força que não possuía.
Os Cardeais não estavam mais no momento, e os procedimentos de paz com a Facção Moderada estavam em andamento - com seu sucesso possivelmente trazendo uma verdadeira e eterna paz para o Reino dos Demônios.
Mesmo assim, porém, Leohart sabia que não tinha forças para proteger essa paz - era por isso que ele só podia fazer o que podia e realizar um contrato de mestre-servo com Liala.
Porém, seu contrato era diferente dos contratos de Basara - ele era o servo no contrato, enquanto Liala era sua mestre.
Liala havia aceitado a idéia do contrato mestre-servo de maneira positiva, sabendo que era um meio de aprofundar o vínculo já estreito e se tornar ainda mais inseparável; no entanto, ela inicialmente desaprovara a sugestão de que ela seria a mestre de Leohart no contrato.
Foi o único pedido de Liala que Leohart já havia insistido; ele iria satisfazer qualquer um dos desejos de Liala, com exceção deste. Independentemente dos meios que eles usariam para formar seu contrato, Leohart não queria nenhum risco de Liala se afligir com a maldição e, mais importante, ele simplesmente desejava não recuar.
Foi o sonho dele.
Leohart nunca quis ser o soberano de seu mundo - ele apenas assumiu o trono como um meio de ganhar poder para proteger Liala, sabendo muito bem que ele só adquiriu a posição por recomendação dos pecados cardeais como governante de marionetes.
Todo esse tempo, ele sempre quis uma coisa: tornar-se um cavaleiro destinado a servir e proteger sua amada irmã mais velha.
Liala finalmente aceitou suas intenções depois de ouvir o sonho que tinha - e foi apenas com esse contrato que Leohart conseguiu chegar aqui com um poder recém-adquirido.
Olhando embaixo dele, enquanto empunhava o poder de Loki, sua espada mágica - seu Deus Demônio -, ele viu Balflear se espalhar e ficar inconsciente no chão, como se tivesse perdido toda a sua vontade de resistir depois de aceitar que fora completamente derrotado. .
“Assim como Toujou Basara, eu também tenho coisas que não posso desistir. Não pouparei ninguém que cruze minhas fronteiras, não importa quem elas sejam - disse Leohart, e o Lorde Demônio então anunciou silenciosamente seu propósito de vir aqui.
"Balflear, eu o prendo pelo crime do mais alto nível de traição."
Parte 7
Shiba e Basara continuaram lutando no ar de Tóquio, as vibrações atmosféricas de sua intensa batalha ameaçando destruir a atmosfera circundante em si, enquanto os dois seres de poder supremo continuavam lutando.
Suas habilidades eram limitadas de alguma forma para esta batalha; Basara teve que limitar a aplicação conceitual de sua Universal Rejection para trabalhar apenas contra o Ki de Shiba, enquanto Shiba agora era incapaz de penetrar em Basara com sua habilidade principal. O céu se tornou o palco para o qual os dois batalhavam com suas armas; Basara com sua espada, Byrnhildr, e Shiba com a manopla mágica Reginlief, agora vestido com seu corpo como armadura e arma.
Com o sangue do dragão que ele herdara de Jin, ele voou entre as brechas dos arranha-céus da cidade em alta velocidade; circundando as estruturas brancas, ele fez uma curva em alta velocidade e se lançou em direção a Shiba, que também estava se movendo no ar em virtude de seu Ki.
"Wooooooooooooooooooah!"
Ele soltou Byrnhildr quando os dois entraram em confronto, seu ataque em curva que ameaçava correr pelo ombro esquerdo de Shiba e em direção ao lado direito do seu torso; sua velocidade combinada a levou ao seu limite absoluto, junto com a força que agora possuía significava que ele seria capaz de cortar qualquer coisa.
E ainda-
“...Tsk, tsk, tsk. Você nunca aprende, não é?" Shiba sorriu enquanto encarava o ataque. Seu colar simplesmente absorveu toda a extensão do ataque, causando apenas um som alto e metálico de metal.
A lâmina de Basara não cortou Shiba, muito menos causou danos.
Enquanto Shiba tinha usado seu Ki principalmente por ofensiva em suas batalhas anteriores, Shiba agora estava usando seu Ki defensivamente agora que a Universal Rejection de Basara foi capaz de resistir à penetração de seu Ki. Ele estava agora utilizando uma defesa definitiva chamada Barreira Ki, onde todo o seu corpo estava envolto em um fluxo de Ki; transformou o ataque cortante de Basara em um mero golpe e anulou completamente a força que o acompanhava.
"Acho que é a minha vez agora."
Quando Basara se distanciou de Shiba com a força de recuo de seu ataque e endireitou sua posição no ar, Shiba lançou um punho semelhante à garra de um tigre para cima.
“———————!”
Basara conseguiu evitar o ataque de Shiba que apontava para o lado esquerdo dele - ele lutou contra o recuo que havia derrubado Byrnhildr em sua direção com força absoluta e, em seguida, usou o ombro esquerdo de Shiba como apoio para evitar o soco de Shiba...
Ele então se preparou para balançar Brynhildr em Shiba quando ele se virou para ficar atrás de Shiba enquanto se aproximava dele. Foi então que ele viu o ataque de Shiba causando uma explosão estrondosa no prédio à sua frente - cerca de três ou quatro edifícios haviam desaparecido completamente, como se a garra de uma besta gigante tivesse passado por eles.
Basara engoliu em seco quando testemunhou a extensão do poder destrutivo do ataque. Embora Shiba tivesse reduzido um prédio igual que Basara reduziu a poeira com seu Ki, seu Ki agora se tornara tão poderoso que não deixava vestígios de nada que tocasse - o suficiente para destruir ou desintegrar completamente qualquer coisa. E embora Basara estivesse vestido com a armadura de Byrnhildr, assim como Shiba agora estava com ele, ele duvidava que tivesse as defesas para aguentar um ataque dessa magnitude, uma vez que ele era incapaz de usar algo como a Barreira Ki de Shiba.
- Tendo ativado a ativação conceitual de sua Universal Rejection, ele atualmente era capaz apenas de resistir à penetração do Ki de Shiba que era fatal para qualquer coisa com a qual ele tivesse contato.
E embora Shiba tenha utilizado Ki em seus ataques normais e em ataques de penetração, as propriedades entre os dois tipos de ataques variaram bastante - embora os ataques normais de Shiba não fossem menos ameaçadores em termos de poder.
O Ki seria instilado em um alvo não apenas do ponto de impacto, mas também poderia ser disparado em direção a um alvo que estivesse muito longe - com o ataque mais recente de Shiba sendo uma demonstração perigosamente adequada. Dito isto, Basara teve que tomar cuidado para evitar quase todos os ataques que Shiba lançou contra ele desde o início da batalha.
Basara não estava preocupado, apesar de tudo isso, no entanto.
Se ele não pudesse evitar os ataques de Shiba, ele simplesmente garantiria que Shiba não seria capaz de evitar seus próprios ataques - ele faria o que precisava ser feito.
"Mmm ... como eu pensava, sua velocidade é realmente um pouco problemática."
Quando Shiba virou a seguir, Basara não estava mais à vista - sua velocidade havia aumentado duas vezes, superando muito a de Shiba. Ele se preparou em uma posição inclinada acima do ponto cego de Shiba - atrás do lado direito - e lançou um ataque que não podia ser evitado ou defendido contra a Espada de Extinção.
Embora a trajetória do poder destrutivo do ataque, quando usado em sua batalha anterior, tenha sido redirecionada por um fluxo de Ki, a iteração anterior do ataque era uma manifestação normal do movimento - havia sido uma ativação física.
Dessa vez, ele estaria utilizando a ativação conceitual da mudança, como havia aplicado à sua Universal Rejection.
Com Shiba como alvo, Shiba não seria capaz de se defender contra seu ataque com sua Barreira de Ki; atacar de seu ponto cego também significava que ele não teria chance de se esquivar do ataque também.
Esse golpe decidia a batalha...
Mas-
“——————— !?”
Basara voou apressadamente para cima, como se ele fosse para se esquivar de algo, mesmo depois de desencadear um ataque tão poderoso; sua espada de extinção foi cortada por um ataque vertical em curva que vinha de baixo, marcas de lâminas vermelho-preto cortando o espaço abaixo de seus pés e silenciosamente cortando a linha dos três arranha-céus atrás dele.
"..."
Basara não conseguia recuperar o fôlego; a Espada de Extinção se dividiu em duas partes iguais, como se quisesse fugir de Shiba, pois os fragmentos continuavam a viajar mais além do alvo pretendido, causando destruição na cidade de Asakusa. Os prédios atrás dele também estavam começando a desmoronar.
“Eu não acho que expliquei isso adequadamente para você... mas meu estilo de batalha de manipular Ki é baseado em um conceito chamado Ars Deicidium - um que me prepara contra até os deuses e demônios de mais alto escalão. E assim como a seu Banishing Shift lhe concede um conjunto de habilidades primordiais para seu uso, meu conceito também vem com algumas técnicas secretas próprias também.” Shiba riu enquanto eliminava o golpe de Aniquilação com um chute giratório para a direita atrás dele.
"Vamos começar com uma das muitas habilidades incluídas... Quinta posição - Kusanagi de nove cabeças!"
Basara foi afastado quando Shiba revelou sua primeira técnica; antes que Basara percebesse, ele já estava cercado por nove magatama preto (contas de yin-yang) ao seu redor - dispersos das costas de Shiba.
"Gah...!"
Basara se preparou para enfrentar o ataque diretamente, uma visão que fez o sorriso de Shiba se aprofundar.
“Oitavo posto - Tamemikazuchi!”
magatama preto simultaneamente disparou repentinamente raios elétricos pretos e vermelhos quando Shiba revelou sua segunda técnica, constringindo Basara e impedindo-o de se mover livremente.
"Gaaah ... merda ... esses ..."
"Estou surpreso que você ainda possa falar mesmo depois de tomar esse ataque ... você está me dizendo que ainda tem forças para escapar?" Shiba disse, observando com grande interesse a luta frenética de Basara contra as correntes eletrizantes. "Atenção, o verdadeiro Tamemikazuchi começa agora ." Shiba disse, levantando a mão direita.
"Aqui, deixe-me dar uma amostra ... de como é se tornar um raio."
Com um estalar de dedos, uma explosão terrivelmente violenta precedeu o relâmpago que era Toujou Basara quando caiu no chão.
Parte 8
A terra abaixo dele era incapaz de lidar com a força de cisalhamento de Tamemikazuchi, e as correntes elétricas que o prendiam significavam que ele não podia nem ir contra o movimento vigoroso.
"Eeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Tendo atravessado o asfalto e vários andares subterrâneos, ele acabou na plataforma de uma estação de trem subterrânea. E, tendo dado vários golpes diretos e consecutivos nas costas do ataque, o choque causado pelos impactos fez o oxigênio escapar dos pulmões de Basara e sair da boca.
"Kkk ... gah ... haaah!"
Embora a armadura de Brynhildr significasse que ele não sofreu ferimentos graves em seus órgãos internos, ele permaneceu algemado pelas correntes elétricas do Tamemikazuchi.
“——————!”
Basara então desejou que a Universal Rejection se aplicasse ao Tamemikazuchi, derrubando a forte corrente de eletricidade que o prendia.
"…O que é este lugar…?"
Seu olhar disparou na direção da placa na parede próxima - era a estação Kamiyacho da linha Hibiya do metrô de Tóquio. Ele então percebeu que estava agora a noroeste da cidade
"O que é isso? Você conseguiu escapar do Tamemikazuchi?" Shiba disse, aterrissando na plataforma depois de seguir Basara pelo túnel que ele havia inadvertidamente causado pelos severos impactos da perfuração.
Basara tentou freneticamente distanciar-se.
"Que tal isso, então?"
Os nove magatamas por trás de Shiba então se dispersaram em grupos de três, selando ambas as extremidades da plataforma, bem como o enorme buraco do qual Basara havia caído, criando uma enorme prisão triangular de eletricidade.
"...!" Basara resmungou com a situação em que se encontrava.
Shiba então ativou uma postura diferente daquela que ele usava para lançar Tamemikazuchi, cruzando os braços enquanto empurrava as palmas das mãos em direção a Basara.
"Décimo Rank - Kurikara!"
Um fluxo vermelho-preto de energia Ki surgiu das palmas das mãos de Shiba - a enorme quantidade de Ki tomou forma e assumiu a forma de um dragão de quatro cabeças.
Queimando o espaço semi-selado da plataforma, a atenção do dragão estava agora totalmente fixada em Basara.
“——————!”
Basara decidiu fugir do ataque em vez de enfrentá-lo dessa vez - ele queria evitar ser algemado pelos Tamemikazuchi novamente se tentasse combater Kurikara com Banishing Shift. Além disso, o fogo infernal dos Kurikara incineraria o oxigênio ao redor quase imediatamente, transformando a estação subterrânea em um forno infernal - ao mesmo tempo, no entanto, mudar o alvo rejeitado de sua Universal Rejection pelo calor do Kurikara o deixaria vulnerável à propriedade Penetração do Ki de Shiba.
Ele começou a correr atrás dele. 
"Heeeeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaah!"
Desencadeando o Banishing Shift em direção ao magatama que estava cobrindo a direção da estação de Kita-Senju, ele desviou a corrente elétrica que estava abrindo um buraco na barreira elétrica, antes de saltar para os trilhos subterrâneos e fazer uma rápida corrida em direção ao norte. O dragão de fogo de quatro cabeças encheu o túnel subterrâneo completamente enquanto o perseguia.
…Se esta é a linha Hibiya, então -
Enquanto Basara formava um mapa de seu entorno em sua mente enquanto passava pela estação de Kasumigaseki, as chamas alinhavam-se no espaço do túnel enquanto continuavam perseguindo-o no espaço subterrâneo, espalhando-se pelo cruzamento que ligava a linha de Maruonouchi e Chiyoda.
No entanto, a ira do dragão flamejante permaneceu implacável, pois continuou perseguindo Basara.
Quando ele chegou a um ponto da linha férrea da linha Hibiya que se curvava à direita—
"…Aqui!"
De repente, Basara dirigiu as Espada em uma barra curvada para cima enquanto corria, formando um caminho que levaria à superfície. Ele então pulou para cima em um movimento inclinado para a direita, numa postura inclinada para a frente através do túnel que ele criara. As chamas dos Kurikara o seguiram em uma grande erupção em direção ao túnel que perseguiam depois que ele subia - Basara escapou assim do lança-chamas extremamente espesso que teria resultado em um destino ardente.
Basara se viu chegando a um lugar específico.
Desconfiando do poder do elemento Terra que veio com a manifestação de Kouryuu por Shiba, Basara sempre evitou lutar com Shiba na superfície da Terra. E embora ele quisesse continuar usando o poder do vôo do dragão ao qual ainda não estava totalmente acostumado, ele reconsiderou o risco de ser preso pelos Tamemikazuchi novamente.
No entanto, em uma área onde havia muitos obstáculos e esconderijos presentes, a confiança de Shiba em Ki para detectar a posição e os movimentos de seus inimigos o colocaria em uma desvantagem significativa.
Basara havia escolhido um lugar onde ele corria menos riscos de continuar a batalha - a praça pública em frente ao Palácio Imperial. Ele queria lutar com Shiba ao ar livre, onde sua linha de visão era ampla e deixava a menor abertura possível.
"Eu não sei o que dizer ... por que exatamente você veio aqui de todos os lugares?" A voz veio com uma risada amarga. Basara virou-se para cima e viu Shiba flutuando no ar, situado aproximadamente dez metros diretamente acima do Sakuradamon.
"Bem, suponho que, de certa forma, este é um lugar bastante adequado para resolvermos as coisas, não é?"
Shiba desceu lentamente para atingir o nível de Basara enquanto este ficava na praça pública; mantendo a vinte metros de distância dele, a aura de seu Ki subiu drasticamente.
"...!"
"O que há de errado, Basara ... você está sugerindo que não sabe o que é esse lugar?" Shiba sorriu fracamente diante a expressão perturbada de Basara, enquanto ele continuava irradiando uma pressão sufocante.
“Este palácio já foi a antiga cidade de Edo ... o ponto central de interação dos Quatro Deuses. É aqui que a compatibilidade combinada é máxima, enquanto a localização geográfica também ajuda a fortalecer a área central. Observe como a linha metropolitana de loop rápido circula pela própria cidade - junto com outras três linhas de loop - um total de quatro anéis correspondentes ao número dos Quatro Deuses. E isso não é tudo - observe também as estradas que levam ao centro. Não é apenas o período Edo - mesmo neste exato momento, a geografia circular de Tóquio está fornecendo o poder da compatibilidade de cinco elementos com a área central. ”
"..."
Basara apenas permaneceu calado na elaboração de Shiba - ele sabia muito bem como eram os arredores geográficos do Palácio Imperial.
Mesmo assim, Basara havia escolhido esse local como palco para a batalha final - não era uma decisão suicida, mas uma decisão tomada pelo puro desejo de alcançar a vitória.
“——————”
E assim ele se preparou sem palavras para desencadear o Banishing Shift.
"Bem, suponho que não posso dizer que não entendo a razão por que você quer arriscar tudo nessa sua técnica... você confiou tanto nela para sair de tantas situações perigosas, afinal". Shiba disse.
Ainda-
“Você acha que uma técnica tão reativa e improvável é melhor que o meu Ars Deicidium, já que você só pode usá-lo como contra-ataque? Devo também lembrá-lo que a técnica mencionada se aplica apenas a uma única forma de matéria e, mesmo assim, não garante necessariamente sua eliminação?”
"...Eu não pretendo provar que minhas habilidades são melhores que as suas", declarou Basara. "Eu simplesmente não preciso!"
Basara rugiu ao disparar o Banishing Shift antes de Shiba desencadear um ataque próprio - ele não o havia feito porque havia quebrado seus limites e estava utilizando a ativação conceitual da habilidade, como havia feito com a Universal Rejection.
Ele desencadeou o ataque contra as enormes quantidades de Ki que cercavam o Palácio Imperial.
Como Shiba havia mencionado anteriormente, o Ki existia em todas as coisas, e o Palácio Imperial era agora o ponto em que todos os Ki em Tóquio se reuniam. Basara havia usado o Banishing Shift contra esse abundante fluxo de Ki.
O Ki circundante era quase ilimitado - ele simplesmente se reagruparia de todas as direções, mesmo que o Ki atual fosse eliminado por apenas um momento. Mas se Basara eliminasse o dito Ki circundante, ele seria capaz de transformar temporariamente o Palácio Imperial em uma zona vazia, sem o Ki.
Eliminaria o Ki que Shiba usaria para ataque e defesa em um instante - e Basara não estava disposto a desperdiçar uma oportunidade tão frágil.
“—————————!”
Usando Universal Rejection atrás dele, ele fechou a distância entre ele e seu oponente em um instante, desencadeando Byrnhildr na direção oposta.
Shiba levantou os braços, assumindo uma postura que implicava que ele queria pegar a lâmina voadora com as próprias mãos.
Basara não lhe deu atenção; sem o poder de seu Ki, ele seria incapaz de bloquear seu ataque - e certamente acabaria então...
“——————————”
No entanto, Shiba juntou as palmas das mãos na frente do peito enquanto Basara se mantinha firme com sua própria convicção - houve um barulho de palmas e, quando as mãos se separaram, o peito e o abdômen se separaram como uma boca aberta - revelando um espaço mais escuro do que qualquer abismo interno.
Uma substância negra escapou do que parecia ser uma lacuna dimensional, absorvendo Byrnhildr quando anulou seus ataques; Basara foi prontamente sugado para o vazio.
"Como é decepcionante ... entrar em meu corpo, Basara, e muito parecido com Reginlief, você se tornará minha mais nova fonte de poder." Shiba riu.
"... E eu sei que é exatamente o que você queria." Basara respondeu com um sorriso próprio.
Basara desconfiava da possibilidade de Shiba tentar absorvê-lo no momento em que soube que Shiba havia absorvido Reginlief; ele permaneceu vigilante contra ele desde então. Dito isto, Basara mudou seus ataques normais para o Banishing Shift enquanto continuava atacando - ele estava lançando o Banishing ShiftGeminus, uma continuação de seu primeiro ataque que foi usado para espalhar o Ki ao redor.
Tendo preparado essa técnica para essa situação exata, Basara conseguiu repelir a escuridão - não importava se ele não conseguisse exterminá-la completamente ainda.
Basara já estava preparando outro ataque cortante antes que Shiba pudesse dar o próximo passo - mas as coisas não foram como planejadas.
"...Não adianta, Basara." Shiba sorriu.
A escuridão que deveria ter sido eliminada pelo Banishing Shift simplesmente se reagrupou e devorou ​​Basara antes que seu ataque pudesse chegar a Shiba.
Não havia escapatória.
"Mas como…!"
"Você tem Afureia com você... é claro que eu considerei o fato de que você tomou precauções contra o risco de ser absorvido por mim."
Shiba deu a Basara um sorriso, enquanto o último ainda estava em choque.
“Os Kegare dentro do meu corpo podem engolir todas as formas de escuridão - mesmo Reginlief, aclamado como um dos Dez Deuses, não conseguiu escapar dele. Talvez alguém tenha a chance de eliminar completamente minha corrupção, mas simplesmente dispersá-la não fará absolutamente nada."
Isso significou-
“Seu Banishing Shift precisa discernir as origens físicas de seu alvo e interromper a referida origem antes que possa eliminar qualquer coisa, sim? Receio que tentar detectar a origem de um assunto tão abstrato seja mais ou menos impossível, no entanto.
Depois de tudo-
"Olhe para as profundezas mais negras e profundas do abismo, tudo o que você deseja - tudo o que você pode ver não passa de escuridão."
Shiba Kyouichi havia engolido tudo de Toujou Basara - seu corpo e sua consciência.
Parte 9
"- Basara !?"
Enquanto Mio continuava a sustentar o elemento Fogo do Selo de Salomão, no oeste, ela de repente chamou Basara, pois foi assaltada por um sentimento auspicioso, virando-se para o norte.
Por um breve momento, ela não pôde mais sentir Basara, que deveria estar lutando com Shiba nas proximidades do meio. Ela não podia ter se enganada - os votos recém-feitos apenas tinham conseguido sentir a localização e a presença um do outro muito mais fortes.
De repente, sua mente pensou no pior.
... Não poderia ser.
O vínculo que os mantinha juntos - o Contrato Mestre-Servo - desapareceria se Basara estivesse realmente morto. Mas ainda permaneceu.
Enquanto tentava freneticamente detectar quaisquer vestígios de sua presença, ela finalmente encontrou o menor sinal de seu ser.
Evidentemente, algo havia acontecido com ele - e sem dúvida era coisa de Shiba.
Mio já havia recebido algumas informações através da mãe de Yuki, Kaoru, quando eles estavam na Vila do Clã dos Heróis; Hasegawa também lhes contou o destino de Reginlief, um dos dez deuses, quando eles estavam em seu espaço dimensional diferente. Dadas essas elaborações e o fato de não sentirem a presença de Basara, nem por um breve momento, era muito provável que ele tivesse sido absorvido por Shiba.
...Basara...!
Elas se esforçaram ao máximo para derrotar Shiba - chegaram a avançar seus contratos de mestre-servo para votos de mestre-servo.
No entanto, Shiba Kyouichi era um inimigo imprevisível, alguém que impiedosamente havia quebrado os laços que Mio e as outras compartilhavam com Basara, laços que apostavam seu corpo e alma no mesmo homem que todas amavam.
Basara sempre fora o único a resgatá-las do perigo até agora - mas Shiba o colocara em outra situação perigosa novamente.
Mio não pôde resistir ao desejo de seu coração de correr em direção a seu amado irmão mais velho.
"...!"
Mas ela não pôde ir - Mio e as outras tiveram que sustentar a barreira feita a partir do Selo de Salomão, e elas foram incapazes de deixar os locais pelos quais eram responsáveis. O rosto de Mio se contorceu de insatisfação quando seu senso de responsabilidade tomou conta dela.
…Se isso continuar, então…!
Era muito possível que Basara perdesse para Shiba novamente, como ele havia feito na primeira batalha.
Basara havia escapado da morte apenas devido à intervenção de Hasegawa, e ela sem dúvida o procuraria novamente se ele fosse colocado em uma situação terrível novamente. No entanto, seu precioso sucesso deveu-se em grande parte à aparência inesperada de Shiba, e então era incerto que ela poderia resgatar Basara novamente agora que Shiba estava desconfiado de sua presença. Além disso, os poderes de Hasegawa eram limitados, apesar de ela poder ativá-los por causa de Basara - e o oponente deles empunhava a alma de Reginlief, um membro dos Dez Deuses como ela era.
E mesmo assim—
Mesmo se eles quisessem resgatar Basara, a manifestação simultânea dos Kouryuu significava que o poder de Shiba continuaria a aumentar, enquanto eles já haviam esgotado sua opção final em seus votos de mestre-servo.
Se eles falhassem agora, eles realmente não teriam chance de vitória.
O que ela deveria fazer? Enquanto pensava obstinadamente em sua crescente dúvida e inquietação -
"... Naruse Mio,  ." Uma voz curta deu a Mio um empurrão nas costas dela.
Foi Takashi - tendo recuperado o Byakko à força do controle de Shiba durante sua briga com a arma sagrada, os ferimentos de Takashi foram substanciais, mas ele já estava começando a se recuperar gradualmente.
"Mas ... se eu fosse embora daqui ... e seguisse em direção a Basara ..."
“A barreira do selo de Salomão já foi ativada. Se tudo o que precisa agora é que seja mantido, eu posso assumir o cargo a partir daqui. ” Vendo a hesitação de Mio, Takashi respondeu rapidamente para deixá-la à vontade.
Depois de tudo-
“Sou reconhecido pelo Byakko - um ser do Elemento Vento entre os quatro Elementos Clássicos. O vento tem o poder de irritar e fortalecer o fogo. E o vento é do elemento madeira entre os cinco elementos, que tem uma alta compatibilidade com o fogo. ”
"... Você se lembra da época em que lutamos pela primeira vez?"
"Hã?" Mio não conseguia entender por que Takashi estava trazendo à tona esse evento passado.
“No final, o Byakko acabou perdendo o controle porque eu agi de forma imatura ... e foi Basara quem me levou a esse ponto. Mas foi você, sua serva succubus e Yuki que lhe deu o tempo que ele precisava fazer isso - disse Takashi, olhando para Mio. “Você deveria não ser páreo para mim naquela época. Mas você acha que os esforços que você fez durante sua luta contra nós nada mais foram do que um desperdício?"
“————————”
Mio arregalou os olhos com a afirmação dele - era o que ela precisava finalmente decidir.
"... Você tem certeza que isso vai ficar bem?"
"Eu já te disse isso - não subestime o Clã dos Heróis."
Como Takashi deu sua resposta, Mio imediatamente ativou sua magia de vôo e correu para a área central, onde Basara e Shiba deveriam estar lutando, sua velocidade deixando até o vento em uma nuvem de poeira.
Mio não estava indo para o Palácio Imperial, no entanto - havia algo que ela precisava garantir primeiro. Em vez disso, ela correra para o sul do Palácio Imperial, onde Takigawa estava lutando com Kouryuu.
Takashi mencionou sua chegada anteriormente, e Mio também ficou de olho na situação lá, quando ela mantinha seu lado da barreira do Selo de Salomão no sul, já que a batalha que se seguiu havia se travado de forma bastante cruel.
Mio não havia chegado aqui primeiro porque estava mais preocupada com Takigawa - ela veio aqui por pura necessidade de ajudar Basara.
Confirmando a chegada de Mio, Takigawa se distanciou temporariamente de Kouryuu e aterrissou no topo de um arranha-céu. Compreendendo as circunstâncias, Mio o seguiu até o mesmo prédio e imediatamente foi direto ao assunto.
"Eu tenho um pedido irracional, mas ... é impossível para você derrotar Kouryuu agora?"
"E quando eu estava me perguntando para o que exatamente você chegou aqui, você fala essa bobagem da sua boca ... eu estou tendo um momento difícil aqui, então você não pode fazer parecer que deveria ser fácil?" Takigawa disse, parecendo completamente enojado. “Aquele dragão se manifestou por causa daquele cara Shiba, e eu suponho que esta fera enorme desaparecerá quando Basachi finalmente resolver as coisas com ele. Eu deveria estar simplesmente ganhando tempo até que isso aconteça, mas ... Ele fez uma pausa, suspirando por um momento.
"Bem, olhe para você - você está dizendo que algo horrível aconteceu com Basachi?" Ele continuou em voz baixa, sabendo muito bem que Mio tinha a capacidade de sentir se alguma coisa havia acontecido com Basara.
"…Eu não sei. Eu realmente espero que você possa se apressar com isso."
Mio sabia que estava fazendo um pedido muito irracional; O imenso poder de Shiba agora se originou da manifestação simultânea do Kouryuu.
Ao mesmo tempo, no entanto, também significava que a força de Shiba seria reduzida drasticamente se o Kouryuu fosse derrotado.
Se eles deveriam resgatar Basara e derrotar Shiba, essa era uma tarefa crucial a ser executada; e embora Mio parecesse confiar a Takigawa que fizesse isso sozinho, ela o fez por dois motivos principais.
Primeiro, Mio teve que se apressar e correr para onde Basara estava; dado o perigo que ele estava agora nas mãos de Shiba, Mio teve que detê-lo a qualquer custo, mesmo que seus poderes não fossem páreo para os dele.
E havia a segunda razão - Mio era responsável pelo Elemento Fogo.
O fogo tinha compatibilidade com a Terra; O Kouryuu podiam simplesmente absorver os ataques de Mio e ficar mais fortes através deles, e fortalecer Shiba junto com eles - eles tinham que impedir que isso acontecesse.
E mesmo que Mio pudesse usar sua magia da gravidade, era possível que ela aumentasse inconscientemente seus ataques com o Elemento Fogo. E mesmo assim, sua magia da gravidade não seria particularmente eficaz contra Kouryuu, e descuidar o oponente do Elemento Terra em direção ao solo apenas induziria o risco de um contra-ataque muito mais forte.
… Mas isso é tão frustrante!
A verdade é que era melhor que Mio não se envolvesse se eles quisessem derrotar Kouryuu - e Takigawa sabia disso também.
"Ugh, que chatice ... bem, não é como se eu não pudesse fazê-lo, mas isso levará algum tempo." Ele disse, olhando Kouryuu de longe.
Era o instinto inato da besta sagrada proteger principalmente a área central.
“É apenas observar as coisas agora, porque não estou demonstrando nenhuma hostilidade. No momento em que decido colocar um dedo nele, imagino que ele venha voando direto para mim.
"Suponho que é realmente uma tarefa difícil ..."
Era provável que Takigawa estivesse planejando acumular sua magia para lançar um ataque que fosse poderoso o suficiente para derrotar Kouryuu - era compreensível que ele precisasse de tempo para se preparar para isso.
E se Takigawa precisava de tempo, Mio poderia comprar para ele.
Mesmo que isso significasse, fortaleceria o Kouryuu no processo -
Se eu não me apressar, Basara irá…!
Enquanto seus votos de mestre-servo ainda estivessem intactos, Basara permaneceu vivo e ele poderia ser salvo - mas eles não tinham muito tempo. A possibilidade de Basara ser totalmente absorvida por Shiba era o medo palpitante que enchia completamente seu coração.
Ela não podia perder mais tempo aqui - não podia diminuir ainda mais suas chances de salvar Basara, ou teria que testemunhar a morte de Basara com seus próprios olhos.
“Eu entendo ... faça os preparativos, então, Takigawa. Vou ganhar tempo que você precisar.
Mio ativou sua magia de vôo e seguiu em direção a Kouryuu. Quando ela se aproximou de seu alvo, Kouryuu também se preparou para reagir a ela.
“—————————”
Usando a imensa energia do Elemento Terra, sua ascensão do solo fez com que a terra abaixo dele estrondecesse e tremesse; o dragão então abriu a boca escancarada quando a luz começou a carregar dentro dele, à medida que reunia todas as direções.
Mio não podia atacá-lo, no entanto - ela só mostrava sua hostilidade e ocupava sua atenção, adotando totalmente uma postura de evasão ou defesa sempre que necessário.
Estava tudo bem com ela; enquanto ela pudesse ajudar Basara -
"Farei o que for preciso para chamar sua atenção ... venha para mim!"
Enquanto Mio se preparava para o ataque a Kouryuu, algo inesperado ocorreu; houve um barulho estrondoso quando o lado da cabeça do dragão deu um forte golpe. O impacto fez com que a cabeça de Kouryuu tremesse para o lado, o tempo de ouro cobrando sua respiração na boca desaparecendo no processo.
Mio então viu o agressor que chegava - um rosto familiar, alguém que era menor do que todos os outros em sua casa, mas também alguém que tinha força física que superava em muito a deles.
“Mio-sama! Você está bem?"
"... Maria!"
Quando Mio chamou o nome de Maria, surpresa, a súcubo começou usando a cabeça enorme de Kouryuu e abriu as asas para voar em sua direção.
“Eu sabia que você viria aqui, Mio-sama! Eu senti a presença de Basara-san desaparecer por um momento também ... ah, e Leohart-san realmente veio nos ajudar, então ele agora está tomando o meu lugar com sua espada mágica para sustentar a barreira. ”
"Entendo ... eu também deixei meu papel para Hayase e estou tentando ganhar tempo para Takigawa derrotar Kouryuu agora."
“————————”
Kouryuu rugiu repentinamente quando os prédios próximos a Mio e Maria foram influenciados pelo poder do seu Elemento Terra, desintegrando-se na areia quando subiram para alcançá-las.
Antes que eles pudessem decidir se bloqueariam ou se esquivariam, no entanto, os pilares de areia de repente interromperam o ataque.
Alguém estava de pé no topo de um prédio próximo, com as mãos na superfície enquanto ela interrompia os ataques do elemento Terra de Kouryuu com sua própria magia da terra.
"Zest!" Mio gritou.
"Desculpe o atraso ... Luka e meus golens mágicos estão me substituindo na manutenção da barreira." Zest disse ao relatar suas circunstâncias.
Sua chegada foi seguida por outra garota familiar que chegou aqui cavalgando o vento - Kurumi também havia chegado.
“Vocês tiveram muita sorte ... o cara que veio me ajudar apenas disse 'Desculpe, não posso manter a barreira porque sou do Elemento Fogo', então tive que enterrar a esfera elementar da Água lá para que me substitua." Kurumi disse, sorrindo sem medo, apesar de um momento de resignação. "Mas como a Água não é tão eficaz contra a Terra nos Cinco Elementos, então deve ficar bem ... certo?"
Quando ela terminou, Kurumi irritou os ventos com sua magia, e Kouryuu foi subitamente atacado por uma série de ataques invisíveis - eram balas feitas de ar comprimido. Ao contrário de Mio, que usou sua própria magia para lutar, Mio emprestou o poder de seus espíritos para a batalha, e assim ela não aplicaria seu elemento Água quando usasse sua Magia de Vento.
O Elemento Madeira de Maria era forte contra o Elemento Terra de Kouryuu.
O Elemento Terra de Zest era igual ao mesmo elemento.
E a própria magia de Kurumi, que era do Elemento Madeira, também era forte contra o elemento Terra de Kouryuu.
Os três eram muito mais adequados que Mio para lutar contra Kouryuu.
 “Deixe o Kouryuu conosco. Apresse-se e vá salvar Basara-san! Maria disse, preparando-se para a batalha.
"Mas ... Maria ...!" Mio exclamou.
“Sinto muito em dizer isso, mas suas habilidades não serão eficazes contra esse inimigo em particular no momento ... mas se Basara-san realmente tiver sido absorvido pelo corpo de Shiba…” Maria disse, virando-se. "Eu acho que você já sabe disso, mas ... você pode ser a única capaz de resgatar Basara-san agora."
Mio entendeu o que Maria estava tentando sugerir. Somente Mio poderia fazer o que as outras não podiam agora - ela sozinha entre elas poderia resgatar Basara.
"…Compreendo. Vou deixar as coisas aqui para você.
Assentindo em aprovação, ela se apressou a ir para onde ela precisava estar e realizar o que ela sozinha podia fazer e precisava fazer.
Ela tinha que salvar Basara.
Parte 10
Mio ofegou na cena abaixo dela enquanto voava em direção ao Palácio Imperial.
Tóquio - a capital central do Japão - estava sendo arrasada pelo fogo do inferno.
O extremo sul do distrito de Chiyoda estava envolvido em um mar de chamas; várias áreas importantes da capital, variando de vários escritórios governamentais, a Comissão Nacional de Segurança Pública e o símbolo da separação de poder que abrange o Gabinete, e o Gabinete Judiciário, também não foram poupados dos vestígios avermelhados de fogo.
A única trégua foi que essa destruição estava se desenrolando na barreira ilusória que Shiba havia construído a partir dos Quatro Deuses.
Mesmo assim, se Shiba dissipasse esse espaço sem a barreira do Selo de Salomão que Mio e as outras haviam criado, o arranjo invertido dos Quatro Deuses os faria perder o controle e transformar a cena que Mio estava testemunhando em realidade. - se não fosse uma cena que se estendesse a quase toda a Tóquio e de uma escala muito mais drástica.
“——————!”
Enquanto Mio refletia sobre a perigosa possibilidade ao sobrevoar o Hibiya Park, sua cautela subitamente começou a disparar.
Ela encontrou o olhar de seu inimigo, que agora estava parado em frente à praça pública do Palácio Imperial. Ele estava dando um sorriso misterioso para ela, e seu corpo deformado irradiava um brilho deslumbrante de três cores, vermelho, preto e dourado - talvez o resultado da mistura entre a absorção de Reginlief e a manifestação simultânea de Kouryuu. A aura que ele estava exalando era de uma intensidade que Mio nunca havia sentido antes, compartilhando a qualidade dourada e aparentemente sagrada de Kouryuu, mas também extremamente perigosa, como se incrivelmente escuro estivesse embaixo dele.
E como ela presumiu, Basara - que deveria estar lutando com ele - não estava em lugar nenhum à vista.
"...!"
Resolvendo a si mesma, Mio pousou na praça pública em frente a Shiba.
"Meu Deus, você está atrasada." Shiba disse, calmamente acolhendo sua chegada. "Parece que Balflear foi capturado e, embora as coisas pareçam piorar para nós ... acho que o vencedor está claro agora."
Depois de tudo-
"Seu amado Basara já foi absorvido pelos Kegare dentro de mim."
"…Isso não é verdade." Mio disse, endurecendo-se com uma expressão severa no rosto. “Se Basara tivesse sido verdadeiramente absorvido pelos Kegare em você e se tornado o que aquele deus chamado Reginlief se tornou - completamente dissolvido e se fundindo com você - nossos votos de servo-mestre já estavam desfeitos. O fato de ainda não ter acontecido prova que Basara ainda está vivo.
"Bem, você sabe, eu nunca disse exatamente que o matei , afinal - eu simplesmente disse que o vencedor é claro."
Depois de tudo-
"Uma única frase minha e de repente você perde toda a vontade de lutar - 'resista mais e eu mato Basara', certo?"
As palavras de Shiba eram uma verdade inegável - mas Mio não cedeu.
"…Acho que não."
Ela não podia se render aqui - não podia perder.
Todo o seu trabalho árduo até agora seria por nada, e eles também perderiam seu futuro.
Mio não permitiria que isso acontecesse.
“Se Basara está realmente com você agora, talvez tenhamos realmente nossas mãos atadas. E talvez não possamos lutar, mesmo que Basara nos peça que o esqueçamos e continuemos ”, disse Mio, admitindo apenas parcialmente o que Shiba havia dito. "Mas isso é apenas se você realmente absorveu Basara."
Ela deu um sorriso falso e composto enquanto tentava manter sua frente ousada em direção ao inimigo à sua frente.
"Se você realmente absorveu Basara, me dê uma prova de que você fez!"
"Aha ... então esse é o jogo que você quer jogar." Shiba disse enquanto sorria, satisfeito com a troca deles. "Eu acho que você pode sentir que ele está dentro do meu corpo através do seu voto de servo-mestre ... ou estou enganado?"
- Sinto Basara por perto, sim. Infelizmente, não posso dizer se ele está realmente dentro do seu corpo ou não.
Ela estava blefando - ela podia realmente sentir a presença de Basara dentro do corpo de Shiba, mas admitir que marcaria o fim de tudo.
Mio não podia dizer nada que sugerisse que ela acreditava que Shiba agora estava mantendo Basara como refém - especialmente quando Shiba não tinha evidências reais.
Ela sustentou o fato de que o criador do voto deles ainda estava vivo, sabendo que a conexão deles ainda estava presente, mesmo que ele estivesse realmente dentro do corpo de Shiba agora, e sabendo que Shiba também não tentou provar que ela estava errada.
“Então por que mais você veio aqui, Mio-chan? Que outro motivo justificaria que você viesse aqui quando deveria manter a barreira feita com o Selo de Salomão, sabendo muito bem que é assunto de Basara lutar comigo aqui e sabendo muito bem que Basara havia confiado a você um dever tão importante? "
Shiba estava fechando passo a passo.
“Não deveria ser óbvio? Por acaso Hayase apareceu para nos ajudar, então ele simplesmente se ofereceu para tomar o meu lugar e me permitir ir até aqui" - disse Mio, rindo sem medo. “Então agora estou aqui para esmagar essas suas ambições estúpidas. Você me viu como uma pequena mulher obediente que apenas espera Basara voltar, deixando-o fazer todo o trabalho sujo por nós?"
“Entendo ... então você realmente pensou nisso. Dou meus parabéns."
Shiba sorriu como se estivesse impressionado com a decisão de Mio de chegar - antes de desaparecer de repente em um instante.
“——————!”
Shiba já estava bem na frente dela antes que Mio pudesse se preparar para se defender.
"Deixe-me levá-la até ele então - e talvez eu o derrote primeiro antes que chegue a vez de Basara."
Juntando as palmas das mãos e separando-as, o peito de Shiba se abriu para revelar o abismo por baixo, a escuridão surgindo para puxar seu alvo para ele.
“——————!”
Mio reagiu imediatamente liberando sua magia da gravidade, tendo terminado o encantamento muito antes de chegar e agora estava livre para usá-lo à vontade.
Houve um barulho extremamente alto que veio das ondas vermelhas da magia da gravidade, causando uma torção no ataque dimensional, interrompendo o ataque do abismo a ela. O impacto deu a Mio a oportunidade de voar para trás, criando uma distância significativa de Shiba.
“Huh ... bons reflexos. Pensar que você poderia ter escapado da absorção do abismo dentro de mim ... - disse Shiba, sorrindo calmamente.
“... Não olhe para mim. Não vim aqui sem ter certeza de que estaria preparado para você.
Mesmo assim-
Mas pensar que eu já tinha carregado todo esse poder por tanto tempo ... Mio se amaldiçoou interiormente.
Ela gastou a magia da gravidade que acumulou para se defender - ela precisaria de uma quantidade de tempo bastante significativa antes que pudesse desencadear outro ataque de magnitude semelhante, não importando o fato de que os poderes de Shiba eram muito mais fortes do que ela previra.
Eu não deveria ter feito isso.
Ela não seria capaz de salvar Basara se não fosse capaz de conjurar uma onda de magia ainda mais forte - e Shiba não estava disposto a lhe dar a oportunidade de fazê-lo.
"Mesmo que você tenha feito o voto com Basara, não acho que você possa enfrentar esse ataque mais uma vez, agora, pode?"
Shiba de repente desapareceu de vista novamente.
“——————!”
Mio imediatamente formou uma barreira esférica ao seu redor -
Hã?
Mas a barreira foi reduzida a pó no momento seguinte - um único golpe da mão esquerda de Shiba quando Shiba se lançou contra ela pelo lado foi o suficiente para quebrá-la.
Como Mio ficou ainda chocada ao saber de sua situação atualmente ameaçada, o punho direito de Shiba já estava se aproximando dela - ela não podia evitar o ataque que se aproximava.
No entanto, Mio ouviu o som de aço laminado em vez de um golpe abafado - alguém chegou para defendê-la, as costas voltadas para ela diante de seus olhos.
A pessoa que havia defendido Mio do ataque de Shiba era um rosto familiar - alguém que viera para cá exatamente como se preocupava com Basara.
Não era outra senão Nonaka Yuki.
Parte 11
Yuki podia ver - sua lâmina havia bloqueado com sucesso o soco de Shiba.
"Yuki ..." Mio gritou seu nome por trás.
Mio não ficou surpresa com a aparência de Yuki - ela veio aqui pela mesma razão que Mio.
E Yuki sabia muito bem por que Mio reagira dessa maneira.
"Não se preocupe ... deixe isso comigo." Ela se virou e assentiu um pouco antes de se virar para Shiba mais uma vez.
Provavelmente foi tolice dela testar uma habilidade como essa contra Shiba do jeito que ele era agora - mas parece que ela foi recompensada por sua aposta.
“Hmm… vejo que você deixou o Sakuya para manter o elemento Metal da barreira, e presumo que você tenha pedido à Celis que também ficasse de olho nela… embora deva admitir que você usou o seu o poder mágico de fazer uma lâmina como essa é impressionante. ”
Mesmo assim-
“Formar uma lâmina semelhante a uma lâmina espiritual com seu poder mágico e manter sua forma é essencialmente pedir para secar seu estoque de poder mágico. Quanto tempo você será capaz de manter isso, eu me pergunto?
“———————”
Ela não respondeu, uma afirmação sem palavras da declaração de Shiba.
"..." Mio prendeu a respiração, preocupada com a limitação acima mencionada.
“Não se preocupe, eu vou ficar bem. Mio, vou deixar Basara com você agora. Yuki disse, com seu olhar fixo em Shiba.
Embora a diferença em seu poder fosse o céu e a terra, Yuki não temia o oponente diante dela - ela pensava em nada além de salvar Basara e derrotar Shiba.
"Agora, isso não serve ... você não está limitado apenas por suas reservas de magia, entende?" Shiba disse em um tom de zombaria. "Você só cometerá o mesmo erro que Basara cometeu se quiser lutar comigo de perto."
"... Basara assumiu os riscos e fez o que achou melhor, mesmo sabendo a diferença entre o seu poder e o dele", disse Yuki.
Basara não veio aqui para perder - ele veio aqui com a intenção de derrotar Shiba.
“E eu farei o mesmo. Sei que não posso fazer muito para impedi-lo por muito tempo, mas mesmo assim continuarei!
Yuki soltou uma série consecutiva de ataques com sua lâmina mágica no oponente à sua frente, mas ela só conseguiu cortar através de nada além do ar.
Shiba imediatamente recuou a uma distância notavelmente longa do alcance de sua lâmina.
"Tão sincera bravata, Yuki ... e tanta estupidez."
“——————!”
Ignorando a provocação de Shiba, Nonaka Yuki avançou em direção a seu inimigo.
E quando Yuki correu em direção a Shiba, uma aura vermelha e brilhante começou a surgir do corpo inteiro de Mio.
“——————”
Era o brilho de sua magia gravitacional - o brilho da magia resgataria Basara.
Ao mesmo tempo, enquanto Mio começava a se concentrar, uma rajada de explosões estrondosas estourou no ar do canto sul.
A batalha contra Kouryuu ainda estava em andamento.
Parte 12
Maria, Kurumi e Zest continuavam sua batalha contra Kouryuu, que agora estava vigiando a área central; as três atacaram o ar, sabendo que lutar contra o dragão no chão, dado que era um ser do Elemento Terra, foi uma decisão suicida.
As três continuaram voando pelo ar em alta velocidade; Zest e Maria haviam retornado às suas formas originais e estavam voando com suas asas demoníacas, enquanto Kurumi, a amante elementar, estava voando com sua magia do vento, e ela estava realizando excepcionalmente com sua magia espiritual. Como as asas dos demônios não eram rápidas o suficiente para essa batalha em particular, ela estava usando sua magia do vento para sustentar o voo quando necessário, permitindo que Maria e Zest manobrassem o ar livremente.
Tendo oferecido tudo o que podiam a Basara, as três meninas estavam agora cooperando perfeitamente - sua capacidade de ler uma à outra e funcionar em meio a essa situação terrível era um produto do tempo que passavam juntos em família, compartilhando o mesmo lar, o mesmo desejos, e o mesmo, sentimentos fortes e laços uma com a outra, e isso se estendeu às batalhas delas tanto quanto se aplicavam em suas vidas diárias.
No momento, elas estavam sendo perseguidas - não apenas por Kouryuu, mas também pelos enormes tsunamis de quase 100 metros de altura que convocavam de Shibaura-Futo que ameaçavam afundar a região de Tamachi, tsunamis que ameaçavam esmagá-las sob sua ira se elas não foram cuidadosamente.
E as ondas não eram feitas de água - Kouryuu as formava com correntes de terra e areia.
No entanto, seria fácil para as meninas evitar os tsunamis apenas voando mais alto; as meninas não o fizeram, no entanto, sabendo muito bem que Kouryuu simplesmente aumentaria o tamanho dos tsunamis que estava convocando se aumentassem sua altitude de vôo. O aumento da área dos ataques dos Kouryuu significava que Takigawa poderia correr o risco de ser arrastado para a batalha, e elas tinham que ganhar tempo para ele e manter a atenção de Kouryuu totalmente fixada nelas, pois ele estava ocupado acumulando seu poder para derrotar Kouryuu de uma vez por todas.
Elas tiveram que minimizar o impacto dos tsunamis, direcionando-os para elas.
"Maria, Zest!"
"Bem!" "Pronta quando estiverem!"
Zest e Maria responderam ao chamado de Kurumi enquanto as três voavam para o céu simultaneamente, evitando outro tsunami que os Kouryuu convocaram e virando-o contra o dragão. Enquanto Kouryuu se preparava para responder, as meninas se dispersaram de repente, e foi Kurumi quem atacou primeiro no breve momento em que Kouryuu estava desorientado.
Circulando em direção à direita do enorme dragão, ela estendeu a mão esquerda em direção a ela enquanto lançava sua magia espiritual, formando um grande círculo mágico à sua frente.
"Heeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhh!"
Do círculo surgiram balas de ar disparadas contra o corpo inteiro de Kouryuu com a velocidade de uma metralhadora. No entanto, Kouryuu formou um casulo de terra que o cercava, defendendo qualquer uma de suas balas de infligir qualquer dano.
"…Exploda-o!" Vendo a ineficácia de seu ataque atual, ela cobrou sua magia do vento para cultivar uma massa gigante de ar antes de se preparar para dispará-lo em Kouryuu.
"Kurumi!" Maria gritou e, entendendo o que ela queria, ela disparou sua massa de ar em direção a Maria enquanto corria em direção a Kouryuu, acelerando sua velocidade para superar até a velocidade do som com a combinação da magia do vento de Kurumi e a velocidade de suas próprias asas.
De repente, do casulo de Kouryuu brotou uma garra enorme que alcançava Maria, e sua velocidade significaria uma colisão terrível.
Mas antes que isso pudesse acontecer -
Maria!
Foi Zest; usando sua magia da terra, ela criou um deslizamento inclinado e em espiral que reduzia o atrito, e o atrito - quando Maria deslizou sobre ela, pulou enquanto evitava por pouco a garra de Kouryuu como um pato oportuno.
"Heeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhh!"
Usando sua velocidade, ela então deu um chute poderoso no casulo com a perna direita, o golpe ecoou no ar enquanto atravessava a defesa final de Kouryuu e infligia um forte golpe em Kouryuu.
“—————————!”
Kouryuu berrou enquanto tentava reparar o casulo do solo que o protegia, tentando enterrar Maria em um caixão de areia.
"Nós não vamos" "" Vamos deixar você! "
O chute veloz de Maria fez com que ela explodisse em uma rachadura no casulo, permitindo que Zest interferisse nos reparos de Kouryuu. Quando o solo de repente se dissolveu na areia, Kurumi usou uma enorme onda de vento para afastar o escudo de Kouryuu.
"Yaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahh!"
Maria, em seguida, lançou vários socos no Kouryuu indefeso com as duas mãos, usando o máximo de velocidade e poder que ela poderia dar.
“————————”
Resistindo ao seu ataque, Kouryuu começou a moldar a terra abaixo dela.
“—————————!”
Percebendo o brilho dourado de baixo, Maria rapidamente se afastou de Kouryuu e voou para trás, onde estavam Kurumi e Zest.
Paredes com arestas afiadas emergiram do chão, perfurando o espaço em que Maria uma vez voou - Kouryuu continuou a modificar as paredes, enquanto incontáveis ​​armas e canhões emergiam subitamente de sua superfície dura.
Ah não!
Antes que elas pudessem terminar de esperar o que estava por vir, uma enxurrada de tiros de canhão feitos de terra e areia comprimidas com um amplo alcance de ataque combinado já estava se aproximando delas.
Quando os tiros chegaram mais cedo devido ao seu peso mais leve, Maria empurrou os braços em direção ao espaço à sua frente, criando ondas de choque variadas que interceptavam os tiros no ar.
"Haaaaah!"
As explosões de canhão, no entanto, conseguiram atravessar a onda de choque de Maria.
"Kurumi-san!" "Entendi, me cubra!"
Zest formou uma barreira com sua magia da terra, enquanto Kurumi a reforçou com uma almofada de ar. O canhão terrestre atingiu a barreira que eles fizeram quando formou uma explosão de fogo, levantando areia e fumaça.
Mesmo assim, seus esforços combinados os defenderam com sucesso contra o ataque.
“—————————!”
Usando a fumaça e a comoção como cobertura após a troca, o trio descansou no topo do prédio do restaurante em que Takigawa estava.
"Haaah ... haah ..." "...!"
... Isso é mais difícil do que pensávamos ... Maria pensou, sem esperar que a situação desse uma virada tão terrível.
Embora Maria já tivesse gastado muita força sozinha, Kurumi e Zest já haviam gastado ainda mais força do que ela, principalmente porque estavam usando suas reservas mágicas limitadas, diferentemente de Maria, que contava com sua força física bruta para lutar. Zest, em particular, não era capaz de utilizar seus poderes em toda a extensão enquanto a barreira dos Quatro Deuses persistisse, enquanto a magia espiritual de Kurumi a afetaria mais rapidamente do que a maioria das outras formas de magia.
Isso era verdade, especialmente depois de fornecer sua magia para montar e subsequentemente manter a barreira feita a partir do Selo de Salomão. Mesmo com Leohart, Celis, Takashi e Gald substituindo-as pela manutenção da barreira, o elenco inicial e os elementos envolvidos na utilização da própria magia das garotas, e elas também tiveram que deixar parte de sua própria magia, dado que a barreira enfraqueceria. se as pessoas responsáveis ​​por manter a referida barreira fossem inconsistentes. 
... eu tenho que reduzir o fardo delas!
Dado que Maria era responsável pelo elemento Madeira pela barreira do Selo de Salomão que elas criaram, e com Madeira sendo um elemento eficaz contra o elemento Terra de Kouryuu, foi ela quem mais causou dano a Kouryuu - embora isso funcionasse apenas na prática.
Maria e as outras meninas haviam assumido cada elemento individual entre os Cinco Elementos, e sua compatibilidade resultante daria força a Basara, especialmente em conjunto com o voto de servo-mestre. Foi também por isso que elas puderam erguer a barreira feita com o Selo de Salomão para impedir que Shiba fizesse com que os Quatro Deuses perdessem o controle e causassem destruição em Tóquio.
Mesmo assim, Kouryuu era um ser que havia se manifestado sob o mesmo conceito de cinco elementos, o que significava que seus próprios ataques elementares não eram particularmente eficazes contra Kouryuu, mesmo que um elemento fosse particularmente eficaz contra o elemento Terra devido à grande diferença de elementos.
Elas suprimiram amplamente o desejo de querer derrubar Kouryuu sozinhas - mas a esse ritmo, Kurumi e Zest já estavam se aproximando de seus limites e, dada a força atual de Kouryuu, um erro indesejado seria fatal.
E Mio também estava em perigo enquanto isso - embora o fato de Yuki também ter corrido para a cena de acordo com os espíritos de Kurumi fosse uma boa notícia, o atual nível de poder de Shiba era tão forte que as duas provavelmente não seriam capazes de manter sua posição...
Elas tiveram que se apressar e derrotar Kouryuu - essa era a única coisa que elas podiam fazer para ajudar Basara no momento.
"Seus preparativos ainda não foram feitos?" Maria perguntou, afastando sua atenção de Kurumi e Zest para focar em Takigawa por um momento.
“Desculpe, mas estou quase terminando.... Afinal, isso não é exatamente o nosso território, e eu teria feito há muito tempo se estivesse fazendo isso no Reino dos Demônios. Carregar a energia necessária para eu fazer o que preciso, inevitavelmente levará tempo. ”
- Quanto tempo você acha que vai demorar? Maria perguntou, as sobrancelhas franzidas.
"Não mais que dez minutos... me dê pelo menos cinco."
“Se eu usar meu formulário sem ativá-lo completamente, todos os meus preparativos serão por nada. Imagino que Naruse e quem quer que esteja indo atrás de Basachi também não serão capazes de durar tanto, então eu realmente não quero ter que refazer isso novamente. ”
Ele estava certo - embora a situação de Basara, Mio e Yuki do outro lado fosse preocupante, a melhor maneira de ajudá-los seria derrotar Kouryuu por enquanto.
E elas poderiam muito bem conseguir isso de uma só vez - mesmo que tivessem que esperar Takigawa fazer isso.
"Eu entendo ... cinco minutos, certo?" Maria disse, caminhando lentamente em direção a Kouryuu no prédio em que estava.
- Estava na hora de ela usar sua habilidade final.
Maria estabeleceu um círculo mágico tridimensional complexo em frente ao peito - sua Chave Mágica apareceu em meio a uma luz rosa e brilhante, sua ponta se inserindo no buraco da fechadura no colarinho do traje de batalha de Maria.
Embora estivesse familiarizada com esses procedimentos, estava prestes a fazer algo que nunca havia experimentado antes.
Maria estaria ativando sua técnica na direção oposta - ela giraria a chave na outra direção.
"Gah ... ahh ...!"
Tal esforço forçado definitivamente viria com suas ramificações, e Maria de repente sentiu uma dor que contraiu seus órgãos internos - no entanto, ela se endureceu contra a dor que atravessava seu corpo inteiro.
Querendo ajudar sua família de maneiras que ela não podia antes, Maria secretamente tentou essa técnica depois que a guerra entre as duas facções do Reino dos Demônios chegou ao fim.
Uma ativação fracassada significaria a morte - e ela sabia que só poderia usá-la quando as chances de vencer uma batalha tão terrível estavam ligadas à sua própria vida.
Ela não tinha escolha - ela tinha que fazer isso, sabendo que as vidas de tudo o que ela amava estavam agora em risco.
“… Gah… eeee… .uuuuuuuuuuuuu !!”
Cerrando os dentes, suas mãos apertaram a Chave Mágica que deveria se virar e a puxou na direção em que ela não deveria.
Parte 13
Houve o som de uma chave destrancando algo - não, o som de algo se quebrando - e Kouryuu viu a camada de luz ofuscante que brilha no espaço próximo a ela.
Enquanto a luz cintilante e cor-de-rosa se dissipava, Kouryuu viu a mesma súcubo que apareceu pela primeira vez agora voando bem na frente dele - se parecesse um pouco menor do que antes.
A maneira repentina que ela diminuiu a distância fez com que o dragão estremecesse, mas, mais surpreendentemente, a presença que ela estava deixando escapar subitamente subiu para um nível incomparável, de modo que Kouryuu se afastou um pouco diante de uma presença tão avassaladora.
"..."
A pequena súcubo de repente abriu os olhos, mas ela permaneceu em silêncio.
“—————————!”
Kouryuu abriu a boca e soltou o ar com todo o poder.
Era um instinto bestial - exterminaria qualquer coisa que percebesse como uma ameaça imediatamente, e a respiração de Kouryuu era mais do que capaz de alcançar esse objetivo.
O feixe do Elemento Terra surgiu, ameaçando devorar qualquer coisa que estivesse em sua linha de fogo - antes que a linha de respiração pudesse atingir a súcubo, no entanto, a trajetória do ataque havia sido redirecionada.
A súcubo só ficou parada - a imensa aura mágica que ela estava liberando se transformou em um escudo, desviando o sopro do dragão.
Vendo isso, Kouryuu preparou outro ataque, desta vez condensando a força de sua próxima tentativa em um único ponto - mas seu alvo desapareceu repentinamente.
“———————————!”
Mas para onde ela foi? Quando Kouryuu percebeu que havia perdido o controle de seu inimigo, um golpe forte golpeou por baixo do queixo, atingindo-o na cabeça quando seu corpo maciço foi empurrado em direção ao céu.
A garota havia acertado um uppercut grave e rápido com a mão direita.
Parte 14
Tendo levado um golpe maciço no queixo, o corpo de Kouryuu cambaleou para trás, mas Maria continuou a atacá-lo antes que ele pudesse se endireitar - sua série de chutes e socos era implacável e ela estava forçando a besta sagrada mais forte na defensiva.
"Incrível ..." Kurumi não podia acreditar na cena que se desenrolava diante de seus olhos.
"Isso é ... realmente Maria ...?" Zest também ficou surpresa com o que estava vendo a mudança drástica de Maria.
Elas realmente queriam ajudá-la - mas a força atual de Maria era simplesmente poderosa demais para que elas pudessem prestar qualquer assistência, e provavelmente a estariam impedindo de intervir.
"Oh ... essa idiota sabe exatamente o que ela está fazendo?" Como Kurumi só podia encarar Maria com espanto, de repente ela se virou para Takigawa, que parecia descontente ao fazer esse comentário. Sua expressão era estranhamente tensa, dado que ela o conhecia como uma pessoa que era composta e gostava de brincar, mesmo nas situações mais graves.
"- Ei, do que você está falando?" Kurumi perguntou, preocupado com a expressão incomum de Takigawa.
“Desbloquear os próprios poderes selados geralmente traz algum tipo de risco de uma maneira ou de outra ... e, no caso dela, ela liberará tanto poder que seu próprio corpo não será capaz de tomá-lo ... a menos que ela realmente force seu corpo a crescer a um ponto em que ela pode realmente suportar seu aumento de força. ”
Contudo-
“Se essa garota tola está chegando ao ponto de usar o poder destinado ao crescimento forçado para aumentar seus poderes, não é nem uma questão de quão grande o fardo seria para seu corpo ... eu não ficaria surpreso se ela vai explodir tão cedo. "
"Mas ela não pode-"
Kurumi olhou para Maria novamente, desta vez chocado com uma nova e ameaçadora premonição; a aura que Maria estava liberando de sua força vital - a mesma força vital que ela estava queimando de bom grado - pelo bem de seus poderes atuais, em vez de simplesmente por sua própria magia?
Ela sabia que todos eles escolheram arriscar suas vidas por essa batalha - eles sempre o fizeram, mesmo nas batalhas anteriores, onde estavam dispostos a arriscar suas vidas sem pensar duas vezes, e continuariam inabaláveis. desde que suas ações tragam paz para o futuro.
Mas não era tão simples assim para Maria agora - ela estava disposta a queimar sua própria vida, a fim de ganhar a força necessária para derrotar Kouryuu sozinha.
Mas quanto tempo ela poderia durar? E certamente Maria não pretendia morrer lutando com seu atual oponente assim, mesmo que ela conseguisse alcançar a vitória?
Mesmo assim, mesmo depois que Mio e Yuki correram para resgatar Basara, ainda não havia sinal de sua presença retornando ao seu estado habitual.
Shiba era um oponente que agora era muito forte - um único erro lhes custaria a vida antes que eles pudessem terminar aqui.
Kurumi sabia que Maria não poderia estimar com precisão quanto de vida ela teria se continuasse lutando com sua carne e seu espírito queimando em sua mistura de exaustão e preocupação.
E mesmo assim - o que aconteceria se eles continuassem com isso?
Mesmo se eles saíssem vivos depois de derrotar Shiba, quanto tempo de vida restaria para Maria?
Ela poderia recuperar sua força perdida - mas seria capaz de restaurar a força vital que gastaria aqui?
"- Kurumi-san!"
“——————!”
Percebendo o perigo que Maria estava, Zest gritou para ela quando Kurumi chamou os espíritos para levá-los a fugir - elas tiveram que correr em direção a Maria, que agora estava lutando com os Kouryuu sem perceber as consequências de suas ações.
"…Espere. Entendo por que você está correndo, mas não pense com suas emoções." Takigawa disse antes que os duas pudessem decolar.
“Não nos pare. Maria vai ... Quando Kurumi se virou para argumentar contra Takigawa, que aparentemente com indiferença a impediu de sair, ela não conseguiu terminar sua frase.
O corpo inteiro de Takigawa irradiava uma aura azul e preta.
"Mas Lars ... quando você ...?" Zest exclamou, e ela emitiu uma expressão de surpresa ao perceber por que Takigawa estava dizendo que Maria havia tomado uma decisão tola.
Ele também estava queimando sua própria força vital - ele estava escondendo sua aura todo esse tempo, e era provável que ele já tivesse começado a fazê-lo antes de Maria desbloquear seu selo.
Ele também estava disposto a arriscar sua própria vida para derrotar o Kouryuu.
"Se acalme. Não estou tentando impedi-las - vão em frente, se quiserem. Estou apenas dizendo que, assim como a compatibilidade com cinco elementos aumenta a eficácia de um elemento em particular, também há uma maneira de aumentar a força vital de uma pessoa. Depois de tudo aqui, você pode pedir a Basachi para ajudá-la com isso depois.
Dito isto-
“Você não deveria surtar, se apressar e fazer algo estúpido no final. Apenas me ajude ... me dê um pouco mais de tempo, e eu prometo que vou acabar com isso. Faça o possível para se esforçar o máximo que puder por mim. Ainda assim ... ”Takigawa disse de repente:“ Entendo que você ainda não tem muita força ... não use no lugar errado e na hora errada. Se você realmente quer derrubar aquele enorme casco de uma fera, terá que ser o seu melhor.
"Não precisamos que você nos lembre que ... Zest!"
"Tudo bem, Kurumi-san!"
O conselho de Takigawa acalmou o fogo de suas mentes e acendeu as chamas de seus corações enquanto se apressavam em direção a Maria sem mais demoras
E a força de sua própria vida começou a queimar como a dela quando se apressaram.
Parte 15
Tendo girado sua Chave Mágica na direção oposta, a alma de Maria agora estava transbordando de poder, ultrapassando seu limite anterior.
Combinada com a herança da linhagem mais forte e mais nobre do Reino dos Demônios, bem como os efeitos do voto de Mestre-Servo, ela estava agora em um estado em que poderia levar Kouryuu completamente a um canto sozinha.
“—————————”
Kouryuu tentou freneticamente se reajustar, tentando bloquear os ataques de Maria, mantendo distância dela.
Mas Maria não estava prestes a dar essa oportunidade.
"Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaahhh!"
Em um instante, Maria atacou Kouryuu com uma série de ataques, todos ocorrendo em um instante; chutou-o com a perna direita e imediatamente seguiu com o joelho enquanto ela subia por baixo do dragão. Possuindo seu momento de poder avassalador, mas autodestrutivo, ela teve que fazer o que pôde para derrotá-lo, e mesmo que ganhasse pelo menos tempo suficiente para Takigawa terminar de preparar, se não derrotar completamente o dragão agora.
Seus olhos se arregalaram quando ela alcançou um terreno mais alto enquanto esmagava os pés na cabeça do dragão.
"Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhh!"
Ela então enviou um soco com toda a força - ao mesmo tempo, lançou uma onda de choque aumentada por seu elemento Madeira.
“—————————!
Seu elemento de contração contraiu o dragão quando ele esmagou seu corpo maciço em um estrondo no chão, causando uma cratera semicircular com Kouryuu no centro.
Os ataques de Maria não pararam por aí: ela continuou dando socos certos para esmagar Kouryuu, embora agora estivesse sentindo alguma resistência; a Kouryuu agora estava lutando contra suas ondas de choque, usando toda a força para elevar seu corpo sob a pressão da força esmagadora de Maria.
“—————————!
"Gah ... haaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Maria cerrou os dentes enquanto aumentava ainda mais a intensidade de suas ondas de choque - ela não se importava se seu sangue jorraria de se mover demais se isso significasse que ela poderia derrotar Kouryuu de uma vez por todas.
“AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!”
Gritando no alto de seus pulmões, ela forçou outro soco direito em direção a Kouryuu, forçando uma onda de choque ensurdecedora diretamente em sua direção.
Enquanto Kouryuu rugia de dor pelo ataque e se contorcia, Maria de repente testemunhou algo inesperado.
Seu corpo brilhava com uma luz dourada, luz que cegou Maria e ameaçou devorá-lo.
…Ah não…!
Maria cruzou os braços apressadamente em uma posição defensiva quando Kouryuu finalmente se libertou das ondas de gravidade.
“——————————”
No momento seguinte, a respiração poderosa do dragão começou a envolvê-la - afastou-a da área central em direção à área do Elemento Água, o canto mais ao norte da barreira de Shiba; embora Maria agora fosse do Elemento Madeira que combatia o Elemento Terra de Kouryuu, o fato de Kouryuu poder aumentar seus ataques com um elemento de oposição próprio significava que seu ataque era muito mais poderoso dessa vez.
Mesmo depois de encurralar Maria no canto da parede da barreira, a respiração de Kouryuu permaneceu implacável.
Maria lutou contra a força do ataque de Kouryuu, sentindo como se fosse rasgada a qualquer momento - seus braços estavam quase cedendo, no entanto, quando o sopro de Kouryuu estava prestes a dividir seus braços cruzados.
Antes que a respiração do dragão pudesse dominá-la, uma explosão repentina se seguiu à fonte da respiração, interrompendo seu ataque opressivo a Maria. No entanto, o sopro do dragão era tão forte que fez Maria perder sua aura não selada.
"Haah ... aah ... eh ... hein ...?"
Ofegando quando ela abriu os olhos, ela viu fumaça subindo da cabeça de Kouryuu, que permaneceu na distância da área central. Prestando atenção, ela viu algo entupir a boca gigante de Kouryuu, forçando-a a fechar de cima.
"…Mas isso é…"
Um enorme pedaço de obsidiana esmagou a ponte do nariz de Kouryuu, perfurando o queixo do dragão.
Maria entendeu por que isso aconteceu - o grupo deles estava constantemente pensando em maneiras de complementar as habilidades um do outro, incluindo Basara.
Provavelmente, o produto da magia do vento que comprime a poeira de obsidiana forma um sólido extremamente duro e extremamente durável, antes que o referido sólido seja afiado e lançado em direção a Kouryuu de cima, perfurando pela boca e causando a respiração interna.
Maria foi então afirmada por sua suposição.
"... Realmente, você não deveria sair sozinha assim."
Havia uma voz familiar a seu lado, e uma força leve que sustentava seu corpo atrás dela - ela se virou para ver que Kurumi havia chegado.
"…A sério. O que você acha que Basara-sama - nós - faria se algo lhe acontecesse? Zest também alcançou Kurumi e Maria, voando adiante como se quisesse cobri-las.
“—————————”
Os olhos de Maria se arregalaram ao ver as formas de suas duas amigas - ela estava sem palavras.
De repente, ela percebeu que os cristais de obsidiana que haviam criado eram fortes o suficiente para forçar a boca de Kouryuu a fechar, e também eram afiados o suficiente para perfurar o corpo de Kouryuu, que Maria não conseguiu ferir com seus próprios socos.
 E era porque Kurumi e Zest agora estavam lançando auras fortes, como Maria.
Parte 16
Quando a fumaça se dissipou após a explosão de sua própria respiração presa na boca, Kouryuu viu as duas combatentes anteriores em seu caminho novamente.
No entanto, não importava que mais duas inimigos entrassem na briga - seria um trabalho curto delas com sua respiração contra-sinérgica.
Embora sua boca tenha sido perfurada e tenha sido inevitavelmente assustada quando elas se viraram, percebeu que a eficácia de seus ataques era resultado de queimar sua própria força vital.
Elas haviam se retirado temporariamente por exaustão; agora era certo que elas eram incapazes de resistir a ele por muito mais tempo, com a súcubo próximo ao seu limite sendo toda a evidência necessária.
Além disso, seu próprio hálito implodente, preso na matéria escura de obsidiana que fechou a boca, era do Elemento Terra - o que significa que não havia recebido nenhum dano significativo.
“—————————”
Alterando o pico de obsidiana que cortara sua mandíbula, convertendo-a em energia do Elemento Terra e absorvendo-a em seu corpo, sua ferida que subia pelo queixo até a ponte do nariz curada em um instante.
Eles agora estavam de volta ao local onde começaram - exceto que os inimigos de Kouryuu estavam agora situados ao norte.
Kouryuu preparou o fôlego para eliminá-las novamente—
“——————————”
Mas sua visão foi subitamente envolvida na escuridão, causando pânico - pelo contrário, todo o corpo de Kouryuu estava sendo envolvido em uma matéria escura.
“Você é realmente problemático, sabia disso? Você tomou muito do meu tempo."
Quando Kouryuu finalmente percebeu a situação em que estava agora - uma voz familiar se dirigia a ele - e Kouryuu sabia quem estava falando com ele.
Foi o primeiro oponente que ele lutou, o jovem que conseguiu controlar as esferas da magia negra.
Parte 17
A esfera mágica gigante de Takigawa suprimiu o Kouryuu enquanto o dragão lutava entre suas mãos, tentando escapar.
"Lute como você pode ... não fará nenhum bem", disse Takigawa com um sorriso, voando para fora do campo de influência de suas esferas.
Maria e as outras estavam longe - elas não poderiam ouvi-lo, e foi então que ele divulgou um segredo que ninguém sabia.
“Na verdade, minhas esferas não são exatamente um elemento escuro ... são na verdade simulações universais compactadas em esferas. Foi realmente uma dor ter que ajustá-los a esse tamanho e força específicos, mas ... parece que está funcionando com bastante eficiência em você. ” Takigawa revelou a verdadeira natureza de suas habilidades enquanto falava com Kouryuu.
E depois de tudo-
“Você se manifestou como resultado do poder fornecido a essa área pelos Quatro Deuses, o que faz de você um ser do Elemento Terra ... em outras palavras, você é feito do Ki que atravessa a superfície da Terra . ”
Contudo-
“Minha esfera mágica é feita do espaço universal de outra dimensão - completamente diferente e sem conexão com o universo deste planeta. Dito isto, agora você está isolado da Terra, apesar de estar nessa mesma Terra - agora está despojado do próprio elemento que o cria, bem como da energia fornecida pelos Quatro Deuses. ”
Se Kouryuu continuasse assim, seria incapaz de continuar se sustentando e eventualmente morrer. Como se também realizasse tal realidade, o Kouryuu lutou mais com seu corpo maciço.
“—————————”
"Bom, lute ... embora eu deva dizer que estou com pressa aqui."
Ainda havia Shiba com o que se preocupar - ele não perderia tempo com os Kouryuu.
Ele terminaria aqui e agora.
"-Comecemos." Ele disse, se distanciando um pouco mais de suas esferas.
Takigawa geralmente lutava conjurando várias esferas mágicas, feitas de fragmentos de um universo simulado que ele criou; criar um universo imaginário como esse afetaria suas reservas mágicas.
Dito isso, uma vez que Takigawa entendeu a extensão de suas habilidades, a primeira coisa que ele fez foi melhorar a qualidade e o volume da esfera que ele criou até o seu limite absoluto - foi depois que ele aprendeu como dividi-la em tantos outros fragmentos menores quanto possível.
Tais modificações afetariam diretamente a natureza de seu ataque - no entanto, Takigawa acreditava que ele havia feito a escolha certa.
“——————————”
Enfrentando a esfera que estava engolindo Kouryuu, ele estendeu o dedo indicador e o dedo médio da mão direita, concentrando-se na ponta dos dedos - depois passou os dois dedos em alta velocidade como se dispersasse as esferas que estava controlando e a esfera mágica dividido em dois. Mesmo com diferentes partes do corpo agora presas em duas esferas individuais, Kouryuu ainda lutava para escapar.
"..." "..."
"Venha, a desmontagem começa agora."
Takigawa então brincou com os dedos como se fosse um maestro, se divertindo enquanto orquestrava uma composição de sons cortantes. Ainda mais esferas mágicas foram produzidas com cada fatia de sua matéria universal, fragmentando Kouryuu em mais e mais fragmentos.
"Espero que da próxima vez que você se manifeste novamente, seria porque uma pessoa melhor o faz ..."
E finalmente, quando suas esferas mágicas finalmente ultrapassaram mil, ele sorriu ironicamente para o Kouryuu fragmentado, como se tivesse pena do animal subjugado.
"…Aqui. Você pode dar o toque final - disse ele, virando-se para o céu - onde uma certa garota estava agora acima das esferas mágicas que ele conjurou.

“Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
Era Maria, que havia arriscado sua vida para derrotar Kouryuu mais do que qualquer outra pessoa - tendo sido lançada no ar pela magia do vento de Kurumi, seu punho direito já estava levantado em preparação para atacar.
Esmagando seu punho diretamente na pilha de esferas mágicas, o impacto de seu soco esfarelou tudo o que atingiu em uma rajada explosiva de cinzas e detritos.
Quando todas as esferas mágicas finalmente se dissiparam, o Kouryuu - o soberano dos Quatro Deuses - não era nada além de poeira, deixando apenas um banho de luz brilhante após seu desaparecimento.
Parte 18
"Huh ... eu nunca pensei que você seria capaz de derrotar Kouryuu", disse ele, olhando a chuva dourada e brilhante que banhava o Palácio Imperial ao longe, parecendo bastante impressionado.
Tendo manifestado Kouryuu ao seu lado simultaneamente, ele estava bem ciente de como o dragão poderia ser derrotado; criar um espaço universal falso com magia parecia ser um método provável para derrotar Kouryuu, mas -
... Deve ser um revés insignificante.
Shiba não tinha dúvida de que não teria problemas em lidar com uma habilidade como essa. Sabendo que Takigawa não era uma ameaça para ele, ele se virou para uma certa pessoa diante dele, sorrindo ironicamente.
"- Bem, você quer continuar?"
Yuki estava na frente dele, de joelhos dobrados, segurando a lâmina espiritual que ela havia feito com sua própria magia para substituir Sakuya por apoio - e ela se recusou a cair.
Ainda não.
"Ha ... ha ..." Ela lutou para respirar...
A lâmina que ela usava para substituir seu Sakuya por sua magia era de uma durabilidade que ultrapassa qualquer aço - era uma lâmina mágica de sua melhor e última forma, de modo que poderia ser chamada de uma das formas finais de uma espadachim generalista como Yuki. .
“Devo dizer que você é realmente muito boa nisso. Eu imagino que não há realmente nada neste mundo que você não possa atravessar do jeito que está agora, Yuki-chan." E, no entanto ... Shiba não se deteve em elogiar a mais nova habilidade de Yuki que acompanhava seu voto de Mestre-Servo, mas sua sentença implicava uma advertência.
É triste. Suas lâminas não podem me prejudicar e, portanto, você não pode me derrotar.
"... Isso continua a ser visto." Yuki disse por trás dos dentes, forçando-se a se levantar. "Agora que Kouryuu se foi, os poderes que lhe foram dados não devem mais ser assim ... e agora que você não tem mais o poder dos Cinco Elementos"
"Hmm ~ Bem, isso não é realmente o que eu estava falando." Shiba riu ironicamente.
"Pense nisso. Se você me matasse aqui, a barreira feita pelos Quatro Deuses será dissipada e destruirá toda Tóquio - e você também estará liberando todos os Kegare dentro do meu corpo. Isso não é algo que sua barreira feita com o Selo de Salomão possa realmente suportar. Esqueça o Vaticano - os Kegare se espalharão por todo o mundo e infectarão tudo o que tocar com morte e destruição. E imagino que você saiba muito bem o que isso pode fazer depois de tentar lutar contra mim.
E por último mas não menos importante-
“Se eu morresse, Basara também morreria dentro de mim. A única razão pela qual você ainda é capaz de usar o poder do voto é que, embora eu já o tenha trancado dentro de mim, ainda não decidi absorvê-lo ... ainda. Bom pra você, hein? Sim, Basara ainda está vivo, mas é exatamente porque a pessoa com quem você cuida mais do que tudo ainda está vivo que você nem consegue pensar em se livrar de mim."
Dito isto-
"Você tem que me derrotar sem me matar - mas é um paradoxo que você não pode realmente encontrar uma solução por enquanto, pode?"
"..!"
Ignorando as palavras de Shiba, Yuki insistiu em levantar sua lâmina contra ele.
“Bem, você não é apenas teimosa ... você sabe que eu tenho impedido de usar minhas habilidades de Ki apenas para que eu possa me preparar para o momento em que começo a drenar a vida de seus próprios corpos, certo? Não posso ter você agora muito machucada - o poder dos cinco elementos dentro de você ficará desequilibrado. Depois de tudo-"
Shiba virou-se para Mio, que estava recobrando seu poder durante toda sua briga contra Yuki.
Pessoalmente, quero começar com Mio - pela ordem em que você estabeleceu os elementos de sua computabilidade em cinco elementos quando fez seus votos com Basara. Só estou sendo justo com todos vocês - considere o fato de que ele já usou tanto do seu poder, por isso, se eu vou levá-lo, devo absorver a compatibilidade que une todos vocês também. ”
Mio não prestou atenção a Shiba enquanto continuava se concentrando em construir sua magia com os olhos fechados, uma aura carmesim saindo de seu corpo.
…Impressionante. Mais impressionante.
A pressão que Mio estava liberando agora rivalizava com a de Shiba, mas seu potencial continuava a crescer - algo que Shiba permitiu saber que seu poder logo se tornaria seu.
Provavelmente, esse foi o último passo de Mio - assim como o de Yuki foram suas lâminas mágicas.
Dito isto, ele idealmente absorveria Mio primeiro, seguido por Maria, Kurumi, Yuki e, finalmente, Zest nessa ordem.
Shiba e Balflear juraram que prosseguiriam com o Reino Divino quando terminassem com o Clã dos Heróis - e todas as peças finalmente se juntaram na barreira que eles criaram, e mais do que o que eles anteciparam inicialmente. Havia Leohart e suas forças, que haviam chegado por capricho ou mera ousadia; depois havia os dois membros do clã dos heróis, Takashi e Celis, cuja coragem os levou a ajudar seu amigo de infância; e depois havia Afureia, que não podia agir apesar da presença dela.
Se Shiba realmente absorvesse todos eles nele, ele se tornaria verdadeiramente imparável.
“E depois que eu terminar com todos vocês, mesmo os Dez Deuses do Reino Divino não serão páreo para mim, muito menos o próprio Clã dos Heróis... Eu ficarei no auge de tudo, tornando-me um ser mais elevado do que nunca. O próprio deus ... você não diria?
Se Shiba realmente absorvesse todos eles nele, ele se tornaria verdadeiramente imparável.
"Eu não vou deixar isso acontecer - nunca!"
Shiba não estava errado - além de ter Basara como refém, além do risco dos Kegare lá dentro, Yuki não poderia matar Shiba.
Basara, no entanto, poderia eliminar Shiba sem a preocupação de o Kegare transbordar - e Mio estava se preparando para resgatá-lo.
Ela só podia fazer o que podia - para apoiá-los como pudesse. E havia apenas uma coisa que ela poderia fazer agora.
Assim como os outros estavam lutando contra Kouryuu para reduzir os poderes de Shiba, Yuki teve que enfraquecer Shiba com o melhor que ela poderia oferecer.
Yuki não conseguiu cortar os dois braços com um único ataque - e não estava tendo segunda chance.
O caminho a seguir era claro.
"Uma luta inútil", disse Shiba, abaixando-se enquanto levantava o braço direito para preparar um soco, tentando se acelerar e deslizar sob o oponente que se aproximava.
"Heeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Yuki respondeu com um corte vertical para cima em direção à direita, com o punho firme na lâmina até o fim, enquanto ela a girava com foco total em seu alvo - o braço esquerdo de Shiba.
Ela enviaria seu ataque final a ele.
O impacto subsequente fez com que algo subitamente voasse em direção ao céu - mas não era o braço de Shiba.
"..!"
A lâmina espiritual que Yuki conjurou com seus próprios poderes mágicos estalou diante de seus olhos, fazendo-a entrar em estado de pânico.
"Como eu disse ... uma luta inútil." Shiba disse, sabendo que era para ser assim.
Yuki já estava no chão no momento em que ouviu essas palavras - a palma da mão direita de Shiba deu um golpe implacável no corpo de Yuki.
“Gah… ah…! Hah ... ah!
Shiba não injetou seu Ki no corpo de Yuki através de sua penetração, mas atacou-a externamente com uma onda de choque de seus ataques de Ki.
O poder absoluto da onda de choque causou danos implacáveis ​​ao corpo de Yuki quando ela foi esmagada no chão; ela tossiu sangue da boca quando seus órgãos internos pareciam estar muito danificados, a dor incomensurável a sufocando. O golpe maciço a privou do oxigênio que ela precisava, e sua consciência estava desaparecendo rapidamente.
…Ainda não…!
Mesmo assim, Yuki se esforçou para ficar deitada no chão, reunindo todas as suas forças, dizendo a si mesma que ainda podia lutar - que ainda deveria continuar.
Ela não podia cair aqui - ela não podia cair para ele.
E ainda-
"Tal persistência ... a última contração de um inseto esmagado." Shiba disse, sentindo-se resignado. “Suponho que a única coisa que preciso absorver você é mantê-la vivo, então suponho que vou impedi-la de ficar zanzando por mais tempo primeiro… Suponho que você não tenha mais utilidade para seus braços e pernas, Yuki? "
Shiba estendeu a mão em direção a Yuki enquanto dava a sugestão de arrepiar os ossos, mas então algo mudou - seu corpo estava deixando escapar uma luz vermelha fosforescente e Shiba inclinou a cabeça com espanto, sabendo que não era por sua conta.
"Hmm…?"
"Você ficou convencido por tempo suficiente ... já era hora de eu abrir seus olhos!"
Foi a voz zangada de Mio que veio a seguir, junto com as ondas vermelhas de sua magia gravitacional surgindo em direção a Shiba.
Parte 19
"Heh ... magnífico."
O sorriso de Shiba permaneceu diante da imensa pressão do campo gravitacional que ameaçava cobri-lo de cima.
Embora a magia da gravidade geralmente fosse uma mágica que tinha uma grande área de efeito, ela estava limitando sua influência somente a Shiba - Yuki não seria afetada por seu ataque.
Mio provavelmente aumentara sua magia da gravidade para poder afetar apenas alvos específicos que desejava - outra nova habilidade provocada pelo voto que fez com Basara.
"Você não vai me mostrar nada se essa for a quantidade de pressão que você pode reunir ... que ingênua."
Shiba, agora na forma da corrosão de Reginlief, simplesmente resistiu ao ataque.
"Se você já terminou de tocar, acho que está na hora de levá-lo para dentro de mim." Enquanto Shiba caminhava em direção a Mio, ele notou a expressão no rosto dela.
Ela estava respondendo a ele com um sorriso, sem medo.
“Você acha que eu já terminei? Parece que você é o ingênuo aqui!
Ela então desencadeou uma segunda onda de sua magia gravitacional, enquanto os dois ataques se combinavam em um rugido estrondoso para formar uma onda mais escura quando dispararam em direção a Shiba.
Os ataques sinérgicos fizeram com que sua intensidade disparasse quase explosivamente - mas Shiba permaneceu inalterado.
"Como eu te disse, se isso é o mais longe que você pode-"
Embora um décimo terceiro sorriso irônico tenha chegado primeiro, ele foi surpreendido de repente enquanto engolia em seco.
Ele estava sentindo como se estivesse perdendo um pouco de poder - foi então que ele notou a linha vermelha que atravessava seu peito. No momento seguinte, a onda vermelha se dividiu em duas enquanto se aprofundava em Shiba.
Alguém que deveria estar preso dentro do abismo dentro dele de repente emergiu com a força da onda vermelha brilhante - Toujou Basara.
Despojado da armadura de Bynhildr e seu uniforme escolar em farrapos, seu corpo e seus membros ainda estavam em forma e ilesos.
“——————!”
A ocorrência inesperada fez a mente de Shiba ficar em branco.
Basara aproveitou esta oportunidade para pegar Yuki - agora caída em um lado da praça - quando ele pulou para o lado de Mio com ela.
"! ... Basara!"
Ela o segurou com força quando ele emergiu, com lágrimas nos olhos.
Parte 20
Em meio ao calor do abraço de Mio, depois que ele emergiu do abismo absorvente, Basara cuidou primeiro dos ferimentos que Yuki havia sofrido enquanto ela lutava com Shiba.
"... Yuki, você está bem?"
"...! Basara! Graças a Deus ... ”Apesar de sua miséria atual, ela conseguiu dar um pequeno sorriso depois de perceber que Basara estava bem.
Ela parecia estar gravemente ferida, mas não corria o risco de perder a vida; ela não seria capaz de lutar mais, no entanto.
"Mio ... cuide de Yuki."
Quando Basara entregou a ferida Yuki a Mio, ele se virou para Shiba; o sorriso calmo que seu oponente usava constantemente em seu rosto não estava mais lá.
"... Que truque é esse?" Ele perguntou, seus olhos negros olhando incrédulos para Basara.
"... A ativação conceitual da magia gravitacional de Mio."
A atração da magia gravitacional de Mio normalmente se aplicava em uma direção perpendicular; dado que estava aplicando as leis do mundo atual, a magia da gravidade dela normalmente causava um puxão em direção à superfície da Terra.
E ainda-
"Mio se definiu como o ponto de referência quando usou sua magia de gravidade pela segunda vez."
Foi por isso que a força gravitacional chamou alvos de suas ondas em direção a Mio, em vez de no chão, mas se assim fosse, ela deveria ter só sido capaz de puxar Shiba em direção a ela e não puxar Basara fora dele.
Foi aí que sua segunda onda de magia entrou em cena; Muito parecido com o primeiro ataque de Mio, destinado apenas a Shiba, Mio havia definido sua segunda onda gravitacional para aplicar apenas a Basara.
"Usando o primeiro ataque para forçá-lo a enfrentar uma direção perpendicular, ela então usou seu segundo ataque para me puxar à força em sua direção e, assim, com sucesso, me salvar de ficar preso em seu corpo."
Mio era incapaz de ver onde Basara estava dentro do corpo de Shiba, é claro - mas em virtude do Voto, ela foi capaz de sentir onde ele estava com uma precisão impecável. No entanto, eles só conseguiram fazê-lo porque Shiba ainda não havia decidido absorver Basara, devido ao seu plano de absorver o restante das meninas para obter o poder de sua compatibilidade com cinco elementos.
Além disso, enquanto Basara era incapaz de usar a magia da gravidade por conta própria, ele herdou a capacidade de manipular a magia de uma de suas duas mães, Sapphire; tendo esperado pelo momento em que Mio usaria sua magia gravitacional enquanto estava preso dentro de Shiba, ele imediatamente permitiu que a onda gravitacional envolvesse todo o seu corpo e se lançou em direção ao ponto de referência - a própria Mio.
E enquanto os dois não deveriam ter conseguido se conectar, devido às suas diferenças dimensionais, o Voto Mestre-Servo permitiu que Basara e Mio identificassem a localização exata um do outro, mesmo através da referida diferença, e permitia que seus poderes se conectassem também através das dimensões. Os dois usaram seu respectivo domínio da magia da gravidade para formar uma atração definitiva um pelo outro, permitindo que Basara escapasse do corpo de Shiba.
“Como eu te disse, eu estou bem ciente de que você quer me absorver em seu corpo, então eu tenho sido muito cuidadoso com isso. E apenas no caso, eu também me preparei para a possibilidade de que eu poderia ser absorvido em você.”
Shiba permaneceu insatisfeito com a explicação de Basara. "Sua precaução é uma aposta arriscada, no entanto ... se eu te puxasse e decidisse te absorver imediatamente, você nem estaria aqui agora."
"É verdade que isso era um risco... mas acabamos fazendo isso para que você não queira me absorver primeiro", disse Basara. “Ao aplicar os Cinco Elementos em Mio e nas outras e pedir que elas façam o Selo de Salomão e a barreira resultante, você não resistiria ao desejo de querer absorver todas elas. E eu sabia que você gostaria de absorvê-los na ordem correta para maximizar os efeitos dessa absorção. ”
E elas foram capazes de realizar o que fizeram porque -
“Você não é como eu, é ganancioso. Eu só quero derrotá-lo, enquanto você não será feito aqui e deseja se vingar contra o Clã dos Heróis e o Reino Divino. Eu sabia que você não pouparia oportunidade de ficar mais forte e usei isso contra você."
"Então é assim que é... mais uma vez, você me surpreende com o quão ridículo são seus pequenos planos." Tendo seus pensamentos lidos como um livro por seu inimigo, Shiba não pôde deixar de sorrir outro sorriso irônico. "Como se usá-los como ferramentas para suas próprias ambições não fosse suficiente, agora você as usa como isca como seu seguro de vida pessoal quando mais precisa." Shiba disse, não querendo admitir a extensão de seus vínculos.
"Pense de mim o que você quiser - eu simplesmente não vou perdê-las novamente." Basara respondeu.
 “Você tentou usar o poder de Kouryuu para matar Mio e as outras durante a nossa primeira batalha. Preparamos esse plano e pretendíamos usá-lo mais cedo ou mais tarde se você o usasse contra nós novamente. Eu não estava disposto a deixar você matar Mio e as outras - para isso, era importante termos certeza de que elas representariam alguma forma de valor para você. ”
"Pensar que você faria de bom grado uma coisa dessas ... e se eu tivesse decidido ignorá-lo e atacá-los primeiro?" Shiba propôs outro risco em seu plano.
“É por isso que eles fizeram sua barreira de combate usando o Selo de Salomão, em vez de seguir as instruções cardinais. Como a manifestação de Kouryuu significava que você estava restrito à área central, estabelecer a barreira dessa maneira era garantir que você teria seu poder afetado se você decidisse se mudar para se intrometer em outras coisas ”.
Cada passo que Basara e as outras haviam realizado tinha uma boa razão por trás disso - eles não tinham sentido algum.
"Os votos que trocamos deixaram uma interrupção psicológica em você e o impediram de seguir." As palavras de Basara foram uma declaração de sua convicção inabalável.
"E agora-"
Mas antes que ele pudesse continuar, ele caiu sobre o joelho dobrado, privado de força.
“! - Basara!
A voz de Mio estava se aproximando de um grito quando ela testemunhou a mudança repentina em Basara - ele estava ajoelhado com uma expressão de dor e sua pele estava pálida - quase pálida.
"O que você fez com ele !?"
Mio correu para apoiá-lo, olhando para Shiba - ele era definitivamente o responsável por isso.
"-Nada realmente. Eu simplesmente o coloquei dentro do meu corpo, e nada mais. Shiba sorriu novamente. “Apesar disso ... ele foi colocado no abismo cheio do Kegare extremamente viscoso enquanto estava dentro de mim. E, como um veneno potente, a corrupção escoa e corrói tudo o que toca, da carne à mente, causando a deterioração de qualquer coisa em seu caminho. Suponho que você possa me dizer se ele deve ficar bem depois disso.
Apesar-
“Sabe, eu tive certeza de que o Kegare que Basara estava exposto enquanto dentro de mim não era muito potente. Eu realmente não queria matá-lo, pois seria inútil absorver todos vocês se ele estiver morto, mas, como eu disse a Yuki, eu realmente só preciso que você permaneça vivo - temporariamente - e tomei as precauções necessárias. para garantir que você pelo menos não levante um dedo. "
Deveria ser esperado que ele tivesse tomado tal medida.
“Você pensou que era o único que fez os preparativos? Muito parecido com o modo como você se preparou para a possibilidade de que Basara fosse sugado por mim, eu também me preparei para a possibilidade de que ele escapasse depois de ser sugado. Ah, a propósito ...
Shiba de repente abriu os braços, seu corpo brilhando com uma luz dourada - a mesma luz dourada que Kouryuu havia liberado.
“As veias da Terra não podem ser controladas, a menos que Kouryuu esteja sendo manifestado ... e admito que seja bastante difícil para mim fazê-lo agora. Mas é claro que eu também não podia absorver exatamente Kouryuu dentro de mim - os Quatro Deuses não ficariam realmente felizes com o fato de que eles serviriam a alguém que assassinou seu líder. Então você quer saber o que eu fiz? Shiba disse.
“Sincronizei com Kouryuu e obtive suas bênçãos - um sinal de que ele me reconheceu e me concedeu seus poderes. Dito isto, se Kouryuu foi destruído antes que pudesse se manifestar completamente, para onde você acha que o poder que os Quatro Deuses estavam fornecendo a Kouryuu iria?
Como ele disse, a pressão que Shiba estava exalando subitamente subiu para um nível completamente diferente.
"…Mas como…?"
Mio mal conseguia falar ao ver diante dela.
Será que Kouryuu ordenou que os Quatro Deuses transferissem todo o poder acumulado para Shiba, caso fosse destruído?
"Mas Byakko-"
"Então você quer dizer que o Byakko esta sob o controle de Takashi agora?" Shiba riu, parecendo ter visto através dela. “Agora que Kouryuu se foi, não preciso mais de Georgius para manter o Elemento Terra. E como não posso usar o Byakko, posso simplesmente usar uma cópia como substituta. Por acaso, assumiu o papel de Byakko, afinal, e pode facilmente voltar a esse papel com a vontade de Kouryuu transferida para ele. E com os Quatro Deuses perdendo seu soberano e percebendo a terrível situação, eles realmente apenas fizeram o que deveriam fazer - transferem todo o seu poder para mim. ”
Como se quisesse provar seu argumento, rajadas das cinco cores dos elementos giravam em torno de Shiba como centro - os ventos se combinavam para formar um turbilhão maciço acima do Palácio Imperial. A compatibilidade de cinco elementos dos Quatro Deuses e o Elemento Terra de Kouryuu irritou tudo ao seu redor como uma tempestade, fazendo a terra estremecer e até o próprio espaço ao seu redor tocar como se estivesse sendo esmagado.
Shiba não poderia estar mais feliz, pois ele estava no meio do turbilhão de energia ao seu redor.
"Com isso, minha ambição tão esperada finalmente foi realizada - eu realmente tenho tudo a agradecer por isso."
"…Mas como isso poderia ser…?"
Como as coisas acabaram com Shiba adquirindo a forma final de poder, enquanto ela, Basara e as outras agora estavam machucados e desgastados?
Todos eles haviam pensado nisso tudo com cuidado.
Todos eles fizeram os preparativos da melhor maneira possível para esta batalha.
Todos eles trocaram o voto de servo-mestre com Basara.
Mas tudo isso foi por nada? Tudo isso não foi suficiente para se opor a ele?
"-Ainda não acabou." Uma voz permaneceu desafiadora contra a declaração de vitória de Shiba, exatamente quando Mio pensou que tudo estava perdido.
Toujou Basara levantou-se lentamente - e com Byrnhildr na mão, ele veria as coisas até o fim.
Parte 21
Segurando Byrnhildr no nível de sua cintura, Basara assumiu sua postura mais notável, preparando-se para desencadear o Banishing Shift.  
"...Você continua sendo fútil, Basara", Shiba riu da tentativa de Basara de mostrar que ele ainda tinha alguma força, abrindo os braços. “Agora tenho o poder de controlar todos os cinco elementos, o poder do Ki com o Kegare como base funcional, e também possuo o Ars Deicidium. Mesmo se você puder usar o Banishing Shift contra uma das minhas habilidades, não poderá se defender de todas elas.
Além disso-
“Mesmo que você já tenha eliminado o Ki ao redor mais cedo, eu também me reabasteci absorvendo seu Ki enquanto você estava preso dentro de mim. Ainda tenho uma reserva que é mais do que suficiente para levá-lo ao seu destino.
"…Você acha mesmo?" Basara disse, sorrindo enquanto ele o refutava. “Tudo neste mundo possui alguma forma de Ki - em outras palavras, todos os seus ataques agora são compostos por esse assunto específico. É tudo parte integrante com você agora.
"E do jeito que sou agora ... posso simplesmente ver as duas entidades separadas como um alvo único e eliminá-las simultaneamente", disse Basara. “E dado o fato mencionado, significa que...
Já estou exposto ao Ki - não preciso esperar que você ataque para contra-atacar. Do jeito que você é agora, eu posso simplesmente desencadear o Banishing Shift à vontade."
Shiba se tornou o único alvo - a única pessoa - em que Basara pode usar o Banishing Shift, sem qualquer limitação.
"…Entendo. Isso faz algum sentido, sim." Shiba disse, concordando com uma parte do que havia dito. “No entanto, o fluxo de Ki é variado e pode mudar quase invariavelmente... você seria capaz de ver através da origem específica de Ki necessária para contra-atacá-lo? E mesmo assim..." Seu olhar se voltou para Mio e Yuki ao lado dele. “As duas garotas ao seu lado não podem intervir para garantir que nenhum fator estranho atrapalhe sua execução. Duvido que alguém que esteja lutando para ficar de pé agora possa conseguir algo assim."
"Você não podia... possivelmente entender." Basara disse claramente, seu sorriso inabalável.
“Elas não precisam lutar ao meu lado para me apoiar. Elas podem me fornecer força apenas por estar lá comigo. ”

Isso mesmo, pensou Basara. Eu não estou sozinho.
E muitos outros estavam com ele.
Basara podia sentir suas presenças - e suas forças, coisas que não eram produtos do contrato de mestre-servo ou do voto de mestre-servo.
Eles eram produtos de seus pensamentos e emoções se acumulando com o passar dos dias - eram produtos dos laços que compartilhavam.
“—————” “—————”
E Mio e Yuki não negaram o que Basara havia dito; seus olhos tranquilos estavam cheios de força e uma fé inabalável de que Basara seria capaz de derrotar Shiba.
E Basara precisava recompensá-las acreditando nele - ele então elevou seus sentidos ao máximo, concentrando-se da melhor maneira possível.
Parte 22
Quando Basara começou a se concentrar, Shiba também assumiu uma postura ofensiva, preparando-se para atacar.
Ele então acelerou sua mente, preparando seu próximo passo que finalmente o colocaria no caminho da vitória.
Quando Basara começou a se concentrar, Shiba também assumiu uma postura ofensiva, preparando-se para atacar.
- Basara acabou de dizer que não precisava mais usar o Banishing Shift como contra-ataque.
Mas se ele não o lançou com base nas reações de Shiba, era muito improvável que ele fosse capaz de eliminar seu alvo. Como o Banishing Shift exigia a técnica para eliminar a origem de seu alvo, Shiba podia simplesmente alterar as propriedades de seus ataques quando expostos ao Banishing Shift e, portanto, a base de suas origens.
Um Banishing Shift incompleto só seria capaz de eliminar apenas uma forma de matéria dos Cinco Elementos ou do Kegare; Shiba seria capaz de simplesmente usar outra questão irrestrita contra Basara e recolocá-lo em seu corpo mais uma vez.
Dito isto, Basara não iria esperar Shiba atacar antes de ativar o Banishing Shift.
…O que ele está planejando fazer, então…?
Depois de adivinhar o próximo passo de seu oponente, Shiba reconsiderou sua opção mais apropriada para o próximo confronto.
Ao contrário de Basara, Shiba tinha várias opções para sua próxima jogada. Ele tinha o Ars Deicidium e o Ki que vieram com ele; ele poderia usar ataques de elementos da Terra com o poder que herdara dos Kouryuu; e ele poderia simplesmente fingir com ataques normais.
Em contraste, Basara não tinha espaço para blefes ou simulações; a tensão de qualquer ataque que ele tentasse usar contra ele afetaria a especificidade que Basara exigia para lançar o Banishing Shift efetivamente.
Mesmo assim, Basara não tinha como adivinhar com precisão qual ataque Shiba deveria usar primeiro, e os ataques normais do primeiro não podiam ir contra os ataques Ki de Shiba ou utilizar qualquer um dos Cinco Elementos.  
Com a vida de Mio e suas outras garotas, Tóquio, o Vaticano, o Clã dos Heróis, o mundo inteiro - tudo e todos em jogo nesta batalha, Basara não podia se dar ao luxo de perder, e ele definitivamente não confiaria no acaso - o caminho que ele havia planejado contra a possibilidade de ser absorvido por Shiba, sendo um bom indicador de sua posição atual na batalha.
De certa forma, pode-se dizer que Basara funcionou melhor quando ele estava reagindo a uma situação, não iniciando-a - o melhor e mais fácil curso de ação de Shiba seria simplesmente ficar parado e deixar Basara se exaurir depois que atingisse seus limites, forçando-o apertar o gatilho quando ele não aguentasse mais.
Esse era o principal, senão o único fator, que Shiba precisava levar em consideração.
E se Basara fizesse o primeiro movimento nessa situação ...
Ele não tentou nenhum truque e apenas diminuiu a distância imediatamente, liberando a Extinction Sword à queima-roupa - algo que nem Shiba seria capaz de suportar se o atingisse diretamente, forçando-o a desviar ou bloquear o ataque. E era bem possível que ele pudesse simplesmente mudar sua postura no meio dela e liberar Banishing Shift.
No entanto, Shiba poderia simplesmente evitar o ataque e esgotar Basara depois da troca, então ele não achou essa situação problemática.
Qual foi o pior cenário para Shiba se Basara fizesse o primeiro movimento, então?
Era se o Banishing Shift seria capaz de eliminar completamente o contra-ataque de Shiba ao entrar em contato com ela - como Basara havia ilustrado anteriormente, Ki estava presente em todas as coisas em um ciclo sem fim, e ele seria capaz de simplesmente desencadear o Banishing Shift sem se mover de sua posição, encerrando o confronto com uma série de eliminação do Ki de Shiba e ataques de cinco elementos com Banishing Shift e continuando com um segundo ataque.
Foi um resultado improvável - mas Shiba não estava disposto a negligenciar essa possibilidade.
E dado esse risco particular ...
Era o melhor curso de ação usar o Ars Deicidium e os Cinco Elementos para lançar dois ataques consecutivos contra ele - dessa maneira, ele sempre teria o poder para eliminar Basara, mesmo que seu Banishing Shift fosse um sucesso...
Quando Shiba terminou seus preparativos, Basara começou a fazer a sua jogada - ele rugiu quando decidiu se comprometer a realizar o primeiro ataque para derrotar Shiba.
"Heeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhh!"
Ele estava usando Banishing Shift - exatamente como Shiba esperava que ele usasse.
"Você é realmente muito honesto, não é..." Shiba riu baixinho, se chutando do chão - o movimento imediato e extremamente rápido eliminou qualquer vestígio de distância entre ele e seu oponente, antes de levantar os punhos para atacá-lo.
"Adeus, Basara."
Esse movimento finalmente decidirá as coisas de uma vez por todas.
Se o Banishing Shift não fosse totalmente lançada, ele simplesmente o terminaria com este segundo golpe.
Se o Banimento desintegrasse seu primeiro ataque, ele simplesmente usaria uma fonte de poder diferente para seu próximo golpe - ele usaria o Kegare que inflamava o abismo de seu corpo, a corrupção que tinha o poder de desintegrar qualquer coisa tocada.
"—————?"
No momento em que ele testemunhou o resultado do confronto, no entanto, Shiba ficou completamente imóvel.
Parte 23
Quando Basara desencadeou o Banishing Shift, o objetivo que ele havia estabelecido para eliminação não era o poder nos punhos de Shiba.
Como Ki estava ligado a todas as coisas da criação, Basara havia proposto que ele seria capaz de eliminar qualquer um dos ataques de Shiba, desde que ele visasse a origem correta.
A reação atual de Shiba confirmou a teoria de Basara - mas a taxa de sucesso de tal suposição deveria ser minúscula.
O que ele poderia ter feito, então, para garantir o sucesso da tentativa e derrotar Shiba no processo?
Ele havia adquirido algo que atendia aos dois requisitos do assunto que precisava destruir com o Banishing Shift - algo que estava oculto na escuridão sem fim do abismo que havia dentro de Shiba.
Após o lançamento do Kegare, a maldição em expansão se expandiria para alvos específicos, sendo os alvos a Vila, o Vaticano e além, e o material corrompido também era corrosivo à força vital de alguém e poderia causar danos graves quando usado como ataque.
Além dessas qualidades, porém, havia também outro componente crucial. Era a tábua de salvação da alma de Kegare - Reginlief.
Basara considerou o fato de que Shiba obviamente teria levado em conta essa possibilidade - o fato de Basara assumir que a alma de Reginlief era o ponto principal do poder de Shiba. Foi por isso que ele o escondeu em um lugar onde ninguém seria capaz de adquiri-lo - o abismo sem fundo do abismo dentro dele.
Basara havia perdido devido à sua incapacidade de acessar adequadamente as extensões da escuridão de Shiba durante sua primeira batalha, mas tal fato teria convencido Shiba de que Basara seria incapaz de destruir os Kegare dentro dele e, portanto, optou por absorvê-lo sabendo que ele estava seguro.
Mas isso também proporcionou a Basara uma oportunidade de ouro para encontrar e recuperar a alma de Reginlief enquanto ele estava preso dentro.
Basara não se acostumou a ver através da escuridão do abismo enquanto estava preso dentro de Shiba. Embora a adaptação às trevas permitisse que os olhos ficassem mais sensíveis a uma fonte de luz depois de estar em longos períodos de escuridão, ela não funcionaria em um mundo de trevas sem o menor traço de luz, onde não importava quanto tempo ficaria preso.
Havia outras maneiras que Basara poderia usar para ver através da escuridão do abismo, no entanto. Enquanto houvesse uma fonte de luz, qualquer escuridão, por mais profunda que fosse, ainda poderia ser navegada.
Ele considerou o fato de que Shiba seria cauteloso com ele, se tentasse roubar a alma de Reginlief e fazer os ajustes adequados, no entanto, e assim ele esperou por sua única oportunidade.
"Não me diga que... você usou a onda de gravidade que costumava escapar para...!"
Antes de Basara chegar ao local da batalha, Basara utilizou o Banishing Shift para aliviar Takashi dos Kegare que o haviam corrompido - e isso porque Basara também tinha a capacidade de usar a penetração.
Tendo aplicado a penetração naquela situação exata - que, em contraste com a fácil especificidade de curar Takashi, era muito mais delicada devido à falta de precisão devido ao ambiente sombrio - Basara conseguiu encontrar e eliminar a alma de Reginlief sem afetar o corpo ou a mente de Shiba. .
Mesmo que não pudesse ter eliminado completamente a alma de Reginlief, agora demoraria um tempo substancial para Shiba recuperar o que havia perdido: Shiba não podia mais produzir uma quantidade infinita de Ki como ele costumava fazer.
Basara deve seu sucesso aos longos anos de experiência que ele teve - assim como aos votos de mestre-servo que fez com Mio e as outras garotas.
- Basara sabia que uma vez ele deixara seus poderes perderem o controle e causarem tragédia na Vila; a energia de Banishing Shift deveria ter sido liberada quando ele tinha pelo menos alguma forma de controle, mas tendo sua mente levada ao seu limite naquela época, ele havia liberado toda a energia que possuía e causado o que continuava a assombrá-lo até hoje. .
A partir de agora, no entanto, Basara agora poderia fazer o oposto de Shiba - ele não apenas estaria limitando a energia do Banishing Shift, mas também poderia limitar o ataque a implodir apenas no alvo específico para o qual foi designado.
Era um nível de poder que Basara não poderia ter conseguido por si mesmo - um milagre nascido de sua falta de vontade de perder aquelas que amava e dos laços insubstituíveis que tinha feito com elas.
E Basara estava prestes a usar esse poder para derrotar Shiba Kyouichi, finalmente.
"Wooooooooooooooooooooooooooooooooooaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhh!"
Basara então desencadeou à força Turno de Banimento: Gêmeos - agora sendo capaz de desintegrar qualquer alvo, independentemente de sua origem - quando a técnica de lâmina foi lançada voando diretamente em direção ao inimigo; apesar da imprudência de seu atual ataque, o ataque seria mais do que suficiente para derrotar Shiba neste momento.
"-Acho que não." Antes que o ataque pudesse tocar Shiba, no entanto, ele de repente desapareceu de vista.
“——————!”
Basara imediatamente se virou para ver que seu alvo estava agora no céu - ele agora estava combinando o poder dos Cinco Elementos e as enormes quantidades de Ki que ele acumulou em um único ponto em torno de suas mãos levantadas. Os respectivos assuntos se condensaram para formar uma lâmina vermelhão quando ele a elevou.
"Uma pena, não é, Basara ..." Shiba sorriu, derrubando a lâmina divina que ele havia feito condensando seu Ki.
Era a forma final do Ars Deicidium - a lâmina de Totsuka.
Operou em um conceito que lhe permitiu atravessar qualquer coisa que estivesse em seu caminho, e não havia defesa além de evitar sua área de efeito.
Mas Shiba privou Basara dessa opção - um golpe de sua lâmina cortaria Yuki e Mio, mesmo que Basara fosse capaz de evitar o ataque, poupando nem a carne nem as almas. E Basara não teve forças para levar as duas a tempo.
Ele só tinha Banishing Shift como seu contra-ataque - mas ele precisava de concentração absoluta para que ele funcionasse contra sua mais nova arma. Talvez seus votos com Mio e as outras lhe permitissem utilizá-lo consecutivamente ou drasticamente, aumentar seu poder para derrubar o que estava em seu caminho em um único ataque - mas mesmo assim, tinha que haver um limite para o que ele poderia fazer.
Ao contrário, Shiba estava livre para usar a Totsuka Blade para atacar o quanto quisesse sem limite, com cada golpe e cada golpe da lâmina liberando seu conceito de Gravity Slash.
Mesmo que Banishing Shift fosse uma técnica que permitisse ao usuário escapar de sua situação específica e mudar a maré da batalha, a Totsuka Blade de Shiba era a arma definitiva que ele usaria para decidir imediatamente o resultado da batalha.
Em outras palavras, Shiba havia garantido sua vitória no momento em que manifestou a lâmina de Totsuka.
…E agora…
Liberando o poder do conceito que ameaçava interromper qualquer coisa, Shiba considerou com cuidado e calma o futuro desenvolvimento da batalha.
Ele não estava mais interessado em absorver Basara; A morte de Basara marcaria o fim dos votos de servo-mestre, e as meninas restantes - Maria, Kurumi e Zest - poderiam ser impedidas.
As esferas mágicas de Takigawa com o poder de imitar o espaço universal ainda podiam ser cortadas com a Lâmina Totsuka, e ele continuaria cortando o resto do grupo que agora estava espalhado para manter a barreira do Selo de Salomão: ele começaria com Leohart e Loki, e suas tropas restantes, assim como Takashi e Celis, não seriam páreo, mesmo que o atacassem simultaneamente.
Banishing Shift anterior de Basara não havia custado a Shiba nenhuma pequena perda de seu Kegare: seu atual revés seria inadequado para destruir o Vaticano depois que terminasse no japão.
Por outro lado, os Kegare e uma parte da Alma de Reginlief ainda permaneciam em Shiba; depois de resolver as coisas com Basara e os outros, ele teria todo o tempo que precisaria.
Ele reconstruiria sua barreira com os Quatro Deuses e Kouryuu se manifestaria novamente: do jeito que Shiba era agora, ele poderia simplesmente descansar a construção da barreira lembrando os Quatro Deuses e refazer uma nova barreira, permitindo que ele manifestasse Kouryuu novamente sem nenhuma dificuldade. . E embora Mio tenha mencionado que Takashi estava agora no controle do Byakko, ele poderia simplesmente substituí-lo por Georgius.
Tendo decidido que esse seria o seu futuro, de repente ele sentiu uma onda enorme de Ki vindo do espaço à sua frente.
“——————!”
No espectro oposto da lâmina de Totsuka, ele estava empunhando, onde a lâmina de Shiba estava liberando um fluxo de energia ameaçado de destruir qualquer conceito - era possível sentir uma sensação extremamente desconcertante de intenção calosa e arrepiante.
A intenção de matar libertada surpreendeu até Shiba - e sua fonte estava bem na frente dele.
Parte 24
“——————”
Os olhos de Basara estavam fechados quando ele silenciosamente assumiu a postura necessária para desencadear o Banishing Shift, pronto para enfrentar o ataque conceitual da Lâmina Totsuka de Shiba.
Banishing Shift: Dois que ele havia desencadeado à força, mas aparentemente evitado por Shiba, mantinham seu imenso poder - Basara havia economizado a energia necessária para o ataque.
Se Shiba cedeu depois de perder o poder da alma de Reginlief, o ataque teria sido suficiente para derrotá-lo.
Shiba não havia cessado suas ambições, nem uma vez. Ele não apenas tentara matar Basara, mas também tentara matar Mio e Yuki.
Ele não estava satisfeito com uma única tentativa - tentara tirar o que Basara amava várias vezes.
Para isso, Shiba era imperdoável.
Basara não permitiria que ninguém tentasse tirar o que era precioso para ele.
Seus olhos se arregalaram.
“WOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHH!”
Rugindo no topo de seus pulmões, Basara balançou Byrnhildr em direção a seu inimigo.
Basara desencadeou a penetração quando ele causou a energia exterminadora do Banishing Shift implodir ao ser lançada durante seu ataque anterior.
Seu ataque atual foi exatamente o oposto - ele liberou toda a extensão da energia exterminadora que acumulara naquele único ataque.
Foi um ataque que possuía um nível de poder totalmente diferente em comparação com a Espada de Extinção - era Banishing Shift: Annihilation, o fluxo final de energia exterminadora desencadeada em um oponente.
“———————————————————”
Os dois ataques conceituais colidiram no momento seguinte - foi um choque entre um conceito que poderia romper qualquer coisa e um conceito que poderia eliminar qualquer coisa.
O conflito não terminou igualmente, no entanto - a colisão entre os dois ataques não resultou em ambas as técnicas poderosas exterminando a outra.
Isso porque Shiba pretendia atacar consecutivamente - Basara, por outro lado, havia apostado toda a força - toda a vontade - que ele tinha naquele único ataque.
A diferença na força deles era óbvia e o resultado foi claro - o Banishing Shift de Basara: A aniquilação engoliu o ataque cortante da lâmina de Totsuka.
O poder exterminador retornou tudo o que alcançou ao nada, lançando uma luz ofuscante quando o poder subiu ao céu.
Basara então se viu em um mundo de nada além de pura brancura.
Depois de usar toda a sua força, ele não teve mais dúvidas e ficou totalmente convencido do que havia feito. Afastando Brynhildr, ele lentamente se inclinou para frente -
“————————”
E ele foi recebido por um abraço amoroso de todos os lados.
Ele pôde sentir cinco respostas familiares ao seu redor enquanto se deleitava com a sensação agradável.
Ele então deu um suspiro de alívio, sabendo que tinha protegido com sucesso aqueles com quem tanto se importava.
Finalmente chegou ao fim.
Naquele momento, sua visão ficou embaçada, e seu corpo e consciência pareciam estar no limite.
Antes de desmaiar, porém, ele tinha uma coisa muito importante a dizer - não como chefe da família, mas como um membro da família que compartilhava seus sentimentos com aqueles que lhe eram queridos.
Foram palavras destinadas às meninas que juraram estar ao lado dele eternamente e ofereceram tudo o que tinham para ele.
"...Vamos para casa ."
--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit