Shinmai Maou no Testament | Vol 10 - Prólogo


PRÓLOGO: O INÍCIO DE UMA LONGA NOITE

Parte 1
Era uma noite tardia, onde o céu havia sido tingido de preto profundo.
E o frio do vento circundante, frio como a temperatura congelante das montanhas do inverno, soprava por aquele lugar.
Era a Vila dos Heróis - especificamente, uma área em que os anciãos haviam construído um salão cerimonial.
O salão cerimonial era uma das construções mais raras estabelecidas nas vilas do mundo todo e, embora estivesse sob a proteção de barreiras robustas, havia perdido completamente sua força e sofisticação hoje.
Foi porque os tesouros sagrados que designaram o local como um santuário - os Quatro Deuses - foram roubados por Shiba Kyouichi.
Basara e seu grupo tentaram parar as ações violentas de Shiba e, como resultado, as paredes e o teto do salão cerimonial foram fortemente danificados no meio da batalha. E oposto à direção do ar limpo e nítido da tarde, um céu de um negro profundo preenchido com inúmeras estrelas esticadas no horizonte.
Quem visitou esse lugar pela primeira vez certamente seria levado por um espetáculo tão impressionante.
Naquele momento, no entanto, nem uma única pessoa que olhava para o céu noturno no meio do salão cerimonial destruído estava com vontade de apreciar um cenário tão pitoresco.
Shiba Kyouichi escapou de sua prisão montada na parte mais profunda da vila e, com exceção de Byakko, roubou os outros três tesouros conhecidos como os Quatro Deuses - o Seiryo, o Genbu e o Suzaku - junto com o Georgius, a espada sagrada que pertencia a Celis Reinhardt, uma das cavaleiras sagradas e inquisidores do Vaticano, antes de desaparecer após sua fuga.
Para que tal ocorrência se desenrolasse no meio de uma provação política entre o Vaticano e a facção dos Herois do Japão, a vila, era o pior cenário que ninguém jamais poderia ter explicado - não, ninguém poderia ter sequer imaginado uma situação como essa.
Atualmente, apenas Basara e Takigawa Yahiro estavam diretamente envolvidos no conflito contra Shiba no salão cerimonial; Naruse Mio, Nonaka Yuki e Nonaka Kurumi, por outro lado, correram para o local da batalha, tendo captado os sons estrondosos da batalha; Considerando que os três anciãos da vila, Fuji, Atsuta e Kumano, juntamente com o pai de Shuuya, Kurumi e Yuki, bem como o restante dos líderes de alto escalão, se reuniram, pois todos os membros da vila do Japão deveriam realizar um conferência sobre como lidar com a situação atual.
Além disso, Takashi e Celis, tendo sofrido ferimentos graves após colidir com Shiba, haviam sido entregues aos médicos para atendimento emergencial. E em meio a tudo isso ...
"- De qualquer forma, nossa situação atual é como acabei de descrever."
Toujou Basara, que estava um pouco mais distante do salão cerimonial, estava explicando o estado atual das coisas para Mio e os outros enquanto eles o alcançavam.
Ao mesmo tempo, Maria e Zest, que agora estavam fora da Vila, ao contrário do resto do grupo, também estavam ouvindo a conversa pelo telefone celular de Basara, que ele segurava na mão direita enquanto elucidava o assunto para eles.
"Eu entendo o que está acontecendo a partir de agora, mas ... o que vamos fazer sobre isso, Basara?"
Mio foi a primeira a falar depois que Basara terminou de explicar, enquanto perguntava o que eles deveriam fazer daqui em diante. Não que ela pedisse imediatamente o julgamento de Basara, sem dar sugestões próprias, decorrente de sua dependência dele ou do fato de ter desistido de pensar; pelo contrário, ela estava completamente ciente do fato de que a situação atual, como a conferência que a Vila teve com Celis, a inquisidora do Vaticano, no salão cerimonial, era um assunto político altamente sensível.
"......" "......"
Yuki e Kurumi agora compartilhavam o mesmo olhar que Mio enquanto olhavam para Basara.
Provavelmente Maria e Zest, os dois estavam esperando a resposta de Basara do outro lado da ligação, também possuíam a mesma expressão.
Ambos estavam bem cientes da gravidade da situação.
E eles também sabiam que ir para a batalha de forma imprudente só pioraria as coisas também.
As emoções fervorosas eram, acima de tudo, uma ferramenta conveniente para usar na política; era essencial que ficassem calmos, não importando o que evitar que seus sentimentos fossem usados ​​contra eles. Por mais zelosos que fossem os fogos do coração, era crucial que a mente fosse composta a todo custo; ninguém no grupo de Basara não estava familiarizado com esse conceito.
A visita deles a vila dessa vez foi por uma razão política, afinal.
E, em resposta à sua pergunta, Basara falou calmamente, mas com clareza, da opinião dele sobre a situação.
"Não tenho idéia de quais são as intenções de Shiba, nem de seu paradeiro atual ... embora, pela maneira como ele soou antes de partir, estou confiante de que não será um problema que possamos ignorar."
E se alguém perguntasse por que -
“A decisão de selá-lo pelos anciãos foi por medo de que ele fosse considerado uma existência mais poderosa que a raça humana, além de ser alguém cuja mente é perigosa para eles. E como está agora, ele também roubou um poder a par do meu Banishing Shift e desapareceu...
Basara já havia tomado sua decisão.
"- Nós absolutamente não podemos sentar e não fazer nada."
Esta foi a resposta que ele obteve para si mesmo depois de contemplar cuidadosamente todos os fatores envolvidos; ele mesmo, as circunstâncias atuais, bem como a situação entre a Vila e o Vaticano, e ele até considerou quais implicações sua escolha teria no Reino dos Demônios.
“Claro, também há a possibilidade de eu estar pensando demais nas coisas, e talvez Shiba-san esteja satisfeito depois de obter sua liberdade e ele simplesmente se esconderá sem deixar rastro. Não é uma possibilidade totalmente desprezível, mas se ele realmente tem algo em mente ... não há como dizer que as coisas piorarão se fecharmos os olhos para ele. ”
Basara enfatizou mais uma vez a extremidade da situação.
“Ele roubou os Quatro Deuses, assim como o Georgius de Celis. O pior que podemos esperar é que ele pretende nos colocar em uma situação desamparada, onde ele aproveitou um poder tão poderoso que não seremos capazes de ter uma chance, mesmo se unirmos forças. ”
Seria muito tarde para todos, se isso acontecesse.
"É por isso que temos que parar o Shiba agora, não importa o quê ... e através de nossos próprios esforços."
A voz de Basara era o epítome da determinação enquanto ele dizia essas palavras.
“Mas isso significa ...” “Primeiro precisamos descobrir onde Shiba está, certo?”
Ao ouvir as sugestões de Yuki e Kurumi, Mio, junto com Maria e Zest do outro lado do telefone, ficou em silêncio em resposta.
Como eles procurariam Shiba quando ele poderia desaparecer tão bem como se estivesse no ar? Contudo,
"Eu tenho uma ideia."
Basara murmurou, como todos os olhos agora eram todos ele.
"É simplesmente o que eu preciso..."
E como Basara estava prestes a continuar explicando,
"- Basara-kun."
Alguém de repente o chamou por trás. Era o pai de Yuki e Kurumi, Nonaka Shuuya, que deveria discutir contramedidas após o ataque de Shiba com o resto dos anciãos. Quando Basara se virou e o reconheceu quando este se aproximou, ele esperou que ele chegasse à sua frente antes de perguntar:
"Tio, os anciãos ... a Vila tomou uma decisão?"
Shuuya balançou a cabeça com uma expressão severa no rosto.
“... Infelizmente, ainda não houve veredicto. Não podemos negar que temos total responsabilidade por Kyouichi ficar fora de controle, mas quem o ajudou a escapar e roubar os Quatro Deuses era um demônio disfarçado de assistente do Vaticano. ”
E além-
“E isso não está considerando o fato de que Georgius de Celis também foi roubado ... embora a Vila e o Vaticano estejam discutindo planos para lidar com tudo isso através da mágica da comunicação no momento,
E quando Shuuya deu sua resposta—
"- Quanto tempo até esses velhos dar a volta e resolver isso de uma vez?"
Takigawa, que estava encostado em uma parede do salão cerimonial quebrado e ouviu silenciosamente a conversa do lado de fora, bufou em resposta quando se revelou.
“É típico daqueles superiores envolvidos na política gostar de falar sobre autoproteção e direitos. E para evitar que outras facções do Clã dos Heróis espalhadas pelo mundo critiquem a Vila e o Vaticano, elas simplesmente fingem ter se acalmado depois de unirem-se temporariamente depois de se arrastarem e se culparem nessa confusão. ”
No entanto , disse Takigawa,
“Pensem bem, esse pessoal do Vaticano sempre foi tão duro, não é? Eles foram tão longe quanto enviar aquela loirinha - Celis era o nome dela, eu acho? - atuar como inquisidora da discussão política, para que as coisas favoreçam o lado deles e diga a ela para desembainhar a espada sagrada que lhe foi dada para a batalha, se as coisas não acontecerem ”.
Por outro lado,
“A Vila também queria usar esse Shiba o lunático como um trunfo contra o Vaticano ... não acho que nenhum dos lados cederá tão facilmente.”
"Mas... como Basara-sama colocou mais cedo, parece que o Vaticano não quer mais discutir a custódia de Basara-sama e a de todos nós pela vila."
Foi Zest quem falou abruptamente do outro lado do telefone.
"Ignorando toda a batalha entre Basara-sama e Celis anteriormente, não deveria haver problemas reais para ambos os lados cooperarem neste momento?"
"Infelizmente, não é tão simples assim, temo."
Uma expressão irônica apareceu no rosto de Shuuya enquanto ele explicava o porquê.
“Talvez essa seja apenas a minha opinião pessoal ... mas acho que o Vaticano não desistiu simplesmente porque finalmente aprovou seu grupo ou a vila. Eles ainda têm que pensar além da conclusão original a que chegaram e permanecem com a impressão de que nossa custódia do seu grupo permanece inadequada e inexistente. Mas desde que Celis-kun perdeu para Basara-kun, eles não estão mais tomando medidas extremas para defender sua posição o tempo todo, insistindo firmemente na noção com que chegaram aqui. ”
Assim sendo-
“Eles podem aprovar o que a vila atualmente tem a dizer na superfície, e fingir que nossa custódia de você não está faltando nada disso ... mas, no momento em que seu grupo causar problemas com relação a qualquer parte inocente, eles imediatamente apreenderão a oportunidade e negue a capacidade da vila de controlar vocês e rotular seu grupo como uma ameaça perigosa. Não é exagero supor que eles próprios possam facilitar essa oportunidade. ”
"Mas isso é ... então que tal ..."
As palavras saem de uma Mio atônita, como se ela estivesse gemendo sobre a situação. Mesmo depois de toda a discussão política no salão cerimonial e a luta até a morte entre Basara e Celis, as coisas ainda não mudaram para melhor? E percebendo o visivelmente perturbada Mio,
"Não se preocupe ... não importa o que eles tenham na manga, estaremos prontos."
Basara agora possuía as bênçãos divinas de Hasegawa Chisato - também conhecido como Afureia, bem como uma de suas mães, Raphealine, dois membros dos poderosos Dez Deuses. Qualquer tática secreta em qualquer tentativa de prejudicar ou degradar Basara resultaria na produção de Kegare. Mesmo que os superiores do Vaticano cortassem quaisquer pontas soltas para evitar que a responsabilidade caísse sobre eles, a produção dos Kegare, como resultado da ordem de assassinato, provavelmente ainda aconteceria sob os verdadeiros autores que o ordenaram. .
Basara provavelmente seria capaz de expor o verdadeiro mentor por trás das cordas do jeito que ele era agora. Se o Vaticano negasse o envolvimento dos superiores quando questionado sobre isso, o Kegare recém-produzido seria a verdade que triunfaria sobre qualquer jogo de palavras que eles usassem para responder suas reivindicações.
“Mas voltando ao nosso tópico, nosso plano original era impedir que a Vila e o Vaticano nos vissem como uma ameaça e eliminar todas as relações e restrições estrangeiras. Por um lado, precisamos parar Shiba antes que ele consiga o que quer e, por outro, não podemos permitir que eles nos vejam como mais perigosos do que já somos para eles. ”
"Então, vamos exigir liberdade garantida e proteção da Vila e do Vaticano com a condição de pararmos Shiba?"
Kurumi perguntou, vincando as sobrancelhas.
"Não, isso pode ser apenas um tiro pela culatra em nós ... mesmo se obtivermos nossa proteção e liberdade, podemos acabar aumentando seu medo de nós."
Basara continuou,
“A vila e o Vaticano provavelmente não querem mais julgar e considerar daqui em diante. Se eles aprovassem que agíssemos por conta própria e se a situação piorasse ... tudo dito, seriam eles que precisariam assumir a responsabilidade. Se nosso pedido trouxesse esse tipo de risco para eles, não sabemos quanto tempo levará até que eles oficialmente nos permitam fazer isso. ”
E por causa disso-
“Se fôssemos contornar essa estupidez, estaríamos dando mais tempo para Shiba, que agora quer refinar os Quatro Deuses no momento, para conseguir o que ele quer. Espere mais um pouco e ele terá feito isso mais cedo ou mais tarde - e teremos chances de vitória jogada pela janela.
Portanto-
“Não vamos esperar a vila e o Vaticano tomar uma decisão. Agiremos agora com o que temos. Quanto mais cedo nos movermos, maior a chance de derrotar Shiba. ”
“E, sendo esse o caso, se algo acontecer nesse meio tempo, precisaremos assumir total responsabilidade. Seria conveniente para a Vila e o Vaticano, mas estaríamos inevitavelmente correndo o risco conosco. ”
"... Se derrotássemos Shiba com sucesso, seríamos capazes de ganhar o favor da Vila e do Vaticano."
Yuki deduziu a intenção de Basara corretamente, como se ela tivesse ouvido as palavras exatas da frase anterior.
"Está certo. Já demos nossos pedidos durante nossa conferência no salão cerimonial, e essa pode ser a maneira mais rápida de obter sua aprovação. Em vez disso, ou dar a impressão de que somos uma ameaça ou queremos negociar termos, talvez seja melhor resolvermos o problema deles nos bastidores para conquistá-los. ”
"Suspiro ... sério, somos tão azarados, não somos?"
Imaginar a expressão resignada de Maria do outro lado da ligação provocou uma risada irônica de Basara.
“Sim ... me fale sobre isso. Mas todos estaremos com problemas de qualquer maneira, se não fizermos algo sobre Shiba. Se não podemos evitar lutar com ele, temos que ver os preparativos futuros, não é?
Mio e os outros sorriram em aprovação à sugestão de Basara.
"Basara-kun, você realmente quer fazer isso?"
Shuuya perguntou, parecendo hesitante sobre a discussão.
"Sim ... acho que este é talvez o melhor curso de ação para nós agora."
Basara assentiu com confiança enquanto dirigia a preocupação de Shuuya.
"Só que eu tenho dois favores para pedir a você, tio."
“Do que você precisa? Farei o meu melhor, desde que esteja dentro das minhas capacidades ... ”
“Por um lado, para que seja mais fácil para Yuki e Kurumi lutar comigo ... eu preciso da Sakuya e da Manopla do Espírito. Preparar qualquer outra arma desperdiçaria muito mais tempo, e receio que o fato de não estarem acostumadas a outra arma nos colocaria em desvantagem em derrotar Shiba-san. ”
"Eu entendo ... vou pensar em algo para conseguir essas armas para elas."
E depois que ele concordou com o primeiro pedido,
"E o outro favor?"
“É o Byakko. Shiba-san roubou três dos quatro tesouros dos Quatro Deuses, bem como o Georgius de Celis, e o Byakko, sendo um dos quatro tesouros sagrados, deve ser capaz de detectar as ondas das outras três armas ... em outras palavras, é É necessário que tenhamos o Byakko conosco para localizar Shiba-san. É por isso que preciso da permissão dos anciãos para usarmos o Byakko - fora da vila. ”
Esse era o método que Basara havia pensado para localizar o paradeiro de Shiba.
"É verdade que esse pode ser o melhor curso de ação até agora... mas os anciãos e os outros membros da vila de bom grado o concederão a nós?"
Zest perguntou do outro lado do telefone ao perceber a sugestão de Basara.
"Os anciãos realmente concordam com tudo isso?"
Kurumi estava visivelmente preocupado com as poucas chances que possuíam.
“É um papel que só você pode desempenhar para nós agora, tio. Sinto muito lhe causar muitos problemas mais uma vez."
“Oh, não, por favor, não se preocupe com isso ... eu disse que faria o meu melhor por você, certo? E ambos os seus pedidos estão dentro dos meus recursos; você pode contar comigo."
Depois que ele disse essas palavras, Shuuya se virou e saiu da área sem demora.
Talvez ele tivesse ido buscar imediatamente as armas de Yuki e Kurumi.
E depois que ele decidiu que Shuuya tinha ido embora por uma distância adequada,
“Ei, Basachi ..., lembre-se de que a lança sagrada Byakko rejeitou o cara Shiba. Provavelmente porque já escolheu esse loiro de olhos escuros como manejador ... seu amigo de infância, correto?
Foi então que Takigawa começou a falar.
"Do jeito que as coisas estão agora, você realmente acha que vai ficar sentado e de bom grado deixar você usá-lo?"
“... não posso dizer que estou muito confiante. Só isso não tenho garantia.
Em resposta à honestidade de Basara, as sobrancelhas de Takigawa se fecharam.
"Ei, ei, você está sendo bastante confiante, não é ..."
“Estou apenas declarando os fatos. Não posso evitar, posso?
Basara deu de ombros e disse:
No entanto, não há dúvida de que será uma tarefa difícil, não é?
Toujou Basara contemplou a possibilidade de ser compatível com o Byakko.
- O Byakko já havia selecionado Takashi como seu portador.
Pode até estar ao lado de Takashi enquanto ele estava inconsciente na área médica, mesmo agora. E Takashi havia usado o Byakko contra Basara no passado, e o Byakko havia sido quebrado por Basara no meio da luta.
Era bem provável que o Byakko não reconhecesse Basara como um aliado - poderia até vê-lo como um inimigo.
E ainda-
"Não temos outras opções ... nesse caso, teremos que descobrir uma maneira de convencê-lo a nos ajudar."
Basara disse, como se estivesse tentando se convencer de que as coisas iriam bem, de um jeito ou de outro.
“Basara-san, e eu e Zest-san? Vamos nos encontrar com você por enquanto?"
"Não. Vocês duas são demônios, e chegar à vila pode atrair atenção indesejada e complicar as coisas mais do que o necessário. Especialmente considerando o estado altamente sensível dos anciões agora - faríamos bem em não incomodá-los mais.”
Assim sendo-
“Vou entrar em contato com você novamente quando Yuki e as armas das outras, bem como os Byakko estiverem em nossas mãos. Depois de encontrar uma pista sobre o paradeiro de Shiba-san, nos encontraremos enquanto estivermos na estrada. ”
"Entendido. Faremos os preparativos para estarmos prontos para mudar a qualquer momento.
Depois que Basara encerrou a ligação, depois que Zest e Maria receberam seus pedidos, ele se virou para Mio e os outros.
"Os procedimentos médicos de Takashi e Celis devem estar completos agora, então vou visitá-los por enquanto e depois ... vou tentar conversar com o Byakko."
Ele precisava pedir para fornecer o poder dos Quatro Deuses para que ele pudesse localizar Shiba.
"Yuki e Kurumi, depois que seu pai devolver suas armas para você, faça os preparativos para sair como o resto deles."
"Mmm." "Entendi."
E depois que Basara acenou para eles em resposta, ele voltou para Mio.
"Mio ... vá com eles."
"Mmm ... não se preocupe, eu não vou sair de lugar nenhum."
Embora a Vila agora se declarasse em estado de emergência após a fuga de Shiba, e a maior parte de sua atenção estivesse agora principalmente sobre ele, esse lugar ainda era a sede da facção japonesa do clã dos herois, e o fato era que Mio era o filha do rei demônio anterior.
É verdade que Takigawa havia trazido uma carta pessoalmente escrita pelo Rei Demônio solicitando ir junto com o grupo de Basara, e enquanto isso fazia com que o Clã dos Heróis evitasse colocar um dedo no grupo de Basara para evitar um conflito em grande escala ...
Pelo contrário…
Usar Mio como refém seria segurar a última arma secreta na mão.
Ela seria tão eficaz como refém contra o grupo de Basara quanto com o Clã Demoníaco.
E Mio também entendeu a gravidade do risco que a envolvia. E sabendo disso, ela entendeu a intenção por trás das palavras de Basara e se preparou para não acabar sozinha.
... E com isso, tudo o que resta é ...
Ao pensar nisso, ele se virou para um certo alguém que permaneceu.
"Takigawa ... quais são seus planos daqui em diante?"
Takigawa respondeu à pergunta de Basara com um silêncio sem palavras.
É por isso que todos os olhos foram repentinamente postos nele.
Como demônio, certamente Takigawa também entendeu a gravidade de sua situação atual.
Então ele deu de ombros e se explicou sob o olhar de todos os membros do grupo de Basara:
“Sim, sobre isso... eu também não sei. Eu só vim dessa vez como mensageiro do Clã dos Heróis. Sei que vocês estão com urgência agora, mas do jeito que as coisas estão agora, não cabe mais a mim decidir o que eu faria a seguir.
Depois de tudo-
“Estou realmente irritado e odeio a posição em que estou agora. Muito parecido com as Excelências Leonhart e Ramusas-dono, agora sou um intermediário representando o senhor do demônio que está reinando no momento, bem como a facção moderada. Se nos movermos descuidadamente, não há como dizer se aquele cara do Shiba tiraria vantagem disso. ”
E assim
“Eu deveria estar dizendo adeus a todos vocês agora e relatar as coisas no Reino dos Demonios... Acho que é melhor dizer que estou em apuros de verdade se não voltar e apresentar minhas descobertas em breve. "
"Por causa da irmã mais velha de Leonhart?"
"Sim. Se eu estragar tudo, não posso dizer que vou gostar da minha cabeça dançando impensadamente no ar. ”
E além-
Não esqueça. Mesmo que os 'Cardeais' não existam mais, isso não significa que o Reino dos Demônios... o Clã dos Demônios estará totalmente unido. E de uma maneira ou de outra, de alguma forma, mesmo que tratassem vocês como você deseja, há uma chance abundante de que tudo se revezasse num piscar de olhos. ”
"…Você está certo. Compreendo."
Basara não tinha nenhuma margem de manobra para tratar de assuntos relacionados ao Reino dos Demonios no momento. Embora não houvesse dúvida de que a noção de ter Takigawa... ou talvez até mesmo Ramusas ou Leonhart como aliados de sua batalha, era muito reconfortante.
E foi apenas porque membros influentes do Clã dos Demônios existiram entre suas fileiras que apoiaram a proteção de Mio - Ramusas em particular - que a carta secreta que eles enviaram ao Clã dos Heróis incluiu a discussão do santuário destinado ao grupo de Basara. Provavelmente eles estavam prestando sua ajuda caso Mio estivesse em grave perigo a qualquer momento.
Mas se fosse esse o caso ...
Basara e os outros pareceriam estar do lado do Reino dos Demônios aos olhos do Clã dos Heróis. Mesmo que eles resolvessem o problema de Shiba ficar fora de controle, o Clã dos Heróis continuaria a exercer potencialmente mais cautela e vigilância em relação ao grupo de Basara no futuro.
E se Leonhart ou Ramusas prestassem sua ajuda ao grupo de Basara, seria uma oportunidade perfeita para facções que não apóiam o Lorde Demônio atualmente em reinado para cortar sua aliança existente, não é? Se isso acontecesse, não seriam apenas as relações com o Clã dos Heróis que seriam comprometidas; até o do Clã Demoníaco também sofreria.
Sob essa base, Takigawa retornando ao Reino dos Demônios e trabalhando para suavizar sua aliança seria mais apropriado e útil do que pedir ajuda ao Clã Demoníaco.
- A coisa mais importante para o grupo de Basara agora era manter o equilíbrio e a sensação de distância entre todos os lados.
Entre o Clã dos Heróis e o Clã dos Demônios, o grupo não cortaria todos os contatos nem trataria os dois lados igualmente; o melhor curso de ação era manter as respectivas e apropriadas relações e distância entre os dois.
Avaliando a situação em nível pessoal e familiar, alguém poderia pensar que os membros remanescentes do Clã Demoníaco em torno de Mio e a desordem no Reino dos Demônios eram coisa do passado após a batalha contra a facção do Rei Demônio, bem como a destruição dos 'Cardeais'; no entanto, do ponto de vista político em relação ao grupo de Basara e aos clãs Herói e Demoníaco do conflito, as coisas só pioraram e as coisas ficaram mais complicadas e difíceis daqui em diante.
Mas tal coisa era inevitável - com uma quantidade crescente de coisas que se estimava ou se queria proteger, era certo que essa complicação se seguiria. E se ele realmente não queria perder nada disso, ele não tinha escolha para executar o que precisava ser feito na carta.
Mesmo que ele não pudesse fazer isso de forma elaborada ou perfeita, ele tinha que pelo menos defender a linha mínima para si mesmo.

Estou fazendo isso para proteger o que não posso deixar de lado. Como Basara se lembrou disso -
"... Bem, já era hora de eu ir."
Como Takigawa estava prestes a virar e sair,
“Obrigado, Takigawa. Devemos isso a você pelo fato de termos conseguido interagir com Celis e os anciões. Depois que tudo isso acabar, deixe-me convidá-lo para almoçar novamente, como da última vez.
"Haha, será porco assado de novo?"
"Sim - eu vou adicionar um pouco de shabu-shabu e sukiyaki em cima disso."
Takigawa e Basara trocaram risadas leves enquanto terminavam suas brincadeiras.
"Até mais."
Takigawa virou-se, levantando a mão para dizer adeus antes de desaparecer na escuridão.
"Sim."
Basara também assentiu em resposta antes de se virar para deixar Takigawa.
Takigawa tinha seu próprio negócio para cuidar; Basara estava simplesmente fazendo o mesmo, nada mais do que isso.



Parte 2
Depois que Basara se separou temporariamente de Mio e dos outros, ele foi ao departamento médico da Vila.
Ele foi lá para visitar a sala onde os feridos foram atendidos há pouco tempo.
Takashi e Celis, os dois que estavam gravemente feridos em meio à luta contra Shiba e Balflear, agora estavam descansando lá dentro.
E a pessoa que os tratava era a mãe de Yuki e Kurumi - Nonaka Kaoru.
E quando Basara perguntou a ela sobre a condição dos dois pacientes,
“Celis-chan foi tratada com sucesso ... então enquanto ela estiver dormindo por um tempo, ela acordará automaticamente eventualmente quando não houver mais nenhum perigo grave para seu corpo.
"É isso então…"
Parte de Basara sentiu-se aliviado, mas era muito cedo para pensar no melhor. Não era porque Shiba estava à solta e seu paradeiro era desconhecido, mas o fato de Kaoru ter feito a declaração individual de que “Celis-chan foi tratada com sucesso” significava que havia um contraste.
"Kaoru-san ... então e Takashi?"
Na pergunta de Basara, Kaoru ficou em silêncio por alguns momentos, sua expressão rígida. E depois,
"Eu tentei o que pude ... mas com pouco proveito."
"Ele foi envenenado ou amaldiçoado de algum tipo?"
“Não, não consegui encontrar nenhuma causa externa. É por isso que devo lhe perguntar, Basara-kun, se você em particular pode sentir como se pudesse notar algo dentro de Takashi-kun? ”
"Você está falando de mim?"
"Sim. A eliminação completa causada pelo Banishing Shift é resultado da invocação que rompe seu núcleo específico, e sua capacidade de usar essa técnica se deve ao fato de você ter nascido com olhos diferentes. Desde então, você aprimorou seu poder através das muitas batalhas que travou ao lado de Naruse Mio e das outras, não é? Estou errada?'
Ao ouvir suaa palavras, Basara se surpreendeu com o olhar sábio da mãe de suas amigas de infância.
É verdade que ele possuía o poder dos contratos de Mestre-Servo feitos com Mio e as outras, além do fato de ele ser o anfitrião de Byrnhildr até agora ... além de seu contrato com Hasegawa, um membro dos Dez Deuses, Basara, o como ele estava agora, possuía um poder que o tornava indistinguível de seu eu anterior quando ele morava na Vila - não, talvez até mesmo um poder que estava em um nível completamente diferente agora. Era provável que Kaoru não conhecesse toda a verdade da situação, e ela provavelmente havia adivinhado que o estado atual de Basara era diferente do que era antes. Contudo,
"......"
Basara não disse nada, reafirmando sua suposição em silêncio.
Se ele afirmasse diretamente o que ela dissera, Kaoru estaria ciente da verdade ao máximo.
E o conhecimento de uma verdade ou realidade em particular, às vezes, prenderia a pessoa com o ônus das responsabilidades que vieram com as notícias.
Por mais óbvia que fosse a verdade, confirmar diretamente suas suspeitas a incomodaria, dada sua posição específica sobre o assunto.
“————”
Basara permaneceu em silêncio, seus olhos fixos na forma debilitada de Takashi enquanto ele estava deitado na cama.
E quando ele notou a oscilação do centro composto de seu corpo - o que era o núcleo que mantinha a existência de Takashi, Basara supôs o estado incomum de Takashi.
"Isto é…"
"Como eu pensei ... seus olhos também podem ver que algo está terrivelmente errado com Takashi-kun do jeito que ele esta agora."
O tom de Kaoru era grave quando ele transmitiu a realidade da situação a Basara, que tem as sobrancelhas unidas em um olhar perplexo.
- Basara e Kaoru provavelmente tinham uma perspectiva diferente do que havia em Takashi.
Era porque os dois o observavam com suas diferentes habilidades.
Mas os dois detectaram o mesmo distúrbio dentro dele, apesar dessa diferença - essa era a extensão da situação atual de Takashi.
A questão foi a terrível estagnação que se acumulou no corpo de Takashi; foi uma ocorrência muito antinatural.
Kaoru-san estava certo; isso não era envenenamento nem maldição.
Se algo de errado com Takashi ocorresse como resultado de uma causa desconhecida, os olhos de Basara seriam capazes de detectá-lo, de um jeito ou de outro.
Mas o corpo de Takashi não tinha vestígios de anormalidades causadas por uma fonte externa.
…Está certo.
Basara lembrou-se da curta conversa que teve com Takashi depois de ser machucado por Shiba.
Takashi havia dito isso sozinho - embora ele devesse ter se defendido do ataque de Shiba, ele sofreu danos graves no processo.
Foi por isso que Basara inicialmente suspeitou que Takashi havia sido envenenado ou amaldiçoado.
… Será que o problema era realmente… o próprio corpo de Takashi?
Como isso poderia ser? Era óbvio aos olhos de Basara que o interior do corpo de Takashi se tornara terrivelmente instável.
Era como se o próprio corpo de Takashi tivesse sido arrancado, de tal forma que seus mecanismos de recuperação ou auto-recuperação estavam falhando. E embora ele não pudesse deduzir com precisão o que provocou o estado atual de Takashi, era provável que - não, essa fosse, sem dúvida, a causa real da condição de Takashi, não foi?
O problema estava no segredo peculiar do poder não identificável que Shiba possuía. E enquanto Basara pensava nisso,
…Esperar. E se -
Enquanto Basara continuava pensando profundamente, uma possibilidade passou por sua cabeça.
“... Com licença, Kaoru-san. Mas poderia nos deixar em paz por apenas um momento?
"Eu não me importo com isso, mas ..."
Kaoru pareceu hesitante enquanto dizia essas palavras. Sob circunstâncias normais, para Kaoru, responsável pela atenção médica da condição ainda instável de Takashi, deixar Takashi apenas traria um grande risco. Contudo,
"Por favor ... não vou demorar muito."
Basara insistiu em seu pedido de qualquer maneira. Ele não a deixou entrar nos detalhes, e simplesmente com o olhar só lhe deu sua intenção - que ele queria tentar alguma coisa. Então Kaoru respondeu, como se entendesse o que Basara queria dizer,
"Entendo ... eu estarei na sala ao lado, se você precisar de mim, então me chame se precisar de alguma coisa."
Kaoru deixou para trás essa frase e saiu da sala.
Basara virou-se para encarar o Takashi acamado mais uma vez.
E quando a visão do sedimento estagnado no corpo de Takashi brilhava em seus olhos,
Tentando eliminar esse sedimento, ele levantou a mão direita.
E manifestou o Byrnhildr nele.
Seria semelhante na época, quando ele eliminou o poder de Wilbert dentro de Mio, quando este ficou fora de controle.
Ele não estaria prejudicando Takashi; ele simplesmente usaria o Banishing Shift para eliminar a estagnação que havia nele.
A mudança não ocorreu em Takashi - mas algo apareceu de repente ao seu lado do nada.
"... Byakko."
A lança do espírito branco se materializou na frente de Basara, flutuando em seu caminho como se fosse proteger Takashi dele.
E em resposta ao Byakko,
“Não precisa se preocupar ... não tenho intenção de machucar Takashi. Tenho certeza que você pode sentir isso, certo?
Como ele disse, ele fez algo para provar que ele realmente quis dizer o que havia dito.
Ele desmaterializou o Byrnhildr que acabara de manifestar na mão direita.
E depois que ele fez isso, ele estendeu a mão vazia em direção a ela e disse:
“Eu quero ajudar Takashi - então, por favor, mesmo que seja um pouco. Me empreste seu poder, Byakko.
Basara tinha sido o manejador de Byrnhildr somente depois que a tragédia aconteceu muitos anos atrás.
No entanto, o Banishing Shift era uma técnica que ele havia aprendido antes que ocorresse.
É claro que os Byrnhildr se tornaram a arma favorita de Basara até hoje.
Não havia dúvida de que o Byrnhildr era a arma mais fácil que Basara poderia usar; o pensamento de usar qualquer arma que não fosse nunca lhe passou pela cabeça. Mesmo durante esse período em relação a Mio e a partir de então, Basara sempre se destacava de todos eles com o Byrnhildr. Como tal, se ele simplesmente conjurasse o Banishing Shift, utilizar o Byrnhildr, pois, em casos normais, seria a opção desejada.
Contudo…
Basara estava convencido de que não havia outra maneira senão usar o Byakko se ele quisesse salvar Takashi.
O 'Banishing Shift' era uma técnica que requeria concentração absoluta para ser executada. E o objetivo da referida técnica, neste caso, estava dentro do corpo vivo - em um cenário com tal especificidade, tanto mais seria necessário o cuidado mais extremo e uma alta resistência ao nervosismo ou tensão. Como tal, comparado ao Brynhildr dando a Basara a capacidade de lançar o Banishing Shift em resposta ao apelo de Basara para salvar Takashi, lançando-o com o Byakko, que já possuía a intenção de salvar seu portador, com probabilidade de gerar uma chance maior de sucesso.
A lança sagrada, o Byakko, não era simplesmente uma mera ferramenta - muito parecida com o Brynhildr, a espada mágica, era uma arma que lutava ao lado da pessoa que reconheceu como seu legítimo manejador.
Talvez fazê-lo dessa maneira e usar o Brynhildr para esse assunto fizesse apenas a menor das diferenças.
E, no entanto, o sucesso de algumas coisas, dependia das menores diferenças para decidir se teria sucesso ou fracasso. E o resultado do sucesso ou fracasso significava tudo neste exato momento.
"Byakko ..."
Basara chamou o nome da lança mais uma vez, enquanto o Byakko continuava flutuando entre Basara e o inconsciente Takashi.
Seu corpo, no entanto, que brilhava inicialmente com uma luz de um brilho mais escuro, acalmou-se um pouco, como se estivesse de acordo com seu pedido.
Assim, Basara estendeu as mãos lentamente, antes de receber o eixo com força.
Segurando firmemente a lança que era para proteger o Ocidente - o Byakko - ele descobriu que não havia resistência da lança branca em suas mãos.
"Obrigado…"
Basara agradeceu a lança sagrada que ele agora segurava em suas mãos, antes de tomar uma decisão.
Do jeito que as coisas estavam agora ...
Ele decidiu que era melhor simplesmente abafar a estagnação dentro do corpo de Takashi, em vez de eliminá-la completamente.
O sedimento estagnado dentro do corpo de Takashi não veio de uma fonte externa.
Uma parte teimosa do corpo de Takashi havia se transformado em um estado que produziria reações negativas, e se ele resolvesse isso através do processo de eliminação, acabaria banindo a carne ao redor da infecção também. Minimizar o dano ao corpo de Takashi significaria que simplesmente remover o sedimento era a única opção, e era um processo que seria comparativamente menos difícil.
E ainda…
Embora possa ser mais fácil do que a instância com Mio no papel, a dificuldade estava na diferença no procedimento.
- Basara havia eliminado o poder de Wilbert no exato momento em que ele explodiu do corpo de Mio naquela época.
Ele absolutamente não poderia ter destruído Mio naquela época, mas ele conseguiu se livrar completamente do poder transbordante dentro dela.
A diferença aqui era que ele deveria remover a parte do corpo de Takashi que estava infectada com o sedimento estagnado para retornar seu estado original.
E ele não deveria eliminar nada ao fazê-lo também.
Isso mesmo - ele não deveria eliminar o que havia dentro dele, mas removê-lo para restaurá-lo ao seu estado original. E ele teve que fazer isso com o 'Banishing Shift'.
- Era realmente possível para ele fazer isso?
Basara não tinha garantia ou confiança para fazê-lo.
Contudo…
Como não havia outra opção, Basara decidiu que apenas seguiria em frente.
“—————”
Toujou Basara aguçou seu espírito enquanto preparava o Byakko na mão.
...Takashi.
Basara pensou no fato de que ele e Takashi não podiam mais recuperar o relacionamento que compartilhavam no passado.
No entanto, era possível que eles construíssem um novo relacionamento no futuro.
E não importa o que acontecesse, isso não mudaria o fato de os dois serem amigos de infância.
...Ele teve que ter sucesso.
Não quero perder um amigo de infância... absolutamente não quero mais perder ninguém importante para mim. Foi por isso que...
"Apenas espere, Takashi ... eu vou deixá-lo à vontade agora."
E com esse murmúrio, Toujou Basara desencadeou o 'Banishing Shift',
Basara tinha apontado para o lado esquerdo do peito de Takashi.
- O que ele pretendia usar não era a ponta da lança, mas o fim do cabo.
Era mais apropriado dizer que ele pretendia golpeá-lo, em vez de esfaqueá-lo.
Era tudo por uma questão de minimizar o máximo possível de danos ao corpo de Takashi - e simplesmente causar um choque que abafaria a estagnação dentro dele.
A técnica estava no mesmo nível de artes marciais do mais alto calibre, como karatê ou artes marciais chinesas, em termos de infligir um ataque direto.
O plano de Basara era lançar o 'Banishing Shift' utilizando uma lança que ele não estava familiarizado.
No entanto - ainda seria um inequívoco do 'Banishing Shift'.
Mesmo o menor erro significaria que o objetivo do 'elenco' desapareceria completamente. Era necessário que ele atingisse o limite absoluto de sua concentração e se concentrasse meticulosamente em fatores como posição, força e tempo.
E mesmo assim—
O Byakko provavelmente cobriria qualquer insuficiência presente durante o procedimento.
A divindade guardiã de uma besta dentro do Byakko, um membro dos tesouros sagrados conhecidos como os Quatro Deuses, serve para proteger qualquer existência que tenha reconhecido como seu portador.
Não por repouso ou dependência - mas por confiança. E assim,
“——————”
Basara, que lançou uma variação diferente do 'Banishing Shift', retirou lentamente a mão que estava segurando o Byakko.
Embora o corpo de Takashi permanecesse inalterado à primeira vista, ainda havia diferenças visíveis.
Como sua expressão - e sua respiração.
"..."
O olhar dolorido e a respiração de Takashi gradualmente se acalmaram em um estado mais confortável.
Além disso, Basara não conseguia mais detectar a estagnação dentro de seu corpo que era visível há pouco tempo.
Ainda era muito cedo para supor que tudo correra bem; posteriormente, Basara foi para a outra sala e chamou Kaoru, que estava em espera na outra sala, para reafirmar a condição de Takashi.
E depois de examinar Takashi novamente, Kaoru soltou um suspiro e relaxou os ombros.
"Está tudo bem agora ... a medicação e a magia devem ter efeito agora."
"Isso é... graças a Deus ..."
Depois de ouvir essas palavras, o peito de Basara finalmente se iluminou.
Ele havia conseguido salvar Takashi - tendo tomado conhecimento de tal conclusão, a primeira coisa que lhe ocorreu foi alívio.
"Takashi ..."
Ele chamou o nome de seu amigo de infância, olhando atentamente para seu estado de sono.
Ele não tinha vontade de acordá-lo - ele entendeu que precisava descansar mais do que qualquer coisa naquele exato momento.
Havia muitas coisas que ele queria lhe dizer - mas, por enquanto, bastava colocar seus sentimentos na simples menção de seu nome. Ele simplesmente os transmitia em detalhes mais tarde, quando retornaria; havia um lugar onde ele e os outros não podiam se dar ao luxo de não ir no momento. Foi então que o olhar de Basara caiu na mão direita.
"Byakko ... por favor, me empreste um pouco mais do seu poder."
Como se respondesse ao apelo de Basara, o cabo do Byakko - a lança sagrada, que o ajudara a resgatar Takashi, pulsava-a nas mãos de Basara.
E com isso, o aperto de Basara na alça aumentou. E, ao erguer a cabeça, viu um jovem que ele conhecia como alguém que queria realizar seus desejos sem fundo, alguém que, mesmo neste momento, em algum lugar desconhecido, usaria o mesmo sorriso que sempre usava em seu rosto.
Foi Shiba Kyouichi. E naquele momento—
"Ouvi meu marido falar disso - você vai procurá-lo, não é, Basara?"
Em resposta ao desejo de Kaoru de afirmar sua decisão, Basara assentiu e respondeu:
"Está certa. Embora eu ainda não saiba o que Shiba-san está planejando, mas tenho certeza de que será um risco terrível para todos nós, e não vou ficar sentado enquanto ele estiver à solta. ”
"... Mmm ... entendo."
“Vou precisar que Yuki e Kurumi também lutem ao meu lado desta vez ... sinto muito pelo problema que causei e como fiz com que vocês dois se preocupassem, Kaoru-san. "
"Não precisa se desculpar. Este é o caminho que elas escolheram, e nós somos totalmente favoráveis ​​a elas. ”
Contudo-
“Nós concordamos com isso, no entanto, sabendo que é o que elas querem, sabendo que é o que faria as duas felizes, e não porque não pensamos em nada dos possíveis perigos que possam acontecer com todos vocês, ou que você as aprova. comportando-se de forma imprudente ... lembre-se disso.
"…Eu vou."
Basara definitivamente entendeu quais expectativas um par de pais teria para suas próprias filhas amadas.
Todos eles compartilhavam a mesma visão - a mesma direção para o futuro, apesar de suas diferenças.
Por que mais Wilbert apagaria sua existência por causa de Mio?
Por que mais Sheera teria escondido a verdade dos pais de Maria, bem como sua transformação corporal dela?
E por que mais Shuuya e Kaoru permitiriam que Yuki e Kurumi seguissem suas escolhas?
Todos eles tiveram a mesma resposta, a mesma razão - como tal, Toujou Basara não quis decepcionar suas boas intenções.
É apenas por esse motivo, não é?

Basara havia decidido que ele estaria disposto a fazer qualquer coisa bem dentro de suas capacidades, não importa o que seja.
Os próprios sentimentos que Jin e suas duas esposas, Sapphire e Raphealine, também mostraram a Basara.
Foi através da explicação de Hasegawa que Basara aprendera o que os três haviam feito por ele e as esperanças que tinham.
E talvez os três não aprovassem as intenções de Basara no momento, assim como o que ele queria fazer.
Mas isso não significava que Basara não pensasse muito ou menosprezasse a boa vontade de todos os pais envolvidos.
- Era tudo por aquilo que ele não podia desistir.
Foi por isso que ele teve que parar Shiba, não importa o quê. Então Kaori continuou,
"Eu entendo que você quer sair o mais rápido possível, mas tenho medo de que meu marido precise de mais tempo antes de conseguir persuadir os anciãos com sucesso".
"Eu suponho que sim."
O grupo de Basara ainda não recebeu a devida permissão do Clã dos Heróis para agir.
Mesmo se aprovassem sem dizer uma palavra, não seria correto não obterem pelo menos a forma mais básica de permissão.
No entanto, esse era um assunto que não apenas preocupava a Vila, mas também o Vaticano, bem como o Reino dos Demônios - não importava o quão versado Shuuya estivesse persuadindo, não seria uma tarefa fácil, independentemente.
Quando Basara assentiu, Kaoru começou sua próxima frase com um "É por isso".
"Por enquanto, acho que realmente preciso lhe contar uma coisa."
Ela parou de falar momentaneamente—
“Antes de ir para a batalha, você primeiro precisa entender o segredo de Kyouichi. Algo que ninguém da sua geração conhece.
Parte 3
Ao mesmo tempo, Basara finalmente conseguiu resgatar Takashi, Shiba Kyouichi, que desde então fugira da Vila, já estava começando a trabalhar em direção a seu objetivo em um local distante.
"Agora, vamos começar ..."
Em pé em uma torre de comunicações conhecida por sua altura incomparável, de modo a permitir que alguém se aproximasse mais do céu, ele estalou os dedos da mão direita enquanto apreciava a vista da paisagem noturna hipnotizante à beira da antena de transmissão.
E, seguindo seu gesto, os Quatro Deuses, os tesouros mais poderosos da vila dos quais Shiba havia roubado, voaram sobre ele como se fossem meteoros, suas caudas fosforescentes brilhando atrás deles enquanto se dispersavam para pontos individuais em cada uma das direções cardeais . Os Seiryu no norte; o Genbu no sul; os Suzaku no leste; e no oeste, o Byakko, uma forma aparente feita da espada sagrada Georgius.
Foi então que todos os quatro tesouros sagrados, invisíveis a olho nu, perfuraram o solo simultaneamente; então um espaço especial formado ao longo do vértice do qual as quatro armas foram colocadas.
Os anciãos haviam utilizado os quatro tesouros para criar seu santuário; por outro lado, Shiba havia duplicado o espaço normal antes de elevar as dimensões para criar um domínio com alto contraste de fase.
Esse espaço tridimensional superior não seria afetado por nenhuma intervenção externa, mas permitiria decidir se o espaço poderia ou não ser influenciado por dentro ou por fora.
À primeira vista, o estabelecimento parecia perfeito; no entanto, Shiba parecia insatisfeito com o resultado, murmurando:
“Hmm ... como eu pensava, um Byakko adquirido à força não tem tanto equilíbrio; está ligeiramente deformado.
Usar o Georgius como substituto do Byakko, no final, causou alguns efeitos indesejados, afinal. A força do espaço do oeste era comparativamente fraca, e fazia com que o espaço fosse bastante instável. Como resultado, se ele simplesmente deixasse um pouco de tempo passar; os três outros lados simplesmente se adaptariam ao oeste e retificariam a distorção. Contudo,
“Basara ... ele chegaria aqui antes que isso acontecesse. "
O verdadeiro Byakko estava nas mãos do inimigo; o que Shiba possuía era uma mera réplica do Byakko usando o Georgius como base. Se o verdadeiro Byakko fosse destruído, não havia garantia de que os outros três tesouros sagrados não seriam afetados. Embora Basara ter chegado mais cedo do que o esperado era um fator contribuinte importante para o problema em questão, o verdadeiro problema estava na razão pela qual o Byakko havia rejeitado Shiba.
"Droga ... quem pensaria que Takashi teria conseguido nos colocar em tal situação."
"-Permita-me."
Enquanto Shiba suspirava com um sorriso irônico nesse rosto, uma voz vinda de um jovem demônio que flutuava no ar o chamou por trás.
Era um dos membros mais jovens do Reino dos Demônios de alto escalão - Balflear.
"A curvatura se deve ao fato de a sagrada Espada Georgius ser um elemento sagrado, sim ... como um demônio, talvez me permitindo refine-lo economizaria muito mais tempo do que esperar que ele se ajustasse."
"Mhm ... desculpe por incomodá-lo, eu acho."
"Não se preocupe. Afinal, depois que essa estrada for pavimentada para nós, finalmente seremos capazes de realizar nosso desejo mais querido. ”
Em resposta a Balflear dizendo essas palavras com uma risada leve, Shiba simplesmente murmurou "Sim" para afirmar sua declaração.
“Mas não há necessidade de ser tão exigente com o assunto; sua estabilidade não será mais uma preocupação, uma vez que avançou para o segundo estágio. ”
"Kyouichi-dono, eu acho que você precisa forçar o progresso das coisas para o próximo estágio, dada a nossa situação atual?" Para o que Shiba então respondeu começando com "Sim",
"Nosso inimigo é Basara, afinal."
"É verdade que o Banishing Shift dele pode ter a capacidade de erradicar esse espaço estabelecido ..."
Balflear franziu as sobrancelhas, pensativo.
“Embora seja um pouco instável, este é, no entanto, um espaço dimensional quase perfeito e de alto nível. Mesmo que a cópia de Byakko cause mais instabilidade, desde que sua técnica não consiga alcançar o centro do lado de fora, tenho certeza de que ele ainda não conseguiria destruí-la completamente.

Mas pense nisso -
“Se eles tentarem destruir ou danificar forçosamente qualquer um dos cantos, a energia dentro do espaço vazará imediatamente de uma só vez. Engoliria todos eles e o espaço voltará a ser um pedaço plano de terra. Embora eu não ache que eles seriam tão imprudentes a ponto de tentar algo assim.
“Isso é certo. Mas antes que isso seja concluído, é melhor pensarmos nos piores cenários, apenas por precaução. ”
Não é mesmo?
"É verdade que Basara e os outros são um incômodo - mas eles não são nosso único inimigo."
"Verdade. Como nossa posição atual é apenas o começo de tudo, é verdade que precisamos tomar medidas para evitar ser recuado por nossos inimigos. Vou trabalhar imediatamente.
No instante em que terminou de dizer essas palavras, Balflear desapareceu sem deixar rasto, como se tivesse se dissolvido no ar.
Ele foi refinar a cópia de Byakko.
"E a seguir-"
No momento em que Shiba abriu a boca, um pássaro dançou antes de descer diante do homem a uma boa distância da seção da antena onde Shiba estava parado. Era um pássaro muito raro - um corvo branco.
Os corvos eram geralmente negros como uma raça - dar à luz um albino era uma incidência mais rara.
E, no entanto, seu corpete branco, que se destacaria entre seu rebanho de irmãos negros como um polegar dolorido, também significava que tinha uma chance muito rara de sobrevivência no mundo natural. Como tal, as chances de um ser de tal raridade simplesmente desaparecer e até mesmo ser capaz de existir dentro do espaço dimensional superior, eram menos que zero. E o corvo levantou a cabeça, olhando para Shiba para falar com ele.
"Eu não pensei que você fosse tão longe a ponto de fazer algo tão tolo."
Revelar palavras ditas por um homem frio com uma voz rouca.
"Pensar que você está realmente pensando em nos desafiar... Parece que todo o tempo que você passou sendo trancado torceu sua mente ... você se importaria de se explicar?"
E em resposta ao corvo branco,
"Ei, Albareos, quantos anos se passaram desde a última vez que ouvi sua voz?"
Um sorriso fino e leve apareceu nos lábios de Shiba, antes de continuar:
"Você foi quem nos criou, e ainda assim orquestrou a cumplicidade de forçar a Vila do Japão a ficar sob nossa custódia, e encobrir tudo o que de outra forma prejudicaria sua reputação ... e faz o que, vinte anos desde então?"
Ah? Parece que seu senso de tempo ainda é normal para um lunático.
A voz masculina que veio do anfitrião do corvo branco escondeu sua alegria sutil.
"Meu meu. Tal falta de boas maneiras. Eu pensei que você já era descarado antes, mas não acho que vinte anos de treinamento tornariam alguém tão arrogante.
"Eu sugiro que você observe suas palavras ... tenho certeza que até você ouviu o que aconteceu comigo durante sua prisão?"
"Mas é claro. Para alguém como você, uma vez que apenas um membro da igreja assumiu o papel do todo-poderoso rei santo ... estranho, não é?
Entre o Vaticano, o rei santo era o topo oficial do clã, detendo uma autoridade que ultrapassava até a do papa.
Ele era considerado uma superpotência, um santo capaz de milagres e maravilhas acima do humano médio, o ápice da pirâmide que governava o Clã dos Heróis. E o título não era apenas para exibição; significava que quem o possuía possuía o poder de reinar sobre todo o Clã dos Heróis.
Era provável que o corvo branco tivesse sido criado com o poder de Albareos. E apesar de provavelmente também ter se infiltrado no espaço através do lado oeste instável, este ainda era um espaço dimensional superior e totalmente isolado - não havia dúvida de que a qualidade do espaço era de um nível excepcionalmente alto. Ao mesmo tempo, também não foi por acaso que o corvo chegou imediatamente quando Balflear partiu, e o corvo conseguiu chegar aqui porque seu controlador já tinha controle total da situação. Foi então que Shiba perguntou ao orador suas intenções.
“Então, que assuntos o estimado líder do Vaticano tem comigo? Embora suponha que posso adivinhar com precisão.
"Estou aqui para avisar você, pela primeira e pela última vez."
A voz de Albareos, transmitida pelo corvo, diminuiu ainda mais quando ele disse essas palavras.
- Acho que você não se esqueceu ... mesmo que eu esteja entregando você à supervisão da vila no Japão, seu fio de vida ainda permanece em minhas mãos. Então, se você ainda insiste em tentar algo engraçado ...
"- Você vai me matar, vai?"
As palavras de Shiba saem como um murmúrio, mas o sorriso que brilhava em seu rosto era mais profundo.
- Você realmente tem coragem, Albareos? Você de todas as pessoas que me criou ... você sabe mais do que ninguém o que me mataria, certo?
"......"
Em resposta a Albareos do outro lado do corvo branco que agora estava quieto e silencioso, Shiba continuou:
“Eu sou aquilo que é a verdade inconveniente e sufocante que a sua auto-indulgência fez com que você suprimisse, a que foi selada apenas quando se provou demais para você lidar ... não há dúvida de onde o conteúdo iria ser destruído, não é?
Estou errado?
“Se você me matar, você também morrerá comigo. E não você sozinho, todo o Vaticano será engolido no abismo da energia negativa ... Não estou realmente convencido de que você jogaria fora o mesmo posto que trabalhou tanto para construir e planejou de maneira tão elaborada para manter também como sua própria vida. "
Ele estava certo - Shiba, apesar de ser um risco enorme para o Clã dos Heróis, fora poupado da execução por medo do que estava selado dentro dele.
“Embora talvez seja por causa de todo o seu cargo alto e poderoso que solicite que você diga tudo isso para mim? Embora pense que você usaria algo que não significa absolutamente nada para mim como uma ameaça diante de mim ... você está fazendo papel de bobo. Eu pediria que você deixasse sua fama de ser todo-poderoso e tudo e apenas derramasse suas verdadeiras intenções.
E quando a voz respondeu ao Shiba rindo loucamente,
"... Eu já te disse meu objetivo, estou aqui para avisá-lo."
De repente, algo apareceu no pescoço de Shiba.
Era uma marca - uma que, muito parecida com o contrato de mestre-servo, parecia conter alguma forma de energia demoníaca.
"E acho que já disse isso há pouco tempo ... essa será sua primeira e última vez."
Ao mesmo tempo, uma luz branca ofuscante surgiu do selo, envolvendo e engolindo todo o corpo.
E depois veio a explosão de um rugido estrondoso que sacudiu a atmosfera.
Parte 4
A capital do Clã dos Heróis que existe na Europa, localizada a uma distância considerável do Japão.
Era o Vaticano - um lugar onde a história e a tradição se entrelaçaram e se desenvolveram em uma capital onde seu povo dependia dela até que se transformou em um símbolo de adoração. E dentro do Vaticano, havia uma existência sagrada reinando sobre o Clã dos Heróis com uma autoridade que significava que até o Papa teria que dobrar os joelhos diante dele.
Era o rei santo, Albareos.
Em meio à catedral secreta subterrânea conhecida apenas pelo clã dos heróis, um assento alto foi estabelecido no meio do salão, de modo a permitir que a 'babá supervisionasse toda a vizinhança'; era o trono exclusivo do próprio rei santo, pois Albareos permanecia sentado no cume do qual evidenciava seu título e privilégio.
"Que idiota ..."
Uma voz fraca ecoou pela sala, seu tom frio, mas tranquilo. A grande jóia embutida no anel em seu dedo indicador direito soltou um brilho viridiano moderado e fraco alguns momentos antes.
O brilho significava que a magia da maldição gravada em Shiba havia sido ativada.
- Tudo o que Shiba Kyouichi disse na época tinha sido a verdade.
Ele era o calcanhar de Aquiles do Clã dos Heróis - para o Vaticano, especificamente, entre todos os outros, que era o centro do próprio Clã dos Heróis.
Acender uma vela era projetar uma sombra, como se costuma dizer, e era um fato inevitável nesse caso.
- Foi tudo por uma questão de proteger o mundo das garras do mal do Reino dos Demônios.
O simples uso de um símbolo de realeza e justiça não teria levado a bom termo suas ambições; aqueles que falavam de justiça realmente tiveram o esforço de realizar seus ideais para apoiá-la.
Como resultado, o Clã dos Heróis precisava de um meio para exercer essa justiça, para realizá-la; eles exigiam uma maneira de o clã viver e se estender por gerações. Um sistema que justificaria todas as ações do Clã dos Heróis.
Não havia espaço para o sonho perfeito de ser capaz de realizar isso sem comprometer os valores; havia apenas a opção de se forçarem a acreditar que suas ações eram em nome da justiça. Descrevê-lo como meramente imundo ou sujo seria totalmente morno; era um abismo sem fundo de trevas em todos os sentidos do mundo.
Pode-se até comparar com o massacre histórico de Caça às Bruxas que ocorreu na Idade Média em termos de quão horrível foi.
Mas tudo isso não pôde ser ajudado; o Reino dos Demônios não teria parado para se livrar do Clã dos Heróis.
Além disso, os demônios já foram um dos deuses; o próprio Clã dos Heróis possuía apenas parte das bênçãos divinas dos deuses como parte de sua força e, como tal, para poder igualar o poder do Reino dos Demônios, eles tiveram que optar por algumas medidas extremas.
O veredicto foi que, não importa quão grande seja a corrupção que eles produziriam, os problemas que vieram da referida corrupção não seriam mais um problema caso a corrupção fosse eliminada e, melhor ainda, eles poderiam ser vistos como uma nova fonte de poder.
Atualmente, Celis Reinhardt e seu departamento de cavaleiros sagrados e inquisidores eram os antecessores do departamento de forças especiais que mantinham as trevas do Vaticano de costas.
No entanto, ninguém no departamento da Celis estava ciente do outro lado do departamento de forças especiais. Todos eles acreditavam que suas próprias ações eram realizadas por justiça e voluntariamente cumpriam seu dever com a vida; não havia necessidade de abalar a resolução, derramando verdades desnecessárias.
No entanto, era difícil deixar passar alguém que existia como algo que não existia, além de precisar encobri-lo ... era por isso que as forças especiais do Vaticano trabalhavam diretamente sob o gabinete do rei santo.
"Vinte anos se passaram, não é ..."
Ele murmurou baixinho, deixando lembranças do passado inundarem sua mente.
- Faz quase vinte anos.
Sob o nome de uma seção mais conhecida como o lado sombrio do Clã dos Heróis, Albareos era o responsável por comandar as linhas de frente.
Era uma profissão que exigia que alguém jogasse fora toda aparência de razão e lógica da mente para participar. O senso comum manteria a normalidade do coração humano, mas também restringiria o coração e restringiria a capacidade de pensar ou agir por conta própria, e o lado sombrio da profissão era um domínio em que apenas aqueles que voluntariamente renunciavam à sua sanidade poderiam intervir - simplesmente não havia como alguém ser capaz de manter o coração enquanto fazia esse trabalho.
E tendo sido protegido sob a justificativa de estar em estado de loucura, ele havia cometido muitos crimes e tabus em nome do Clã dos Heróis.
E o único plano sobrevivente de Albareos que havia perdido sua sanidade naquela época ... era Shiba Kyouichi.
A história sombria do Clã dos Heróis estava escondida dentro do corpo de Shiba como se fosse uma maldição.
E, por causa disso, eles não conseguiram mexer nele, mesmo estando conscientes dos perigos de sua existência. E foi por isso que ...
"Você achou que eu teria mantido os olhos cegos em relação às suas ameaças para sempre...?"
O fluxo de tempo não esperaria por ninguém - ao mesmo tempo, com dedicação suficiente para pesquisar e estudar, o que antes não podia ser adulterado ou interferido chegaria a ter uma solução; e para Shiba, que sabia que ele nunca poderia ser condenado à execução, sua prisão foi como se ele fosse um pássaro em sua gaiola segura - não, talvez tão seguro quanto um bebê em seu berço.
Ao contrário de Shiba, no entanto, que havia ficado preso naquele mundo pequeno e isolado sozinho por todo esse tempo, Albareos passou os últimos vinte anos protegendo o mundo dos demônios, enquanto planejava cuidadosamente e considerava o melhor curso de ação. para eliminar a ameaça que era Shiba Kyouichi. E assim
"Com isso-"
Quando Albareos permitiu que um leve sorriso aparecesse, sentimentos confusos o invadiram -
"- 'Não há mais nada capaz de me prender', é?"
A voz de Shiba Kyouichi tocou abruptamente do outro lado da sala, tirando o sorriso que Albareos tinha em seu rosto.
"Impossível…"
Incapaz de acreditar em seus olhos, seu olhar disparou para a jóia incrustada em seu anel.
Descobrir isso quebrando com um estalo agudo diante de seus olhos.
Albareos arregalou os olhos diante de tal visão, mais uma vez recusando-se a reconhecer sua ocorrência.
"... O fluxo do tempo é desagradável para todos, Albareos."
A voz de Shiba ressoou através da catedral.
“Não tenho intenção de negar que você fez sua parte do trabalho duro por todos esses vinte anos, carregando as vidas e mortes do Clã dos Heróis nas costas e vivendo e morrendo com o mundo como se fosse sua própria vida. ... mas eu não tenho sido preguiçoso nos últimos vinte anos também. Afinal, eu saberia melhor do que não estar ciente de que você não quer nada comigo. O mundo em que vivo não é nem de longe tão amplo quanto o seu, e as habilidades e conhecimentos disponíveis para mim também são bastante limitados como resultado. ”
No entanto , Shiba continuou,
“Em troca, eu havia passado todos os momentos dos últimos vinte anos lidando comigo mesmo ... entre as profundezas, as profundezas mais profundas onde vocês que vivem com uma visão irrestrita do mundo não podem alcançar. Quando você me entregou a Vila no Japão, você me lançou um atestado letal em busca de seguro. Você fez isso, pensando que poderia me limitar ou restringir.
Uma pena, não é?
“No entanto, eu já tinha descoberto como dissipar essa forma letal de magia há muito tempo, de alguma forma. Para tirar uma página do seu próprio livro, é verdade que não há mais nada capaz de me vincular. Acho que tenho que agradecer por isso, não é Albareos?
"...Você se atreveu-"
As palavras de Shiba saíram com uma risada zombeteira, enquanto Albareos, impulsionado pela fúria, proferia entre dentes,
"Não vou negar que você se tornou imensamente poderoso... mas você acredita seriamente que é capaz de enfrentar todo o Clã dos Heróis sozinho?"
Como se para zombar dele com 'você ainda é capaz de se esconder atrás do poder do seu clã, apesar de tudo isso?' , A voz de Shiba saiu como uma risada leve e fraca,
"Difícil de dizer. Você não é o único com um ás na manga, afinal.
"Você está falando sobre os Quatro Deuses, não é ... você acha que pode virar a mesa com os quatro tesouros sozinho?"
"Quem sabe? Mas não é como se eu precisasse lhe dizer o que isso implicaria ... a resposta será revelada muito em breve, afinal. ”
E enquanto ele falava até aquele momento, seu tom ficou frio.
“Houve um tempo em que a humanidade havia sido expulsa do paraíso, que era o céu - de cometer tabu e de provocar a ira dos deuses. E agora é a sua vez; chegou a hora do clã dos Herois entender o quão longe eles estão, Albareos. O dia do julgamento está próximo.
Ancioso. E em resposta à sinistro das palavras de Shiba,
"O que ... o que você está planejando ?!"
Shiba não respondeu à pergunta de Albaeros.
A ligação entre eles havia sido completamente cortada - pois Albareos não sabia se o corvo branco que ele conjurara com magia havia sido destruído ou se o refinamento da cópia de Byakko que estava causando um espaço instável no sul havia acabado de ser concluído.
Albareos, o rei sagrado, acabara de perder todos os meios capazes de deter Shiba há pouco tempo.
- Significou apenas uma coisa.
O Clã dos Heróis sempre conseguiu repelir os Demônios e proteger o mundo.
Mas eles não eram mais capazes de parar uma coisa - a abominação de uma existência que eles mesmos haviam criado.
O próprio Shiba Kyouichi.
Um jovem queria proteger aquilo que o Clã dos Heróis era incapaz de proteger.
E havia o grupo de garotas que o admiravam.
E depois que ele entendeu a situação atual de seu amigo de infância e descobriu o passado de Shiba Kyouichi, saiu do hospital e em direção ao salão cerimonial destruído por Shiba com o tesouro sagrado Byakko na mão, descobrindo que o trio de Mio, Yuki e Kurumi já estavam lá esperando por ele.
"Desculpe por isso - acabei me atrasando."
Enquanto ele dizia isso, o jovem - Toujou Basara - notou Yuki empunhando sua espada espiritual, Sakuya e Kurumi, com sua manopla de espírito na mão, e se sentiu um pouco aliviado.
"Graças a Deus... parece que ele conseguiu convencer os anciãos com sucesso."
“Mhm. Parece que as coisas também aconteceram sem problemas do seu lado."
Com um aceno de cabeça e uma resposta sem compromisso em resposta a Kurumi, ele brandiu levemente a lança branca Byakko na mão, inspecionando a borda da arma com uma expressão séria.
“Parece que estamos prontos, então. Vamos indo."
Toujou Basara fez uma declaração silenciosa:
"Temos que detê-lo - temos que parar Shiba-san."
--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit