S Rank Boukensha de aru Ore | Cap. 03

 


03 - A segunda filha, Anna, é uma pessoa firme


◆ ◇ ◈ ◇ ◆


Eu estava voltando para casa com Elsa.

"Uwaaaaa!"

"Eu vi um homem com roupa de trabalho correndo do lado oposto."

"Com uma..."

"Expressão pálida..."

"Com dificuldade, parecia que estava fugindo de alguma coisa. ――O que aconteceu com o Kamuru? Com ​​um olhar tão assustado. Talvez um monstro apareceu na aldeia e estava sendo perseguido?"


Eu estava desconfiado, mas foi Anna, a segunda filha das três irmãs, não um monstro, que estava correndo atrás de Kamuru.

O cabelo trançado estava pendurado em seu ombro esquerdo.

Dez das dez pessoas que a viram tinham uma aparência complicada que as fez pensar: "Ela é bonita, mas seu espírito é muito forte."

Um trabalhador de trinta anos escapando desesperadamente de uma adolescente.

Como se fossem perseguidos por um monstro.

"Papai! Por favor, pegue Kamuru-san!"

"Eh? Ah, sim."

A pedido da minha filha, fiquei na frente daquele trabalhador ―― Kamuru.

"Afaste-se daí! Kaizer!"

"Eu não posso fazer isso. É o pedido da minha filha. Como pai, eu quero cumpri-lo."

Eu dei uma rasteira em Kamuru e ele caiu na estrada.

"――Guha!"

"Papai, naisu!" *(N/T: Ela quis dizer 'Muito bem', eu acho.)*

Anna levantou o polegar e correu para mim.

"Por que Kamuru estava fugindo?"

"Não há nada que eu possa fazer a respeito. Essa pessoa bebeu álcool secretamente e não estava trabalhando, embora estivesse no trabalho. Achei que o havia restringido."

"Não dá para evitar! Às vezes eu preciso fazer uma pausa!"

"Não faça uma pausa durante o horário de trabalho. Para isso, configurei o horário de trabalho da mina cinco dias por semana, das 8h às 17h."

"Queremos trabalhar no dia em que temos vontade e queremos voltar para casa quando quisermos! Que as coisas normais não nos servem!"

"Seria ineficiente, quando  é o horário de trabalho, tem que trabalhar. Quando é o horário de descanso, tem que descansar. É importante agregar eficácia."

Anna disse isso.

"Mas... você pode trabalhar como papai."

"Não diga uma coisa tão maluca! Kaizer está no nível de monstro! Ele tem igual a 100 trabalhadores!"


"Certo? Vou ouvir sua reclamação se você tiver a capacidade como papai. Agora, você tem que trabalhar duro cinco dias por semana, durante oito horas."

"Uma pirralha como você não deveria falar mal do nosso trabalho!"

"Hnn. Desde que uma pirralha como eu começou a se intrometer no seu trabalho, os lucros da mina não atingiram o maior recorde?"

"Guuh...!"

"Não é como se eu não me importasse. Mesmo que eu seja o gerente local, é um trabalho que originalmente me pediram para fazer. Terei apenas que reportar ao seu chefe e sua esposa."

"N-Não faça isso!"

Kamuru disse com pressa.

"Meu chefe e minha esposa confiam em Anna mais do que em mim! Se você falar, perderei meu emprego tanto no trabalho quanto em casa!"


Um homem de trinta anos implorou perdão a uma menina de dez anos.

Foi uma bela vista.

"Então você vai trabalhar sem reclamar. Okkeey?"

"Sim, sim..."

"Assim está bem, volte ao lugar imediatamente. Se não o fizer rapidamente, sua valiosa hora do almoço acabará, você sabe."

"D-Droga!"

Quando Kamul cuspiu essa palavra, ele correu para a mina de carvão.

"Haa.... eu pensei que todos os adultos eram tão firmes quanto o papai. Na verdade, eles são apenas crianças com pele de adulto. Se eu pegar leve um pouco, eles vão faltar ao trabalho, dar uma desculpa e desculpas... Sem limite para a negligência deles."

Anna deu um suspiro profundo, como se estivesse maravilhada.

Um gesto maduro que não poderia ser de uma criança.

"Parece que é difícil todos os dias, consertar os danos à aldeia causados ​​pelo tufão anterior como gerente local da mina de carvão. Recentemente, você também está envolvida no gerenciamento de um bar?"

Isso mesmo--

A segunda filha, Anna, era boa em gerenciar e movimentar as pessoas.

Inúmeros negócios dobraram seus lucros com o envolvimento dela e, mesmo que houvesse uma disputa, ela foi interrompida assim que ela ingressou como gerenciadora.

Anna também era querida por pessoas mais velhas.

Mesmo eles sendo o mestre da mina de carvão, o chefe da aldeia ou o dono do bar. Foi excepcionalmente bom causar uma boa impressão aos mais velhos.

Era um futuro promissor de uma forma diferente da de Elsa.

"Estou ajudando porque fui convidada pelos outros. Com várias experiências, será útil quando eu entrar na guilda no futuro."

"Anna tem um sonho de se tornar uma mestre da guilda, huh."

"Elsa diz que quer ser uma aventureira. Ela é apenas uma criança, exceto por sua habilidade com a espada. Então, eu vou cuidar do resto de alguma forma."

"E-Eu posso fazer outras coisas além da esgrima!"

"Hee... Então você sabe exatamente quanto nossa casa gasta? Então você sabe quanto custa para viver em um mês?"

"........."

Os olhos de Elsa ficaram em branco.

Parece que ela bugou.

Parece que os números eram sua fraqueza.

"Viu."

Anna sorriu triunfante.

"E eu também quero apoiar os mesmos aventureiros que o papai. Então, o trabalho do Mestre da Guilda é a melhor opção."

Eu sabia disso.

Anna estava fazendo uma anotação sobre o sonho de que faria algo aos XX anos para cumprir seu objetivo de se tornar uma Mestre da Guilda.

Todos os anos, ela definia metas detalhadas.

Certamente o sonho de Anna se tornaria realidade.

"O papai e a Elsa vão para casa agora?"

"Sim. Vou assar uma torta de maçã."

"Torta de maçã! Feita em casa pelo papai?"

"Claro. Vou fazer isso com minhas mãos."

"Ótimo! Eu vou com vocês também!"

"Você ainda não tem o emprego?"

"Não há outra prioridade além da torta de maçã do papai ♪."

Sua aura adulta que existia antes havia desaparecido e agora se tornado uma criança completamente mimada... Essa parte dela ainda era uma criança mimada e inocente de 10 anos.

Fui para casa com Elsa e Anna.

--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------

Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit