Black Bullet | Vol 2 - Cap 2 (Parte 7)

 




Black Bullet
Volume 02 - Capítulo 02 (Parte 07)

-Parte 6-

“Para que tal coisa aconteça...”

Eles estavam dentro do carro. A Seitenshi sentou-se elegantemente com as mãos no colo, escondendo o rosto. "Eu sinto muito. Tive boas intenções quando lhe pedi para aceitar este trabalho, mas não pensei que chegaria a este ponto."

“Você não precisa se preocupar com isso! Quando nos ofereceram o emprego, Kisara disse que estava muito feliz, foi como se tivesse chovido em sua seca.” Isso foi Enju. Foi uma ótima resposta - se ela tivesse dito "fosse bem-vinda a chuva em uma seca" em vez de "choveu em sua seca".

Rentaro recostou-se profundamente nos assentos de couro e fez o mesmo. “É exatamente como Enju disse. Sabemos dos riscos e estamos sendo pagos para fazer nosso trabalho, então não há nada com que você precise se preocupar. O seguro parece que vai cobrir o prédio também. A única coisa é que Yasuwaki pensa que estou me comunicando secretamente com o culpado, então fica mais difícil fazer meu trabalho.”

"Ele acha que você está se comunicando secretamente com o culpado?" O Seitenshi respondeu com um sorriso e Rentaro teve que manter a boca fechada. Ele não estava se comunicando secretamente com ela, mas a conhecia. Mas se ele dissesse isso, que tipo de cara a líder do país faria?

A segunda conferência não oficial de hoje seria em um restaurante para uma mudança de cenário e começaria às 20h. e estava programado para continuar até tarde da noite.

Rentaro verificou a hora. No momento, eram sete e meia da noite.

Pensando em como foi a última conferência, era difícil imaginar que essa conferência renderia muitos frutos, mas isso estava além da jurisdição de um guarda, e não era algo que ele tivesse uma palavra a dizer.

“Rentaro, você acha que isso vai dar certo?” Enju perguntou.

Olhando para os olhos de Enju cheios de uma mistura de expectativa e ansiedade, ele verificou se a limusine isca estava passando na frente deles e finalmente virou a cabeça para olhar dentro do carro. "Eu me pergunto", respondeu ele.

A van que eles pegaram emprestada da equipe do palácio de Seitenshi tinha uma suspensão gasta ou algo que a fazia tremer terrivelmente, e não era comparável ao conforto de andar de limusine, mas a Seitenshi sentou-se em silêncio e não expressou desconforto.

Foi Rentaro quem sugeriu trocar de carro no último minuto. Mesmo sendo repentino e apenas na presença dos assistentes pessoais de confiança do Seitenshi. No início, os assessores apenas o olharam em choque. Aparentemente, apenas a sugestão de uma personagem sagrada como a Seitenshi andar em um carro normal era difícil para eles acreditarem. No entanto, um esquema inteligente que seguia as regras do bom senso não era um esquema inteligente. Quanto mais absurda a ideia, mais provável seria enganar Tina.

O vazamento do plano da guarda da última vez significava que faria sentido presumir que havia um traidor no palácio de Seitenshi. Se o traidor fosse parte dos guardas pessoais da Seitenshi que escreveram o plano de guarda, seria irritante, mas se o traidor não fosse, eles seriam presos mais cedo ou mais tarde. Já havia uma equipe de investigação interna que começou a trabalhar para trazer à luz quem estava vazando informações. Se eles tivessem pegado o culpado, Rentaro poderia relaxar um pouco mais com sua guarda.

Lá, Rentaro lembrou-se do rosto de alguém de quem não gostava e bateu no joelho com o punho. "Sougen Saitake... Tenho certeza que ele é o culpado."

A cabeça do Seitenshi estremeceu e ela olhou para ele com uma expressão triste. "Satomi, isso é..."

"Eu sei. Eu não tenho nenhuma evidência ainda. Mas quando penso em quem mais pode se beneficiar com a sua morte, ele é a única pessoa que me vem à mente. Por que ele está se esgueirando vindo não oficialmente para a área de Tóquio, afinal? Isso é bastante suspeito por si só, e então você foi atacada no caminho de volta daquela reunião. E há mais uma coisa que é suspeita.”

Rentaro parou de falar por um segundo e olhou nos olhos do Seitenshi. “Lady Seitenshi, todos os seus ajudantes pessoais são uma escória. Tudo o que fizeram foi culpar os outros por divulgar o plano, mas nem mesmo tentaram elaborar um plano para evitar que algo acontecesse. Em primeiro lugar, por que não falaram sobre quem ordenou o assassinato? Não seria difícil descobrir se você apenas pensasse um pouco sobre isso. Mas se eles realmente expõem Saitake como o líder nos bastidores, então um passo errado pode levar ao início de uma guerra entre as áreas. Esses caras têm medo até de pensar nisso.”

O motorista, que percebeu que a conversa estava piorando, começou a se inquietar no banco.

A Seitenshi manteve os olhos fechados por um tempo. No entanto, ela finalmente abriu os olhos silenciosamente e olhou para Rentaro. “Satomi, vou manter o que você disse em mente, mas apenas para mim. Por favor, não fale sobre isso com mais ninguém.”

Rentaro entendeu que havia mais nisso do que ela disse e, por reflexo, começou a se levantar, mas o Seitenshi balançou a cabeça lentamente. “Eu ainda sou a governante desta nação. Não posso cancelar uma conferência sem evidências. Satomi, isso é algo que não pode ser evitado.”

"Você será morta!"

“Se esse é o destino escolhido para mim pelos céus, então não há nada que eu possa fazer. Vou seguir o deus dentro de mim.”

Rentaro de repente sentiu uma sensação de calor, e antes que percebesse, ele agarrou a gola da Seitenshi e ergueu o punho acima da cabeça.

“Rentaro!” Enju tentou intervir apressadamente, mas Rentaro mal conseguiu cerrar os dentes com o punho trêmulo.

A Seitenshi apenas deixou acontecer com ela e silenciosamente olhou nos olhos de Rentaro.

Ele fechou os olhos com força. Rentaro não sabia quanto tempo ficou assim, mas empurrou a Seitenshi para longe e sentou-se de mau humor. Por que todas as mulheres ao seu redor eram idiotas? Havia um limite para o quão forte alguém poderia ser mentalmente. Era difícil não sentir inveja. "Eu vou proteger você. Eu não assumi o trabalho de protegê-la apenas para alguém te matar diante dos meus olhos."

"Obrigada, Satomi."

Em pouco tempo, a van chegou ao restaurante de primeira classe, Utoro. Ficava em um grande terreno e a parede externa era muito alta. A unidade de guarda que havia chegado antes para investigar e desinfetar o interior do restaurante guiou a van até uma parada ao lado do restaurante.

Rentaro abriu a porta deslizante e estendeu a mão para o Seitenshi. "Agora, vamos, princesa."

"Eu não sou uma princesa", a Seitenshi começou a dizer reflexivamente, mas então timidamente olhou para baixo e calmamente pegou a mão estendida de Rentaro.

Saindo do carro e expondo o corpo ao ar ligeiramente frio de fora, Rentaro olhou para a entrada do restaurante e fez uma careta.

Um furioso Yasuwaki saiu para encontrá-los, parecendo um problema. “Rentaro Satomi! Qual o significado disso? Porque a Seitenshi está andando em um carro tão acabado?"

“Mudamos o carro. Decidi que uma limusine seria muito perigosa.”

“Por que você não me contou?!”

Rentaro olhou para Yasuwaki silenciosamente. Porque eu não podia confiar em suas habilidades.

Yasuwaki continuou rangendo os dentes. “Maldito...... Um arquibancado cabeçudo como você destruirá o time inteiro! Seu desgraçado!"

Como o furioso Yasuwaki havia movido a mão para a arma em seu quadril, Rentaro também colocou a mão no XD em seu quadril para parar Yasuwaki se necessário. No meio da atmosfera tensa da situação explosiva, Enju também fez seus olhos ficarem vermelhos e bateu os sapatos no chão. Tinha se tornado uma situação ruim.

De repente, ouviu um zumbido e Rentaro mexeu a cabeça para a frente e para trás, mas não encontrou nada. Lá estava ele de novo... O som era igual ao zumbido que ele ouviu durante o último incidente de atirador. O que diabos era isso...?

Esses nervos tensos contribuíram para permitir a Rentaro antecipar um brilho no telhado de um grande edifício no canto de seu campo de visão. Ele não se enganou no que viu. Era a mesma mesma luz que viu do atirador no outro dia.

Quando Rentaro gritou, ele se jogou contra a Seitenshi para forçar a parte superior de seu corpo. No instante seguinte, houve uma dor aguda em seu corpo. Rentaro teve certeza de que sentiu a ponta quente de uma bala antitanque roçar em seu lado.

Um batimento cardíaco depois, o lugar ficou agitado. Vários guardas que entenderam a intenção de Rentaro rapidamente se tornaram um escudo.

Rentaro empurrou o Seitenshi para dentro da van, bateu no banco do motorista e ordenou: "Dirija".

A limusine que estava bloqueando a frente e a van em que eles entraram começaram a se mover quase ao mesmo tempo.

Rentaro colocou a mão ao lado do corpo e sentiu algo escorregadio, pois o sangue grudava em sua mão. Inconscientemente, uma bochecha se contraiu. Mesmo assim, eles tiveram sorte. Se ele tivesse sido atingido diretamente por uma bala projetada para perfurar carros blindados, um humano frágil como ele teria morrido na hora.

Afinal, um pequeno truque como trocar de carro não bastava para enganar aquela atiradora.

“Rentaro!” disse Enju.

“Enju, não se preocupe comigo! Fique de olho atrás de nós”, disse Rentaro.

O rosto do Seitenshi empalideceu quando ela estendeu a mão em direção ao ferimento, mas Rentaro acenou para que ela se afastasse apenas com a mão. O perigo ainda não havia acabado. Eles tiveram que fugir para uma área segura o mais rápido possível.

Naquele momento, Enju, que estava observando os telhados dos prédios atrás deles, deu um grito. "Um brilho!"

Quase ao mesmo tempo, o som de gritos quebrou e um estrondo voou em seus ouvidos. À frente deles, a limusine isca estava derrapando com um grande buraco no teto.

Rentaro sentiu calafrios ao perceber que a atiradora não errava, e o carro inclinou-se para a frente, espalhando suavemente estilhaços de vidro ao virar de lado. Enquanto girava, entrou em seu campo de visão, aproximando-se com uma velocidade assustadora. Então, ele percebeu o que Tina pretendia e cerrou os dentes.

O motorista da van congelou com as mãos ainda segurando o volante. Rentaro chutou o volante do banco de trás. Os pneus fizeram um barulho quando a van deslizou para o lado, evitando por pouco a limusine que se aproximava. Antecipando o retorno do motorista aos seus sentidos, Rentaro inclinou o corpo para a frente e gritou: “Vá para o estacionamento daquele prédio, rápido!”

O motorista perturbado virou o volante com força para a esquerda e a inércia jogou Rentaro com força no vidro da janela. Eles foram para o estacionamento do subsolo do prédio próximo, dispersando os guardas de segurança chocados.

No momento em que a van parou, Rentaro e Enju pularam e começaram a correr. Eles saíram na rua a tempo de ver o motorista rastejar para fora das ruínas da limusine que foi usada como isca. O anticongelante e a gasolina se espalharam pela rua.

A mente de Rentaro estava à beira do pânico. Com isso, o atirador havia acertado cinco dos cinco tiros superlongo, sem errar nenhum. Foi uma coincidência ou...?

Ele tentou correr em direção ao prédio de onde Tina estava atirando, mas caiu de joelhos vertiginosamente. Seu ferimento à bala latejava de dor.

Rentaro cerrou os dentes e olhou para o edifício gigante entre os dois edifícios altos. Mas, nesse ritmo, ele deixaria Tina fugir novamente. O que ele poderia fazer?

Nesse momento, algo sacudiu o braço de Rentaro com força. Foi Enju.

“Rentaro, vou atrás do atirador!”

"Vá atrás…? Você vai conseguir?”

“Se eu estiver sozinha.”

Rentaro ficou surpreso com a resposta de Enju, que foi acompanhada por olhos sérios e um aceno duro. Em outras palavras, o ferido Rentaro seria um fardo.

Rentaro hesitou. Perder Enju era impensável, mas ele também queria evitar uma situação em que Enju ferisse ou matasse Tina.

O que diabos ele deveria dizer a Enju?

“Eu voltarei, Rentaro!”

Sentimentos surgindo do fundo de suas entranhas perfuraram Rentaro e, antes que percebesse, ele agarrou o braço de Enju. "Tome cuidado. Certifique-se de voltar.”



A princípio, Enju arregalou os olhos, mas finalmente sorriu ironicamente e disse com ousadia: “Você é tão preocupante, Rentaro. Quem você acha que eu sou? O atirador não tem Zona, está tudo bem." "Zona?" Rentaro disse.

"Eu estarei de volta logo." Enju liberou seu poder, tornou seus olhos vermelhos brilhantes e saltou.

Os espectadores apontaram para Enju e começaram a gritar, imaginando o que estava acontecendo, mas Enju os ignorou e pulou para o topo do prédio mais próximo a eles, e então logo desapareceu.

Depois de um tempo, Rentaro olhou na direção que Enju tinha ido. Por algum motivo, mesmo depois de ouvir as palavras de Enju, sua inquietação não diminuiu nem um pouco.

“Satomi, você está bem? A ambulância estará aqui em breve, então, por favor, não se preocupe.”

Ele olhou para trás. Era a Seitenshi, parecendo pálida.

“Volte para o estacionamento, agora!” ele abriu a boca instintivamente para dizer, mas suas palavras foram engolidas pelo espaço vazio, e ele olhou para baixo, permanecendo em silêncio. Não era mais isso que ocupava sua mente.

Ela estava um pouco mais calma e percebeu o estado em que Rentaro se encontrava.

"Qual é o problema, Satomi?"

Rentaro hesitou, mas antes que percebesse, contou a Seitenshi sobre Tina. Se ele não falasse sobre isso com ninguém, a inquietação que já havia subido até o fundo de sua garganta o deixaria louco.

"Tina Sprout...?" Depois que o Seitenshi ouviu o que ele tinha a dizer, ao invés de dizer a ele o que ela pensava, ela repetiu o nome da jovem atiradora com admiração, continuando enquanto ela rapidamente corria de volta para o carro.

Rentaro inclinou a cabeça interrogativamente para as palavras e ações misteriosas dela, mas esses sentimentos foram logo substituídos por pensamentos diferentes. Rentaro teve um forte impulso de ligar para Enju para se certificar de que ela estava bem, mas quando abriu os contatos, cerrou os dentes e enfiou o celular de volta no bolso.

Enju e Tina com certeza estariam no meio da briga agora. Se ele tolamente ligasse para ela em um momento como aquele, seria uma situação devastadora para Enju. Se Enju vencesse, não haveria como ela não entrar em contato com ele. Ele teve que esperar até então.

Ele começou a suar frio e sua visão balançou, forçando-o a ficar de joelhos. A dor incômoda estava invadindo lenta mas seguramente o corpo de Rentaro.

Em sua cabeça, ele se lembrou do treinamento que eles tiveram no fundo do dojo outro dia. Enju havia passado por todas as balas de borracha de Rentaro em nenhum momento e estava se aproximando dele. Havia uma diferença tão grande em sua força que mal poderia ser chamada de prática.

Enju havia dito que ela era ruim contra uma saraivada de balas de uma espingarda ou metralhadora, mas ela era forte contra armas destinadas a disparar balas únicas, como uma pistola ou rifle de precisão. Os rifles de precisão quase sempre eram usados ​​com miras ópticas de alta ampliação usadas para ampliar o alvo.

Isso era algo que, em princípio, não era muito diferente dos microscópios usados ​​nas aulas de ciências ou biologia. É claro que, com uma ampliação maior, embora o alvo pudesse ser visto com mais clareza, mover-se um pouco fazia com que o alvo saísse do campo de visão. Não havia como um atirador capturar uma garota que pudesse se mover em supervelocidade - uma garota com o Fator Coelho dentro dela.

Vai ficar tudo bem. Se acalme. Rentaro repetia isso sem parar.

Pensando que cerca de trinta minutos já haviam se passado, ele olhou para o telefone e percebeu que haviam se passado apenas cinco minutos. Era irritante a lentidão com que o tempo estava passando.

"Satomi!" Gritando, a Seitenshi veio correndo em sua direção.

“Traga Enju de volta aqui agora!”

A garota que tinha sido capaz de dizer que era seu destino ser morta estava na frente dele agora parecendo pálida, com os ombros arfando enquanto ela ofegava.

"E-ei, o que é-"

“Usei minha autoridade para fazer uma investigação de Iniciador Internacional sobre o nome de Tina Sprout. Seu grau de IP é 98. Ela é uma iniciadora de Fator Coruja e um dos soldados NEXT aprimorados. Eu vi suas especificações e seus números são assustadores. Enju será morta!”

IP rank 98. Essas palavras ecoaram continuamente na cabeça de Rentaro. Isso foi muito acima de Kagetane Hiruko e sua filha. Rentaro lembrou-se do rosto de Tina e balançou a cabeça suavemente. Não tinha como...

Então, de repente, ele recuperou os sentidos e discou o telefone como se fosse bater, pressionando-o com força contra o ouvido. Enquanto tocava algumas vezes, ele fechou os olhos com força e orou desesperadamente para que Enju estivesse bem.

Tocou cerca de dez vezes, e então houve o som do telefone sendo atendido. “Enju! É você, Enju?!” ele chamou desesperadamente. “Ahh, volte aqui agora. Vamos repensar nossa estratégia.”

Não houve resposta.

Não, ele podia ouvir uma respiração fraca do outro lado.

“Enju, o que há de errado? Pelo menos responda.”

Rentaro ouviu duvidoso, mas afinal não houve resposta. “Enju...? Qual é o problema…? Hã?"

Rentaro tirou o fone do ouvido por um momento e o olhou fixamente.

“Isso é…… Tina………?”

Houve um longo silêncio.

Isso disse tudo.

O celular que Enju deveria estar segurando estava nas mãos de Tina. Então, o que aconteceu a sua legítima dona? Todo o som desapareceu de seus ouvidos e seu sangue congelou.

Não não não não…!

De repente, houve um clique e o tom de discagem...

O celular escorregou de suas mãos, tocando secamente ao quicar. O sangue escorrendo de sua lateral se espalhou lentamente pelo chão, encharcando o telefone. Rentaro caiu de joelhos, balançando a cabeça de um lado para o outro em silêncio.

Enju foi... morta?

--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------

Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit