Shinmai Maou no Testament | Vol 11 - Cap 1






CAPÍTULO 1: A ESTRELA DA ESPERANÇA NESTA TERRA


Faltava apenas uma hora para Kouryuu finalmente se manifestar completamente e emergir em sua forma completa.
E no cume da Torre de Tóquio não havia outro senão Shiba Kyouichi, supervisionando o processo ao lado.
Foi então que uma luz deslumbrante atravessou o céu dentro do espaço fechado; brilhava com o esplendor semelhante ao de uma enorme estrela cadente.
"Então, finalmente chegou." Shiba murmurou, sorrindo enquanto olhava para o céu, entendendo o que a aparência da luz significava. E no momento em que a luz subiu acima da Torre de Tóquio, ela se dividiu em cinco fragmentos.
Suas trajetórias dividiram o espaço da barreira em cinco seções iguais; depois disso, cada um dos fragmentos divididos começou a adquirir uma cor diferente.
Vermelho, branco, azul, amarelo e preto - as cores dos Cinco Elementos.
No entanto, as trajetórias das linhas que se separaram do meteoro e dividiram o espaço em que agora viajavam formaram uma forma diferente do espaço elementar existente de Shiba.
Não parecia se estabelecer no meio; em vez disso, dividiu-se igualmente em cinco, com a Torre de Tóquio como centro.
E no momento em que os fragmentos dispersos da estrela cadente colidiram com o chão, a luz de cinco cores individuais e acelerou através da terra e acelerou em direção a seus respectivos locais diagonais.
E no momento em que Shiba - que agora estava no ponto mais alto da Torre de Tóquio - viu o pentagrama maciço,
"O selo de Salomão, hein ... como esperado, esse é o jogo que eles estão jogando". Shiba proferiu, deduzindo o propósito do meteoro que os aproximara - era o plano que o grupo de Basara havia planejado.
“O grupo de cinco meninas de Basara assumirá cada elemento, respectivamente - há Naruse Mio, sua seguidora demônio, Maria, sua empregada, Zest, além das irmãs do clã dos heróis, Yuki e Kurumi. Suponho que essa é a essência disso?"
Foi Balflear, flutuando ao lado de Shiba, quem falou em seguida...
Selo de Salomão.
Era algo utilizado pelos famosos onmyoji * (exorcistas) na Era Heian do Japão - Seimeikikyo, como eles chamavam - e uma variação diferente da utilização dos cinco elementos como uma fundação que não compartilhava da mesma ênfase no rolamento. e direção como o que Shiba tinha em seu arsenal.
Foi algo que utilizou a filosofia yin-yang dos cinco elementos, enfatizando sua compatibilidade e incompatibilidade para maximizar seu poder.
Em contraste com o repertório de Shiba dos Quatro Deuses e Georgius, o grupo de Basara teve o grupo de cinco meninas de Mio, cada uma representando um dos Cinco Elementos, sendo Madeira, Fogo, Água, Metal e Terra.
“O objetivo deles é construir um novo espaço enorme feito do selo de Salomão, pelo que entendi ... O espaço da Afureia é para escondê-los de nós, enquanto essa nova barreira pretende aliviar o risco para o espaço normal externo quando liberamos nossa própria barreira e possivelmente deixar os Quatro Deuses ficarem fora de controle, não é?
Não era um plano ruim; talvez fosse melhor dizer que esse era o único plano deles .
Foi por isso que o plano que Basara e as outras decidiram seguir era um que Shiba já havia explicado.
Era de se esperar; Basara e as outras não tinham a mera intenção de simplesmente parar os objetivos de Shiba.
Eles precisavam proteger o mundo de Shiba, que pretendia arruinar o Clã dos Heróis.
O fracasso em proteger Tóquio e seus arredores não seria diferente de serem totalmente derrotados.
…Basara ainda não havia revelado nenhum sinal de sua presença por esse mesmo motivo.
Sendo incapaz de garantir a segurança da vizinhança externa, Basara certamente deduziu que encarar Shiba de frente seria um risco muito grave; não havia dúvida de que o próprio Basara havia ficado para trás no espaço especial que Afureia havia criado.
Era provável que Basara se revelasse novamente depois que Mio e as outras terminassem a construção do Selo de Salomão; no entanto, havia uma falha na estratégia que o grupo de Basara que havia planejado.
"Pretender sobrepor uma iteração existente e estabelecida dos Cinco Elementos com outra ... um ato de imitação imprudente sem uma quantidade considerável de força seria impossível."
Como Balflear apontou, Shiba respondeu:
"Bem, não é como se as circunstâncias em questão permitissem a conveniência de Basara e as outras de conceber uma solução mais eficaz ... considerando o escopo de nosso poder e a barreira de cinco elementos que temos, de qualquer maneira".
E sabendo que
"Eu posso vê-lo neste exato momento, ainda no espaço dimensional imaginário de Afureia, fazendo os preparativos para aumentar suas chances de vitória, ainda que poucas, mesmo agora ..."
Shiba podia sentir tudo, mesmo do alcance de sua vizinhança isolada.
A aura liberada por Mio e as outras, agora espalhadas por todo o país, havia aumentado aos 'trancos e barrancos' desde a batalha contra os Quatro Deuses.
Certamente a escala de seu desenvolvimento não poderia ser descrita como simplesmente mudando as pessoas; não, foi um crescimento em um nível completamente diferente.
Ele só podia imaginar o que o grupo de meninas de Basara havia feito para obter esse poder recém-descoberto.
- Assim como o que Basara estava disposto a desistir, até que ponto ele estava disposto a sacrificar por elas.
E enquanto ele considerava louváveis ​​os esforços de Basara e seu grupo -
"No entanto ... eu também subi para um novo nível de poder." Shiba sorriu enquanto olhava para Kouryuu acima dele, quase completando sua manifestação; foi então que Kouryuu iria transformar e assumir sua segunda e última forma como o dragão divino.
Além disso, Kouryuu não era a única coisa que se tornara mais forte.
Shiba, agora sincronizado com Kouryuu, havia acumulado quase uma quantidade infinita de Ki em virtude da compatibilidade dos cinco elementos dentro dele; seu aumento de poder excedia em muito o do grupo de Mio, mesmo que este tivesse derrotado com sucesso os Quatro Deuses, que agora se manifestavam em suas formas sagradas de tesouro.
"Vocês não são os únicos que conseguiram ganhar seu próprio tempo e obter uma força nova para si mesmos." Shiba murmurou, enquanto supervisionava o chão embaixo dele. Sua mente vagou para o pensamento do Santo Rei do Vaticano, que tinha pensado tolamente que ele tinha Shiba sob seu controle.
"Se você não consegue manter isso em mente ... reze para não seguir o mesmo caminho que o velho tolo Albareos."
Parte 2
Basara e as outras planejaram construir sua barreira mágica a partir do Selo de Salomão, instilando seus respectivos elementos na terra e deixando-os se enraizar.
Em meio a tal ocorrência, uma certa jovem, agora representativa do elemento Metal, desceu sobre o rio Edo, no leste.
Não era outra senão Nonaka Yuki, a espada espiritual Sakuya em sua mão.
"......"
O primeiro curso de ação de Yuki foi examinar a área circundante em busca de adversários.
Muito parecido com o caso em que ela derrotou o Seiryuu manifestado, parecia não haver sinal de inimigo na margem do rio.
Yuki não conseguiu impulsionar o poder mágico do Elemento Madeira imediatamente; era necessário que ela fizesse outra coisa de antemão.
Para dissipar a barreira de cinco elementos de Shiba, elas precisavam suprimir os tesouros sagrados que eram a fonte do poder que a mantinha; Yuki, assumindo o Elemento Metal, havia chegado para suprimir a espada espiritual Seiryuu, possuindo o elemento Madeira, situado no leste.
Não seria suficiente para eles simplesmente sobrepor sua barreira à que Shiba havia construído.
Em virtude do voto de servo-mestre, o grupo havia aumentado seu poder de uma maneira tão incomparável que eles nunca pensaram ser possível; embora Yuki tivesse derrotado Seiryuu por pouco em seu estado manifesto em sua luta anterior, agora era possível que Yuki pudesse vencê-lo em seu estado atual.
No entanto, mesmo com o novo poder que Yuki e as outras alcançaram, não havia como negar que a posse contínua de Shiba da compatibilidade de cinco elementos apenas significava que seu poder continuaria a crescer; se não o suprimissem, a barreira feita a partir do Selo de Salomão entraria em colapso se Shiba permitisse que os Quatro Deuses corressem soltos.
Yuki imediatamente descobriu Seiryuu em sua forma de animal sagrado na primeira vez em que chegou aqui neste distrito oriental e, posteriormente, lutou contra ele.
Como tal, Yuki agora se deslocava para o oeste, atualmente em busca do membro dos Quatro Deuses que ela deveria derrotar - Seiryuu - longe do rio Edo, o que dava uma vantagem posicional à arma.
Durante a reunião de estratégia que ocorreu antes do grupo deixar o espaço fechado de Hasegawa, eles descobriram que Kurumi e Zest haviam se defrontado com dois tesouros sagrados - a espada sagrada, Suzaku e o bastão sagrado, Genbu, respectivamente - e lutaram contra o manifesto bestas sagradas antes que pudessem identificar a localização real das armas. Somente a localização de Byakko, que Basara fora forçada a render a Balflear, era conhecida; estava situado em um dos campos de beisebol do Kinuta Park, substituindo a cópia de Byakko que Shiba e Balflear haviam usado inicialmente, Georgius.
E de acordo com Basara….
A saída que levava ao distrito ocidental estava ligada ao parque Kinuta, onde ficava a cópia de Byakko.
Considerando a necessidade do equilíbrio entre os cinco elementos, os outros membros dos Quatro Deuses espalhados por seus respectivos distritos devem estar situados próximos ao espaço dessa saída.
Que significa….
Seiryuu estava perto de Yuki.
O distrito oriental, no entanto, estava emitindo os sinais de energia decorrentes do Elemento Madeira de Seiryuu; além disso, parecia que Shiba e seu grupo tinham mexido um pouco com as coisas ... ou talvez não fosse apenas a barreira de cinco elementos que ele construiu que alimentava o poder de Kouryuu se manifestar, mas os Quatro Deuses e o próprio Shiba , o que resultou em Yuki não conseguir identificar a localização real de Seiryuu.
Ela não estava desamparada neste caso, no entanto.
"Sakuya ... me guie." Chamando sua espada espiritual, ela implorou para encontrar a localização de Seiryuu; Sakuya deve ser capaz de detectar as ondas de Seiryuu, sendo ambas as armas do elemento Madeira.
“—————”
Um momento se passou antes que Sakuya direcionasse Yuki para o sudoeste - um trecho da Groenlândia na junção entre o rio Edo e o antigo rio Edo.
O local era conhecido como Shinozaki Town, situado perto do portão de inundação Shinozaki.
“—————”
Quando Yuki se virou na direção que Sakuya havia lhe dado, ela podia ver algo familiar no topo de um dos troncos das muitas árvores que formavam a floresta situada na extremidade do espaço triangular da Groenlândia; era a espada do espírito azul, quando ela estreitou os olhos ao avistá-la.
Do ângulo em que Yuki estava, estava localizado na margem oposta do rio Edo Velho; um rio com largura mínima de cem metros, mesmo nas porções mais estreitas.
Normalmente, é preciso fazer um desvio ocidental em direção ao portão de inundação, enquanto os corajosos podem superar o rio nadando através dele.
Yuki agora podia correr ao longo da superfície da água em seu estado atual.
“—————!”
Yuki cortou Sakuya verticalmente para baixo, em direção à superfície do rio.
Quando a lâmina cintilou com o movimento, apenas cortou o ar; no entanto, com o movimento cortante, veio um riacho com pétalas de sakura que formavam um caminho ao longo da superfície do rio Edo antigo.
Yuki agora podia trilhar o caminho das pétalas de sakura através do rio Edo antigo.
E naquele momento—
“—————”
Houve um relincho estridente, antes de um tornado repentino que provocou uma tempestade de folhas que a atacaram horizontalmente.
“————…!”
Yuki rapidamente pulou para trás para evitar o ataque, e então a nevasca de folhas continuou em direção a onde Yuki estava, soprando o caminho das pétalas de sakura que a levariam a Seiryuu.
Aterrissando na margem do rio, ela rapidamente se virou na direção de onde a tempestade rodopiante de folhas tinha vindo.
“…………”
Ao qual ela podia ver um animal silencioso de cor azul agora estava no seu caminho rio acima, flutuando sobre a água.
Era muito menor do que o tamanho manifestado de Seiryuu, apenas comparável ao de um cavalo 'bem-educado'.
A aura lançada não era tão comparável quanto a de Seiryuu; pode-se dizer que a força que liberava era ainda maior do que a de Kouryuu quando disparou seu ataque elementar contra eles quando Yuki chegou ao distrito central para ajudar Basara em sua batalha contra Shiba.

Nonaka Yuki aprofundou sua expressão, sabendo o que exatamente era aquela criatura diante dela.
"Um Qilin azul ... se bem me lembro, é ..."
Foi chamado Shoko.
Além de Kouryuu, havia outra besta divina que governava o distrito central dos Cinco Elementos - o líder dos Quatro Deuses, Qilin.
Muito parecido com Kouryuu, que representava o Elemento Terra e foi designado para proteger a vizinhança central, Qilin possuía quatro outras existências individuais representando os outros quatro elementos à parte da Terra; Fogo, Água, Metal e Madeira.
Do Elemento Fogo, o vermelho é Enku.
Do Elemento Água, o preto é Kakutan.
Do elemento Metal, o branco é Sakumei.
E por último mas não menos importante-
O ser azul, representando Madeira, e o primeiro que chamou a atenção de Yuki - Shoko.
….Mas por que?
Kouryuu e Qilin deveriam ser um ser, liderando os Quatro Deuses.
Não era natural que Qilin aparecesse mesmo enquanto a manifestação do Kouryuu continuava a progredir.
Será que Kouryuu, agora se fortalecendo até o limite no distrito central, atualmente também possuía a capacidade secundária de convocar Qilin e seus quatro outros colegas elementares?
... Era a melhor e a pior explicação que ela conseguia pensar.
Shiba escolheu o distrito central para materializar Kouryuu porque Qilin era naturalmente dócil e não gostava de batalhas; Dito isto, no entanto, seria errado supor que os Qilin eram fracos.
Era exatamente o contrário, na verdade; não compartilharia o mesmo papel de ser o líder dos Quatro Deuses com Kouryuu.
Era uma besta sagrada que havia sido designada para proteger Shiba e Kouryuu - e agora Seiryuu.
E se Shoko tivesse vindo aqui ...
Yuki tinha certeza de que as outras formas de Qilin também apareceram e as outras também; além disso, seu poder já formidável só aumentaria se seus elementos fossem semelhantes aos dos Quatro Deuses, também membros dos Cinco Elementos, à medida que se espalhavam por cada distrito individual.
Agora Qilin enfrentaria o grupo de meninas, que haviam cumprido o voto de mestre-servo com Basara e possuíam a vantagem da incompatibilidade entre seus elementos.

“………….”
Yuki silenciosamente comparou sua própria força com a de Shoko.
A força deles parecia ser uniforme - ainda que ligeiramente desvantajosa no final de Yuki. Mesmo então—
“Não que eu me importe. Não é como se eu esperasse que todo esse processo funcionasse sem problemas desde o início, de qualquer maneira. ”
Com a declaração assustadora de Yuki, ela empunhava sua espada espiritual Sakuya firmemente na mão, dando um passo à frente.
Os Qilin eram animais tranquilos que não desfrutavam de conflitos.
Era provável que ela não fosse atacada enquanto mantivesse distância.
Por outro lado, Qilin também não se moveria.
Não se moveria como ela se moveu como Seiryuu em sua batalha anterior, impedindo-a de mudar o campo de batalha.
Dito isto, a Shoko continuaria aumentando o poder do seu elemento madeira através da sinergia do uso da água do rio Edo.
Não houve tempo para hesitar.
Não houve um momento a perder antes que Kouryuu se desenvolvesse completamente em sua verdadeira forma.
E assim
“Não fique no caminho. Nem na nossa, nem na de Basara!
Com um grito, Nonaka Yuki avançou enquanto desembainhou Sakuya, aproximando-se do inimigo que estava no seu caminho - Shoko.
Parte 3
Como Yuki presumiu, o outro Qilin apareceu diante das outras garotas.
Mio estava contra o branco sendo Sakumei no oeste; Kurumi contra o vermelho sendo Enku no sul; e então havia o preto sendo Kakutan, lutando contra Zest no norte.
Os Qilin chegaram para atrapalhar sua tentativa de construir o Selo de Salomão.
No entanto, uma das meninas foi poupada do surgimento repentino do Qilin.
Foi Maria, representante do elemento Madeira, que foi para o nordeste, entre o norte representando água e o leste representando Metal, para desempenhar seu papel na construção do Selo de Salomão.
A barreira quíntupla da Shiba utilizava rolamentos como base para sua construção.
Como tal, Shiba não pôde convocar Qilin, representando o elemento Terra, para atacá-los, pois estava ligado ao distrito central.
Como tal, essa área era diferente das demais, pois não havia nenhum membro dos Quatro Deuses que eles precisassem incapacitar antes de construir sua barreira - era para ser o distrito menos oneroso para assumir.
Contudo-
"......!"
Naruse Maria enfrentou uma situação tão ruim, senão pior, que a das outras meninas em seus respectivos distritos.
O local em que ela desceu com a intenção de derramar seu poder mágico em sua superfície estava situado a noroeste de Tóquio, onde um pedaço generoso de verde e azul se espalhava por suas vizinhanças - o parque metropolitano Shakujii.
O espaço em que Maria estava agora, sem vestígios dos Qilin ou dos Quatro Deuses, estava prestes a se tornar um campo de batalha cruel; se alguém se perguntava por que, era porque onde estava o Demônio de alto escalão que Maria já havia lutado no mesmo parque uma vez no passado havia aparecido novamente.
"A compatibilidade com cinco elementos do Selo de Salomão é alcançada com o Elemento Madeira como centro, não é?"
A voz de Balflear veio de todas as direções - era difícil para ela identificar sua localização exata e, mesmo assim, não era simplesmente porque ele usara sua mágica de invisibilidade.
Ela estava agora cercada por uma quantidade incontável de inimigos - a Legião Demoníaca, demônios de alto escalão contratados para Balflear, e dos quais Balflear havia convocado durante a batalha anterior no parque Shakujii. A força individual de cada Legião não era particularmente ameaçadora como durante sua primeira luta, e Maria foi capaz de lidar com eles como resultado. No entanto, a Legião à sua frente agora possuía velocidade, força e outras habilidades básicas de combate significativamente aprimoradas, e eram capazes de trabalhar juntos, se necessário.
Isso excluía o fato de Balflear assumir o importante papel de enviar Georgius - então a cópia de Byakko - para Shiba naquela época.
Será que ele estava se segurando durante a primeira batalha? Maria pensou.
"Desde que eu me livre de você, seu plano estará arruinado!" Balflear soltou uma risada irônica e depois ...
“—————” “—————” “—————” “—————” “—————”
A Legião investiu contra ela em números.

"Claro, você pode estar certo - diga isso apenas depois de ter me superado!" Maria repetiu a mesma manobra que usava antes para explodir o numeroso poder mágico que canalizava a Legião em seus punhos, socou o chão, produzindo ondas radiais de choque para afastá-los.
O selo de Salomão só poderia ser construído depois que todos os cinco elementos tivessem sido instilados na terra; Maria se preparou simultaneamente para esse processo enquanto atacava o enxame de Legião.
Se ela continuasse a atacar dessa maneira, seria problemático porque a Legião simplesmente atacaria de cima se Maria afundasse o chão embaixo dela com seus ataques repetidos. O terreno do parque tinha cada vez menos espaço através dos buracos que ela havia feito acima e abaixo, e seria difícil para ela evitá-los.
Como tal, Maria nunca ficou em um lugar, movendo-se continuamente enquanto continuava esmagando a terra; essa força de esmagamento consecutiva deixou o chão do parque cheio de crateras enormes, como se sua superfície fosse dizimada por uma chuva de meteoros.
Maria não guardava rancor contra o Parque Shakujii; ela não gostou exatamente do ato de destruir o local de recreação, mas a totalidade de Tóquio estava sob grave perigo no momento. O parque retornaria ao seu estado não danificado anterior depois que a barreira fosse dissipada, afinal.
E assim Maria continuou sua investida contra a Legião, enquanto dirigia a energia mágica necessária para a construção do Selo de Salomão no chão; ela parecia ter sucesso até agora.
... No entanto, ela não conseguiu mostrar nem a menor abertura.
Ainda havia muita coisa desconhecida sobre a Legião demoníaca; havia também o fato de que derrotar a Legião por si só não permitiria que ela colocasse o Elemento Madeira neste distrito do noroeste livremente - ela precisava derrotar Balflear, que estava no controle da própria Legião.
E assim, no Parque Kinuta, Maria permaneceu preocupada com a horda implacável e incessante da Legião, sendo incapaz de lutar diretamente contra Balflear.
Seu oponente era um demônio de alto escalão com o poder de fazer contratos com outros seres demoníacos por conta própria; ele era sem dúvida o seu adversário mais difícil até agora. Dito isto, mais do que suas tarefas simultâneas de instilar seu poder elementar e afastar a Legião, sua atenção estava concentrada em detectar qualquer sinal de Balflear, sem dúvida esperando nas asas por um momento para atingir Maria.
A Legião era uma faca de dois gumes; por mais que protegesse Balflear, cobrindo a vista ao redor e dificultando a detecção de Maria, Balflear também sabia que o tamanho maciço da Legião também significava que eram paredes ao redor da própria Maria, dificultando sua saída. na ofensiva também.
Além disso, as ondas de choque que Maria enviou repetidamente em direção a seus arredores significavam que seria ainda mais difícil para Balflear se aproximar.
E embora suas ondas de choque, poderosas o suficiente para afastar a Legião, significassem que a quantidade de energia que ela instilou na Terra era menor que o normal devido à forma como o processo foi mais distribuído -
Maria já havia usado os punhos para dirigir o poder do Elemento Terra para o chão quase cem vezes; a quantidade poderia compensar a qualidade e, se ela continuasse assim, levaria apenas alguns minutos para instilar a energia elementar necessária para construir o Selo de Salomão.
Balflear definitivamente agiria antes que isso acontecesse. E deveria acontecer ...
Ela desbloquearia o selo de seus poderes com a Chave Mágica, se as circunstâncias considerassem necessário.
E, nesse ponto, bastava um único soco para fornecer a energia necessária ao selo de Salomão.
A chave para esta batalha foi a oportunidade.
“……………… ..”
Era o ponto mais crucial - e, como Maria nervosamente continuava a dar socos após socos em direção ao chão, a energia dentro dele se aproximava da capacidade necessária -
“……………… !?”
Uma ocorrência repentina fez Maria respirar; de repente um círculo mágico apareceu no chão antes que ela pudesse continuar a socá-lo.
…Droga!
Era provável que este não fosse um círculo mágico comum; ela não mordeu a isca dando um soco.
Mas ela também não conseguia parar - a Legião não iria parar tão cedo.
Ao mesmo tempo, Maria também não podia ficar no ar; expor-se sem cobertura no ar contra Balflear provavelmente resultaria em morte, dado o acesso deste à invisibilidade.
Ela também não teve tempo suficiente para soltar seu trunfo - liberando o selo com a Chave Mágica.
Se for esse o caso…!
"HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!"
Com um grito resoluto, Maria abriu os punhos, agora imbuídos da marca carmesim da magia gravitacional.
Durante a troca do voto de servo-mestre com Basara, ela chegou à conclusão da identidade de seu pai biológico.
O poder que ela estava liberando agora pertencia a ele - a Wilbert.
Ela restringiu esse poder liberado a apenas metade de seu valor total; liberar totalmente esse poder resultaria em desmaio e tontura, mas 50% desse poder era mais do que suficiente para a tarefa em questão.
Mesmo que o círculo mágico à sua frente fosse uma armadilha reativa, era possível suprimir com uma força gravitacional de uma direção perpendicular.
Maria balançou o punho direito, vestida pela onda de energia carmesim, em direção ao círculo mágico - e quando a explosão da onda gravitacional quebrou o círculo mágico à sua frente,
"-Bem-vinda."
No momento seguinte, porém, Maria pôde ouvir a voz de Balflear perto dela.
E ele estava no ar.
“————————!”
A onda gravitacional carmesim que Maria lançou começou a se espalhar pela terra naquele momento.
"Esse círculo mágico que eu lancei foi feito do poder de Reis - outro membro da Legião com quem eu contratei." Balflear estava agora ao lado de Maria, que agora estava chocada com a ocorrência repentina, no ar. "E esses dois círculos mágicos estão conectados a outra dimensão."
Balflear havia terminado seus preparativos para a formação de ataques naquele momento. Ele abriu a mão direita em direção a Maria enquanto a aura escura girava em torno dela; na palma da mão havia um enorme círculo mágico de dez camadas.
"Bons reflexos - mas não o suficiente ".
"!….Droga!"
Um punho enorme golpeou-a pelo lado, obscurecendo sua visão - Maria bateu vigorosamente as asas na tentativa de evitar o ataque, mas não havia para onde correr.
Ela só podia encarar isso de frente -

"Uivo, Loki."
Antes que o impacto pudesse ocorrer, no entanto, uma onda negra de choque veio de cima, após um murmúrio familiar e composto, devorando a horda gigantesca de Legião que se aproximava de Maria em um ataque; a força intensa do fluxo de magia do ataque não poupava vestígios da Legião que Balflear havia convocado.
E quando Maria se virou na direção da onde, a onda de choque tinha vindo -
"Mas você é-"
"... Mas por que você está aqui?"
Sua voz saiu mais ou menos na mesma hora que a pergunta de Balflear - e os dois combatentes olharam para o céu, onde estava um jovem solitário.
Era o jovem Lorde Demônio atual, com a espada mágica na mão - Leohart.
Parte 4
"Qual é o problema ... é uma surpresa que chegássemos a esse lugar pessoalmente?" O atual Lorde Demônio, Leohart, se dirigiu a Maria e Balflear, os quais ainda tinham que digerir completamente a situação.

Ele se dirigiu com "nós"; isso significava que ele não era o único que havia chegado aqui.
E, como se quisesse afirmar suas palavras, alguém mais se mostrou, sua entrada que parecia ter destruído o espaço vazio ao lado de Leohart.
Era o atual representante da facção atual do Lorde Demônio e da Facção Moderada, um certo jovem que foi encarregado de monitorar o crescimento de Toujou Basara.
Era Lars - mas ele atualmente não assumia sua forma demoníaca, assumindo a forma de um certo ser humano conhecido como Takigawa Yahiro.
"Cara, esse espaço é realmente outra coisa, não é... e também no mundo humano, então não seria exatamente fácil para Demônios como nós entrar à vontade em primeiro lugar."
Contudo-
“No entanto, estamos diante de você agora. Então, adivinhe por que o impossível se tornou possível, não é?" Lars disse.
"Entendo... Sheera-dono, é?" Balflear chegou imediatamente à conclusão de que era obra de uma certa pessoa, mencionando o nome dela.
"Minha mãe fez...?" Maria perguntou, ainda confusa.

"Está certo." Lars assentiu. “Existem outras maneiras de viajar entre o Reino dos Demônios e o mundo humano, além dos limites dimensionais. Sua mãe secretamente colocou um seguro em você.
Leohart então explicou o que era esse seguro.
“Sheera-dono, uma vez considerada a súcubos mais poderosa do Reino dos Demônios, usou seu poder para construir um túnel dimensional. Pelo bem do inevitável, Sheera-dono havia criado uma conecção diretamente conectado a ela, a sua filha."

"Por causa do isolamento dimensional mais alto desse espaço em comparação com o mundo humano e o Reino dos Demônios, no entanto, o link conectado a você se rompeu e as coordenadas de nossa saída acabaram ficando um pouco fora." Lars disse: "No final, porém, conseguimos entrar e a tempo, também, então tudo está bem quando acaba bem, eu acho".

"Será que... minha mãe antecipou que isso aconteceria após a batalha final entre a atual facção do Lorde Demônio e a facção Moderada?"
"Não. Sua mãe colocou o seguro em você antes de você vir para o Castelo Rendval para combater a atual Facção do Lorde Demônio, para que ela pudesse ir até você a qualquer momento. Leohart explicou a Maria, que continuava incrédula: “No entanto ... sua mãe teve muitas oportunidades para eliminar o vínculo. E com os 'Cardeais Pecados' não mais entre nós, poucos, senão ninguém, no Reino dos Demônios tem a capacidade de igualar Toujou Basara e seu grupo que nos derrotou, muito menos ir contra eles. ”
E ainda-
“Pelo contrário, se seu grupo estiver em perigo novamente, seus inimigos que ameaçam esse perigo seriam aqueles dos quais precisamos nos preparar com tudo o que temos também. Sheera-dono havia preservado o elo em preparação para isso. Foi uma decisão sábia. Eles não a comparam com Wilbert, famoso como o mais forte dos Lordes Demônios, sem razão."
"E, no entanto, você interferiu em nossos assuntos, apesar de pedir ao Clã dos Heróis que considerasse Basara e seu santuário de grupo... você fez uma escolha bastante impensada a esse respeito, não é?" Balflear, que permanecera em silêncio durante toda a explicação, de repente falou. “Você não acha que tomar uma decisão tão precipitada durante um período crucial em que as duas facções começaram a trabalhar juntas arriscaria o futuro pelo qual você e Liala-sama lutaram tanto?”
“Conte-me sobre isso. Você pensaria que ele realmente me ouviria pela primeira vez neste caso. O olhar de Lars voltou-se para Leohart, com um sorriso irônico no rosto ao dizer isso.
"É verdade que há um risco como esse, sim", Leohart não negou a possibilidade do que Balflear havia sugerido. “No entanto, Balflear ... não importa como você olhe, você ainda é meu subordinado - alguém que deveria estar sob meu comando. Se eu fechasse os olhos como mestre do seu envolvimento e como subordinado em tudo isso, seria uma boa desculpa para as forças rebeldes nos atacarem. Decidi resolver isso discretamente antes que as notícias se espalhassem.
"Então você veio para resolver o problema sozinho?"
“Um mestre é responsável pelas falhas de seus subordinados. Deixei o Reino dos Demônios aos cuidados dos Oito Generais. E mesmo assim—"
"Minha irmã também deseja que eu trabalhe junto com Ramusas-dono para manter a aliança entre as duas facções."
"Liala-sama...?" Balflear levantou uma sobrancelha.
"E você pensaria que ele realmente me ouviria pela primeira vez neste caso." Com um tom de resignação, Lars repetiu sua declaração anterior em cada palavra exata. Ele então se virou para Maria e a induziu: “Dito isto, Leohart vai manter esse cara ocupado. Em vez de ficar estupefata por aqui, é melhor se apressar e fazer algo sobre essa barreira."
"…Compreendo. Vou deixá-lo para vocês dois, então. Decidindo que confiaria neles, ela desceu à superfície da Terra e começou a canalizar o poder do elemento Terra necessário para construir o Selo de Salomão.
"Vamos ver ... acho que vou me sentar e assistir, então." Lars cruzou os braços atrás da cabeça, satisfeito por ter terminado o trabalho.
“Lars. Faça algo sobre isso." Leohart apontou para a cena que estava olhando.
Foi a visão do dragão dourado enrolado em volta da escarlate Torre de Tóquio.
“Ei, ei, não leve suas piadas longe demais. Não vou morder mais do que posso mastigar." Lars disse.
"- Lembre-se: seu relatório falou de outro inimigo preocupante."
Leohart estava ciente da existência do homem que eles chamavam de Shiba Kyouichi.
No entanto, as chances de vitória de Basara contra ele até agora eram pequenas, de acordo com o relatório de Lars.

Claro, não era um fato que foi decidido exclusivamente por sua força de combate; Basara sempre conseguira enfrentar muitas batalhas mortais contra muitos inimigos muito mais fortes que ele, inclusive o próprio Leohart. No entanto, mesmo que Basara tivesse vencido muitos outros na batalha, permaneceu o fato de que o próprio Lars havia estimado que as chances de Basara contra esse oponente em particular eram muito baixas - e Leohart nunca duvidou do julgamento de Lars, sabendo que ele era o segundo em determinar o gravidade de uma dada situação e, portanto, não poderia ser confundido com o que ele havia proposto em seu relatório.
“Seria muito difícil para Toujou Basara lutar contra alguém assim, mantendo isso em mente. Vá e dê uma mão a ele."
"Mais fácil falar do que fazer. Estou não indo para entreter aquele dragão tamanho deca-tudo por minha conta. Onde está sua preocupação com meus problemas, hein?"
“...Peço esse importante favor de você. Você deve saber que minha irmã mais velha está ocupada em continuar as negociações com a Facção Moderada agora."
Leohart falou sobre uma única verdade. E depois-
"Hmm? Ahh, sim, isso é realmente um saco, não há dúvida sobre isso..." Lars entendeu o que Leohart estava falando: "Mas se Toujou Basara e Naruse Mio se tornam perdedores por qualquer motivo, nossa aliança com a Facção Moderada é um brinde, não é? Todo o trabalho duro de sua irmã vai ser desperdiçado lá."

"E se minha irmã descobrir que esse cenário ocorreu como resultado de sua negligência ..." Houve uma pausa, antes que Leohart falasse novamente. "Eu me pergunto o que ela pensaria."

"O que ...! ... Droga, não é justo. Que tipo de ameaça é essa?"
Compreendendo o que as palavras de Leohart implicavam, Lars cuspiu alguma linguagem depreciativa para ele antes de desaparecer. Ele não estava fugindo - ele simplesmente foi realizar o que deveria fazer.
E agora era a vez de Leohart cumprir suas funções.
“Não pretendo perder muito tempo. Vamos resolver isso. Leohart disse, brandindo Loki.
"Você acha que pode virar a mesa simplesmente adicionando mais duas pessoas a essa luta?" Balflear riu com desdém.

"Pense antes de falar. Você não me ouviu antes? Um sorriso apareceu no rosto de Leohart quando ele se dirigiu ao seu antigo subordinado.
"Eu já me expliquei - posso confiar minha ausência no Reino dos Demônios aos Oito Generais."
Parte 5
Lars não foi o único que o atual Lorde Demônio Leohart trouxe com ele - ele também convidou seus oito generais dos demônio de confiança para se juntarem a ele.
Todos haviam chegado da luta do Reino dos Demônios ao lado de Toujou Basara e seu grupo como aliados.
Leohart e Balflear estavam agora cara a cara.
Um dos aliados mencionados já havia aparecido no sul, onde Nonaka Kurumi estava agora presa em uma batalha aérea.
A lâmina da espada espiritual Suzaku havia atravessado a usina termelétrica de Kawasaki.
A baía de Tóquio dentro do espaço da barreira havia sido lavada devido ao poder de Suzaku e Enku.
E, apesar de saber disso, Kurumi ainda resistiu, apesar da desvantagem contra o carmesim superaquecido Qilin, que ficava acima de Suzaku - Enku - com o céu aberto da baía de Tóquio como campo de batalha.
"...! Mas por que você está ... !? ” Kurumi exclamou surpresa, atualmente presa em uma batalha grave, onde ela não tinha a capacidade de atacar devido à sua incapacidade de utilizar suas habilidades de controle de água. Alguém subitamente forçou seu caminho para a batalha - um demônio que parecia tão imponente quanto uma rocha.
Era um dos Demônios de alto escalão que Basara havia enfrentado no Reino dos Demônios - o colossal Demônio que apareceu durante o cerco da sede da Facção Moderada, Castelo de Wildart, ao lado dos Espíritos Heroicos.
"Você não entende, jovem donzela do Clã dos Heróis - eu venho aqui não como seu inimigo." O gigantesco Demônio de alto escalão - Gald - murmurou em voz baixa, seu olhar fixo em Enku.
“—————”
O carmesim Qilin imediatamente deduziu Gald como inimigo - e reflexivamente lançou uma esfera maciça e flamejante para ele. O grupo esférico de chamas, semelhante ao de um pequeno sol, assumiu a forma de uma fênix antes de atacar Gald, queimando o ar circundante.
"Impressionante ... mesmo sem a convocação adequada, ainda é capaz de formar bestas tão poderosas das chamas."
"Espere, o que você é ...!"
Ela queria incitar o demônio a fugir quando ele simplesmente ficou ali avaliando o inimigo, mesmo quando a ave em chamas estava a centímetros de colidir com eles - mas então ela se lembrou de algo.
Lembrou-se do poder que Gald havia utilizado ao atacar o Castelo Wildart.
E ela testemunhou diante de seus olhos mais uma vez; Gald calmamente ergueu a mão direita quando a fênix flamejante colidiu com a palma da mão - e o impacto resultante não causou uma explosão, mas uma absorção.
A fênix que Enku lançou fora absorvida no corpo de Gald.
"—————?"

A repentina situação parecia ter incomodado Enku.
O corpo de Gald de repente dobrou de tamanho naquele momento - e com ele um par de asas enormes e uma cauda brotaram de seu corpo, seus braços fortes pulsando como se magma corresse em suas veias.
"Uma pena ... você pode ser um animal sagrado e, no entanto, tão poderoso quanto você é ..." O corpo de Gald rugiu com chamas diabólicas enquanto ele dizia isso: "Os ataques do elemento Fogo não me espalharão."
E depois-
"Ouça, jovem donzela do Clã dos Heróis... sou brevemente informado das circunstâncias, de acordo com o relatório de Lars."
"Lars..."
"…Como posso confiar em você?"
"Enquanto o pacto entre a Facção do Lorde Demônio e a Facção Moderada se mantiver, não temos motivos para sermos seus adversários." Gald respondeu a Kurumi, que agora estava atrás dele quando ele temporariamente se livrou de lutar contra Enku.
"No entanto, minha irmã e eu somos..."
A carta secreta de Takigawa não incluía os termos dos membros do Reino dos Demônios que eram considerados 'santuários'; além disso, seu ato de ajudá-los agora seria desfavorável para Gald e a atual facção do Lorde Demônio.
Mesmo assim-
"Não importa. Estou ciente de como você e sua irmã também deixaram o clã dos heróis através do relatório de Lars. Foi por isso que Leohart e Ramusas-dono decidiram considerar você e as outras, assim como fizeram Toujou Basara e Naruse Mio. A Vila e o Vaticano do seu clã já foram notificados no momento em que você entrou neste espaço.”
"Mas como... e tão rapidamente também..." Kurumi levantou a voz surpresa, evidentemente surpresa. "Não me diga que eles já se prepararam para isso desde o início...?"
Quando exatamente tudo havia sido arranjado para Kurumi e Yuki serem colocadas em santuário e para serem auxiliadas?
"Minhas desculpas, mas que é algo que não me preocupa ... simplesmente chegamos para dar nosso apoio contra o homem chamado Shiba e para impedir Balflear, que já serviu em nossas forças armadas."
" 'Nós'?" E no momento em que Kurumi perguntou, desconfiado de como Gald sempre sugerira que ele não tinha ido sozinho, um rugido conspícuo e maciço ecoou de longe.
"Isso é…"
Sabendo que os sons das batalhas através das outras regiões podiam ser ouvidas desde um momento atrás, Kurumi, mantido no alto da baía de Tóquio através de magia voadora, virou-se para a Torre de Tóquio que estava situada no centro.
Foi quando ela pôde vê-lo - antes que eles percebessem, gigantes de uma altura comparável à altura dos arranha-céus imponentes apareceram na área norte.
Parte 6

O que Kurumi viu a seguir não foi a enorme Legião que Balflear havia convocado.
Em outros lugares, Zest, responsável pelo Elemento Terra, estava agora lutando contra o Qilin preto, Kakutan, no distrito norte; no entanto, ela não estava lutando com os golens que convocaria de sua magia.
Embora seus golens não fossem desleixados em termos de velocidade, Kakutan era muito mais rápido que Genbu e, portanto, seus golens não seriam capazes de acertar um golpe sólido.
Como tal, Zest só conseguiu atacar com sua magia da Terra, e Kakutan, talvez percebendo suas intenções, manipulou o fluxo de água da água de Shakujii, que fluía para a região sul do terreno do JGSDF Camp Jyujou, a umidade do ar, e a água dos canos subterrâneos.
Cercou-se de poderosas paredes de água, protegendo-se dos ataques de Zest ao elemento Terra, enquanto tentava destruí-la lentamente.
Ao mesmo tempo, a magia da Terra de Zest possuía incompatibilidade contra o Elemento Água de Kakutan, permitindo-lhe bloquear os ataques de Kakutan. Mesmo que a água pudesse enfraquecer a terra, não poderia destruí-la completamente; como tal, Zest utilizou cada grama de solo que ela pudesse usar do solo e dos edifícios circundantes que compunham o JGSDF Camp Jyujou.
Ambos os lados possuíam defesas igualmente formidáveis, mas Zest não possuía meios eficazes de ataque, deixando a batalha em um impasse.
- No entanto, quanto mais a batalha progredisse, mais Kouryuu chegaria à sua plena manifestação; algo que aumentaria significativamente o poder de Shiba e reduziria suas chances de vitória junto com ele.
O bastão sagrado, Genbu, a fonte do Elemento Água que fluía nas proximidades, estava agora preso no ponto mais alto da torre de comunicações metálicas; Zest precisava suprimir o poder de Genbu e posteriormente lançar a magia da Terra na superfície da Terra.
E enquanto Zest se preparava para atacar Kakutan com tanta convicção -
Um enorme círculo mágico se expandiu repentinamente nos campos de testes do heliporto do campo JGSDF Jyujou.
Depois disso, um gigante que se erguia bem acima da torre de comunicações apareceu no meio do círculo mágico.
"Isso é..." Zest murmurou enquanto descia sobre o telhado do auditório, olhando para o gigante que ela já tinha visto em algum lugar antes. Ela mesma enfrentou diretamente um gigante durante a batalha do Castelo Wildart - foi o oponente de Mio durante a batalha entre Rendval e a Facção do Lorde Demônio.
Era um espírito heróico - no entanto, o que agora apareceu no acampamento JGSDF Jyujou parecia diferente do que ela já havia visto antes.
Runas de uma língua antiga cercavam seu corpo maciço, emitindo um brilho mágico.
“Está cantando magia? Não, espere, isso é..."
"Ah, graças a Deus... parece que você está bem."
Enquanto Zest tentava adivinhar o que o Espírito Heroico estava ativando, um certo jovem que estava no ombro do Espírito Heroico soltou um suspiro aliviado e se dirigiu a Zest quando a notou.
Ela conhecia esse jovem de aparência adorável; ele foi uma das poucas pessoas que lutaram ao lado de Leohart com Espíritos Heroicos durante a batalha entre as duas facções no Reino dos Demônios - Luka.
Após a batalha que havia ocorrido em Rendval, havia rumores de que ele não optou por se juntar ao recém-criado conselho demoníaco de Leohart, em vez disso optou por seguir o caminho de um pesquisador na academia.
"O que te traz aqui?"
"Uma ordem tomada a partir da decisão entre a aliança entre a atual facção do lorde demônio e a facção moderada." Lars respondeu a Zest, parecendo um pouco amargo. “Nosso objetivo é capturar Balflear, que se envolveu em tudo isso. A aliança considerou seu 'santuario' e fomos ordenados a intervir para protegê-lo de danos."
Depois de tudo-
“Se alguma coisa acontecesse no 'santuário' dos dois principais poderes do Reino dos Demônios, receio que o conflito que se seguisse não se referisse apenas ao Clã dos Heróis... isso também destruiria a paz entre a atual Facção do Lorde Demônio e a Facção moderada que custou tanto para estabelecer. Nenhum de nós quer que isso aconteça."
"...Então é assim que é." Zest murmurou em concordância.
- Era provável que Luka tivesse contado apenas a declaração oficial.
Balflear, agora um traidor do Reino dos Demônios por traição devido à sua afiliação a Shiba, era agora um alvo que a atual Facção do Lorde Demônio precisava cortar todos os laços com todos os meios; no entanto, a facção parecia ter intencionalmente mantido sua afiliação com eles como uma razão para vir aqui e fornecer a Basara e as outras sua ajuda.
Mesmo assim, ela provavelmente entenderia ainda mais se perguntasse mais detalhes; além disso, havia outra pergunta importante que ela precisava fazer.
"Como você entrou neste espaço?"
“Através do túnel dimensional que Sheera-dono fez. Eu acho que o túnel deveria conectá-la à sua filha Maria-chan, mas devido a obstáculos entre esse espaço e o espaço externo, a conexão deles foi cortada logo depois que entramos nesse espaço ... então não terminamos exatamente aterrissando no lugar certo. "
"…Entendo."
Ela presumiu que a conexão direta entre Maria e Sheera havia sido interrompida quando eles estavam escondidos no espaço dimensional imaginário de Hasegawa; era uma construção tão elaborada que mesmo Shiba, que detecta facilmente o ki de outros, não conseguiu encontrá-los. Portanto, não era de surpreender que a barreira que ela fizesse cortasse a conexão, por mais perfeito que fosse o túnel dimensional que Shera construiu. E como Zest continuou a refletir sobre a situação,
“De qualquer forma, deixe esse animal sagrado para mim e para este bebê aqui. Faça o que você deve!
"Não ... eu não poderia deixar algo assim para vocês dois ..."
Embora ela estivesse agradecida por sua assistência, ainda era muito perigoso para Luka e um Espírito Heróico enfrentar Kakutan sozinhos; seria melhor se eles derrubassem Kakutan antes de começar a erguer sua barreira.
Mesmo que levasse um tempo considerável, era um cenário muito melhor do que Zest tentando superar Kakutan sozinha.
O espírito heroico de alto escalão que Luka usou durante sua batalha contra Mio era muito mais ágil do que os golens que Zest costumava convocar na época. Claro, havia também o fato de que os golens de Zest naquele momento eram possivelmente mais fortes do que o Espírito Heroico que Luka havia usado na época, tendo sido em conta seu servo-mestre com Basara.

No entanto, ela também não sabia até que ponto o próprio Luka havia chegado desde que retornara à academia e continuava sua pesquisa sobre Espíritos Heroicos.
Era muito provável que esse espírito heróico em particular pudesse acompanhar a velocidade do Kakutan; e como tal pensamento passou pela cabeça de Zest,
…Espere um minuto.
Zest de repente percebeu que Kakutan havia parado de atacar.
Não havia desaparecido - o Qilin preto ainda flutuava diretamente acima da espaçosa vizinhança recreativa.
Parecia ter considerado o Espírito Heroico seu principal inimigo agora. Mas não estava mais em movimento, e devido a:
"Parece que esse animal sagrado também percebeu isso." Luka explicou, seu olhar fixo em Kakutan. “Depois de ser derrotado por Naruse Mio… .Dediquei-me a pesquisar e aprimorar Espíritos Heroicos, na esperança de um dia poder servir Leohart-sama mais uma vez na linha de frente. Foi então que encontrei informações sobre algo relacionado a uma antiga barreira usada pelo Chaos com a capacidade de anular todas as formas de magia, registradas em linguagem antiga nos arquivos da academia. ”

Claro-
“Apenas o Caos foi capaz de usar uma barreira tão poderosa, uma barreira que é impossível de replicar em sua forma exata. Mas se quiséssemos entender o conceito e aplicá-lo, não é impossível produzir algo com resultados semelhantes. Afinal, é nosso trabalho como pesquisadores é recriar relíquias antigas como essa em versões mais modernas. ” Luka disse, um sorriso confiante em seu rosto. “Esse espírito heroico está usando uma barreira anuladora anti-magia. Dado que aquele animal sagrado se manifestou a partir do Elemento Água, será imediatamente destruído se entrar em contato com a barreira. ”
Foi por isso que Kakutan não se mexeu, apesar de reconhecer o Espírito Heroico de Luka como inimigo; sabia que seria destruído se abordasse o Espírito Heroico de forma imprudente.
Enquanto isso, Kakutan só poderia utilizar o Elemento Água dos Cinco Elementos como ataques à distância; contra uma barreira que bloqueou todos os ataques de natureza mágica, nenhum dos ataques de Kakutan provaria ser uma ameaça.
Mas uma barreira tão poderosa definitivamente possuía seus limites.
"Essa barreira anuladora anti-magia sua ... quanto tempo pode durar?"

"…Boa pergunta. Para ser sincero, diria cerca de trinta minutos.
E tendo ouvido a resposta de Luka -
Portanto, é capaz de adiar um animal sagrado desse nível, na melhor das hipóteses, hein ...
Se pudesse manter essa barreira por mais tempo, não precisaria chegar a esse distrito do norte, e era uma opção pedir que ajudasse Basara contra Kouryuu no distrito central.
…Não.
Se o Espírito Heroico de Luka se aproximasse, Shiba reagiria imediatamente e tentaria destruí-lo, considerando-o a principal ameaça à manifestação de Kouryuu.
E havia o fato de que o Espírito Heroico de Luka era capaz apenas de anular ataques mágicos; não seria capaz de suportar os ataques de Shiba feitos de Ki puro, sem restrições pelos atributos dos Cinco Elementos.
E tendo dito isso...
Seria melhor que eles se apressassem e completassem o Selo de Salomão enquanto Shiba estivesse ocupado no distrito central; mas se Kakutan tivesse decidido aparecer aqui, isso significaria que os outros Qilin também apareceram nas outras regiões.
"Você mencionou 'nós' mais cedo... quem mais do Reino dos Demônios decidiu se envolver nisso?"
"Há Leohart-sama, Gald e Lars."
"Então há quatro de vocês..."
Mesmo que os outros três tivessem chegado aos outros distritos da mesma forma que Luka, uma garota entre os cinco ainda estaria com falta de assistência.
“Então vá para outro lugar. Encontre as outras que podem precisar de mais ajuda ...
"Não se preocupe com isso." Luka sustentou um sorriso confiante e disse isso antes que Zest pudesse terminar. "Nós apenas usamos o túnel dimensional de Sheera-dono depois de deixar o Reino dos Demônios."
Parte 7
Entre as brigas entre o grupo de meninas de Basara e o Qilin dos Cinco Elementos em suas direções cardeais individuais, uma garota em particular estava passando por um momento mais desafiador do que as outras.
Era Naruse Mio, representante do Elemento Fogo, e responsável pela seção ocidental.
A maior dificuldade de sua batalha não veio do fato de que o Qilin branco representando o Elemento Metal antes dela - Sakumei - era particularmente mais forte que o outro Qilin.
Mio, que havia realizado o voto de servo-mestre com Basara, assim como as outras meninas depois de entregar tudo a Basara, agora sentia um poder mágico incrível crescendo dentro dela a tal ponto que nem ela mesma conseguia acreditar.
Além disso, o Fire Element de Mio era vantajoso contra o elemento Metal de Sakumei.
Mesmo que Mio não pudesse baixar a guarda por um segundo contra Sakumei - um corpo separado de Qilin, igual a Kouryuu no ranking -, ela poderia pelo menos manter o pé de igualdade em um cenário de um contra um.
E, no entanto, Mio se viu perturbada em meio a sua batalha; Verificou-se que Sakumei não era o único em seu caminho, enquanto lutava no meio do verde luxuriante de um dos campos de beisebol do Kinuta Park.
"... Um tigre tão teimoso." Mio murmurou, irritada, enquanto flutuava no ar com magia voadora. Abaixo dela, havia outro animal branco sagrado, além de Sakumei, um animal que o grupo já deveria ter subjugado durante sua primeira batalha - Byakko.
A lança sagrada, agora situada em um dos campos de beisebol do Kinuta Park, era o verdadeiro Byakko que Basara havia trazido para a barreira após a primeira batalha. Shiba utilizou a espada sagrada Georgius como substituto de Byakko, roubando-a de Celis quando ele deixou a vila durante a escaramuça. Posteriormente, Balflear removeu Georgius de sua localização à força, e Basara não teve outra opção para estabilizar o espaço cravando Byakko no campo de beisebol naquela vez; A barreira de cinco elementos de Shiba, construída em uma ordem inversa das direções cardeais, estava prestes a ser dissipada, mas não poderia ser devolvida ao seu espaço normal com o risco dos Quatro Deuses, dispostos em ordem invertida, correndo soltos.
Byakko havia se manifestado em sua forma de animal sagrado como resultado disso, e Mio fez um grande esforço para subjugá-lo durante a primeira batalha.
Mas mesmo isso fazia parte dos planos de Shiba ... com Mio e as outras derrotando as formas manifestadas dos Quatro Deuses, o distrito central poderia ser colocado em um estado crítico que permitiria a Kouryuu se manifestar.
E mesmo neste exato momento, Kouryuu estava cada vez mais perto de sua manifestação completa.
Como tal, a aparência de Byakko deveria ser impossível, pois isso dificultaria o período de manifestação de Kouryuu.
E, no entanto... manifestou-se mais uma vez apesar disso.
Mio ponderou sobre outra possibilidade.
A manifestação de Byakko que Mio havia derrotado havia aparecido quando Basara perfurou a lança sagrada no chão do monte do arremessador.
A lança sagrada havia recebido o poder do elemento Vento dos Quatro Elementos Clássicos pelo Clã dos Heróis; no entanto, a manifestação de Byakko diante dela agora estava utilizando o Elemento Metal dos Cinco Elementos.
Mesmo que o alinhamento dos Quatro Deuses pudesse ter afetado isso, Byakko era capaz de lutar com força total após uma mudança sistemática imediata dos Elementos Clássicos para os Cinco Elementos, de modo que seu próprio elemento havia mudado. incomum.
Em outras palavras-
Byakko se manifestou a partir da energia do elemento Metal lançado ao solo quando a espada sagrada Georgius foi usada como cópia falsa para Byakko; o Byakko diante dela agora, por outro lado, foi manifestado a partir da verdadeira lança sagrada, tendo mudado seu elemento inerente de um dos Quatro Elementos Clássicos para o dos Cinco Elementos - do elemento Vento para o Elemento Metal.
No entanto, não seria difícil para Mio derrota-lo em seu estado atual - desde que este fosse seu único oponente.
É verdade que agora Mio estava lutando contra Byakko e Sakumei.
Esse espaço de cinco elementos é mais problemático do que eu esperava , pensou Mio, sua atenção no Sakumei enquanto o Qilin branco estava em batalha contra ela no céu, enquanto Byakko estava embaixo.
O poder do inimigo aumentaria de forma aditiva ou multiplicativa de maneira mais direta se esse fosse um espaço normal; no entanto, esse era o espaço especial que Shiba havia criado usando os Cinco Elementos como base.
- As relações elementares entre os Cinco Elementos não eram exclusivas de compatibilidade e incompatibilidade; os Cinco Elementos, classificados em cinco de acordo com o seu nome, também possuíam cinco relacionamentos individuais: compatibilidade, incompatibilidade, uniformidade, sinergia e equilíbrio.
A manifestação simultânea de Byakko e Sakumei era um composto entre os dois animais que possuíam o mesmo elemento Metal, aumentando o poder da área para alcançar um estado de uniformidade.
E um estado bastante potente.
“———————”
“———————”
A besta sagrada e a besta divina - Byakko e Sakumei - começaram a atacar Mio simultaneamente.
No chão, Byakko transformou a areia magnetita da superfície da terra em inúmeras lanças e as atirou contra ela em alta velocidade; Sakumei, por outro lado, expulsou uma enxurrada interminável de lâminas crescentes de seu corpo, que ameaçava cortar tudo em seu caminho.
A combinação resultante entre os ataques com lâminas lineares e curvas foi uma devastação que assumiu um padrão complexo ao se aproximar de Mio.

"Gah ... Droga!"
Mio imediatamente usou sua magia de fogo para formar uma parede esférica que cercava seu corpo inteiro.
Depois de trocar seus votos com Basara, sua magia de fogo se desenvolveu de tal forma que ela poderia elevá-la a temperaturas tão altas que eram incomparáveis ​​à magia que ela usou para destruir Byakko em sua primeira batalha.
Não - ela não tinha outra escolha. Isso tinha que ser feito, pois o poder de ataque do inimigo não era exatamente o mesmo de quando ela enfrentou Byakko pela primeira vez, e ela teve que se esforçar para repelir os ataques dos dois animais.
Se ela se afrouxasse, pelo menos para poupar seu poder mágico, sua barreira poderia ser incapaz de resistir completamente aos ataques de Byakko e Sakumei, que acabariam por atravessar e rasgá-la em tiras.
Ela tinha que dar tudo de si.
Os ataques de Byakko e Sakumei atacaram continuamente a barreira flamejante de Mio, desaparecendo em cinzas sem deixar rasto. E ainda-
“———————”
“———————”
A besta sagrada e a besta divina, ambos do elemento Metal, não mostraram sinais de desistir tão cedo.

A batalha agora estava em um impasse, onde Mio só conseguia se defender de seus ataques, sem ser capaz de fazer qualquer outra coisa.
- O Parque Kinuta era o centro da área que abrigava o Elemento Metal; como tal, Byakko e Sakumei, do mesmo elemento, possuíam poder inesgotável contra Mio, que teve que usar todo o seu poder e ficou vulnerável à perda de recursos.
... Eles queriam travar a batalha com uma guerra de desgaste para reduzir mais tempo.
Quanto mais a batalha durasse, seria desvantajoso não apenas para Mio, mas também para Basara.
Mio precisava encontrar uma abertura para levá-los de volta; no entanto, ela ainda não tinha visto um até agora. Ela poderia causar danos razoáveis ​​se atingisse os animais com todo o poder de sua magia de fogo. Expandindo sua barreira de fogo, ela tentou atacar as duas bestas com um ataque de área ampla com sua magia de fogo depois de medir a velocidade de reação; no entanto, seus ataques não conseguiram capturar Byakko e Sakumei, seus poderes fortalecidos pela uniformidade do relacionamento dos Cinco Elementos.
"Se for esse o caso ... - Haaaaaaaaaaaaaaaaaah!"
Mio então utilizou a magia do vento para formar um tornado que os cercava; ela estava optando pela estratégia que havia usado quando lutou pela primeira vez e depois erradicou Byakko.
Usando um tornado para agitar a areia de magnetita e eletrocutá-la, formaria um eletroímã poderoso que puxaria Byakko e Sakumei do elemento Metal para as temperaturas de queima de sua barreira flamejante e os evaporaria.
“———————”
Mas no momento em que Mio estava prestes a lançar sua mágica de raio, Sakumei soltou um relincho estridente, deixando escapar um flash de luz branca de seu corpo.
No momento seguinte, sua magia relâmpago atingiu um estrondo, mas sua trajetória se afastou da tempestade de areia magnetita que cercava Mio, caindo diretamente sobre Sakumei.

"! ... não pode ser ... usou-se como um para-raios ?!"
Enquanto Mio ficava pasmo com o fato de Shoko ter visto seu plano, a tempestade de areia de magnetita ao seu redor também foi rapidamente sugada por Sakumei.
Sakumei, do elemento Metal, formara bobinas em seu corpo que lhe permitiam controlar o metal; depois de tomar o peso total do ataque elétrico de Mio e se eletrificar, ele transformou sua carne em um poderoso eletroímã.
E no momento em que Sakumei reuniu uma grande quantidade de areia magnetita -
“————————”
Começou a brilhar mais uma vez ao liberar grandes ondas de plasma desta vez brilhando com maior brilho do que antes, cegando tudo o que estava exposto ao flash de luz ao seu redor.
“————————!”
Simultaneamente, Mio rapidamente dissipou sua barreira de fogo e lançou sua magia gravitacional.
Sakumei absorveu uma grande quantidade de areia de magnetita em seu corpo, transformando a magia do raio que provocara seu estado condutor em partículas elétricas e as dispersando; A barreira de Mio feita com magia de fogo não suportaria um ataque elétrico.
Como medida defensiva, Mio usou sua magia gravitacional para criar uma lacuna dimensional que formava uma barreira; subsequentemente, ela dissipou sua barreira contra incêndio, a fim de evitar a violenta explosão e conflagração que resultariam do choque entre a barreira contra incêndio e os ataques elétricos de Sakumei, agitando o espaço e quebrando a barreira gravitacional existente.
O momento seguinte - incontáveis ​​aglomerados de plasma estouraram em meio ao clarão branco da luta.
As partículas carregadas de Sakumei atingiram o espaço da barreira gravitacional de Mio e explodiram.
"…Essa foi por pouco."

Ela teve que sustentar a tempestade magnética circundante até que o flash de luz desaparecesse; se ela não tivesse feito o voto de servo-mestre com Basara, ela não seria capaz de sustentar sua magia gravitacional por tanto tempo.
... Basara.
Os pensamentos de Mio se voltaram para aquele que ela mais amava, seu amado Basara, seu único e absoluto mestre.

Basara absolutamente teve que derrotar Shiba depois de tudo isso.
A fim de facilitar um ambiente vantajoso para ele da melhor maneira possível, Mio e as outras precisam se apressar em fazer uma nova barreira de cinco elementos com o Selo de Salomão.
... E sua responsabilidade no momento era primeiro restringir Byakko - a lança sagrada de cor branca, a fonte do poder do Elemento Metal que transbordava no oeste.
Sakumei era apenas um produto que se manifestava a partir do referido poder; sua prioridade estava na derrota de Byakko.
Dito isso, ainda era necessário que ela restringisse o movimento deles de um jeito ou de outro antes que pudesse realizar ataques efetivos contra eles.
Nesse caso, então ...
No momento em que Sakumei retirou a corrente elétrica de seu ataque, Mio desencadeou um ataque diante dela com magia gravitacional.
Ela se preparou para prender Byakko no chão com sua magia gravitacional, enquanto liberava sua magia de fogo ao redor, destruindo Byakko de uma só vez; e como ela faria isso com sua barreira feita intacta de sua magia de fogo, ela poderia anular os ataques de elementos metálicos de Sakumei.
Em outras palavras, ela pretendia atacar Byakko, subjugar Sakumei e dirigir o poder do Elemento Fogo para a superfície da Terra - para executar as três tarefas de uma só vez.
Em outras palavras, essa era a única coisa que ela podia fazer - ela não tinha outra opção.
"Tome isso…!"
No momento em que o flash de luz se enfraquecesse e a visibilidade do ambiente se tornasse normal, Mio estaria preparada para colocar seu plano em ação.
E no momento em que o flash de luz se dissipou como se fosse névoa ...
“HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHH——!”
Tomando uma postura ofensiva de sua postura defensiva inicial com sua magia gravitacional, Mio enviou ondas vermelhas pela superfície da terra abaixo dela; e enquanto ela se preparava para desencadear sua magia de fogo no momento seguinte—
….Eh…..?
Ela se preparou para desencadear sua magia de fogo, de repente perdeu de vista o alvo abaixo dela - algo que deixou a mente de Mio em branco por um momento.
Byakko se foi.
Teria sido subjugado por sua magia gravitacional? Não poderia ter.
Teria sido destruído em meio à tempestade de partículas carregadas de Sakumei? Nem foi esse o caso.
Para onde foi então? Foi então que Mio encontrou uma pista de um objeto de metal prateado achatado pelo canto do olho.
Era um grupo de metal esmagado pela magia gravitacional de Mio; e o tamanho da forma esmagada da anomalia de metal diante dela parecia ser bastante maciço.
"—— !?"
Imediatamente, Mio olhou reflexivamente para cima atrás dela - em direção ao seu ponto cego.
E ela podia ver que o enorme Byakko estava se aproximando dela diante de seus olhos.
Byakko saltou no ar para uma posição mais alta atrás de Mio através de um andaime de metal mais alto do que a posição de Mio no ar, quando sua visão foi obscurecida pelo flash das partículas carregadas de Sakumei.
No momento em que percebeu isso, as garras de Byakko já estavam tão perto que seria improvável que ela se esquivasse delas a tempo.

"Gah ...!"
“————————”
Mio não teve escolha senão liberar sua magia de fogo no local, pois Byakko pretendia separá-la antes que ela pudesse fazê-lo.
E então chegou o momento seguinte.
Um barulho alto ressoou - mas não foi o rugido de uma explosão violenta nem um som cortante agudo.
Em vez disso, foi um choque estridente de aço - e veio de alguém que agora estava diante dos olhos de Mio.

"Mas você é…"
Mio olhou estupefato para a figura que de repente ficou entre ela e Byakko.

O jovem de cabelos dourados que havia entrado na batalha pouco antes da magia de Mio e das garras de Byakko poderem colidir empunhava uma arma diferente de Byakko... o Reienkyo.
Hayase Takashi, do Clã dos Heróis, agora estava diante dela.
Parte 8
Uma batalha estava ocorrendo no distrito oriental - em uma área próxima ao portão de inundação Shinozaki, perto do rio Edo.
Nonaka Yuki agora estava lutando contra Shoko, o Qilin azul.

Durante sua batalha anterior com Seiryuu, ela conseguiu derrotá-lo mudando o local do campo de batalha do rio Edo, primeiro para Kinshicho e depois Monzenkancho; no entanto, ela não poderia utilizar a mesma tática dessa vez.
... Ela teve que suprimir Seiryuu.

A espada sagrada Seiryuu, agora ampliando continuamente o elemento Madeira neste distrito oriental, estava atualmente esfaqueada no tronco de uma árvore nas áreas verdes próximas.
Ela não podia deixar este lugar.
Acima de tudo, Shoko ainda possuía seu típico comportamento tranquilo e não gostava de lutar, apesar de ser outra variante de Qilin - não viria em sua direção enquanto ela mantivesse distância. No entanto, Yuki foi forçado a lutar com Shoko em um local em que este possuísse uma vantagem local, pois o Elemento Água do Rio Edo possuía compatibilidade com o Elemento Madeira de Shoko que o fortaleceria em batalha.
Tendo feito seu voto de serva-mestre com Basara, Yuki poderia, inicialmente, igualar Shoko de igual para igual; inevitavelmente, no entanto, ela lentamente começou a ficar em desvantagem.
O espaço em que estavam era um feito com os Cinco Elementos como base; À medida que a taxa de manifestação de Kouryuu continuava progredindo, seria de se supor que os Cinco Elementos no espaço - com exceção do Elemento Terra no distrito central - amplificariam sob seu ciclo de compatibilidade, resultando posteriormente no poder dos Quatro Deuses e nos Qilin em suas respectivas regiões para crescer ao longo do tempo.
Em meio a isso, Yuki, que agora estava lutando contra Shoko, se viu na mesma situação terrível em que Mio lutou contra Sakumei no oeste.
O Elemento Metal de Yuki possuía incompatibilidade com Seiryuu e o Elemento Madeira de Shoko.
Yuki pode ter possuído a vantagem elementar no papel; a questão estava no rio Edo, que representava o elemento Água como seria de esperar.
Yuki representou o Elemento Metal, que possuía compatibilidade com o Elemento Água do Rio Edo; em outras palavras, a presença do Elemento Água significava que Yuki estava indiretamente fortalecendo Seiryuu e Shoko; além disso, essa relação era de natureza um tanto parasitária, pois fortalecia o beneficiário enquanto enfraquecia o provedor.
Claro, havia também a abundância do elemento Terra ao seu redor, para considerar que o elemento Metal de Yuki fortaleceu; entre a margem do rio e o asfalto, grande parte da vizinhança era terra sinteticamente incrustada.
Mesmo assim…
Não era páreo para a amplificação do Elemento Madeira a partir das relações de cinco elementos que essa área proporcionava ao inimigo.

Ela era incapaz de derrotar Shoko sozinha.
... Se apenas Zest estivesse aqui.
Ela poderia ajudá-la, fortalecendo o Elemento Terra ao seu redor, aumentando sua compatibilidade com o Elemento Metal e aumentando suas chances de derrubar Shoko ... mas não havia sentido em lamentar isso agora.
Eles tiveram que assumir a responsabilidade de cada elemento individual por conta própria para construir o Selo de Salomão.
E então-
"... ..HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!"
Com um lampejo de sua lâmina, ela enviou lâminas de energia que tentam cortar tudo em seu rastro.
Meros golpes, no entanto, eram inúteis contra Shoko em seu estado atual; assim, Yuki adicionou o Elemento Terra às suas lâminas de energia como uma reação de compatibilidade, passando a ponta da espada pela superfície da Terra.
Seus ataques ao Elemento Metal depois de passar a espada pela superfície do solo se acentuaram como resultado da compatibilidade com o Elemento Terra, de modo que seriam suficientes para derrotar Shoko em um único ataque.
Era o que ela esperava que acontecesse. Contudo-
“——————————!”
No momento seguinte, Yuki ficou chocada com a ocorrência repentina.
Seus ataques mais poderosos foram parados - e não pela própria Shoko.
Em vez disso, era um escudo maciço feito de árvores maciças que emergiam da superfície do rio Kyu Edo.

"Mas como ..." Yuki ficou pasma.
A melhor explicação seria que Shoko usou o elemento Água do rio brotando inúmeras árvores da superfície da água; o gasto de uma quantidade tão grande de energia elementar secou o rio Kyu Edo por um momento, mas o leito do rio foi rapidamente reabastecido do suprimento de água a montante.
“——————————!”
Vendo isso, Yuki se moveu como se ela fosse uma flecha.
Não havia tempo para hesitar; ela precisava aproveitar ao máximo a falta de água no rio Kyu Edo, se quisesse derrubar Shoko. Correndo com toda a velocidade que conseguiu, saltou da margem do rio e se lançou em direção ao inimigo.
“—————————”
Em resposta, Shoko soltou um grito agudo quando um turbilhão começou a se formar, circundando seus arredores; as folhas e galhos circundantes que faziam o 'greenland' do Kyu Edo Driver atacar Yuki como se eles tivessem uma mente própria.
“——————————!”
Percebendo a nitidez das folhas que lhe chegavam, Yuki imediatamente conjurou um pentagrama mágico com a ponta de sua lâmina e formou uma barreira do Elemento Metal; ela derrubou a tempestade de folhas de Shoko e se forçou a avançar. E no momento em que escapou da tempestade de folhas afiadas, ela balançou a espada inversamente em uma direção inclinada para cima.
As pétalas de sakura que foram formadas a partir do gesto formaram uma ponte em forma de arco acima das árvores maciças que emergiram abaixo do rio Kyu Edo; e quando Yuki deu tudo de si e avançou, alcançou o ponto mais alto da ponte -
“—————————”
Shoko gritou de novo e as árvores do rio Kyu Edo cresceram ainda mais explosivamente.
“——————————!”
Enquanto Yuki respirava fundo, árvores com lâminas afiadas quando suas pontas brotaram de debaixo da ponte feita de pétalas de sakura feitas de Sakuya, se lançando sobre ela.  
- Yuki poderia enfrentar o ataque chamando Sakuya; no entanto, ela não seria capaz de desviar das árvores que emergiriam em sua zona de impacto.
Em vez de tentar fugir do ataque, a única outra opção que ela tinha era o salto.
Mesmo assim, ela não seria capaz de se esquivar das saliências de madeira no ar, onde não conseguia ficar em pé.
Não havia para onde correr.

....Se for esse o caso...!
Se não houvesse como evitar o ataque, ela poderia encará-lo de frente; ela imediatamente decidiu seu próximo passo - pular.
Ela não estava tentando se esquivar, no entanto.
Yuki pretendia acelerar sua velocidade e avançar em um movimento inclinado; e enquanto ela ainda estava no ar, ela queria atacar antes que Shoko pudesse fazer seu próximo ataque e derrubá-lo com um único golpe de uma vez por todas.
Claro, Shoko ainda podia brotar árvores maciças para bloquear os ataques de Yuki exatamente como antes.
Foi por isso que...
...devo continuar!
Ela tinha que ter sucesso - cortaria com todas as suas forças, atravessaria o baluarte de madeira e derrotaria Shoko.
E enquanto ela se arriscava a fazer ou morrer, uma súbita rajada de vento fez com que Yuki subisse rapidamente de sua localização.
"…….Eh….?"
Quando ela abriu os olhos, surpresa, ela se viu lá em cima no céu, Shoko à sua vista agora tão pequena quanto um grão de arroz.
Não importa o quão longe as árvores de Shoko pudessem se estender, elas não poderiam alcançar a altitude em que ela estava agora; Shoko em si também não poderia alcançá-la tão rapidamente.
Ela havia sido salva - e, ao se estabelecer na realidade da situação,
"Você não acha que é um pouco cedo para você apostar em um ataque suicida tão imprudente?"
Uma voz familiar e risonha saiu atrás dela; e quando Yuki se virou, ela reconheceu um rosto familiar que agora estava ao seu nível de visão direta - uma certa amiga de infância.

"Celis ..." Yuki murmurou, surpresa por sua aparência.
"Sim, sou eu ... desculpe por mantê-la esperando." A santa cavaleira do Vaticano, Celis Reinhardt, sorriu ao dizer isso antes de estalar os dedos da mão direita.
"Magia da Terra ..."
"Sim. Como portador de Georgius, sou capaz de utilizar todos os quatro elementos clássicos ... e, como São Jorge era um homem santo da agricultura, meu melhor elemento passa a ser o elemento terra. ”
Portanto-
“Embora eu não esteja muito preparada contra aquela besta sagrada do Elemento Madeira e haja o fato de que eu só tenho uma espada sagrada substituta desde que Georgius foi roubado por Shiba ... Eu ainda sou capaz de usar meu poder para aumentar seu Metal elemento com compatibilidade ".
Era exatamente o que Yuki precisava desesperadamente nessa situação - a amplificação elementar que lhe daria o poder de derrotar Shoko.
"Mas como você chegou aqui?"
“As ações de Shiba são de responsabilidade da Vila e do Vaticano. Para impedir que isso se espalhe para outras regiões, nossa operação aqui precisa ser mantida em segredo e resolvida rapidamente - foi o que eu disse à sede, pelo menos. ” Celis disse: “E enquanto eu não estou convencido de que eles aceitarão como é assim ... eles não disseram nada sobre a minha decisão de ajudar vocês, então acho que eles querem avaliar a situação primeiro. "
E enquanto ela estava nisso ...

"Takashi também veio aqui por sua própria vontade, sem o consentimento dos Anciões ... Eu imagino que Shuuya-san e Kaoru-san estão cobrindo por ele agora."
"Takashi está aqui também?"
"Sim... ele foi suprimir Byakko." Ela continuou. "E quanto à forma como conseguimos entrar nesse espaço, é por causa do túnel dimensional feito por aquela jovem súcubo com a qual você está familiarizada."
"Uma súcubos capaz de fazer um túnel dimensiona... você está se referindo a Sheera-san?"
"Eu acredito que esse era o nome dela, sim... ela está esperando por todos vocês fora deste espaço." Por não estar familiarizada com Sheera, Celis parecia intrigada com a maneira como Yuki se dirigia a ela, mas continuou, mesmo assim. "Takashi e eu imediatamente partimos para Tóquio depois de deixar a vila, mas então nos encontramos com aquele jovem oficial especial do Reino dos Demônios e alguns outros demônios que pareciam ser seus superiores, e então essa garota nos disse-"
Ela respirou fundo.
“Ela nos disse que você e Kurumi foram considerados 'santuários' como Basara e as outras, e essa ordem não pode ser violada. E já que eles também queriam ajudar com a situação ... eles nos perguntaram se queríamos nos juntar a eles. ”
"Mas isso significa..." Os olhos de Yuki se arregalaram com as palavras de Celis.
Não ficou surpresa que Sheera tivesse chegado ao mundo humano; não foi difícil entender os motivos de sua intervenção, pois ela era mãe de Maria, que também estava envolvida nessa situação difícil.
Mas se os camaradas de Takigawa eram realmente Demônios de alto escalão, como Celis havia descrito, Leohart tinha que estar entre eles.
Ela nunca teria pensado que o atual Lorde Demônio passaria a se envolver pessoalmente no assunto; mais ainda, ela não podia se aprofundar totalmente no fato de que ela e sua irmã mais nova Kurumi haviam sido consideradas santuário durante esse período.
Mas, acima de tudo, um fato se destacou como a verdade mais surpreendente de todas:
Celis e Takashi concordaram de bom grado com a sugestão de Sheera.
…Mas os dois são…
Celis e Takashi tinham grande orgulho em seu status como membros do Clã dos Heróis; era improvável que utilizassem voluntariamente o poder de Sheera, um membro do Reino dos Demônios.
Eles sabiam que esse ato seria considerado uma traição ao Clã dos Heróis.
E, no entanto, Celis e Leohart apareceram no campo de batalha - até Takashi se juntou à briga.
"Mas por que você...?" Yuki ficou espantada com as ações de sua amiga de infância e perguntou por que ela o fez.
"Não é como se estivéssemos realmente cooperando com esses demônios, sabia?" Celis de repente sorriu levemente ao dizer isso: “É só isso, Yuki... eu acredito em você e Kurumi, assim como acredito em Basara. Não tenho dúvidas de que qualquer um de vocês tenha estabelecido a paz histórica, facilitando uma aliança entre a atual facção do Lorde Demônio e a facção Moderada. Eu não acho que haja algo errado com o desejo deles de proteger todos vocês."
Depois de tudo-
"É assim que Takashi e eu pensamos em tudo isso agora."
"Celis..." Yuki ficou sem fala com Celis, que sorriu como se tudo isso não significasse nada para ela.
- O atual Lorde Demônio Leohart havia trazido um exército de Demônios de alto escalão diante deles; como membros do Clã dos Heróis, eles eram seus inimigos da mais alta prioridade absoluta que precisavam abordar imediatamente.
Mas nem Celis e Takashi haviam agido como tal.
Eles voluntariamente e temporariamente reprimiram seu orgulho - seu dever como membros do Clã dos Heróis - pelo bem de virem para cá.
Não porque eles foram ordenados pela vila - não porque eles tinham o orgulho de ser um Cavaleiro Sagrado do Vaticano.
Eles simplesmente vieram pelo bem de seus amigos, e isso sozinhos.

“Há algo que eu realmente precisava dizer, mas nunca tive a chance”, disse Celis, “e é que tudo está bem agora. Seis anos atrás, eu estava desamparada e não estava lá para vocês quando estavam passando pelos momentos mais difíceis ... eu não era capaz de ir para o local da tragédia e ajudar. Mas agora-"
Um brilho resoluto apareceu nos olhos de Celis.
"Desta vez, as coisas estão diferentes ... Eu posso manter minha cabeça erguida e orgulhosamente afirmar que posso me tornar seu poder - lutar ao seu lado." Sua voz então se arrastou com uma pitada de desculpas quando ela fez sua próxima declaração. "Embora ... verdade seja dita, eu quero derrotar aquele animal sagrado individualmente com minhas próprias forças."
"Não ... você já fez o suficiente."
Yuki assentiu para sua amiga de infância e a abraçou com força, ao que Celis retornou com um leve sorriso.
"Seis anos, hein ... eu fiz você esperar tanto tempo, não foi?"
Yuki não disse a simples frase de "Isso não é verdade" para negar; muito parecido com os próprios arrependimentos de Yuki quando Basara foi expulso da Vila naquela época, pois ela só podia vê-lo, ninguém, exceto Celis, deveria ter permissão para negar seus próprios pensamentos e arrependimentos.
Yuki não se desculparia por envolver Celis em tudo isso, no entanto; ela nunca diria isso, pois estaria pisoteando a determinação e a boa vontade da pessoa diante dela que ela tanto apreciava.
Havia apenas uma resposta apropriada que Yuki poderia dar a Celis.
"Celis ... obrigado por ter vindo me ajudar."
No momento seguinte, Nonaka Yuki e Celis Reinhardt olharam para a cena abaixo delas - para a besta sagrada que elas deveriam derrotar, uma que representava o Elemento Madeira.

O Qilin azul avaliou silenciosamente sua situação atual.
A garota que empunhava a espada espiritual que a havia usada anteriormente era do Elemento Metal, um elemento que triunfou sobre seu Elemento Madeira; a garota de cabelos dourados que havia chegado como reforço era do Elemento Terra, um elemento que tinha compatibilidade com o elemento Metal da outra.
E havia as altas muralhas de terra ao redor que a garota de cabelos dourados havia erguido ao redor.
As paredes que foram construídas no fundo do rio foram feitas para cortar o suprimento de água do rio Edo e isolar sua localização; como Enku já havia evaporado a Baía de Tóquio, se o suprimento de água do rio Edo fosse reduzido ainda mais, a energia suplementar do elemento Água para ele diminuiria.


Isso significava que o campo de batalha - as circunstâncias - seria desfavorável para Shoko.
“……………….”
Shoko, no entanto, deduziu que não seria um obstáculo significativo.
A garota de cabelos dourados era evidentemente mais fraca que a garota com a espada espiritual; o fato de ela poder fornecer compatibilidade através do elemento Terra não representava nenhuma ameaça para ele.
Enquanto seus oponentes mantinham distância, Shoko não precisava agir proativamente; era melhor conversar tanto quanto possível o Elemento Madeira para suprir a manifestação de Kouryuu no distrito central.
No entanto, Shoko também não podia sentar e assistir; o poder da garota com a espada sagrada diante dela estava aumentando rapidamente. Com o suprimento de água do rio Edo, a força atual de Shoko não poderia ir contra ataques de elementos metálicos de magnitude tão poderosa.
Qual o significado disso? As circunstâncias anteriores intrigaram Shoko.
O enorme aumento de poder da garota que empunhava a espada espiritual em virtude da compatibilidade apenas com a garota de cabelos dourados era inexplicável; no entanto, refletir sobre como a garota com o poder da espada espiritual aumentara com a chegada da garota de cabelos dourados não resolveria nada.
“————————”
Shoko liberou todo o poder do Elemento Madeira que tinha em seu corpo de uma só vez; Depois disso, inúmeras árvores maciças emergiram da terra circundante, seus troncos resistentes torceram e se estenderam horizontalmente, reduzindo as paredes da terra em seu caminho a pó, enquanto o impacto resultante sacudia a terra com um eco ensurdecedor, lançando nuvens de poeira como terra e areia espalhada em seu rastro.
Shoko inventou um plano; faria o rio Edo fluir para as terras verdes, fornecendo a compatibilidade necessária para combinar com os ataques da espada espiritual da garota.
Contudo-
“————————?”
No momento seguinte, Shoko parecia confuso.
A água do rio Edo não corria para a vizinhança.
Shoko imediatamente voou acima da visão nublada para examinar a terra abaixo dele e descobrir o que estava acontecendo; descobriu que a maior parte da água do rio Edo havia desaparecido, expondo grandes porções áridas do leito do rio.
Foi devido ao que Enku fez no norte? Não, não poderia ser.
Uma coisa era ter evaporado a Baía de Tóquio, mas se o rio Edo também fosse secado, o distrito oriental perderia seu poder elementar e causaria desequilíbrio na barreira de cinco elementos; e o poder do elemento Madeira em todo o distrito oriental ainda não havia diminuído.
No entanto, parecia não haver água no rio Edo.
Eventualmente, Shoko finalmente encontrou a resposta rio acima.
Um novo rio que ligava o rio Edo ao rio Naka havia aparecido perto do parque Shibamata.
Era provável que a garota de cabelos dourados tivesse mudado a paisagem com a magia da Terra depois de usar as paredes da terra para esconder a vista ao redor; esse novo rio, mais largo que o rio Edo, fora transformado na corrente primária que fazia a água do rio Edo fluir para o rio Naka.
E o confluxo do rio estava levemente a montante do ponto de divergência entre o rio Naka e o rio Naka Novo; como tal, o curso da água do rio Edo foi alterado para fluir para o conflito entre o rio Naka e o rio Arakawa.
Seu elaborado plano de controle de inundações redirecionara com sucesso a água do rio.
A garota de cabelos dourados do elemento Terra secretamente implementou esse plano, sabendo que ela tinha pouco a oferecer em termos de poder bruto? O leito do rio, tendo perdido o seu Elemento Água, agora era um solo sólido - uma substância do Elemento Terra.
E o relacionamento Cinco-elementar resultante forneceu compatibilidade com o Elemento Metal.
No momento em que Shoko entendeu a situação, o poder da garota da espada espiritual havia se acelerado a um nível em que até a compatibilidade provocada pela água remanescente embaixo dela não seria páreo para ela.
"----
Imediatamente, Shoko instilou seu poder elementar nas árvores circundantes.
Se não houvesse água por perto, só poderia encontrar uma fonte por conta própria; estenderia as raízes das árvores circundantes em direção ao oeste, em direção ao rio Naka e ao novo rio Naka e absorveria a água desses rios com eles.
No entanto, as duas meninas agiram muito mais rápido do que Shoko podia estender as raízes do solo em direção ao rio vizinho; a garota de cabelos dourados já havia sacado sua espada sagrada antes que percebesse.
"HHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHH!"
As duas garotas, cada uma empunhando a espada espiritual e a espada sagrada, respectivamente, soltaram um grito resoluto em uníssono enquanto liberavam seu poder diante de Shoko.
A garota com a espada espiritual soltou ataques consecutivos, sacudindo inúmeras lâminas de energia do Elemento Metal; ao mesmo tempo, a garota de cabelos dourados abaixou sua espada sagrada e liberou a energia da Terra, aumentando imediatamente o poder elementar das lâminas de energia.
Foi a reação que veio da compatibilidade resultante - e no momento seguinte, uma barragem imparável de setenta e dois golpes consecutivos surgiu, engolindo a linha de visão de Shoko.
Não havia escapatória.
“————————”
Nesse momento de severidade, Shoko convocou um enorme baluarte de madeira para se proteger.
Conseguiu se proteger a tempo - mas mesmo essa tentativa terminou em vão.
Um golpe do Elemento Metal cortou o baluarte de madeira em duas partes - e no momento seguinte, o corpo do Shoko foi cortado em pedaços por uma interminável enxurrada de ataques elementares.
Parte 9
Hayase Takashi entrou subitamente no meio da batalha que se seguiu.
Sua aparência por si só foi um cenário que fez o suficiente para provocar uma reação surpresa de Mio, Takashi, no entanto, não lhe deu atenção, defendendo-se contra as presas abertas de Byakko.

“WOOOOOOOOOOOAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHH!”
Com um grito resoluto, ele balançou os braços enquanto seus músculos se desenrolavam, balançando Reienkyo em um movimento horizontal; O rosto maciço de Byakko foi forçado a evitar o peso do ataque, sua boca liberando Reienkyo quando saltou para trás e aterrissou em um local a uma distância considerável de Takashi. Mio aproveitou a oportunidade que tinha para descer ao chão onde Takashi estava antes de perguntar novamente.

"Como você está aqui?"
Embora ela pudesse ver que ele estava se movendo agora, Takashi havia sido atingido pelo ataque de Shiba - ele deveria ter ficado inconsciente e deixado em estado crítico mais cedo. E embora Basara tivesse conseguido estabilizar sua condição, ele não deveria poder se mover livremente por um tempo, pelo menos sem ter um período de descanso.
Foi por isso que Mio perguntou a ele que, na descrença de sua presença aqui; e, no entanto, Takashi nem sequer se virou para ela para responder, seu olhar fixo no monte do arremessador diante dele - o local onde estava a lança sagrada, Byakko vigiando cautelosamente ao lado dela.
"Fique atrás. Este não é exatamente o melhor momento para explicar. ” Ele não deu nenhuma explicação sobre sua chegada aqui e simplesmente declarou seu papel, assim como o de Mio. “Eu farei algo sobre Byakko. Por enquanto, apenas derrote Sakumei! ”
Entre Mio e Takashi, os dois não tinham entendimento tácito suficiente um do outro para serem capazes de trabalhar juntos em cooperação; como tal, suas chances de vitória seriam melhores se combatessem seus inimigos individualmente, em vez de cooperarem em um duelo contra dois - o melhor curso de ação que os dois poderiam adotar.
"…Compreendo." Mio assentiu, reunindo seu poder mágico quando voltou sua atenção para Sakumei - e Takashi então fez o próximo movimento.
"………… .."
Sem palavras, ele esfaqueou Reienkyo no chão - antes de caminhar em direção a Byakko de mãos vazias.
"Espere, o que diabos você pensa que está fazendo !?"
Sua aparição repentina foi questionável o suficiente; o que mais ele estava planejando fazer agora, atacar com os punhos desarmados? As ações imprudentes de Takashi provocaram pedidos de Mio para parar.
"Reienkyo, também conhecido como Cimitarra de Seiryo ... talvez não seja uma arma adequada para lutar contra o meu inimigo atual no papel."
"Mas fazer isso não é ...!"
Esta não era a melhor maneira de sair, mesmo que ele realmente quisesse se matar.
E, no entanto, Mio não podia deixar o campo de batalha, apenas restringia Sakumei enquanto sua magia de fogo estivesse ativa.
... Se ela fizesse movimentos bruscos ...
Sakumei atacaria qualquer sinal de vacilação. E ainda-
"Hayase!" Mio o alertou novamente, e ela recebeu outra resposta composta como resposta.
"Não estou aqui para derrubá-lo - estou aqui para retirá- lo ." Como ele disse, Takashi já havia se colocado ao alcance de Byakko.
E o que veio a seguir era de se esperar.
Byakko arreganhou os dentes e investiu contra Takashi ao detectar sua presença nas proximidades, inúmeras lâminas de aço brotando de seu corpo enquanto avançava mais perto dele. Entre sua construção maciça e massa, velocidade predatória para capturar presas e o alto nível de elemento Metal contido nas lâminas que a cobriam, possuía uma força de corte extremamente potente, capaz de percorrer qualquer coisa em seu caminho, como uma faca quente na manteiga.
Comprometer-se a um confronto suicida contra a foice gigante que era Byakko resultaria apenas em Takashi sendo feito em incontáveis ​​pedaços.
Era o que deveria acontecer - mas no momento seguinte,
“———————?”
Byakko de repente pareceu confuso.
Sua presa - Takashi - desapareceu repentinamente diante de seus olhos; A própria Mio não conseguia compreender como Takashi havia se esquivado do ataque.
Ela só podia ver Takashi agora situado atrás de Byakko, como se ele simplesmente tivesse passado por ele ileso.

“Você esqueceu quem eu sou? Acho que vou fazer você se lembrar, então. Takashi disse, estendendo a mão para a verdadeira forma de Byakko - a lança branca empalada no topo do monte do arremessador.
Byakko, que já reconheceu Takashi como seu mestre, estava agora sob o controle de Shiba e sua barreira de cinco elementos.
O que aconteceria se Takashi simplesmente tocasse em Byakko em seu estado atual?
Mio experimentou a resposta em primeira mão com seus próprios olhos e seus próprios ouvidos.
No momento em que Takashi colocou as mãos no eixo de Byakko, uma reação de energia do metal surgiu e o atacou como se o rejeitasse.
A armadura de batalha nativa de Takashi foi destruída pelo impacto, jatos de sangue flutuando no ar.
Takashi pretendia libertar Byakko do controle de Shiba e recuperar seu reconhecimento e o direito de manejá-lo.
Mio entendeu seu processo de pensamento - mas ela e as meninas o teriam feito antes se fosse uma opção válida há muito tempo. Eles decidiram suprimir os Quatro Deuses através do estabelecimento de outra barreira sobre ela simplesmente porque o poder de Shiba nas armas sagradas era muito poderoso e não era facilmente abalado.
“Isso é imprudente, Hayase! Saia daí!" Os gritos de Mio estavam cheios de tristeza. E ainda-
“Naruse Mio. Acredito que já lhe contei isso, assim como contei a Shiba também.
E com um tom inabalável—
"Não subestime o Clã dos Heróis."
Essa era a extensão do orgulho infalível de Takashi - era por isso que ele só segurava Byakko com mais força, sem vontade de liberá-lo.
Em resposta, Byakko lançou um turbilhão de eletricidade branca que engoliu Takashi, emergindo em uma explosão violenta que devastou a atmosfera circundante.
“………….!”
Apesar de tudo isso, Takashi segurou firme Byakko - tentando obter algum sentido, como se tentasse demonstrar o fato de que Takashi era seu verdadeiro portador, para tentar fazê-lo lembrar ...
“———————”
Eventualmente, o surto elétrico finalmente cessou após um longo período de duração - e a forma materializada de Byakko desapareceu.
“………………….”
Sem energia, Takashi caiu de joelhos no chão como se fosse um pedaço de marionete - e, mesmo em um momento tão terrível, Takashi se recusou a soltar o eixo de Byakko.
"Hayase ...!" Mio gritou. E naquele momento, havia sinais de movimento perto dela.
Foi Sakumei.
Um granizo de aço crescente caiu do céu - mirando não em Mio, mas em Takashi.
"Eu não vou deixar você ...!"
Algo já havia protegido Takashi antes que ela pudesse.
Mas o que?
Não era outra a besta sagrada do oeste, materializando-se mais uma vez para proteger seu portador - Byakko.
“———————”
Byakko rebateu o granizo de lâminas de aço de Sakumei com seus próprios ataques de lâmina, protegendo seu mestre de danos; Levou um momento para passar uma interminável enxurrada de aço antes de Byakko finalmente derrubar as lâminas de Sakumei. E depois-
“———————?”
Os movimentos de Sakumei vacilaram um pouco - parecendo desorientados por testemunhar a súbita traição de Byakko.
E diante deles havia uma oportunidade que Hayase Takashi havia arriscado sua vida para facilitar - uma que Naruse Mio não tinha intenção de deixar escapar dos dedos.
“HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHH!”
Liberando a energia que ela armazenou até esse momento, ela lançou à sua magia uma nova magia, que só foi possível depois que ela fez seu voto com Basara, uma combinação de magia gravitacional e magia de fogo.
Magia do fogo do inferno.
Era tarde demais para Sakumei se esquivar - o fogo ardente de Mio consumiu abruptamente o Qilin branco e o destruiu. E com seu ataque, ela derramou o poder do elemento Fogo no chão - daí um brilho carmesim percorreu o corpo como se o elemento estivesse esticado em sua superfície.
No momento seguinte, os elementos das cinco cores combinaram seu poder para formar uma única crista.
As cinco meninas que trocaram seus votos com Toujou Basara completaram com sucesso o Selo de Salomão.
Parte 10
Algo havia sentido a plena manifestação do selo de Salomão.
Ficava logo abaixo de Kouryuu, o corpo sempre manifesto deste último continuava entrelaçando em torno da Torre de Tóquio.
Era a besta divina amarela que protegia a capital - os Qilin.
“…………”
Além disso, podia sentir a destruição de quatro outros seres separados de si.
Havia Enku no sul, suas chamas rugindo absorvidas pela virtude de um demônio.
Kakutan, no norte, derrubado e destruidu em uma escaramuça contra um inimigo aparentemente maciço.
Shoko no leste, derrubado por um ataque elementar.
E Sakumei no oeste, reduzido ao nada por uma magia ofensiva.
O Qilin, no entanto, era incapaz de qualquer emoção triste em resposta.
Os cinco eram existências manifestadas a partir de um espaço fechado repleto de energia dos Cinco Elementos. Os cinco foram, portanto, designados para cada guarda, seus respectivos rolamentos elementares - essa era a razão pela qual as cinco criaturas quiméricas existiam.
Assim, no momento em que Qilin sentiu a sombra de uma única pessoa se aproximando em direção ao oeste -
“————————”
Qilin ficou imediatamente alerta.
Estava certo de sua existência; devagar, mas com segurança, estava se aproximando deste lugar.
E a aura que exalava significava que era alguém de um nível que poderia representar uma ameaça para Shiba.
Qilin imediatamente deduziu que era um inimigo.
Pisando com as pernas dianteiras no chão, Qilin desencadeou um círculo mágico de ouro.
Após o encantamento foi o estrondo da terra, e do chão onde o inimigo estava pisando veio o fenômeno de saliências emergindo de baixo.
Incontáveis ​​espigões afiados colossais emergiram do chão de asfalto para atacar o inimigo.
No entanto, as arestas agudas dos espigões salientes não haviam perfurado o alvo pretendido, e sim atravessado pelo ar.
E no momento em que esse fato foi realizado, alguém já estava ao lado de Qilin - um certo jovem.
"Desculpe, só de passagem."
E no momento em que a voz silenciosa ressoou, Qilin foi cortado horizontalmente em dois.
Parte 11
Um único golpe de espada cortou o Qilin manifestado.
O ato fora realizado por Toujou Basara, que havia se infiltrado no interior da Torre de Tóquio.
No momento em que seus passos pisaram na entrada, ele descobriu que o primeiro andar estava silenciosamente imóvel, como se fosse uma ocorrência natural.
"......"
Sem palavras, Basara caminhou em direção ao elevador que o levaria aos espaçosos decks de observação.  
Ele entrou no elevador do meio dos três que estavam disponíveis para ele - geralmente era sob a supervisão de uma atendente de elevador que monitora os botões do piso para que os clientes escolham entre dois diferentes decks de observação.
Quando as portas se fecharam, uma leve sensação flutuante o acompanhou quando o elevador começou a subir.
E quanto mais alto o elevador subia, notava-se que, em vez do cenário normal de Tóquio, que podia ser visto através do vidro nos dois lados do poço do elevador, a visibilidade de tal altura agora era restrita devido ao gigantesco Kouryuu enrolando-se na torre .
E quando as portas finalmente se abriram novamente, Basara viu uma figura diretamente na frente da saída do elevador - alguém que havia chegado aqui antes dele.
Não era Shiba.
Basara viu um rosto familiar vestido com o uniforme da Academia Hijirigasaka - a mesma escola que ele frequentava - parado diante dele.
Era alguém que ele pensava ser incapaz de descuido e, portanto, alguém em quem ele podia confiar em momentos de necessidade.
Takigawa Yahiro.
"Minha nossa. Você está atrasado, Basachi." Takigawa suspirou lamentando e falou de uma maneira semelhante à de suas reuniões habituais. E com isso seguiu um sorriso irônico e uma resposta de Basara:
"Desculpa. Dito isso, o que você está fazendo aqui, Takigawa? ”
"Eu sei disso."
“Apesar das circunstâncias, você também pode vir à Torre de Tóquio para desfrutar de passeios como qualquer outra pessoa faria, hein? Não é como se eu quisesse seguir um certo idiota aqui até este lugar onde todos vocês estão tentando lutar até a morte. Leohart me ameaçou mais cedo."
Você faria bem em lembrar o que fez. Takigawa murmurou baixinho, de má vontade.
"Bem, não parece tão bom quanto parece, já que Balflear está do outro lado."
"Como pensei, Leohart e os outros chegaram também, chegaram ..."
Parecia que Basara não confundiu a energia mágica que ele sentiu durante sua jornada para chegar onde eles estavam agora.
“Será que você trouxe eles, Takigawa?”
"Quem sabe? Só estou aqui para explicar minha situação. Aqueles que decidiram intervir nessa situação não são senão os topos das gorjetas da Facção Moderada e da atual Facção do Lorde Demônio, Ramsusas-dono e Leohart. Além disso, Sheera-dono foi a responsável por fazer um caminho para entrarmos neste espaço. E isso não é tudo. Quanto mais, melhor, como eles dizem, certo? Alguns outros decidiram acompanhar também. Por exemplo, eu peguei aquele seu amigo de infância frustrado, Basachi, e depois tem aquela cavaleira que veio com o Vaticano."
Ele ficou agradecido por tantos outros terem vindo prestar sua assistência. E vendo como as coisas aconteceram como ele esperava -
"Entendo... até Takashi e Celis estão..."
Ele não achava que era possível obter a aprovação oficial da vila e do Vaticano.
Era mais provável que os dois decidissem sair sozinhos e trabalhar juntos, não era?
E Takashi e Celis optaram por vir e ajudar, apesar de os danos de sua batalha contra Shiba ainda persistirem dentro deles... Basara se perguntou qual o significado dos dois membros genuínos do Clã dos Heróis que levaram sua intervenção para esse incidente.
"Deve ter sido difícil para eles." Enquanto murmurava essas palavras, ele jurou em seu coração que faria tudo ao seu alcance para pôr fim a essa batalha. Ele assumiu de bom grado qualquer punição no lugar de Takashi e Celis por sua participação neste incidente.
"Ei, ei Basachi... você está contando suas galinhas antes mesmo de chocar?" Takigawa perguntou surpreso. "Claro, eu imagino que você já teve sua parte dos momentos românticos com Naruse e as outras, mas... você não acha que está surpreendentemente relaxado diante da situação?"
“Eu não estou realmente relaxado. Shiba-san é inegavelmente forte. E, por mais que eu tenha tomado consciência de como Mio e as outras se sentem e o tenham confirmado juntos. ,, sinceramente, acho que nossa vitória ainda não está garantida.” A voz de Basara foi composta quando ele expressou sua opinião sobre a situação.
"Se você vai me dizer isso, é melhor eu voltar naquela época..." Takigawa coçou a cabeça com a resposta composta de Basara, antes de estreitar os olhos. "Bem, quais são as chances de ganharmos isso?"
"Quem sabe... bem, acho que teremos o suficiente enquanto continuarmos lutando, suponho."
"Cara, eu estou preso tendo que andar sobre uma corda bamba com você de novo, hein?" Takigawa murmurou entre suspiros resignados.
Basara só pôde dar um sorriso irônico e um "Desculpe" em uma resposta.
E com uma menção de “Para onde vamos a partir daqui?”, Os dois saíram lado a lado.
Os dois avançaram em seu andar atual no sentido anti-horário a partir de seus arredores, antes de continuar subindo uma escada próxima.
Além desse ponto, havia um elevador que os levaria ao próximo mirante.
As portas do elevador se abriram como se quisesse chamar a dupla, quando os dois entraram no elevador e pressionaram o botão para cima; a porta se fechou lentamente antes de subir.
Eles chegaram a um mirante a 25 metros acima do solo, aproximadamente um minuto depois, antes de se moverem em direção à janela diante deles, depois de sair do elevador.
E eles viram o cenário diante deles - o interior da Torre de Tóquio envolto em um brilho amarelo, enquanto quatro cores - azul, branco, vermelho e preto - foram divididas em seus respectivos setores das quatro direções cardeais do exterior.
A barreira que Shiba havia construído estava envolta nas cores dos Cinco Elementos em virtude de sua compatibilidade.
No entanto - linhas pintadas com cores mais profundas dos Cinco Elementos agora corriam pela vizinhança.
Cada linha se moveu na diagonal de seu vértice para formar um pentagrama - as duas perceberam que o selo de Salomão havia sido completado.
"Parece que Naruse e as outras foram bem-sucedidas de alguma forma."

"Sim."
E quando Basara assentiu em resposta às palavras de Takigawa -
"Meu, meu ... não apenas Takashi e Celis-chan, mas até o Reino dos Demônios chegou a interferir, não é?"
Uma voz chamou por trás de Basara.
Simultaneamente, os dois sentiram uma presença - uma presença sombria e nojenta, mais maligna do que as profundezas mais sombrias do submundo. E quando Basara e Takigawa se viraram lentamente -
“——————”
Eles estavam sem palavras.
Eles não conseguiram reconhecer a aparência externa da figura por um momento.
Eles nem podiam descrevê-lo como simplesmente se transformando em outra pessoa.
Eles agora viram Shiba, agora na forma de uma existência totalmente anômala, diante deles.


As manoplas chapeadas de Reginlief, que haviam coberto apenas seus braços em sua primeira batalha, já haviam se espalhado por todo o corpo em uma única peça de armadura unificada. Além disso, a armadura utilizava um elemento metálico diferente do que era das origens das manoplas, assumindo a forma de uma armadura orgânica semelhante à de um exoesqueleto diabólico.  
"...Ei, ei... ele está se tornando cada vez mais um monstro." Suor frio escorreu pela bochecha de Takigawa na presença da aura aterrorizante de Shiba.
"Sim... parece que Shiba-san absorveu totalmente Reginlief nele agora." Suor desconfortável transpirou nas costas de Basara também. Basara, empunhando a espada mágica Byrnhildr na mão, entendeu imediatamente o que a forma de Shiba - não, sua condição - envolvia. A fim de extrair completamente o poder de Reginlief dentro dele, ele havia voluntariamente permitido que a manopla mágica que possuía corroesse completamente seu corpo; tal ato teria supostamente engolido sua carne e mente - tirando completamente sua existência.
- E, no entanto, Shiba havia conseguido manter totalmente sua forma.
Se alguém perguntasse o porquê - a resposta foi sugerida pela armadura orgânica que agora cobria seu corpo.
Pode-se observar como quadricolor; pintado em vermelho, branco, preto e azul.
As cores representavam quatro dos cinco elementos principais: Fogo, Metal, Madeira e Água.
“Meu palpite é que Shiba-san quer absorver o poder da compatibilidade de cinco elementos entre os Quatro Deuses, enquanto sincroniza com Kouryuu. O fato de não podermos ver o elemento amarelo da Terra nele significa que ele ainda não pode absorver o poder de Kouryuu enquanto ainda está para se manifestar completamente. ”
“Meus parabéns ... você tem um olho afiado. Bem, de qualquer maneira, você acertou muito. O sorriso profundo de Shiba afirmou suas palavras.
Entretanto, a compatibilidade entre os Cinco Elementos não era uma explicação adequada para a visão diante deles.
Cores em vermelho e branco pintaram a armadura de Shiba de forma mais dominante do que em preto e azul.
Pode-se, assim, assumir que Fogo e Metal eram os elementos dominantes dentro dele.
Isso não significava que suzaku e Byakko fossem mais poderosos que os outros dois tesouros sagrados ... provavelmente.
O vermelho proeminente era indicativo da característica especial do membro dos Dez Deuses que Shiba havia absorvido nele - Reginlief.
- Regllief era provavelmente um ser divino que tinha a capacidade de manipular o fogo.
E os elementos Fogo e Terra compartilhavam uma compatibilidade entre si - em outras palavras, a relação era a do elemento anterior que fortalecia o último.
Então é assim que é.
Basara agora estava livre de uma coisa.
Não era apenas o estágio crítico dos Quatro Deuses ou a barreira dos cinco elementos que ele havia estabelecido; adquirir o poder das chamas de um membro dos Dez Deuses foi outra peça importante para Shiba manifestar completamente Kouryuu que representava o elemento Terra.
A expansão do elemento Metal a partir da compatibilidade resultante explicaria o desenvolvimento da armadura corrosiva que se espalhou da manopla mágica para seu corpo.
Além disso-
Se Shiba e Kouryuu fossem sincronizados, não era de surpreender que a compatibilidade nascida no elemento Terra também fortalecesse o elemento Metal; a falta de equilíbrio entre os cinco elementos que ele possuía não seria mais um problema para Shiba.
A partir de agora, Shiba havia aperfeiçoado e completado tudo.

Ele agora possuía um poder absoluto que lhe permitiria dominar toda a criação.
“... Bem, então, Basara, não pretendo mais dar um soco com você. Ser derrotado é perder tudo . Você está preparado para esse resultado?
Enquanto Shiba sorria, uma pressão esmagadora se soltou em direção a eles.
"Sim ... vamos lá." Não houve hesitação em Toujou Basara quando ele soltou essas palavras.
Shiba não foi o único que elevou seu poder ao seu limite absoluto; Basara também trocara seus votos absolutos com Mio e as outras.
"Eu sei que preciso derrotar você ... e eu me preparei para isso também."
"Parece divertido ... e você, então?" As finas fendas de Shiba para os olhos se arregalaram de prazer com a declaração de Basara, antes que ele se dirigisse a Takigawa.
“Você está me perguntando se estou pronto para isso? Por favor , eu saberia melhor. Eu não me ofereci exatamente para estar aqui, sabia?"
Apesar de realmente não gostar das circunstâncias atuais e expressar o desagrado, Takigawa não vacilou diante do estado atual de Shiba.
“Não obstante, Basachi não enfrentaria você e aquela coisa gigante do lado de fora sozinho, não é? Acho que não pode ser evitado, então.
"Huh ... talvez eu deva deixar Kouryuu se divertir com você, então, como você deseja?"
E então-
"Bem, então está na hora de começarmos, não é?"
E no momento em que Shiba pronunciou essas palavras, um enorme impacto reduziu o deck de observação onde os três nada mais eram do que cinzas.
Era Kouryuu, entrelaçado em torno da torre, com isso ele subitamente pulando em direção à vizinhança.
E dentro do espaço fechado e escuro como breu do céu de Tóquio feito dos Cinco Elementos, uma explosão como se fosse uma flor desabrochando.
Com um rugido terrivelmente estrondoso e um lampejo de luz, a cortina agora se erguia na batalha que mantinha tudo em risco.


--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit
*NOTA: Eles se referem ao grupo de Basara como um "Santuario", que é uma forma de dizer que ninguém pode mexer com eles sem sofrer as consequencias.