Shinmai Maou no Testament | Vol 9 - Cap 1



CAPÍTULO 1: DIGA-ME O SIGNIFICADO DO TEMPO PARADO


Parte 1
Duas horas e meia na linha expressa do grande terminal no centro da cidade.
Depois disso, passaram para uma linha local por trinta minutos.
Quatro horas depois de deixarem a casa dos Toujou, Basara e as outras chegaram a uma estação específica.
Passando pelos portões da estação, Basara foi recebido por um cenário que não era muito diferente daquele que permanecia em suas memórias,
"Faz cinco anos desde que cheguei a esta estação..."
Fazia cinco anos desde que eles foram banidos da vila. Naquele tempo, nem Basara nem Jin haviam retornado.
Sentindo uma profunda sensação de nostalgia, ele não pôde deixar de deixar escapar um murmúrio espontâneo.
- Mas o lugar que eles pretendem ir ainda está além daqui. Com isso, Mio apareceu ao lado de Basara. Pegando a mala que contém mudas de roupa e outras coisas necessárias para a viagem, Mio falou...
"Nós vamos de carro daqui?"
Ela perguntou enquanto observava a paisagem que a recebia pela primeira vez. O que Mio estava perguntando era sobre como eles chegarão ao seu destino - a Vila do Clã dos Heróis - daqui. Consequentemente,
“Sim, ônibus ou táxi. Tenho certeza de que a rede de transporte mudou nos últimos cinco anos, mas... deve ficar bem nessa área, certo?”
Quando Basara perguntou isso, Yuki, que foi para o lado de Basara, no lado oposto de Mio, deu um único aceno de cabeça,
"Está bem. Como informado anteriormente, essa área não mudou muito desde a última vez que você esteve aqui." - “Mas não dá pra ir todo o caminho de carro, então um carro só poderia andar pela metade do caminho”, disse Kurumi, que estava atrás deles, para complementar as palavras de Yuki. Então,

“O que devemos fazer? Devemos usar minha magia para voar?"
Kurumi disse, oferecendo um método diferente dos carros. Era algo que Kurumi havia sugerido antes mesmo de vir aqui. E sem dúvida, usar a magia para voar é definitivamente um método plausível.
Com uma barreira também, eles não precisariam se preocupar em ser vistos pelos espectadores. Mas...
Não era algo que pudesse ser totalmente seguro. Em um significado diferente do mundo dos demônios, essa visita era para a qual eles deveriam tomar a máxima precaução. Por isso, Basara sacudiu a cabeça e falou:
“Não vamos fazer isso... No momento, é melhor seguir o caminho mais regulamentado. Devemos pegar transporte regular até o máximo que pudermos.”
Indo para as montanhas é um pouco longe daqui, esta área já estava dentro do território da Vila.
Ser discreto e não ser visto pelas pessoas normais, e não revelar segredos sobre o clã dos heróis - essa era a lei da Vila.
- Claro, houve momentos em que se podia ignorar a regulamentação para obter eficiência. Casos de magia para voar não são raros.

…Contudo.
São permitidos caso a caso pela Vila. Também é restrito aos membros do clã. Basara, que havia sido banido, e Mio, uma demônio, não fazem parte das regras da Vila.
A qualquer custo.
A ordem de Yuki e Kurumi voltarem, e trazer Basara e Mio com eles, sem dúvida não foi de júbilo e bem-vinda.
"Como tal, por enquanto Zest-san e eu permaneceremos aqui."
Maria disse com um tom descontente. Basara usou a mão direita para acariciar a cabeça de Maria, que estava fazendo beicinho.
“Desculpe... os Anciões pediram apenas eu e Mio. Não é impossível você e Zest virem, dizendo que você é nossa escolta, mas...”
Como o mundo demoníaco, eles poderiam decidir não obedecer ao oponente e considerar priorizar sua segurança e ir contra as palavras dos anciãos, que sempre foi uma escolha.
E não era uma maneira errada de pensar. Mas,
"Não, devemos evitar colocar você e as outras em um lugar ruim, sempre que possível, Basara-sama."
Zest, que tinha ido até lá com Basara, disse com firmeza. No entanto, apesar da determinação em sua voz, Zest exibia uma expressão sombria. Muito provavelmente, seus verdadeiros sentimentos são os mesmos de Maria, de querer ir com Basara e as outras.
…Mas.
Trazer Maria e Zest, que são demônios, de alguma forma serviria como uma espécie de ímpeto para a Vila. Especialmente porque Basara e as outras têm uma conexão especial com a facção moderada do mundo dos demônios, e através de cláusulas de paz que lhes dão uma conexão com a atual facção do lorde demônio também. Se eles trouxessem Maria e Zest também - na pior das hipóteses, não poderiam negar que sua situação atual poderia acabar sendo usada contra eles.
Por exemplo, se a Vila tem algum tipo de segredo em relação aos demônios, eles olharão para Basara com suspeita. Naquele momento, a Vila poderia decidir se opor a Basara usando como ele havia trazido Maria e Zest por livre e espontânea vontade, sem obter permissão da Vila.
...E nesse caso.
Todo o clã dos heróis consideraria Basara e Mio tão perigosos - como seus próprios segredos vazaram, não é impossível para eles acusá-los falsamente dessa conduta.
... Embora ele não quisesse pensar nisso.
A preocupação de Basara vem de como ele não confia na outra parte, de pensar com suspeita. Se eram seus verdadeiros sentimentos, ele não quer ter receios sobre seus ex-amigos - sobre sua cidade natal. Mas não havia mal algum em garantir que ele não cometesse erros descuidados.
…Mais longe...
Se eles agirem de maneira descuidada, isso pode arriscar causar problemas para Yuki e Kurumi - e não apenas para eles, mas para a casa dos Nonaka à qual eles estavam conectados dentro do clã. Uma vez instruído a exterminar Mio, Yuki foi contra a ordem da Vila naquele ponto.
Eles devem evitar piorar a posição de Yuki do que é agora.
…Está certo.
Pense nas diferentes situações que podem surgir, leia as diferentes mãos que podem levar a isso e tenha reações e planos para combatê-las - então, se isso acontecer, execute o mais rápido possível. Com isso, eventualmente eles seriam capazes de igualar um oponente muito mais forte que eles. Não é demais pensar em coisas que seriam desnecessárias, mas pensar na medida do possível, quando é - é por isso que Toujou Basara foi capaz de superar sua adversidade até esse ponto.
“É esse o caso, desculpe, mas vocês dois devem ficar em espera enquanto vamos para lá. Você já conseguiu lugar para ficar?"
"Sim, como você instruiu, Basara-san, temos uma reserva em uma pousada perto da última estação em que trocamos."
Maria respondeu a sua pergunta com um sorriso.
- Não era que não houvesse alojamento perto desta estação em particular.
Como estava mais perto da área da vila, e com o modo como havia pousadas abertas, apesar do fato de não ser uma temporada de escalada, Maria e Zest inicialmente desejavam ficar nessa área. No menor caso em que possam ser necessários, isso significaria que eles poderiam ir a Basara o mais rápido possível.
…Mas.
Se eles ficarem tão perto da vila, pode haver alegações de que ele os tenha reservado por um tempo. Embora ele deva pensar em algum momento, se algo acontecer, Basara não quis causar problemas com a Vila. Com isso, ele entendeu que eles voltariam para a outra estação e ficariam em uma pousada perto de lá para ficar de prontidão. Contudo,
"Todo mundo... se algo acontecer, entre em contato conosco e nós estaremos lá imediatamente" - "Sim, entendi..."
Isso mesmo - se for necessário, não há necessidade de ser específico sobre o método deles. Eles devem se encontrar com Maria e Zest imediatamente e trabalhar juntos a partir daí. Então, depois que eles confirmaram as ações um do outro a partir deste ponto.
“De qualquer forma, daqui em diante iremos de ônibus e táxi. Como temos muita bagagem, se for um táxi, será bem apertado, a menos que tenhamos algum tipo de minivan... Seria bom se pudéssemos pegar um com um bom timing, mas...”
Como ele disse isso, um SUV se aproximou deles, naquele momento: "É um dos carros da Vila..."
Dizendo isso, Yuki afinou os olhos para se concentrar nisso. A Vila enviou alguém para buscá-los, não era algo que eles não considerassem, eles pensaram que, se isso acontecesse, a Vila teria providenciado que o carro os esperasse antes de sua chegada. Ao chegar e ver isso, eles pensaram que a possibilidade não estava mais lá, mas poderia ser que eles estavam sendo observados à distância.
…Quão díficil.
Ser capaz de superar Zolgear, Belphegor e outros demônios, veio do fato de eles não conhecerem Basara e seu grupo. Mas a vila conhece Basara. Mesmo que isso não signifique que eles possam ler tudo sobre ele, eles seriam capazes de ler seus planos melhor em comparação com os demônios. Ele tem que se preparar para isso - pensando nisso, Basara prestou muita atenção ao carro.
"Eh…?"

Na frente de Basara com a testa franzida, o carro passou por eles sem parar. "..."
Todos ficaram pasmados, quando o carro passou por suas costas, e parou subitamente, bem diante de seus olhos, e então a porta da porta do lado do motorista se abriu.
"Hmm... eu não estou acostumado a dirigir depois de tudo."
Um homem saiu balançando a cabeça exasperado ao sair do carro. Ao ver esse homem, com roupas de estilo japonês e cabelos compridos até a cintura, saindo para ficar de pé, Kurumi exclamou:
"Eh... p-pai?"
Como sua própria filha exclamou em confusão, o homem - Nonaka Shuuya - disse "oi" facilmente para eles, e depois caminhou em direção a eles e, quando chegou na frente deles,
"Bem-vindas de volta... estou feliz que vocês duas pareçam bem."

Dizendo isso para Yuki e Kurumi, ele teve um sorriso relaxado. E então para isso,
"...Estou em casa, mas por que você pai?"

Yuki falou as palavras de reunião com um olhar suave no rosto, depois com sua pergunta, sua expressão enrijecida.
"É tão estranho para um pai pegar sua filha?"

"... A ponto de fazer coisas como dirigir um carro com o qual você não está acostumado?"
Kurumi disse, olhando para ele. Ao ser interrogado por sua filha mais nova e intrigada, Shuya deu um sorriso amargo.
“Seu retorno desta vez é um pedido. Assim que chegar à Vila, você será solicitado a se apresentar imediatamente aos anciãos. Dessa maneira, quer você queira ou não, você estará envolvido na tensão. É por isso que eu queria ter a chance de falar com você dessa maneira antes de tudo isso. Com vocês meninas-"
E então, seu olhar mudou. "E com eles também"
Dizendo isso, ele fixou o olhar em Basara.

Shuuya que, desde há muito tempo - há cinco anos, não havia mudado muito, "Ojisan..."
 "Basara-kun, já faz um tempo, você realmente cresceu."
Enquanto Basara procurava as palavras apropriadas para o reencontro, Shuuya comentou sobre seu crescimento, aparentemente feliz em ver isso, sua voz nostálgica. Os olhos de Shuuya se afinaram naturalmente com isso. Basara, que estava na frente dele, certamente o deixara ver o passado. ParaBasara há cinco anos - Basara que na época foi expulso da Vila.
- Pensando nisso, ele não teve resposta. Ele sentiu que precisava dizer alguma coisa, mas também parecia dizer que algo iria encobrir o presente e o passado. Mas pensar em ficar quieto era covardia,
"Ojisan, eu..."
Shuuya colocou a mão no ombro de Basara, que parecia desesperadamente tentando amarrar as palavras,
"Certamente você tem muitas coisas a dizer, acumulando-se depois de todo esse tempo... É o mesmo para mim também" Mas...
“Isso não é algo que virá com o pensamento. Quanto mais você pensa, mais longe as palavras saem da verdade. Isso aumentará a distância entre aqueles que se separaram.”
No entanto, disse Shuuya.
"Há uma coisa que devo te dizer."
"?"
“Bem-vindo de volta, Basara”
Suavemente, como uma respiração, as palavras que deixaram os lábios de Shuuya eram gentis.
"-"
No seu próprio eu, que estava feliz com as palavras dadas a ele, Basara se perguntou se ele era digno disso, e seu corpo tremia um pouco. Foi a tal ponto que ele não conseguiu encontrar uma resposta.
Naquele Basara, Shuuya agarrou o ombro de Basara mais apertado com sua gentileza; depois, ele desviou o olhar para a garota ao lado de Basara - e então ele falou:
"Então você é Naruse Mio-san... certo?"
Parte 2
Na pergunta Shuuya falou baixinho...

"... Sim"

Naruse Mio pensou, enquanto abaixava a cabeça levemente, enquanto respondia… Essa pessoa é o pai de Yuki e Kurumi-chan.
Ele parecia um homem gentil, essa foi a primeira impressão de Mio sobre Shuuya. Desde cedo, ele dera um sorriso gentil e tranquilizador para as filhas e interagia com Basara, que foi banido da vila, gentilmente. Ele tem esse ar que dificultava acreditar que ele era um dos Heróis, lutando contra os demônios.
- No entanto, a posição de Shuuya dentro da vila não era de forma alguma baixa.
De fato, era o contrário. Sem contar os anciãos que governam os heróis japoneses, Shuuya era supostamente uma das vozes mais influentes da Vila. Mio havia recebido uma explicação antes de chegar de Yuki, sobre seus pais que ela deveria conhecer, bem como os anciãos da Vila e outras coisas assim. Ela também ouvira falar da posição de Shuuya durante essa explicação, e depois disso pensou que Shuuya devia ser uma pessoa estrita. Claro, não era o contrário, no qual ele parecia ter uma aura gentil, o que significava que ele não tinha habilidades. Há várias pessoas que têm habilidades ocultas, apesar de como olham à primeira vista.
…Realmente.

Mio olhou para trás. Com isso, "…"
Maria e Zest, que ficaram em silêncio o tempo todo - deram um passo atrás, como se não perturbassem a reunião, mas estavam vagamente tensos. Vendo isso da perspectiva deles como demônios, era natural que eles fossem cautelosos ao encontrar um membro do Clã dos Heróis pela primeira vez. No entanto, por outro lado, um membro do Clã dos Heróis, como Shuuya, deve ter uma tensão crescente na frente da filha do Lorde Demônio anterior, e demônios como Zest e Maria, mas ainda não havia esse humor de Shuuya.
- Não era para dizer que Shuuya não tinha consciência. Ele notou a tensão de Zest e Maria. Mesmo estando tão naturalmente assim, não havia nenhuma abertura para ele.
Na casa dos trinta, como Jin, ainda não era adequado para ele ser uma figura de autoridade, mas mesmo assim na Vila, onde Jin havia saído, Shuuya era um forte candidato ao cargo de ancião seguinte. Ter Shuuya vindo até aqui para buscá-los, talvez fosse, de certa forma, tratá-los um pouco como um convidados de honra.
"..."
Shuuya notou a expressão sombria que veio com o silêncio de Mio, e ele sorriu tristemente.
“É difícil dizer que não se preocupe, pois você está indo para a Vila do Clã dos Heróis. Você pode acabar com algumas lembranças desagradáveis ​​de nossa casa… Essa era uma possibilidade que eu não podia negar, por mais infeliz que seja”
Com essas palavras, "...Sim, eu entendo"
Ela estava determinada a isso antes de vir aqui. Durante o incidente no Reino dos Demônios, conhecendo sua própria posição ruim, Yuki e Kurumi apareceram. É claro que isso foi em grande parte pelo bem de Basara, mas ao mesmo tempo foi pelo bem de Mio. Até esse ponto, Mio havia sido ajudada por Yuki e Kurumi do Clã herói várias vezes.
…É por isso.
Dessa vez, Naruse Mio pensou. Ela não tinha certeza do que poderia fazer. Talvez fosse ainda melhor não estar por perto e ela pudesse fazer algo ruim por isso. Mas, se as ações de Mio e Basara podem ter piorado a posição de Yuki e Kurumi, ela não poderia fugir disso. Se ela adotasse uma ação tão covarde, teria vergonha de estar ao lado deles a partir daí.
Ela gostaria de evitar isso. Em Mio, que apertou o punho enquanto jurava isso em seu coração,
“—- O lugar que você deve visitar agora, é uma área do Clã dos Heróis” Shuuya falou mais uma vez.
“Mas isso não significa que você esteja sem aliados. Você tem minhas filhas e Basara. Minha família e eu também planejamos apoiá-la o máximo que pudermos. Claro, isso não é algo que eu possa garantir absolutamente. Mas eu ficaria feliz se você pudesse acreditar que pode pelo menos respirar.”
Essas palavras contêm o peso da verdade nelas. Portanto, "Sim... por favor, cuide de mim."
Mio finalmente fez contato visual com Shuuya enquanto dizia isso. Com isso, Shuuya assentiu e foi em direção a Maria e Zest, que estavam atrás de Basara e Mio,
"É uma pena, mas vocês dois não podem ir à vila desta vez... Eu já ouvi falar sobre como vocês duas cuidaram de minhas filhas de todas as maneiras, então isso me dói."
Era a maior preocupação que Shuuya podia expressar por demônios como Maria e Zest devido à sua posição como membro do Clã dos Heróis.
“...SIm.” - “Bem, realmente não podemos fazer nada”.

Para isso Shuuya, Zest e Maria disseram palavras de entendimento. - Mas não era simplesmente porque Shuuya havia dito isso a elas.
As duas aceitaram que seu papel estivesse em modo de espera, enquanto Mio e as outras o solicitavam. Como Mio, Maria e Zest não desejam dificultar as coisas para Basara, Yuki e Kurumi. Como Mio escolheu ir, as duas escolheram ficar para trás.
E então, quando Shuuya terminou de cumprimentar o grupo que se reuniu lá, "- Desculpe, mas podemos ter mais uma pessoa junto com você?" Com um tom alegre, a voz veio atrás deles.

"Esse é um carro muito grande, certamente você ainda tem muito espaço."
Ali estava um jovem vestido com um casaco preto. "Takigawa... Por que você está aqui!?"
Basara perguntou surpreso. Basara e Takigawa têm todo tipo de coisa feita no passado - eles têm o tipo de relacionamento em que fizeram coisas importantes juntos. Mas, vendo a reação surpresa de Basara,
…Basara não sabia disso?
Se sim, então por que motivo e objetivo Takigawa estava aqui? Mio e as outras estavam de guarda, pois não conseguiam ler a situação.
“Isso é inesperado? Fui encarregado de cuidar de vocês, lembra?"
Dizendo isso, Takigawa se tornou o centro das atenções ali mesmo...
“Além disso, isso não era algum tipo de viagem. Para Naruse ser chamada pelo Clã dos Heróis, quer você queira ou não, isso tem um potencial para problemas políticos entre os demônios. Não há como eles aprovarem vocês sem que eles se envolvam.”
Tenha um pouco de autoconsciência...
“Vocês estão agora em uma posição política bastante alta. É claro que podemos permitir a vocês algum nível de liberdade, mas isso deve estar dentro do escopo dos altos. Caso contrário, isso me causaria problemas nessa posição."
Takigawa disse com um suspiro, e para ele,
"Entendo... Então, você é Takigawa Yahiro-kun, o demônio encarregado de cuidar de Naruse Mio-san."
Shuuya disse, estreitando os olhos. As informações sobre Takigawa eram algo já apurado até o momento, com relatos de Yuki e Kurumi após o incidente com Zolgear - antes do festival de esportes, antes que Takigawa estivesse retornando ao Reino dos Demônios. Em resumo, como ele era um espião da Facção Moderada e da atual Facção do Lorde Demônio e como ele foi despachado pela facção do Lorde Demônio Atual para vigiar Mio. Como tal, os detalhes da condição e posição do Reino dos Demônios ainda não haviam sido divulgados. Mesmo assim, a precaução do Clã dos Heróis foi máxima.
"Considerando a responsabilidade que você tem, devo dizer que entendo que você não pode ficar quieto e apenas deixar Naruse Mio chegar à vila sem você"
No entanto, ele disse, olhando para Maria e Zest antes de retornar a Takigawa,
“Essas duas garotas que serviram como suas protetoras precisam se conter. Então, eu ficaria grato se você fizesse o mesmo. Simplesmente não podemos levar visitantes não convidados para a Vila. Especialmente se essa pessoa é um demônio ”
"Bem, eu pensei que você diria o mesmo, considerando sua posição." Takigawa disse com um encolher de ombros, enquanto alcançava dentro do bolso do casaco. “—-“

De uma vez, Yuki e Kurumi tinham uma expressão nítida em seus rostos,
“—Takigawa.”

Basara disse em um tom baixo, com a intenção de controlar a situação. Com isso, “não se preocupe. Eu não vou fazer nada precipitado.”
Com um sorriso triste, Takigawa pegou um documento em branco. Então, ele mostrou a parte de trás do envelope. Estava selado com um selo vermelho - Naruse Mio conhecia os dois emblemas que foram colocados lado a lado nele. Porque não faz muito tempo, ela tinha visto isso várias vezes enquanto estava no Reino dos Demônios.
“A verdade é que, desta vez, além de alguém que cuida deles, também tenho o papel de enviado. Da atual facção do lorde demônio e da facção moderada - eu vim aqui como representante dos dois lados do Reino dos Demônios, para entregar este documento confidencial... Como tal, você não pode me entender querendo ir com vocês?"
"--Entendo. Se o que você diz é verdade, é sem dúvida que a carta é de extrema importância ”
Depois de ouvir Takigawa, Shuuya murmurou em entendimento. Contudo,
"Infelizmente, isso não é algo que eu possa determinar pessoalmente... Como mensageiro que representa os demônios, eu pensaria que alguém poderia usar a mesma rota que o tempo do último armistício?"
Como Shuuya não estava disposto a se mexer, Takigawa deu de ombros,
“Não é como se não considerássemos que você sabia? No entanto, infelizmente, isso tem todos os tipos de situações. Não podemos simplesmente usar uma janela como da última vez. A razão é que este documento secreto foi endereçado à vila japonesa do clã dos heróis. Se não é algo que você possa decidir, é muito precipitado para me recusar aqui. Sinto muito, mas é um problema, mas consiga um ancião que possa decidir. Certamente você pode simplesmente ligar para eles para perguntar?"
As palavras têm lógica nelas. Observando as brincadeiras entre Takigawa e Shuuya, Mio ficou tensa e engoliu em seco,
"...Eu entendo, vamos fazer isso."
Talvez pensando que um demônio como Takigawa não aceite tão facilmente, Shuuya disse palavras de acordo.
E então ele pegou um telefone do bolso e começou a usar a tela para navegar pelas opções,
"Sinto muito, mas por favor, espere um pouco..."
Ele disse com uma cara séria, então ele caminhou em direção a Yuki e Kurumi,
"... Vocês duas, o que devo fazer com isso?"
"Pai... você ainda não se lembra?"
Kurumi disse que estava cansada disso, pois perguntou como usar o celula...
"Não, eu sou muito ruim com tecnologia..." - "Deixe-me fazer isso"
Em Shuuya, que falou enquanto inclinava a cabeça, Yuki pegou o celular e começou a passar por ele...
Olhando para esta visão, Takigawa disse calmamente:
“Hey, Basacchi... Nós realmente vamos nessa estrada de montanha com esse velho que nem consegue usar o celular? Parece muito perigoso.”
"...Não, está bem."
Como Basara achou difícil falar muito, Shuuya recebeu o celular de volta de Yuki e começou a conversar com alguém.
Então... Obter permissão para Takigawa ir com eles, levou mais vinte minutos.
Parte 3
Com o Basara e as outras a bordo, o carro atravessa uma estrada cercada por montanhas.
O SUV grande tem um interior espaçoso, e Kurumi sentou-se ao lado do motorista Shuuya - na segunda fila, Mio e Yuki sentaram lado a lado, com Kurumi no banco do passageiro, as três garotas conversaram entre si, com Shuuya às vezes se juntando a elas...
O tópico da conversa deles foi responder às perguntas de Mio sobre a Vila. Dito isto, o conteúdo da conversa era geralmente algo que já havia sido abordado antes, e era um meio de quebrar gelo com Shuuya.
E então, atrás deles havia três assentos.
“Hmm... Então essa é uma das represas. Embora no fundo desta montanha esteja a misteriosa vila dos heróis, é relativamente perto de pontos turísticos.”
Takigawa falou enquanto procurava informações em seu telefone,
Basara disse que sim a Takigawa: “Parece que essa área sendo um ponto turístico não era novidade”.
Para que os anciãos aprovassem a vinda de Takigawa, certamente eles lhes deram uma idéia da situação. Eles foram informados de que não estava relacionado ao problema de Basara e estava relacionado à própria vila. Com isso,
“Bem, se você pensar nos deveres do clã dos heróis, embora eles não possam que as pessoas comuns conheçam sua identidade, eles devem ser capazes de entender o conhecimento e as circunstâncias sobre este mundo. Eles escolheram uma maneira de não rejeitar qualquer tipo de desenvolvimento enquanto se escondiam, ao que parece.”
Takigawa adivinhou o alvo. O dever dos clãs dos heróis era proteger o mundo humano da magia do reino dos demônios. E então, ao longo da história humana, a inovação tecnológica aconteceu. Se eles se isolassem da sociedade atual, seria quase impossível para eles cumprirem seu dever. Atualmente, o clã dos heróis japoneses assumiu a forma da Vila, uma forma presente em outros lugares como Oceania ou África; por outro lado, outros distritos do clã podem estar localizados em locais mais misturados à sociedade comum.
"Eu não conheço os detalhes, mas... Se eu não estou errado nos EUA, eles têm esse departamento do Clã dos Herois em uma agência secreta de informações diretamente sob o governo?"
As palavras casuais de Takigawa eram novas para Mio, que estava sentado na frente dele. Mesmo quando ela estava conversando com Yuki e as outras.
“——“
Talvez ouvindo a discussão atrás dela, ela virou as costas um pouco para eles.
- Eles falaram um pouco sobre o clã dos heróis no exterior. Embora, mesmo assim, a discussão sobre a vila japonesa tenha sido limitada ao escopo necessário para que não houvesse problemas. Como Mio tem sangue demoníaco nela, e Maria e Zest são próprios demônios, se receberem informações extensas, eles podem ser vistos como perigosos pelo clã dos heróis.
A confusão política que aconteceu no reino dos demônios sobre Mio foi finalmente resolvida. Não havia mais risco de Mio ser alvejado e, desde que eles entendam que não há risco para este mundo, mesmo que não possam ser libertados de observação, não haverá mais risco de algo tão profundamente perigoso quanto um extermínio.
No entanto - Takigawa não estava na mesma posição. Como ele estava sendo enviado como enviado especial, Takigawa era um representante das facções moderada e da atual do lorde demônio. Para a vila aprovar, certamente, ele deve ter se mostrado adequado para essa posição. Dito isto,
“Você sabe bastante sobre a situação aqui…”

“Bem, eu tenho que saber muito para fazer meu trabalho”.

Takigawa sacudiu ombros.

Basara suspirou - seus olhos então caíram para o interior do carro, para seus pés
Provavelmente...
Mesmo que os anciãos tenham concordado em levar Takigawa com eles, provavelmente ordenaram que Shuuya verifique se Takigawa é realmente um enviado. Em um momento, os olhos de Basara correram para o espelho retrovisor e não viram nenhuma mudança nas expressões de Shuuya. Enquanto segurava o volante, Shuuya ocasionalmente se juntava à discussão das meninas - mesmo assim, não há dúvida de que ele estava ouvindo a conversa deles lá atrás.
Quanta informação relevante se sabe é um barômetro para determinar sua posição. É o mesmo com a sociedade humana, onde a gerência conhece informações que os trabalhadores regulares não conhecem, enquanto o administrador superior conhece as informações que a gerência não conhece. No entanto, dizendo todas as informações que ele conhece assim, além de garantir sua posição no reino dos demônios, ele colocou um risco maior em Mio, pois ela estava ouvindo mais. Isso era algo que Basara e as outras desejavam evitar. No entanto, ele não acha que Takigawa propositadamente os colocaria em uma posição ruim. Daí Basara falou com a voz baixa,
"Você está sendo tão agressivo, o que está pensando?"
"Eu quero perguntar isso também... Não é que eu particularmente queira ter que cuidar de vocês, ou ser enviado para cá, você entende isso?"
Takigawa disse com um tom irritado.

- Atualmente, Yuki e Kurumi fizeram anotações sobre a presença de Takigawa na vila.
Isso ocorreu em parte devido a várias situações e problemas relacionados ao período em que eles conheceram a verdadeira forma de Takigawa, como haviam cooperado com Basara e outras condições. No entanto, houve partes em que eles negligenciaram contar à vila como parte de seu dever, como se não tivessem cuidado com as informações sobre seu relacionamento, isso poderia fazer com que a posição de Yuki e Kurumi piorasse. E então, entre Basara e Takigawa, eles têm segredos para guardar, não apenas de Shuuya, mas também das meninas. Como tal, eles não aludiram a grandes profundidades, apenas deixando suas conversas chegarem à superfície. Mesmo assim, com o jogo de palavras, Basara e Takigawa conseguiram chegar a um entendimento mútuo. Nas palavras descontentes de Takigawa,
"Então essa coisa de ser um enviado especial antes, não era apenas um meio de ir conosco?"
"Obviamente... não é tão fácil ir e vir à vila dos heróis?"
Como Basara falou como se soubesse da real intenção, Takigawa respondeu parecendo descontente. Considerando sua personalidade, a afirmação foi como uma espécie de auto-introdução para Takigawa. Provavelmente, isso foi algo que ele quis dizer para Shuuya ouvir. E então, as palavras também continham implicações de que esse exemplo em particular tinha muito a ver com os altos da facção moderada, bem como com a atual facção de lorde demônio.
…Nesse caso.
Após a guerra que se estabeleceu como um marco para o futuro do reino dos demônios - o dia em que Basara e as outras retornaram ao mundo humano, o atual lorde demônio Leohart chegou à base da facção moderada, Wildart. Isso foi negociar os termos da paz pós-guerra. Fazia três meses desde que - além de como Takigawa deveria continuar vigiando-os e retornar ao mundo humano, os detalhes sobre o desenvolvimento da conferência de paz não foram repassados ​​a eles.
…Mas...
Embora não seja algo admitido publicamente, a teoria de Ramsus com Wilbert e como Basara foi capaz de revelar a verdade para tantas pessoas, o clima para Leohart entrar na conferência de paz era mais pacífico com isso, e isso era claro. elemento para a atual facção Lorde do Demônio e a facção Moderada para alcançar a paz. A carta anteriormente tinha dois selos no envelope - o da facção atual do Lorde Demônio e da facção Moderada. Basara gostaria de acreditar que isso era um sinal de paz entre eles. Consequentemente,
"..."
A situação na Vila para onde eles estão, a situação entre o atual Lorde Demônio e a facção Moderada que eles deixaram no Mundo dos Demônios. E então, pensando em sua própria posição entre os dois, Basara considerou as escolhas que eles deveriam fazer a partir daqui. E então, ao mesmo tempo, ele não deve esquecer o tempo que ele fazia as coisas sozinho.
Sim - tudo para proteger as coisas que ele nunca vai desistir.
Basara caiu em seu assento.

...De alguma forma, ele acabou pensando em muitas coisas.
Em relação a Basara, se é para proteger a família que ele ama, Mio e o resto, Takigawa Yahiro sabia o quão frio ele podia ser. Por esse motivo, ele faria tudo, não importa o quê. E então, uma dessas coisas era o próprio Takigawa.
Depois da primeira vez em que lutaram - quando ele percebeu a verdadeira forma de Takigawa, eles decidiram se unir secretamente. Não foi um mau negócio para Takigawa, e a verdade é que ele estava interessado em saber por que um ex-membro do clã dos heróis como Basara escolheu proteger a filha do Lorde Demônio anterior.
Ele tinha a sensação de que estar com Basara poderia colocá-los em situação de impasse.
…Mas...
Ele não foi capaz de prever esta situação.
Basara matou Zolgear, Basara matou Belphegor, ele foi capaz de selar o demônio Caos, ele trouxe o atual Lorde Demônio e a Facção Moderada do reino dos demônios para um armistício.
É claro que Basara não fez tudo sozinho. Em Zolgear e Belphegor, Takigawa havia ajudado, e a irmã de Leohart, Liala, os ajudava também no trato com os cardeais. O estado atual entre a facção Atual do Lorde Demônio e a facção Moderada também se deve ao carisma de Leohart e Ramsus, e para começar o caminho foi esculpido por Wilbert, um elogiado como o Lorde Demônio mais forte.
…Mesmo assim.
Todos esses eram pontos separados. Sem dúvida, quem uniu isso, formando-o de forma sólida foi Basara.
Mas esse Basara às vezes transmite um sentimento ameaçador.
Na época, Liala, que tinha acabdo de lidar com os cardeais, e Jin, vieram ao mesmo lugar. Takigawa não entrou na sala de observação especial. Ou melhor, ele não podia, não era que ele estivesse assustado. No entanto, ele havia decidido que, se alguém entrasse descuidadamente, havia o risco de perder a vida. Muito provavelmente, Basara sentira a mesma coisa.
...Esse cara aqui.
No entanto, Basara, foi direto, sem mesmo diminuir a velocidade.
- A sensação de medo do poder esmagador do caos o entorpeceu?
Não, não poderia ter sido o caso. O caos naquele momento superou a força exercida por Liala e Jin. E certamente Basara viu Takigawa parar.
Mas Basara, sem se importar com o passo em frente, passou por cima - a linha da morte certa.
Por isso Takigawa decidiu. Ele seguiria Basara o mais longe que pudesse - mas se chegasse a hora, ele se afastaria.
... Bem, até agora houve muitas vezes que ele queria recuar como está.
Dito isto, receber um documento secreto de Ramsus e Leohart também foi um motivo para ele cerrar os dentes e não correr. Em particular, ele não queria brincar de esconde-esconde com o monstro assassino que dizia: "Não envergonhe Leohart, se não alguém pode ficar louco", apostando sua vida no palco dos demônios e do mundo humano.
…A sério.

Daí Takigawa deu um suspiro exasperado, e ele colocou as mãos atrás da cabeça juntas.
Não adianta pensar em tudo tão pessimista. Ele deve apenas fazer o que tem que fazer. Basara também, da mesma maneira, faria o que ele pessoalmente tem que fazer. E então, quando o silêncio caiu entre Basara e Takigawa, e quando a conversa entre as meninas terminou, o interior do carro desceu para um estado quieto - mas o próprio carro continuou se movendo.
- E logo viram um semáforo.
À direita, há um túnel, e bem na frente deles, dois guardas estavam em pé. O túnel não podia ser usado por carros sem permissão para fazê-lo todos os dias do ano, e os dois estavam lá para garantir que este não fosse um carro comum. Além disso, como não estava na estação, eles realmente deveriam andar daqui. Mas, como Shuuya usou o pisca-pisca do carro,
“-”
Eles se afastaram tão naturalmente, deixando-os fazer passar.
"Entendo... Então, enquanto havia uma empresa de gerenciamento aqui para os visitantes regulares, conforme necessário, o Clã dos heróis usam shikigamis como guardiões da entrada."
Em um momento, eles viram que os guardas são shikigamis...
"De fato…. Bem, como você pode ver, deixar Shikigamis de fora normalmente é como dizer que há algo aqui. Os guardas geralmente são apenas pessoas comuns.
Shuuya disse com um pequeno sorriso. Takigawa não possuía apenas olhos aguçados, dizendo "conforme necessário", ele falou com entendimento sobre a ocultação da Vila.
"- Então, continuemos", disse Shuuya, o carro continuou dentro do túnel - funcionou assim por um tempo.
“—-Ah”

No meio do túnel, Mio, que falou no meio, levantou a voz suavemente.
Takigawa também levantou a sobrancelha com um movimento. Agora mesmo - eles podiam sentir o carro em que atravessavam uma barreira dimensional. E então, quando eles saíram do túnel,
"Entendo... Então, esta é a razão pela qual é chamada de vila secreta" - "Sim"
Ao murmurar, Basara, que estava ao seu lado, respondeu.
No final da visão de Takigawa - do lado de fora da janela do carro, uma visão do campo se espalhou amplamente ao redor deles. o que contrastava com o que deveria estar do outro lado do túnel. Se eles tivessem continuado no outro lado do túnel, deveria levá-los a um famoso ponto turístico, repleto de hotéis e restaurantes. Não havia nada desse tipo aqui.
Não havia como negar que essa era a 'Vila' do Clã dos Herois no Japão.
Ele podia dizer, mesmo de dentro do carro, que não havia uma gota de energia demoníaca nessa área sagrada. Pelo que ele sabia, as montanhas ao redor estavam criando algum tipo de barreira dimensional para esconder e limpar a área.
Não é de admirar que os Anciãos da vila não tenham negado sua entrada na vila. Com a barreira no lugar, Takigawa não podia usar nem metade de seus poderes aqui.
Ele também viu sinais de canos de água, linhas de energia e postes telefônicos, sugerindo que a infraestrutura estava de alguma forma conectada ao mundo exterior. Talvez esse mesmo carro em que eles estivessem tivesse algum tipo de "passaporte", o que lhe permitia viajar entre dimensões.
Não, não foi esse o caso. É a própria barreira.
“Entendo... Então, a própria barreira determina o que passa ou não. Então, eu acho que os pacotes endereçados a esta "Vila" não terão problemas para ultrapassar a barreira?"
"Você é bastante inteligente." Shuuya teve que elogiar a nitidez de Takigawa.
“A maioria das pessoas não consegue ver o tipo de coisa que vemos. No entanto, se por algum motivo eles chegarem até aqui, a barreira induz uma forma de perda de memória que faz a pessoa esquecer os detalhes e também faz com que ela não queira falar sobre o local.”
"Bem, essa é uma grande precaução..."

Takigawa riu e olhou pela janela, apenas para olhar em choque a visão diante dele.
Não era uma visão de beleza. Não, longe disso.

"Que diabos é isso…."
Parte 4
Basara só podia olhar para a cena na frente dele.
Ele viu pelas janelas de seu veículo uma enorme cratera, - não -, um buraco na lateral da montanha. Como se fosse um meteoro ou algo assim, que devia ter deixado uma cratera no lado da montanha. Em vez disso, algo perfurou a montanha.
Mas o que assustou Basara não foi o tamanho da destruição desencadeada no penhasco. O que o assustou foi que essa cena era idêntica ao que aconteceu 5 anos atrás.
"Por quê…"
Mio ouviu Basara murmurar para si mesmo do seu assento na frente. Mas não havia muito que ela pudesse fazer para confortá-lo. Afinal, ela não estava lá há 5 anos, para entender o que exatamente Basara estava passando. Suas palavras de conforto não farão nada para aliviar o pesadelo que Basara tem tentado reprimir no fundo de sua mente todo esse tempo: a memória de acabar com famílias e casas inteiras.
Mio olhou para Yuki e Kurumi, na esperança de que eles pudessem confortar Basara, mas as viu manter o silêncio enquanto olhavam para os pés.
"Aquela área em que seus poderes ficaram descontrolados... parece que o tempo simplesmente parou nessa área exata."
Shuuya falou com o coração pesado enquanto continuava dirigindo.
“É como se essa área tivesse sido cortada para alguma dimensão separada. Seja matéria física ou magia, nada parece afetar essa área.”
Em outras palavras, os pecados de Basara permanecerão lá para sempre, uma cicatriz aberta no belo rosto da Mãe Natureza.
"Entao é por isso…"
Basara entendeu agora. Entendeu por que Yuki estava sendo tão fria na primeira vez em que se reencontraram na escola. Por que Takashi e Kurumi estavam querendo seu sangue, e por que as meninas estavam agindo em silêncio. Enquanto Basara tentava deixar para trás os eventos de 5 anos atrás, depois de ser expulso...
As pessoas da vila eram lembradas da tragédia toda vez que olhavam para fora. E isso não mudará no futuro próximo.
Os pecados de Basara e seus erros estarão lá para sempre.
Parte 5
Um silêncio pesado se instalou no carro quando eles passaram por algumas casas. Yuki falou suavemente, por cima do som do motor zunindo, para quebrar o silêncio.
"...Basara."
Basara olhou para Yuki, apenas com a respiração presa na garganta. Pois bem na frente dele, no lado esquerdo da estrada, havia um prédio com o qual ele estava muito familiarizado. Sua casa de infância, a família Toujou. E do outro lado da cerca, a casa dos Nonaka.
Basara tentou desesperadamente conter as emoções que estavam borbulhando dentro dele. Afinal, ele não veio aqui para relembrar. Claro, ele sempre arcará com os pecados que cometeu naquele dia, 5 anos atrás, mas, por enquanto, havia outras coisas que ele tinha que fazer.
Porque Basara agora tem coisas que ele deve proteger.
“Eu sei que foi uma longa viagem de Tóquio, e eu gostaria mais que você descansasse, mas com convidados inesperados e tudo, o tempo é realmente essencial. Então, me desculpe, mas vou ter que levá-lo aos anciões agora.
Shuuya falou se desculpando, e o geralmente distante Takigawa respondeu de maneira bastante madura.
“Oh, não se preocupe com isso. Estamos bem."
Mas algo pareceu um pouco errado para Basara.
"Hum, posso fazer uma pergunta?"
"Claro."
"Você acabou de dizer 'convidados inesperados', devo assumir que há outros convidados além de Takigawa aqui hoje?"
Shuuya não respondeu à pergunta de Basara e, de fato, você podia ver o olhar nervoso nos olhos dele pelo espelho retrovisor.
"Ei, se você precisa falar sobre algo que eu não deveria estar ouvindo, você quer que eu cubra meus ouvidos ou algo assim?"
Takigawa sugeriu de brincadeira, mas Basara foi mais uma vez sério aqui.
“Tio Shuuya, se for sobre Takigawa, não se preocupe. Ele é alguém em quem definitivamente podemos confiar. E se algo acontecer, eu pessoalmente assumirei a responsabilidade.”

"Ei…"
Takigawa deu uma leve resposta, mas ele sabia o que Basara queria dizer. Se Takigawa vazar o que Shuuya tinha a dizer, haverá consequências se as informações forem enviadas para as pessoas erradas. Embora Takigawa fosse um dos poucos amigos demoníacos que ele tinha, ele era responsabilidade de Basara no momento em que decidiu ir junto para visitar a vila. Portanto, ele deve ter certeza de que Takigawa não irá se comportar mal.
“O Vaticano nos notificou que eles estavam enviando um auditor. O oficial chegará amanhã."
"O Vaticano...!?"
Basara estava sem palavras. Pois esse era o tópico que ele estava conversando com Takigawa antes em relação a outros clãs de heróis em todo o mundo. O Clã dos Heróis nos Estados Unidos encontrou seu caminho nos escalões superiores das agências de inteligência e nas forças armadas do governo dos EUA. Os heróis na Europa, por outro lado, foram capazes de se mover por sua base de operações por séculos, sob o disfarce de 'religião'. Atualmente, eles ocupavam o Vaticano e tinham um controle influente sobre os aristocratas e as elites dominantes em toda a Europa. O ramo europeu do Clã dos Heróis tinha a história mais longa, e você poderia até dizer que eles agiam como sede e órgão de todos os Clãs dos Heróis.
E o auditor que Shuuya se referiu não era um padre para dar um sermão. Eles eram as elites escolhidas a dedo escolhidas entre os melhores heróis do ramo europeu, para lidar com missões especiais como combate contra demônios de alto escalão e para dissipar quaisquer brigas na comunidade dos heróis. Mas como elites, eles não foram apenas enviados para nenhuma missão aleatória, mas apenas para aqueles de extrema importância.
"Me corrija se eu estiver errado, mas... foi talvez o Vaticano que me chamou dessa vez e não a vila?"
O que Takigawa disse antes estava começando a fazer sentido. Não era de surpreender que a vila quisesse fazer uma mudança antes de Basara e se tornar uma ameaça ainda maior para a vila. Mas Basara não esperava, nem por um momento, que o Vaticano se envolvesse. É claro que Basara agora tinha algo que precisava proteger, a ponto de assumir o confronto com o Vaticano.
Mas Yuki e Kurumi não podem simplesmente seguir o caminho de Basara. Eles tiveram que pensar no problema que trariam aos pais. Até a reunião desta vez não foi apenas para Basara se apresentar aos anciãos, mas para ele argumentar que as irmãs Nonaka continuassem morando com ele.
“Oh não, foram os anciãos que o chamaram. O Vaticano apenas decidiu interferir no último minuto. Também pegou os anciãos completamente de surpresa. É por isso que os nervos estão altos. Afinal, nem sempre temos um Auditor para nos fazer uma visita. ”
"Entendo…"
Basara considerou o que Shuuya acabou de dizer e chegou à conclusão de que as coisas não estavam no ponto mais baixo, mas ainda não estava tão bom. Atualmente, ele não sabia se o Vaticano iria batalhar com Basara e companhia, ou se eles iriam batalhar com o Vila. Independentemente disso, provavelmente não é algo que se resolva com apenas uma conversa amigável.
Agora também fazia sentido o motivo pelo qual Shuuya foi escolhido para escoltar Basara e as outras. Normalmente, como pai de Yuki e Kurumi, e alguém que é próximo a Basara, ele não seria uma escolha adequada para acompanhá-los. De fato, provavelmente teria sido melhor ter outra pessoa, alguém que não lhes divulgasse nenhuma informação. Mas os Anciões tinham que ter seu 'seguro' nessa situação. Ao fazer Shuuya falar com Basara sobre o Vaticano, Basara entrará nas negociações sem se surpreender e seria capaz de agir de maneira clara no caso de algo acontecer.
E a confusão que ocorrerá com a súbita interferência do Vaticano pode ser decisiva para a mão de Basara ao negociar com os anciãos. O fato de a vila já ter planejado convidar Basara antes do Vaticano interferir também provou que a vila pode ter alguns problemas e condições que eles não queriam que o Vaticano mudasse ou soubesse. Então Basara não estava disposto a abandonar essa oportunidade.
"Obrigado por tudo, Oji-san."
Basara agradeceu e olhou para a grande mansão. O edifício que sediará o duelo sem espada que está prestes a ocorrer. A mansão dos anciãos.
--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------
Tradutor: Ascherit
Revisor: Ascherit