Shinmai Maou no Testament | Vol 1 - Cap 4


VOL 1 - CAP 4
Parte 1
Durante o período em que Basara estava enfrentando o inimigo, Naruse Mio já havia deixado a enfermaria. Neste momento, ela estava no recinto da escola mais próximo ao céu – o telhado.
Sob o luar pálido, Mio estava encarando uma determinada garota. Era sua colega de classe e Herói encarregada de observá-la - Nonaka Yuki.
“...Então, o que quer?"
Quando Mio acordou ao anoitecer na enfermaria, Basara havia saído, pois seu assento estava vazio. E aquele que entrou pela porta da enfermaria um pouco depois não foi ele, mas Yuki.
“…Eu preciso falar com você."
Seguindo Yuki, que havia dito isso com uma expressão fria, Mio avançou até o telhado.
Em direção a pergunta proferida por Mio, Yuki respondeu em voz baixa – mas em um tom claro.
“Basara já deve ter lhe contado... sobre o motivo de eu estar aqui."
“Sim, ele certamente me disse." disse Mio. “Sobre quem é você.... e sua relação com ele."
Mio, a herdeira do poder do Senhor dos Demônios anterior, e Yuki, um Herói. Originalmente, o relacionamento deles deveria ser de arqui-inimigos. No entanto, eles haviam evitado entrar nesse tópico até esse momento.
Mio queria se vingar do Senhor dos Demônios atual, então não era prudente entrar em conflito com Yuki e fazer da Tribo Herói seu inimigo. Quanto a Yuki, ela certamente havia apenas cumprido seu dever como observadora de Mio. No entanto, havia algo que ela compreendeu há uma semana - quando Basara se transferiu.
“Então? Eu sei sobre você, mas e daí?"
Quando Mio indicou para ela ‘Ir direto ao ponto’ em desagrado, Yuki a encarou diretamente.
“....Deixe Basara. Ele sofrerá enquanto permanecer com você... portanto, você deve deixá-lo."
“...Eu imaginei que seria sobre isso."
Mio sabia que Yuki não considerava Basara um simples amigo de infância, ela nutria um sentimento maior por ele. Do ponto de vista de Yuki, seu aviso era mais do que justificável.
Mio poderia simpatizar com isso, mas... apesar disso -
“....Não."
- Mio recusou, fazendo com que Yuki estreitasse seus olhos. Apesar disso, Mio não recuou.
“Mesmo sem você me dizer, eu estive bastante preocupada sobre isso. Pensei muito sobre o que deveria fazer. Eu até tentei expulsá-lo de casa uma vez para impedir que ele se envolvesse mais com meus assuntos e perigos."
Sim. A princípio, Mio também não queria envolvê-lo.
“...Mas, você sabe, depois que ele conheceu as minhas circunstâncias, ele ainda disse que me protegeria. Que não há problemas nisso e que nós somos uma família. Portanto, eu pensei no que eu deveria fazer por ele, já que ele falou esse tanto."
E ela chegou a uma resposta.
“Embora ele esteja tentando me proteger e lutando junto comigo mesmo quando eu não desejo envolvê-lo... sendo assim, pelo menos, eu não devo desperdiçar nem um pouco de seus sentimentos."
Porque -
“O que eu devo fazer agora é viver de acordo com os sentimentos dele."
Se ela obedecesse as palavras de Yuki aqui e o abandonasse, isso certamente seria uma traição a ele.
Mio expressou seus sentimentos inabaláveis. Em contraste...
“…Eu vejo."
...Yuki murmurou apenas isso. Nesse instante – 
- Juntamente com um som estridente de screech, uma onda de choque avançou em direção a Mio. No entanto, antes de atingi-la, ela colidiu com uma parede invisível e se dispersou. Mio já havia se preparado com antecedência - uma barreira mágica.
Mio dirigiu seu olhar para frente – para Yuki, que emitia uma aura verde em sua mão com a espada materializada.
“.... Usando força quando as palavras não funcionam?"
Após dizer isso, os cantos de seus lábios se levantaram.
“Sendo assim, eu também não irei me conter nem um pouco."
Ela não queria transformar a Tribo dos Heróis em um inimigo por iniciativa própria, no entanto, ela revidaria quando alguém comprasse uma briga com ela.
Mate-a cem vezes. Quando Mio lançou sua magia do vento, uma rajada vento varreu Yuki.
“----"
No entanto, algumas linhas surgiram a partir dos flashs da espada branca e a magia do vento foi cortada. Vendo isso, Mio clicou a língua em sua mente devido a sua afinidade de batalha com Yuki.
Ela não é um Herói apenas para mostrar...
O parâmetro para a força da batalha pode ser dividido em quatro classes: ‘Poder, ‘Velocidade’, ‘Habilidade’ e ‘Mana’. Em resumo, era similar as estatísticas de RPG ou jogos de simulação – pelo menos foi assim que ela foi ensinada por Maria. Um tipo onipotente seria o ideal, mas, basicamente, as pessoas escolhiam fortalecer apenas a categoria com a qual são compatível. Isso significava ‘Poder’ para Maria e ‘Magia’  para Mio, assim, cada um delas escolheu um estilo de batalha que mais se adequava às suas habilidades. Para Maria, esse seria o estilo de Atacante Pesado, que aproveitava de sua força anormal enquanto que, para Mio, esse seria o de Maga Superior, que lançava magias poderosas no inimigo a uma distância segura.
E – provavelmente, o tipo de Yuki era ‘Habilidade’. 
Apesar de ser inferior ao tipo ‘Poder’ em curta distância e ao tipo ‘Mana’ em longa distância, essa era uma categoria que poderia demonstrar sua força total em qualquer alcance. Além disso, Yuki provavelmente possuía experiência em combate reais que Mio só podia sonhar em ter. Contudo -
Essa não é uma razão para eu recuar aqui!
Quando Mio encarou ela diretamente, Yuki falou com sua expressão fria.
“Você quer tanto se aproveitar da bondade de Basara a ponto de chegar tão longe?"
“Se eu estou me aproveitando da bondade dele, então o que você está fazendo? Você está ignorando a vontade dele e forçando a sua própria gentileza egoísta sobre ele!"
“! Eu…"
Yuki inadvertidamente endureceu sua expressão enquanto Mio continuou a proclamar.
“Eu não irei dar desculpas... e também não me arrependerei! Pedir desculpas neste momento por envolvê-lo seria uma grosseira com ele! Sendo assim, eu lutarei ao seu lado com tudo o que tenho!"
Mio exclamou com um tom decisivo. Essas palavras eram sua própria resposta aos sentimentos de Basara. Seus sentimentos genuínos em relação a ele - ela acreditava nisso sem um pingo de dúvida. Contudo -
“….mais uma vez."
- Uma voz arrepiante saiu da boca de Yuki. Sendo repentinamente oprimida, Mio não pode deixar de engolir seco.
“Se você disser isso mais uma vez, eu não vou te perdoar... Você não sabe nada sobre Basara."
“Isso…"
Não fazia sequer um mês desde que eles haviam se conhecido. Havia coisas que eles estavam escondendo um do outro ou não podiam falar sobre. Entretanto -
“Claro, eu não o conheço a tanto tempo como você... nem sei nada sobre o passado dele. Contudo, acredito que conheço o eu atual dele!"
Ela sabia mais sobre o atual Basara do que Yuki, que só se reuniu com ele a uma semana depois de um longo tempo separados. O quão gentil ele era... o quanto ele pensava nela e em Maria... 
Mas -
“... Isso não é verdade. Se você realmente o conhecesse tão bem, você não o arrastaria para batalhas para começar. Porque..." Yuki prosseguiu “...Ele não pode mais lutar como no passado... na verdade, apenas o fato de ele empunhar uma espada deve ser doloroso para ele."
“O que... o que você quer dizer...?"
Ao ouvir o que Yuki havia dito, Mio não pode deixar de questionar de volta. A verdade sobre Toujou Basara – aquilo que poderia fazer Mio abandoná-lo.
“Cinco anos atrás, para nos salvar, ele–..."
Uma respiração,
“––––––." 
Nas palavras de Yuki –
“…..Eh?"
– Mio deixou escapar uma voz de surpresa. Por um momento, ela não compreendeu o que Yuki havia dito.
– Esse era o motivo pela qual Basara foi expulso da Vila dos Heróis. O pecado de Toujou Basara e a ferida em seu coração que o atormentava até agora. E, assim como Yuki havia dito, Mio não sabia nada sobre isso. Portanto, seus pensamentos não conseguiram processar aquilo imediatamente. Então –
“É por isso que Basara e Jin deixaram a Vila... eles perderam suas qualificações como Heróis." – Yuki prosseguiu – “Você também deve ter achado isso estranho. Por que dois Heróis estavam vivendo como humanos normais."
“Sim…"
– Naruse Mio finalmente percebeu. O porquê Yuki estava tão brava com ela. E, acima de tudo... o quão cruel ela estava sendo com Basara. Neste momento, ela recordou-se das palavras de Basara.
'No passado... quando eu morava no campo, algumas coisas aconteceram. Eu acho que você pode chamar isso de trauma... Mesmo agora, eu ainda sonho às vezes com aquele tempo.’
…De jeito nenhum…
Mio ficou atordoada por sua ignorância – de repente, a porta do telhado se abriu. Basara, com uma expressão assustadora, havia se apressado até aqui.
“Era aqui depois de tudo..."
Ele provavelmente tinha corrido a toda velocidade. Ele estava sem fôlego, enquanto sua testa estava coberta de suor. E, ao ver os traços de batalha e a espada na mão de Yuki, ele franziu o cenho.
“O que está acontecendo, Yuki... Ela ainda deveria ser um alvo de observação. Então, por que você, a observadora, sacou sua espada espiritual?"
Quando Yuki desviou seu olhar para baixo sem dizer uma palavra, Basara mudou sua linha de visão para Mio em seguida.
“Mio, o mesmo vale para você... eu lhe disse para não lutar contra a Tribo dos Heróis. Ainda assim –"
Nesse instante, a expressão dele mudou repentinamente para uma duvidosa. Ele havia notado o olhar no rosto dela.
“Eu, eu estou..."
Mio tentou dizer algo nesse momento, mas ela não conseguia organizar suas palavras. Sua mente estava um caos. Devido a isso –
“O que foi? Por que você..."
– Basara tentou se aproximar dela enquanto dizia isso. E interrompendo-o –
“...Bem, ela acabou de ouvir sobre o seu passado."
– Uma voz sarcástica chegou até eles de uma direção diferente. Toujou Basara dirigiu seu olhar para a origem da voz. Fora do telhado onde estavam - havia alguém parado.
Com uma máscara branca e um smoking preto, ele tinha a aparência de um ser humano, mas suas outras características emanavam uma aura negativa ameaçadora e avassaladora. Basara poderia afirmar apenas o encarando - ele era um demônio com um poder considerável.
…Isso não é bom.
A expressão de Basara mudou para uma rígida. Apesar de ele provavelmente ser aquele que estava por trás dos panos, ele era inesperadamente forte. Basara ainda não sabia de que tipo ele era, mas parecia possuir poder de classificação A.
Embora Mio tenha sido designada como uma classificação S-, isso era apenas levando em consideração a possibilidade de ela utilizar o poder do anterior Senhor dos Demônios Wilbert. Baseado nos padrões normais da Vila, ela provavelmente pertenceria a classificação B. Yuki pertencia a classificação B+. Seria uma coisa se o oponente fosse alguém de classificação A-, mas sendo A ou acima, esqueça Yuki sozinha, mesmo com a ajuda de Basara isso poderá se tornar uma luta severa.
No momento, parecia que ele estava simplesmente de pé ali, contudo, não havia uma única abertura para um ataque. Mio e Yuki devem ter compreendido a força do oponente também, pois também permaneceram imóveis como Basara, e então
“– Ora, ora, essa foi uma história realmente intrigante. Eu sabia que houve uma interferência estranha anteriormente, mas pensar que o Herói exilado havia surgido novamente. Além do mais, ele é o filho do Herói da Guerra Toujou Jin. Que grande surpresa essa."
Ao ouvir a pessoa de máscara branca dizer isso tão alegremente, Basara estreitou os olhos.
“O ataque no parque anteriormente foi obra sua também, huh..."
“Sim. Eu estive de olho em você por um tempo. Eu tinha pensado que você era um simples humano, no entanto, acabou que você era um usuário de habilidades e até mesmo ficou do lado da órfã do Senhor dos Demônios anterior. Além disso, você é bastante habilidoso. Parece que você também tomou conta dos outros caras anteriormente. "
“–!?"
Nas palavras da pessoa de máscara branca, Mio, ao lado de Basara, engoliu seco. Ela provavelmente deve ter ficado surpresa que apenas Basara havia sido atacado enquanto eles estavam separados. 
Além disso –
...Meu passado, huh...
Sem dúvida, Yuki havia falado sobre o incidente de cinco anos atrás para que Mio se separa-se dele. Embora ele ainda não soubesse até onde ela falou, era um fato que Mio já sabia sobre aquilo. 
Sobre o pecado que ele, Toujou Basara, havia cometido – e o motivo de ele se sentir relutante em usar sua espada. 
Então –
“– Oh meu? Por que esse rosto ansioso?"
A pessoa de máscara branca falou a Mio, cuja expressão estava pálida.
“Você poderia ter se arrependido de envolvê-lo agora? Se sim, é tarde demais. Não foi apenas no parque ou hoje. Nos últimos dias, ele balançou sua espada e lutou várias vezes sem que você soubesse. Após você ir dormir, ele lutaria continuamente até o amanhecer. "
“Eh–?" 
"–Cale-se!"
Ao mesmo tempo em que Mio arregalou seus olhos de surpresa, Basara correu em direção à pessoa de máscara branca. Materializando Brynhildr, ele a balançou sobre a pessoa de máscara branca. Contudo–
“Opa."
No momento em que a pessoa de máscara branca disse isso, a espada que desceu com um screech! foi repelida por um poder invisível.
Sendo repelido, Basara girou seu corpo e de alguma forma pousou de pé.
…Eu sabia, ele é forte…!
Foi apenas um ataque espontâneo para selar sua lingua solta, mas ele havia colocado sua força nele. Isso deveria ser o suficiente para cortar aquelas ‘Sombras’ que apareceram no parque e na escola em dois facilmente. Esse mesmo tipo de ataque foi completamente bloqueado e repelido.
Acima de tudo, sua velocidade era tão boa quanto a de Basara, que era um tipo ‘Velocidade’.
“... Basara."
Basara assentiu com um "Sim" para Yuki, que veio correndo até ele. Yuki provavelmente havia feito o mesmo julgamento.
...É alguém classificação A-... não, classificação A.
A força dessa pessoa de máscara branca superou suas expectativas. Mas, ele percebeu outra coisa também.
Ele não compreendeu a teoria completa por trás disso, mas aquela defesa anteriormente era ou de um tipo Habilidade ou de um tipo Mágico.
Se ele descobrisse qual o tipo do oponente, ele poderia traçar alguma estratégia. Contudo–
... Droga, se ao menos Maria estivesse aqui...
Diferentemente da velocidade de Basara ou das habilidades de Yuki, o poder de Maria poderia quebrar a barreira da pessoa de máscara branca com um ataque direto. No entanto, ainda levaria um pouco de tempo até que ela chegasse aqui. Basara e Yuki poderiam ganhar algum tempo enquanto Mio atacava com magias poderosas, contudo, se o inimigo fosse do tipo mágico, sua barreira não romperia apenas com a magia de Mio. Assim, eles estariam em um impasse.
…O que eu faço?
Quando Basara tentou elaborar uma tática de alguma forma,
“H-hey... é verdade o que esse cara acabou de dizer?"
Um pouco distante, uma voz confusa chamou por ele. Basara permaneceu calado e enquanto exibia uma expressão amarga no rosto. 
Olhando para seu estado –
“...Isso é verdade? Basara... você estava lutando contra o inimigo sem que eu soubesse...? Por que..." 
– Mio murmurou.
“Não é óbvio? Pelo seu bem..." disse a pessoa de máscara branca enquanto sorria “O poder do Senhor dos Demônios anterior adormecido dentro de você – mesmo que não ainda não tenha despertado totalmente, ele está emitindo fortes picos de energia e atraindo demônios andarilho de classe baixa. Se algum desses demônios de classe baixa prejudicasse um humano, sua existência seria a razão disso. Naturalmente, a Tribo dos Heróis a consideraria prejudicial e a mudaria de um alvo de observação para um de eliminação."
Enquanto ouvia essas palavras, Yuki permaneceu em silêncio. Esse foi um sinal de que aquilo era verdade.
“Se ele a protegesse, um alvo de eliminação, ele se tornaria um traidor para este mundo. A Tribo dos Heróis não seria capaz de ignorar isso... por causa disso, a garota ali queria que você o abandonasse. Bem–" continuou a pessoa de máscara branca “–Para impedir que isso aconteça, aquele garoto e sua empregada Succubus estão patrulhando desesperadamente a cidade e caçando demônios andarilhos de classe baixa nos últimos dias... Eles trabalharam realmente duro,sabe."
“En-então... a razão pela qual Maria não veio nos buscar na escola também foi por causa de patrulha...?"
Para a pergunta de Mio, Basara respondeu com um aceno de cabeça. Infelizmente, ele não conseguia mais esconder. Se ele continuasse mentindo agora, ele perderia completamente a confiança de Mio.
“Desculpe... se eu tivesse lhe contado, você certamente acabaria se culpando."
Na noite do dia do incidente no banho, Basara havia contado a Maria, que tinha se esgueirado para sua cama, as circunstâncias e começado a agir nos bastidores para impedir que os demônios andarilhos atraídos pelo poder de Mio causassem algum dano.
Até agora, ele evitou contar isso a Mio por causa do fardo mental que ela já tinha devido a maldição, mas tinha decidido fazer isso depois no próximo mês - quando eles cancelaram o contrato de Mestre e Servo e suavizariam seu estado mental.
“De jeito nenhum…"
Congelada no local, Mio murmurou estupefata. Então–
“Se isso te choca tanto, que tal você entregar esse 'Poder' que é a razão de tudo isso?"
–A pessoa de máscara branca declarou isso. Ao mesmo tempo, uma ‘Sombra’ apareceu atrás de Mio. Ela já estava balançando sua grande foice para baixo, mas Mio ainda não havia percebido. Então–
“Kuh–!?"
– Basara reagiu imediatamente. Com um salto, ele tentou cortar a ‘Sombra’, contudo –
“Hee – agora você irá apagar até ela?"
– Neste momento, a pessoa de máscara branca o chamou em um tom provocador. O resultado disso foi fatal.
“....."
A ferida em seu coração foi explorada. Brynhildr desapareceu da mão de Basara devido a sua agitação. Entretanto –
“.....UUOOOOOOOH!"
– Apesar disso, Toujou Basara cerrou os dentes e chutou o chão para dar um salto à frente.
Inicialmente – Naruse Mio não compreendeu o que estava acontecendo.
“Eh…?"
Antes que ela percebesse, ela estava olhando para o céu. Ela havia caído no chão do telhado.
Apenas... o que aconteceu?
Ao pensar nisso, Mio tentou se levantar – entretanto, ela não conseguiu. Então, ela finalmente percebeu. Algo pesado estava a pressionando. Havia alguém deitado em cima dela. Ela então olhou para ver quem era.
“... Basara...?"
Basara não respondeu ao seu murmúrio estupefato. Ele não estava se mexendo. Então, quando ela tentou apoiá-lo pelo ombro – ela percebeu que algo havia manchado sua mão. Era sangue.
“–!?"
A consciência de Mio despertou completamente neste instante e ela recordou-se daquele momento como um flashback.
Uma ‘Sombra’ inimiga apareceu atrás dela – E Basara a protegeu de sua arma. Por causa disso, ele acabou sendo cortado nas costas.
“Você pode ser da Tribo dos Heróis, mas é apenas uma sombra do seu antigo eu... surpreendentemente frágil."
Ela podia ouvir a voz decepcionada da pessoa de máscara branca.
“Não... recomponha-se... hey!"
Quando Mio deixou escapar um murmúrio triste, algo se moveu no canto de sua visão - bem próximo a ela. Provavelmente, era Yuki, que derrotou a ‘Sombra’ que havia cortado Basara.
“... Imperdoável... Como você se atreve!"
Yuki sacou sua espada espiritual e a balançou para baixo no espaço vazio.
“Hoh... isso é bastante poder."
Enquanto dizia isso meio que impressionado, a pessoa de máscara branca pulou tranquilamente para o lado e se esquivou. Contudo – Yuki já estava esperando por ele lá.
Como ela previu sua evasiva, ela avançou em frente em antecipação ao seus movimentos no mesmo instante em que liberou seu ataque. De uma posição semi-sentada, ela soltou uma varredura lateral com a espada.
Um corte através ar. 
Contudo, apenas o ar foi cortado. A pessoa de máscara branca se esquivou no telhado – para o ar.
“Você tem certeza que deveria estar me atacando? O ferimento dele é profundo. Você precisa tratá-lo rapidamente ou será tarde demais, sabe?"
“......"
A pessoa de máscara branca desviou seu olhar de Yuki, que estava mordendo seus lábios em frustração, para Mio, que havia se levantado enquanto segurava Basara ferido. E então, ele declarou com uma voz sarcástica.
“Compreendeu agora? Este é o resultado de sua própria decisão."
“Minha própria…"
Em frente a Mio, que estava perplexa com o resultado que sua decisão havia causado, a pessoa de máscara branca apagou sua figura como se estivesse derretendo no ar. 
O vento da noite carregava apenas sua voz.
“Vou recuar por enquanto. Pense nisso um pouco. O que essa garota disse é a verdade... Você está envolvendo outros, você envolveu ele e o machucou. Você ainda continuará a travar uma batalha perdida? Você deveria reconsiderar quem você deseja sacrificar para a sua vingança – os outros ou a si mesma – e tomar sua decisão."
E, por fim, Mio o ouviu adicionar isso.
“Mas.... dependendo da sua escolha, você poderá acabar com tudo isso de uma só vez."
- No passado, quando ele estava na Vila da Tribo dos Heróis. -
Toujou Basara era uma criança com um futuro promissor.
Ele era o único filho de Jin, o Herói da Grande Guerra, e como ele havia herdado o talento de seu pai, seu poder era superior ao das outras crianças de mesma idade. Além disso, a razão pela qual muitas pessoas depositaram suas esperanças nele foi porque Basara podia usar uma habilidade especial que ninguém mais podia imitar.

. Essa habilidade, que só poderia ser desencadeada como uma resposta ao ataque de um oponente, poderia repelir ou dispersar qualquer tipo de ataque, seja físico ou mágico. Além disso, enquanto ele pudesse sentir a , ou seja, a ‘Fonte da Existência’, e cortá-la, ele poderia banir a existência – no caso, o ataque do oponente - para o espaço da dimensão zero.
Assim, Basara foi criado junto com Yuki e as outras crianças de sua idade como a esperança para a próxima geração.
- Contudo, esses dias alegres repentinamente chegaram ao fim um dia.
Um certo jovem da Vila, que reclamava que os demônios que já haviam se retirado  deveriam ser caçados e mortos, ficou farto dos anciãos não aprovarem sua demanda e, por sua própria conta, resolveu recorrer a meios drásticos. Ele sacou a poderosa espada mágica Brynhildr que estava selando um espírito maligno de classificação S nos arredores das montanhas perto da Vila.
‘Os demônios deveriam ser caçados e mortos’. Desnecessário dizer que o jovem estava confiante em seu próprio poder. Todos os outros também o havia reconhecido. Com exceção de Jin, ele era, sem dúvida, o mais forte. Sendo assim, ele pretendia usar a espada mágica Brynhildr para derrotar o espírito maligno liberado.
No entanto, as coisas não seguiram nessa direção. O espírito maligno apoderou-se do corpo e da mente do jovem e atacou a existência detestável que o havia selado - a Vila da Tribo dos Heróis.
- Para piorar a situação, esse incidente ocorreu justamente quando Jin estava longe da Vila.
Apesar disso, essa ainda era a Tribo dos Heróis. Havia muitas pessoas que podiam lutar. Eles lutaram e tentaram desesperadamente pôr um fim a essa tragédia. Contudo, o poder do espírito maligno de classificação S estava residindo no corpo de alguém que era quase inigualável na Vila. A tragédia não podia ser parada e estava reivindicando mais e mais vítimas.
E então - o espírito maligno foi derrotado por Basara. 
Contudo, isso ocorreu porque Basara perdeu a cabeça ao ver seus amigos sendo mortos diante dele e Yuki sendo atacada, levando assim a ficar fora de controle. 
Quando ele acordou, Basara estava deitado em uma cama de hospital. E então, ele foi informado que a crise havia acabou - pelas mãos de ninguém menos que dele próprio.
A prova disso foi que a espada mágica Brynhildr, que não permitiu que nem mesmo Jin a usasse, escolheu Basara como seu mestre. Graças a Basara, a vida de muitas pessoas havia sido salva. Yuki era uma delas.
- Entretanto, o mesmo não poderia ser dito sobre o coração dos sobreviventes.
de Basara aniquilou impiedosamente a área circundante para esquecimento.
O jovem que havia sido possuído, o espírito maligno e até mesmo os cadáveres de algumas vítimas - tudo foi apagado.
Por essa razão, uma reunião foi realizada rapidamente e decidido que era muito perigoso e que Basara deveria ser trancado juntamente com Brynhildr para impedir que tal tragédia acontecesse novamente, independentemente do fato de que Basara não poderia mais usar devido ao trauma causado pelo incidente.
Contudo, Basara realmente não se importava com isso. Ele não conseguia suportar o fardo de ter apagado seus preciosos amigos e, por causa disso, acabou tornando-se como uma concha vazia. 
No entanto, Jin, ao retornar para a Vila, levantou-se em defesa de Basara. Outros, como um dos anciãos e a Família Nonaka de Yuki, também tomaram posição em defesa de Basara. 
E, no final, uma decisão foi tomada. 
Basara foi despojado de suas qualificações como Herói e expulso da Vila juntamente com sua espada mágica Brynhildr. Além disso, Jin deveria acompanhar ele para certificar-se de que a habilidade dele não sairia de controle novamente.
Basara obedeceu obedientemente a essa decisão. Entretanto, Jin fez uma objeção direta - 
"Se ser um Herói me impede de proteger Basara, então eu deixarei de ser um Herói também."
- Dizendo isso, ele deixou a Vila junto com Basara.

E então - cinco anos se passaram desde aquela ocasião.

As lembranças dessa tragédia ainda eram nítidas e continuavam a atormentar Basara em seus sonhos mesmo atualmente.
Ele não conseguia descobrir uma forma de expiar seu pecado e nem como enfrentá-lo. Como prova disso, ele ainda não podia usar - desconsiderando o tempo em que ele apagou a magia de vento de Maria por acaso.
Entretanto...
Enquanto sua consciência estava embaçada na escuridão, Basara refletiu que até mesmo alguém indeciso como ele havia encontrado algo que queria proteger. Que ele havia conseguido uma nova família.
No começo, ele queria protegê-la como seu irmão mais velho. No entanto, o relacionamento entre eles era apenas uma invenção. A garota que ele considerava uma irmãzinha havia herdado o poder do Senhor dos Demônios, mas isso não foi algo que ela desejou. E, por causa disso, sua vida estava constantemente em perigo.
Ainda assim, ela tentou desesperadamente viver positivamente. Ela estava tentando lutar contra isso.
No passado, Jin desistiu de ser um Herói para proteger Basara. Basara já perdeu sua qualificação como Herói.
Contudo, neste momento, havia uma garota que claramente não estava sendo protegida nem pela Tribo dos Heróis e nem por seus próprios parentes demônios. Então, o único que pode proteger ela – Naruse Mio – era ele mesmo.
Basara não possuía mais seu poder anterior. Apesar disso, Brynhildr respondeu a ele. Seus braços e pernas ainda podiam se mover. E ele ainda tinha sua determinação.
"Portanto…"
Enquanto murmurava, Basara finalmente abriu os olhos. A luz atravessou a escuridão e, diante de seus olhos, havia um teto familiar.
"Graças a Deus... você sabe quem eu sou?"
Ao prestar atenção, uma garota jovem estava olhando para ele como se estivesse aliviada. 
"Ma..ria...?"
"Sim. Por favor, lembre-se disso. Estamos em casa, no seu quarto, Basara-san."
"Meu..."
Basara franziu a testa devido a sua mente em branco – e então, ele se lembrou.
De repente, uma dor aguda percorreu seu torso e ele não pode deixar de fazer uma careta.
"Entendo... no telhado, o inimigo..."
"Sinto muito... se eu tivesse chegado um pouco mais cedo." 
Maria disse se desculpando.
"Eu peguei os curativos da enfermaria e lhe forneci os primeiros socorros no local, entretanto, como isso poderia chamar a atenção na escola, então eu trouxe você para cá."
"Entendo... obrigado, sério."
Desde que ele estava em casa com apenas Maria ao seu lado, isso significava que Yuki havia se retirado por enquanto? Uma olhada no relógio revelou que já eram três e meia da madrugada. Aparentemente, ele esteve desacordado por cerca de sete horas.
"Hm..." - Maria falou de forma hesitante - "Eu fiz conforme você havia dito, mas.... você realmente não precisa ir ao hospital?"
"Sim... está tudo bem."
‘Se algo acontecer comigo, não me leve ao hospital’ – Isso foi o que ele havia pedido a Maria depois da luta que ocorreu no parque. Obviamente, ele receberia tratamento em um hospital. Contudo, os remédios para tratamento e recuperação influenciaram em seus sentidos e capacidade de raciocinar. Isso poderia facilmente criar uma abertura para o inimigo.
"Kuh..."
Basara levantou lentamente seu corpo. E então, ele apertou firmemente seu punho.
…Boa.
Embora ainda estivesse doendo, ele podia se mover. Seus pensamentos também estavam claros.
"Incrível... pensar que você já recuperou totalmente a consciência depois de sofrer uma ferida tão profunda. Não seria estranho para uma pessoa comum ficar inconsciente por vários dias."
"Nossa tribo fornece um treinamento especial para nossos corpos desde tenra idade. Sendo assim, nós podemos nos recuperamos mais rápido e temos uma capacidade de cura melhor do que as pessoas comuns."
Yuki havia deixado ele aos cuidados de Mio e Maria especialmente porque ela sabia disso. Essa era uma habilidade que foi adquirida para o combate, para vencer lutas.
Sim.... eles deveriam sair vitoriosos. Contudo, no telhado, ele foi dominado por aquele demônio.
"Certo, como está Mio-... Maria?"
Quando Basara falou seu nome, o pequeno corpo de Maria tremeu. Sua expressão já triste tornou-se ainda pior.
"...Ver você ferido assim a fez se lembrar da época em que seus pais adotivos foram mortos. Quando eu cheguei no telhado, Mio-sama estava bastante agitada. Ela estava parcialmente em pânico enquanto tentava tratar suas feridas sozinha... Eu a fiz descansar um pouco para que ela pudesse se acalmar. Cerca de uma hora atrás, eu informei a ela que sua situação ainda era bastante crítica, mas depois disso..."
"Ei, não me diga que...."
"Sim... quando eu fui verificar Mio-sama novamente, ela não estava mais em seu quarto..."
"Aquela idiota…!"
Ela deve ter sentido algum tipo distorcido de responsabilidade por isso e decidiu resolver isso sozinha!
"-Basara-san!"
Maria sentou-se em seiza com suas mãos sobre os joelhos e curvou-se para frente o máximo possível.
"Eu estou ciente de que você está gravemente ferido... contudo, neste momento, você é o único que pode localizar o paradeiro de Mio-sama com o Contrato Mestre e Servo! Eu não irei pedir para você lutar, mas pelo menos, me diga onde Mio-sama está... por favor..."
Enquanto seu corpo tremia, ela pediu em desespero. Portanto,
"....Isso não é nada engraçado."
Dizendo isso, Basara afastou o cobertor e saiu da cama. Ele não se importou com a sensação ardente de dor que percorria todo o seu corpo.
"É claro que eu também irei. Eu não quero ser um irmão mais velho patético que fica dormindo enquanto sua irmãzinha está em perigo."
Saindo de seu quarto e, em seguida, de casa, Mio dirigiu-se para o parque na colina.
Era um local famoso na cidade e, normalmente, mesmo à noite, as pessoas apareciam de vez em quando. No entanto, no vasto terreno ao redor, uma floresta densa com todos os tipos de árvores se expandia e as pessoas não avançavam até as parte mais profundas.
"…Bom."
Dentro da floresta, Mio usou uma magia para manter os humanos afastados por precaução e baixou seu semblante depois de respirar profundamente. Os preparativos para esperar o inimigo haviam sido concluídos.
‘Desculpe, vocês dois...’
Em seu coração, Mio se desculpou com Basara e Maria. Neste momento, eles já devem ter notado que ela havia partido. Ela sabia que estava sendo imprudente. No entanto, Mio não conseguia pensar em nenhum outro plano.
- Naruse Mio não sabia nada.
Arrastados para a sua luta, eles lutaram por ela sem que ela soubesse disso. E Basara ficou gravemente ferido ao proteger Mio.
Naquela época, a imagem de Basara sangrando se sobrepôs à imagem de seus pais mortos. Seu coração ficou perturbado a tal ponto de que ela caiu em um estado deplorável de tremor, apesar de que o inimigo ainda estivesse por perto. Devido a isso, Maria havia lhe dito que ela deveria se acalmar primeiro se quisesse tratar Basara.
Enquanto ela tremia sozinha em seu próprio quarto, ela continuou pensando. As palavras daquela pessoa de máscara branca estavam remoendo dentro de sua cabeça.
‘Você está envolvendo outros, você envolveu ele e o machucou. Você ainda continuará a travar uma batalha perdida? Você deveria reconsiderar quem você deseja sacrificar para a sua vingança – os outros ou a si mesma?’
- E a resposta que Mio finalmente alcançou foi essa.
Apesar disso, enquanto ela estava aqui desse jeito, ela só conseguia pensar em uma coisa.
‘Por favor, esteja seguro, Basara…’
Mio fechou os olhos com força, como se estivesse orando. Maria havia lhe dito que ele já havia superado o pior, mas ainda era uma situação delicada. Ela iria observá-lo enquanto rezava por sua recuperação.
Entretanto, se colocar isso de outra forma, ela apenas podia observá-lo enquanto rezava por sua recuperação.
‘Se é assim...’
Mio pensou enquanto abria os olhos. Ela deveria fazer aquilo que apenas ela é capaz de fazer. E então -
"....Parece que você tomou sua decisão."
- De repente, uma voz soou por trás. Mio se virou com "Sim".
Lá, na floresta, a pessoa de máscara branca apareceu em sua vista.
Mio fixou seu olhar na pessoa de máscara branca. Naquela época, quando ele saiu do telhado, ele havia dito: "Dependendo da sua escolha, você pode acabar com tudo isso de uma só vez". Mio compreendeu perfeitamente o significado por trás dessas palavras. E, como se ele estivesse lendo sua mente -
"Hee... você é mais honesta do que eu pensava. Mas acredito que essa foi a escolha correta."
- A pessoa de máscara branca falou.
"Se você continuasse lutando, isso apenas iria criar mais vítimas. Mas se você escolher se tornar a única vítima, tudo isso acabaria."
"...Sim." Mio assentiu. Ela concordou com isso do fundo do seu coração. "Eu sozinha sou o suficiente, para ser uma vítima... para lutar."
No instante seguinte, a pessoa de máscara branca estava envolvida por um enorme pilar de chamas. Mio havia lançado Hellfire  - a magia de fogo mais forte que ela era capaz de lançar atualmente.
Com isso preparado anteriormente, ela continuou esperando. Tudo por um ataque surpresa perfeitamente cronometrado. Além disso -
"Isso não é tudo!"
- Mio lançou magias de ataque uma após a outra. Sem um intervalo entre seus ataques, ela lançou consecutivamente duas magias de raio, lâminas de vento a partir de oito direções e inúmeras lanças de gelo.
Todas elas atingiram a pessoa de máscara branca em sucessão. Todas elas foram lançadas com sua força total. Um ataque preventivo absolutamente aniquilador que usou todo seu poder mágico mental.
Para finalizar, ela lançou uma magia de explosão e, enquanto ela observava as chamas resplandecentes -
"Hah... Hah... A-agora..."
- ela estava respirando pesadamente.
"....Você está satisfeita agora?"
- De repente, uma voz soou.
Juntamente com um som *whoosh* do vento, as chamas desapareceram. E então, permanecendo de pé no mesmo local, a pessoa de máscara branca estava lá sem quaisquer sinais de dano recebido.
"De jeito nenhum…"
"Do que você está surpresa? Não há como eu encarar um oponente que está esperando por mim sem qualquer preparação. Não me diga que você realmente pensou que isso poderia acabar comigo?"
"Kuh...!"
Recuando para trás como se tivesse sido empurrada, Mio tentou lançar uma nova magia enquanto a pessoa de máscara branca ria.
"Oh, certo, é uma casa maravilhosa onde você está morando com aquele garoto ex-herói - parece que ela queimaria facilmente."
"!?"
"Talvez eu deva pedir aos meus subordinados? Para vermos o que produzirá uma chama mais bonita: sua magia ou aquela casa."
"Covarde…"
Basara ferido estava lá. Com Maria por perto, eles não devem ser queimados pelas chamas, mas provavelmente teriam que dar tudo de si apenas para escapar. Eles não conseguiram parar as chamas.
"Covarde ou não, foi você aquele que os envolveu... Se você quer culpar alguém, culpe a si mesma."
"..."
Mio mordeu os lábios. Ceder a tal ameaça e desistir não seria uma decisão inteligente. Entretanto, a magia que ela estava tentando lançar neste momento era apenas uma distração para poder continuar a lutar. Algo assim não o derrotaria, já que a sequência de ataques anteriores não funcionou.
Apesar disso... para começar, ela deveria retomar o controle da luta com ele. Mio planejou isso em sua cabeça. No entanto, Mio relaxou lentamente sua postura e interrompeu o canto para a magia.
"...Você está apenas atrás de mim, certo? Por favor, não coloque suas mãos em Basara nunca mais."
Entretanto -
"Se você machucá-lo ainda mais... eu nunca vou te perdoar. Não importa o que eu tenha que fazer, eu matarei você cem vezes!"
"Eu não me importo. Se isso não me causar mais problemas desnecessários, que assim seja."
- A pessoa de máscara branca parecia exibir um sorriso sereno após terminar suas palavras.
Mio estava angustiada. Sua própria batalha havia apenas acabado de começar. A partir de agora, as coisas ficariam mais sérias. Ela preferiria morrer do que render-se ao inimigo aqui.
Mas...
Apesar disso, ela prefere morrer duas vezes  do que pôr em risco a vida de Basara. Com isso, restava apenas uma única opção.
Diante de Mio, que ficou parada em silêncio, a pessoa de máscara branca apareceu como se deslizasse suavemente no ar.
"Suas mãos."
Quando ela estendeu as duas mãos a pedido dele, uma corda roxa envolveu os pulsos de Mio.
"Isto é…"
"Uma ferramenta mágica de restrição que sela seu poder mágico. De seus ataques anteriores, eu não acho que haverá problemas, mas vou selá-lo por precaução. Agora então, vamos partir."
"...Para onde?"
Mio havia desistido de lutar, mas não de sua hostilidade.
"Você precisa perguntar? Para o Reino Demoníaco. Meu mestre está esperando..."
No momento em que a pessoa de máscara branca falou até esse ponto, ele de repente saltou para trás para se afastar de Mio. Ao mesmo tempo. O espaço onde a pessoa de máscara branca estava até agora foi cortado por uma lâmina de vento.
"Não me diga..!"
Como se estivesse procurando, Mio tentou olhar para trás - na direção de onde o ataque veio – mas, nesse instante, uma silhueta humana passou rapidamente por ela. Era uma garota que usava o mesmo uniforme da Academia Hijirigasaka que Mio e carregava uma espada espiritual na mão direita.
- Era Nonaka Yuki.
"...Por quê!?"
Enquanto ouvia Mio a questionando a partir de suas costas, Yuki não diminuiu seu ritmo. Sem se importar com a instabilidade dos pontos de apoio na floresta, ela imediatamente atacou a pessoa de máscara branca.
No entanto, o golpe cortante de Yuki foi facilmente repelido pela barreira que a pessoa de máscara branca havia erguido.
"Que surpresa você ficar do lado dela... Esse é o julgamento da Tribo dos Heróis?"
"...Eu não estou realmente do lado dela."
Yuki respondeu de forma indiferentemente à pessoa de máscara branca, que havia falado com um tom de voz despreocupado.
 - Sim. A princípio, Yuki não tinha nenhuma intenção de ajudar Mio.
A disputa sobre o poder do Senhor dos Demônios que Mio herdou era algo a ser resolvido entre os demônios. Portanto, a Tribo dos Heróis não planejava intervir ativamente.
Yuki, um observador, também não tinha objeções a isso. Ela apenas detinha um ressentimento contra Mio, que perturbava o estilo de vida pacífico de Basara, e não se importaria se ela se sacrificasse.
‘Mas...’
Basara ainda tentou proteger Mio. Quando ela observou Basara na escola, ele estava monitorando Mio sem que ela descobrisse. Durante todo o tempo, ele permaneceu preocupado com ela. E, sem que ela soubesse, ele estava lutando por ela.
Yuki não sabia ainda se Mio era alguém que valia a pena. Foi por isso que ela disse aquilo a ela no telhado da escola. Para ela se afastar de Basara. Para não envolver ele nisso. E depois que Basara caiu devido ao ataque do inimigo e a pessoa de máscara branca se foi, Yuki tentou desabafar sua fúria em Mio.
- É tudo culpa sua. Porque você arrastou Basara para isso.
Entretanto, ela não conseguiu dizer isso. Porque Mio ficou ainda mais abalada diante de Basara ferido do que Yuki.
Apesar de estar severamente agitada e perturbada, ela ainda estava preocupada com Basara. ‘Me desculpe, me desculpe...’ Ela repetiu isso várias vezes enquanto chorava. No fim, Yuki acabou ouvindo aqueles gritos de desespero. Essa foi razão que ela deixou o tratamento de Basara por enquanto para Maria, que havia acabado de aparecer.
- E então, ela viu como Mio tentou lutar sozinha e desistiu novamente por causa de Basara.
Yuki teve a sensação de que agora ela entendia um pouco do porquê Basara tentou proteger Mio. Além disso, havia outro motivo pela qual Yuki veio aqui.
- Sim... um motivo muito importante.
"Eu acredito que te disse claramente - que eu não iria te perdoar por ter machucado Basara."
Então, ao mesmo tempo em que ela declarou essas palavras cheias de intenção de matar, o corpo inteiro de Yuki foi envolvido por uma luz. Juntamente com a materialização de sua espada espiritual ‘Sakuya’, suas roupas se transformaram em um traje de batalha. A determinação de Nonaka Yuki. A personificação de sua força vontade de matar o diabo diante dela como um Herói.
Então a batalha começou.
Encarando a repetição de ataques consecutivos de Yuki -
"Sua espada ou habilidade não pode me derrotar... Você já deveria ter percebido isso na batalha anterior no telhado."
- Atrás de sua barreira, a pessoa de máscara branca suspirou decepcionado. Contudo, Yuki não mostrou impaciência.
"...Sério? Então... pegue isso!"
De repente, ela lançou outro corte. Isso rompeu a barreira dele que  era supostamente inexpugnável.
"O qu…?"
Sem perder tempo enquanto a pessoa de máscara branca estava surpresa, Yuki lançou mais um golpe.
Instantaneamente pulando para trás e mal se esquivando da espada, a pessoa de máscara branca estava confusa.
"Minha barreira, como..."
"Ela não iria quebrar com um único ataque. Portanto, eu continuei atacando até que isso acontecesse... isso é tudo."
Yuki respondeu.
"Espere... você continuou atacando precisamente no mesmo local...?"
"Se isso pode te derrotar, então eu farei isso."

Yuki declarou sem hesitar. Esse era um feito que apenas alguns lutadores do tipo habilidade conseguiriam. Nos cinco anos em que esteve separada de Basara, Yuki treinou excessivamente com a espada.
"...Não subestime um Herói."
E então, Yuki avançou novamente.
Por um instante, ela se atreveu a embainhar sua espada espiritual e depois a sacou com uma velocidade divina. O tamanho do corte resultante o uso da técnica de saque rápido – uma técnica que se aproveita do deslizar da espada para fora da bainha - foi várias vezes maior que o normal. Em um ataque, ela cortou a barreira do oponente e não parou por aí. Combinando com o primeiro ataque, Yuki lançou uma série de golpes.
A pessoa de máscara branca não teve escolha além de saltar para trás para se distanciar dela.
"Okay... eu vou brincar com você um pouco."
Após dizer isso, ele estendeu a palma da de sua mão na direção dela – e, no momento seguinte, uma esfera negra voou. 
"...?"
Yuki instantaneamente pulou para o lado. Esse foi um movimento reflexivo que não considerou seu pouso.
Um momento depois - junto com um som estridente, o chão tremeu.
Yuki, caída no chão, encarou. O lugar onde ela estava um momento atrás - o chão da floresta foi completamente escavado por uma explosão.
"Hee, você se esquivou disso..." - A pessoa de máscara branca falou em admiração. E depois - "Então... que tal isso?"
Ao mesmo tempo em que ele disse isso, numerosas esferas escuras apareceram ao seu redor.
‘Isso não é bom...!’
Era impossível evitar todas elas. Defender-se contra elas também.
‘O que devo fazer....’
Essa breve hesitação privou Yuki completamente de sua chance de fugir. Quando ela percebeu isso, ela já estava sendo engolida pelo impacto feroz e soprada para trás – no instante seguinte, o rugido das explosões soou. A força disso jogou Yuki contra o enorme tronco de uma árvore e o impacto a fez perder o fôlego.
"-Nonaka!"
O grito de Mio parecia distante. Contudo, Yuki foi incapaz de responder. Seu corpo, que tremia violentamente, inclinou-se para frente.
"...!"
Apesar disso, ela encravou sua espada espiritual no chão e se recusou a desmoronar. ‘Não, ainda não.’ Ela ainda podia lutar. Porque a vida dela foi salva por ele - por Basara.
Cinco anos se passaram desde aquela tragédia. Pelo que ela havia se tornado forte?
‘Isso é óbvio...’
Basara sacrificou seu próprio futuro e a salvou. Portanto, desta vez, ela o protegeria e aqueles que ele queria proteger. Ela protegeria o mundo em que Basara vivia - sua vida cotidiana.
Foi por esse motivo que ela passou por um treinamento severo e se tornou forte, não foi?
"Corra... rápido, Nonaka!"
Yuki ignorou os gritos de Mio.
‘Desistindo aqui? Nada disso!’
"...Uh..."
Yuki cerrou os dentes firmemente e lentamente levantou a cabeça. E então ela percebeu. O porquê Mio disse para ela fugir.
Yuki encarou... aquela enorme esfera de escuridão que a pessoa de máscara branca criou sobre sua cabeça.
‘Nesse ritmo, Yuki morrerá’  - Pensando assim, Mio agiu rapidamente.
"....Já chega..!"
Com suas mãos ainda amarradas, ela tentou investir contra a pessoa de máscara branca com seu ombro. Mas -
"...Você está no caminho."
- Em resposta, a pessoa de máscara branca casualmente lançou uma onda de choque nela.
"Kyaaaaaa....!"
Mio, que teve seu poder mágico selado pela ferramenta mágica de restrição, não tinha como se defender. Tomando um golpe direto, Mio foi enviada voando para o chão.
"...Kuh... Uh..."
Mesmo assim, Mio tentou desesperadamente se levantar.
‘...Como eu, poderia deixar que ele...’
Não havia como ela deixar que mais alguém fosse arrastado para o seu destino. Ela não sacrificaria ninguém. Nem mesmo Yuki, um herói.
Mas... as emoções por si só não podem parar uma tragédia.
"Este é o fim."
A pessoa de máscara branca declarou isso. Ao mesmo tempo, a enorme esfera de escuridão foi liberada em direção a Yuki.
"Não... PAAAREEEE - !"
Mio gritou nesse instante, mas a pessoa de máscara branca a ignorou. E, assim como a cruel realidade também a ignorou, a esfera de escuridão se dirigiu para Yuki.
Por mais que Mio gritasse, ela não podia ajudar Yuki. Sendo assim, a morte de Yuki era inevitável - ou deveria ser. – Mas, ainda assim, houve alguém que respondeu a Mio.
"…Eh?"
Ela ouviu o vento soprando. E então -
"...Deixe isso para mim."
- Esse pequeno murmúrio.
Mais rápido que o vento - Um garoto colocou-se entre a esfera e Yuki.

Toujou Basara chegou à batalha no momento em que a pessoa de máscara branca liberou a enorme esfera de escuridão. Basara, de pé diante de Yuki, foi imediatamente pressionado a fazer uma decisão.
Era impossível fugir enquanto carregava Yuki ferida. Isso deixou-lhe apenas uma escolha. Ele escolheu essa única possibilidade sem hesitar.
Não era como se ele não pudesse usar isso, mas -
"Aqui vou eu... Banishing Shift!"
- Toujou Basara golpeou sua espada mágica Brynhildr na esfera negra.
‘...Mesmo que eu não consiga apagar completamente...’
Mesmo se ele ainda estivesse preso ao seu passado, ele deveria ser capaz de repelir ou dispersar. Portanto -
"OOOOOOOHHHHHHHH!"
- Mantendo-se firme no chão, Basara colocou toda a força em seus braços e forçou Brynhildr contra a esfera.
No instante em que ele sentiu uma resistência - a esfera escura se rompeu e passou pela esquerda e direita de Basara e Yuki.
Uma explosão surgiu. No entanto, apenas o solo da floresta foi destruído. Basara e Yuki estavam em segurança.
"O qu... apenas o que exatamente foi isso?"
"...Basara..."
Diante da pessoa de máscara branca estupefata, Yuki o chamou pelas costas. Basara apenas virou sua cabeça.
"Está tudo bem agora, Yuki... eu vou cuidar do resto."
Depois de dizer apenas isso enquanto exibia um sorriso, ele olhou para frente novamente. E então, ele fez uma careta. Ele sentiu uma dor ardente nas costas.
‘...Minha ferida reabriu devido a isso.’
Ele podia suportar a dor, mas se continuasse perdendo sangue, não conseguiria mais se mover. Ele tinha que acabar com isso rapidamente.
"..."
Sendo assim, Basara chutou o chão e pulou para frente. Esse movimento gerou a velocidade divina de alguém do tipo velocidade. Além disso, essa velocidade estava próxima daquela de sua infância genial, onde ele era reconhecido por seu talento que superava até mesmo seu pai, o herói da grande guerra.
Em um instante, a distância entre eles foi reduzida. O ataque em velocidade divina foi direto para o torso da pessoa de máscara branca.
SCREEEECH!
Contudo, com um ruído metálico estridente, a mão de Basara que segurava Brynhildr ficou dormente. Seu ataque foi repelido.
"Estou impressionado. Essa é uma excelente habilidade de esgrima. Com uma barreira normal, até eu poderia ter sido dividido em dois."
A pessoa de máscara branca o louvou antes de continuar com um "Mas...".
"...Infelizmente para você, eu reforcei minha barreira depois que a garota a quebrou... que pena."
"...Sim, isso é uma pena." Basara assentiu. "Para você, quero dizer...."
E então ele gritou.
"....MARIA!"
"Entendido!"
Uma jovem pulou a partir das costas de Basara. Seu corpo pequeno estava balançando o punho direito.
Ela, uma succubus, era sua aliada do ‘tipo poder’ que estava em falta na época do telhado.
Com um único ataque seu - ela quebrou a barreira da pessoa de máscara branca, que havia sido enfraquecida pelo ataque de Basara, em pequenos pedaços.
"O qu....!"
A pessoa de máscara branca, chocada, tentou reerguer sua barreira instantaneamente.
"...Muito devagar!"
Mas Basara foi mais rápido que isso.
O estilo de luta de Basara, que utilizava as características do tipo velocidade ao máximo, era o Infinite Slayer. Além disso, os flashes da sua espada em velocidade divina que pareciam linhas finas continuavam a atacar interruptivamente.
Mate! Esse tipo de som começou.
Corte,        Corte,         Corte,     Corte,     Corte,    Corte,   Corte,  Corte,  Corte, Corte,CorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorte CorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorteCorte
A velocidade transcendia o poder, assim como a magia, habilidade e todos os tipos de força.
"OOOOOOOOOAAAAAAAHHHH!"
E então... o último golpe atingiu.
Foi um ataque com todas as suas forças que cortou perfeitamente o torso da pessoa de máscara branca e o baniu para a escuridão vazia. Mio testemunhou esse momento.
Basara, tendo derrotado a pessoa de máscara branca, parou de se mover por um momento, mas logo em seguida -
"....."
Após ele soltar um suspiro exausto, ele confirmou primeiro o bem-estar de Yuki que estava atrás dele. Depois de trocar algumas palavras com ela, ele se aproximou lentamente de Mio.
...Contudo, de alguma forma, Mio ainda não conseguia acreditar. Embora o rosto de Basara, olhando para ela, estava exibindo um sorriso gentil.
"Ah..."
Ela finalmente percebeu. Que ela foi salva. Que Basara veio em seu auxílio. Portanto -
‘...Eu... Eu...’
‘O que eu devo fazer’ - o coração de Mio entrou em pânico. Ela não sabia o que dizer. Ela sabia que tinha que agradecer a ele. Mas ela ainda não tinha se desculpado por machucá-lo.
Quando ela ficou intrigada com o que deveria falar -
"Mio-samaaaaaaaa...!"
Passando por Basara, Maria mergulhou nela e a abraçou. Maria não criticou Mio por tentar resolver tudo sozinha.
"Eu estava preocupada... tão preocupada... waaaaaah."
Parecia que ela estava realmente preocupada. Maria começou a soluçar, como se toda a preocupação que ela vinha suprimindo desesperadamente explodisse subitamente.
A surpresa de Mio rapidamente se transformou em gratidão. Ela finalmente percebeu o que deveria dizer primeiro. Então, ela mudou seu olhar para Maria em sua cintura.
"Desculpe... desculpe..."
Por seu ato egoísta, Mio pediu desculpas por fazer Maria se preocupar. Logo em seguida -
"...Parece que você está bem."
- Mio ouviu a voz aliviada de Basara. Então, ela levantou a cabeça e respondeu com um "Sim".
A expressão de Mio congelou.
"O que foi...?"
Basara ficou intrigado – e, logo atrás dele, havia uma ‘Sombra’.
Ela não teve tempo de avisá-lo. Uma espada curta perfurou o corpo de Basara por trás. A ponta da espada saiu de seu estômago.
"...?"
Ao mesmo tempo em que Basara olhou para o próprio torso, a espada curta foi retirada.
O corpo de Basara desabou como uma corda solta.
"Não... NÃOOOOOOOOOOOO."
Yuki, de pé um pouco distante, soltou um grito em pânico.
O vermelho do sangue se espalhou pelas roupas nas costas de Basara. E então -
"A, Aw ..."
- No momento em que Mio deixou escapar uma voz atônita, a mente dela quebrou.
"AWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW ------ !!"
Ao mesmo tempo em que ela soltou um grito agudo, uma aura* vermelha foi libertada no coração de Mio.
O vento uivava ao longe. Seu som ressoava baixo e pesado, como se uma tempestade se aproximasse.
A brisa que acariciava suas bochechas ainda estava agradável. Mas em pouco tempo, uma chuva certamente chegaria. Então ele tinha que ir para casa rapidamente.
- Com quem?

Para essa pergunta repentina, ele respondeu imediatamente. Isso é óbvio - juntamente com Mio e Maria. E eles deveriam trazer Yuki também. Sim.... todos tinham que voltar juntos. Portanto -
"...Uh...?"
Basara abriu os olhos. Contudo, mesmo que ele tentasse endireitar seu corpo, ele não conseguia reunir suas forças muito bem. Mesmo assim, de alguma forma, ele conseguiu levantar a cabeça. E então, Toujou Basara viu aquilo.
"Isso...."
O ambiente ao redor estava totalmente vermelho e vibrava como em um terremoto. Como um tornado, o vento varria furiosamente. Um pouco distante, ele viu Maria desacordada. E em um local diferente, Yuki também. Parecia que elas receberam algum tipo de impacto e perderam a consciência.
E, por fim, no epicentro daquela torrente de aura vermelha que abalava tudo, estava Mio.
A cor de seus longos cabelos havia se transformado em um carmesim profundo, como se estivesse em chamas. E em suas costas, pequenas asas haviam crescido.
Basara imediatamente percebeu que o poder de Mio havia saído de controle, e que esse era precisamente o poder herdado do Senhor dos Demônios anterior. O gatilho para isso provavelmente foi...
‘...Eu, huh.
No momento em que ela finalmente foi salva e pode relaxar, Basara sucumbiu diante de seus olhos devido a uma emboscada. Ela deve ter se sentido responsável por isso e não pôde se perdoar.
"...I-idiota... eu estou bem... hey, Mio!"
"B-Basara...?"
Ao ouvir o seu chamado, Mio, confusa, dirigiu seu olhar para ele. Aparentemente, ela ainda mantinha seus sentidos.
‘...Boa...’
Ainda havia um raio de esperança nesse momento terrível. Com isso, a situação atual ainda poderia ser resolvida de alguma forma. Como não há sinal do inimigo, eles provavelmente devem ter recuado por agora - ou foram destruídos. De qualquer forma, deve ser seguro assumir que não havia mais o perigo deles.
"Acalme-se... eu estou bem... já acabou... okay?"
"Eu... eu estou tentando... mas não estou conseguindo...!" Mio gritou enquanto balançava a cabeça. "Eu mal posso restringir meu poder. E-eu não consigo controlar tudo. Não está funcionando... po-por que?"
Mio, além de confusa, estava em pânico, levando Basara a fazer uma expressão amarga.
‘....Droga, ela não consegue se acalmar afinal...!’
Mas.... dito isso, ele não podia deixar por isso mesmo.
‘...Wilbert tinha o poder de controlar a gravidade. Então, o que aconteceria se ele perdesse o controle?‘
 - No instante seguinte, aquilo aconteceu.
"Eh...?"
Mio deixou escapar uma voz surpresa. O espaço ao seu redor começou a distorcer similar a miragem do mormaço  .
"...Aqui está, huh."
Basara clicou a língua. Uma quantidade massiva de energia que não podia ser controlada estava se concentrando, formando um ponto de gravidade anormal. Nesse ritmo, um buraco negro se formaria ao redor de Mio e sugaria tudo ao redor. Naturalmente, como Mio era a fonte disso, essa anormalidade desapareceria se ela fosse apagada.
Certamente, isso não causaria a destruição do mundo, entretanto, a vizinhança seria completamente destruída. Provavelmente, não havia como evitar que parte da cidade, dentro de um raio de vários quilômetros, fosse apagada.
Contudo, isso era apenas um palpite de Basara. A quantidade de energia contida nessa massa que Mio criou ao perder o controle era desconhecida. Isso poderia causar um número menor de baixas do que ele estima – ou maior. Portanto -
"P-Por favor, Basara... eu não posso mais conter isso... então-"
Sabendo o que Mio estava tentando dizer com sua voz trêmula, Basara gritou.
"Espere! Eu vou pensar em alguma solução agora! Vou criar algum tipo de- "
".....Escute! Não há mais tempo! Antes que eu destrua o mundo... antes de arrastar você e outras pessoas para isso-" Com uma voz fria, Naruse Mio declarou seu último pedido. "Por favor... se apresse e me mate..."
Certamente, isso resolveria o problema. Essa era a solução mais rápida.
Se Mio fosse sacrificada, a cidade, Basara e os outros, todos seriam salvos. Entretanto -
"...Eu recuso."
Após dizer isso, Basara se levantou vagarosamente enquanto Mio, confusa, gritava em sua direção.
"I-idiota... entre o mundo e eu, é óbvio qual é mais importante!"
"Como se eu me importasse com isso!... Diga esse tipo de coisa aos grandes Heróis. Receio lhe dizer que eu não sou mais um deles. Não planejo e nem tenho o poder para fazer algo sobre uma coisa tão importante quanto a paz mundial."
Entretanto... ele tinha o poder de salvar Mio. Toujou Basara sabia qual era o único caminho para isso.
No passado, ele poderia usar isso livremente, mas não atualmente. O poder único no mundo que era exclusivo dele.
‘...Sim, é verdade.’
Isso era simples. A situação exigia isso. Pelo bem do futuro, neste momento, ele tinha que superar seu passado. Então, Toujou Basara avançou lentamente.
"...Eu não sou mais um Herói. Mas, você sabe, eu ainda sou a sua família. Seu irmão mais velho. Mesmo que isso tenha sido apenas temporário para você, eu acredito firmemente nisso. E, como seu irmão.... eu protegerei minha irmãzinha, mesmo que isso faça com que o mundo inteiro fique contra mim!"
Basara descarregou essas palavras enquanto gritava. Isso não era pra convencer Mio, mas a si mesmo.
"...Eu vou te levar de volta para casa."
"Eh...?"
Para as palavras que ele murmurou, Mio deixou escapar uma pergunta.
"Eu definitivamente vou te levar para casa... Você vai voltar comigo para a nossa casa! Sendo uma irmã mais nova, apenas cale a boca e se deixe ser protegida pelo seu irmão em um momento como este.... Entendeu!?"
Basara empurrou seus próprios sentimentos nela. Isso não se tratava de lógica ou raciocínio, apenas pura emoção. Mas, precisamente por conta disso, seus sentimentos foram transmitidos. Eles alcançaram ela.
"...Okay."
Enquanto parecia estar prestes a chorar, Mio assentiu. De novo e de novo. E então...
"Por favor.... salve-me, onii-chan." Mio falou. 
Ela absolutamente havia dito aquilo. Portanto, Basara assentiu com "Sim".
"Apenas espere. Eu irei apagar isso agora. Sua dor, sua tristeza, tudo isso - eu vou transformar tudo isso em nada."
Ele avançou até estar a um passo de distância dela antes de parar. Esse era o mais próximo que ele conseguiu chegar de Mio, que tinha perdido o controle de seu poder.
Enquanto os surtos gravitacionais sacudiam a atmosfera, Toujou Basara respirou fundo e relaxou todo o corpo. Ele começou a preparação para lançar um perfeito.
Ele tinha que identificar a raiz do poder fora de controle de Mio - a ‘Energia Celestial’. No entanto, a existência de todos os tipos de matérias e eventos estão ligeiramente balanceados.
Naturalmente, a posição da Energia Celestial muda constantemente. Além disso, Basara está tentando apagar um fluxo de poder descontrolado. O movimento da Energia Celestial é super rápido, e sua trajeto é completamente irregular. Se ele errar, tudo acabou. Além disso, mesmo que a Energia Celestial fosse cortada, ele não deveria machucar Mio. Sem mencionar apagá-la junto no processo. Ele não podia cometer qualquer erro. Somente 100% de sucesso seria permitido.
Devido a grande quantidade de sangue perdido, sua visão estava embaçada - isso por si só já dificultava as coisas.
"...."
Basara sentiu seu coração disparar. Sua mão começou a tremer.
‘...Droga...!’
Isso ocorreu porque ele pensou no seu fracasso. As palavras da pessoa de máscara branca ressurgiram nos confins de sua mente.
....Agora você vai apagar até ela?
Ele se lembrou da tragédia de cinco anos atrás. A ferida nunca curada em seu coração e seu sentimento de culpa pelo passado estavam tentando, sem piedade, consumir seu coração. Então-
'...Eu não posso fazer isso afinal...'
Basara pensou. Ele absolutamente não poderia fazer isso.
...Sim, certo. Ele definitivamente não podia fazer algo como deixar Mio experimentar a mesma dor que ele.
Quando ele voltou seus olhos para ela, Mio estava encarando ele com olhos gentis.
Quando seus olhares se encontraram, ela fechou seus olhos. Seus lábios moveram-se suavemente - "Eu acredito em você".
Nesse momento, Toujou Basara decidiu. Assim como Mio, ele também fechou seus olhos.
"...."
Como um mosquito em uma tempestade feroz, Basara deixou-se se levar pelo vento. Além disso, ele aguçou todos os seus sentidos, sua mente e sua alma... para sentir aquilo.
A única e exclusiva possibilidade de Toujou Basara salvar Naruse Mio.
E então... no momento seguinte, todo o barulho desapareceu do mundo. O poder descontrolado de Mio sumiu de uma só vez.
A destruição crescente e as ondas do nada. 
Toujou Basara apenas, silenciosamente, golpeou Brynhildr para baixo.


- No momento seguinte, o mundo de Basara ficou branco como a neve.
Ele não sabia se isso foi por causa da ativação do ou por ter sido engolido pelo buraco negro. Ele nem sabia se seus olhos estavam abertos ou fechados.
Tudo o que ele sabia era que tinha usado todo o seu poder.
"...."
O corpo de Basara começou a cair lentamente para a frente.
De repente – uma sensação quente e suave o envolveu.
Esse prazer o fez sorrir inadvertidamente.
Porque ele estava convencido.
Então, ele moveu seus lábios lentamente.
Mesmo agora, ele mal tinha forças restando. Ainda assim, apenas uma frase. Basara falou apenas uma frase. Era algo que ele definitivamente queria dizer.
Então, ele silenciosamente rezou para que sua voz saísse de alguma forma.
Basara murmurou baixinho.
"....Vamos para casa."


--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------