Shinmai Maou no Testament | Vol 1 - Cap 1



VOL 1 - CAP 1
Parte 1

--- Mais uma vez um sonho sobre aquela época.
Com apenas sua consciência flutuando no cenário do passado, Basara percebeu que ele estava sonhando. Carmesim profundo. Os loucos olhos dessa cor tinham menosprezado Basara no passado.
As vozes iradas de uma grande multidão. A voz chorosa de um precioso amigo no fundo.
Em meio a isso, uma silhueta negra lentamente se aproximou.
"------"
Alheio de tudo ao redor. Ele tinha que fazer alguma coisa - era tudo o que ele pensava.
Mas a mente de Basara chegara ao limite com essa tragédia acontecendo diante de seus olhos.
E no momento seguinte - a visão de Basara era de cor branca.
Sua consciência lentamente desapareceu. Ele não sabia se ele havia sido salvo ou não.
Então - Basara ouviu o grito de alguém no final.
Toujou Basara ainda não esquecera essas palavras mesmo agora. O grito de uma mulher repetia sem parar. Assim como uma maldição --- Disse: por favor, devolva aquela criança.

Parte 2

"---! Hah .... Hah ..."
Basara abriu os olhos e ao mesmo tempo soltou um suspiro áspero. Nesse momento, onde ele olhou para o teto, ele percebeu que tinha acordado. Respirando fundo, ele acalmou seu batimento cardíaco caótico.
… Não importa quantas vezes eu veja esse sonho, eu simplesmente não consigo me acostumar com isso…
Deitado em sua cama virado para cima, Basara encarou sua mão direita que ele havia trazido até seu rosto.
"... Huh? De alguma forma, ainda é difícil respirar ..."
Mesmo já tendo acordado de seu sonho, ele ainda não conseguia respirar corretamente.
"Ah --- você está finalmente acordado."
Uma voz repentina. Quando ele baixou o olhar, em cima de seu cobertor de verão que ele usava ao em vez da colcha normal havia uma menina montada em Basara em torno de seus quadris com ele entre suas coxas. Ela colocou as duas mãos no peito dele e mostrou uma expressão travessa. Aquela garota - Naruse Mio - olhou para baixo.
"Bom dia."
"….Bom dia."
Basara devolveu a saudação matinal no reflexo. Ou Mio era muito leve ou era por causa do cobertor, mas ele não podia sentir tanto peso assim. Ainda assim, esse sentimento realista fez Basara lembrar sua situação atual.
--- Que ele e ela começaram a viver juntos desde ontem.
Os responsáveis pela mudança foram solicitados a fazer tudo, desde a embalagem e envio das coisas, por algum pagamento extra.
E o trabalho deles foi bom e rápido. Fazia uma semana desde que eles se conheceram no restaurante familiar.
As famílias Toujou e Naruse começaram a viver em segurança depois de alugar uma única casa. Mas,
"Ehm ... o que você está fazendo?"
"Que pergunta é essa, acordando você é claro. Eu pensei que os meninos ficariam felizes com isso."
Na questão não falada de Basara, Mio sorriu com "É um serviço".
Muito provavelmente, a própria Mio queria isso, mas - isso certamente era um serviço.
Normalmente, em tais casos, ela ficaria em cima do seu estômago. Mas talvez ela não pudesse fazer isso com sua postura devido ao cobertor, já que Mio estava sentado nos quadris de Basara. Isso era como a posição de vaqueira. 

Além disso, a temporada atual era de verão. A época em que as roupas de uma menina têm a maior taxa de exposição do ano. Em suma, levemente vestida. O traje de Mio esta manhã era um top de sutiã tipo camisola e short curto. Suas coxas expostas estavam ofuscando seus olhos e a sensação de que ela o montava era a melhor também.
Mas o mais importante - os olhos de Basara estavam inadvertidamente atraídos por algum outro ponto.
… Eles com certeza são enormes.
Tinha estado em sua mente desde que ele a viu no restaurante da família. Os seios de Mio eram bastante volumosos. Seus inchaços corpulentos esticaram o topo do top altamente elástico por todo o caminho. O decote, onde vários dedos caberiam, também não deveria ser ignorado, mas a lateral de fora de seus seios enormes - uma curva cor de pele mostrava-se completamente do lado da parte superior do sutiã.
"Ei, pare com essa cara idiota e levante-se já."
"Sim ..."
O que fazer. Ela mesma não parecia ter notado, mas cada vez que as mãos de Mio pressionavam o peito de Basara, seus seios tremiam e davam uma visão espetacular. Inadvertidamente, Basara não se moveu,
"Ei, levante-se já ou ... Eh?"
Quando repentinamente notou algo, sua expressão se transformou para uma duvidosa. E então, enquanto confirmava a sensação com a mão dela:
"... H- Ei, de alguma forma ... eu sinto algo duro?"
Oh meu Deus? Basara inclinou a cabeça. Poderia ser que o efeito de tê-la sentado em seus quadris saído pela culatra?
"Ehm ... isso é o fenômeno fisiológico exclusivo apenas para meninos?"
"N- Não! Eu me pergunto o que é ... Talvez meu celular?"
Sim, Basara lembrou. Ontem à noite ele não conseguiu dormir, então ele jogou no videogame portátil. Em algum momento ele havia adormecido, mas tinha que ser isso. Na realidade,
"Eu sou grato que você veio me acordar, mas você não está sentada no meu estômago, mas nos meus quadris. Quando uma garota senta lá e um fenômeno fisiológico real acontece, eu não posso ser responsabilizado."
Nas palavras de Basara, Mio imediatamente ficou vermelha. Ela deve ter finalmente notado sua própria falta de defesa. Ele pensou que com certeza ela iria pular e pisar nele em pânico.
"S- Sim… Eu não posso negar. Você é um garoto afinal de contas”
Surpreendentemente, ela resistiu. Mais provavelmente ela queria estar emocionalmente superior à Basara. Mas era bastante claro que ela estava agitada. Aparentemente ela estava bem quando as coisas iam do jeito que ela queria, mas era fraca em situações inesperadas. Então para testar, Basara decidiu implicar um pouco com ela.
“O que? V-você está levantando?”
Basara respondeu com “Sim” para Mio, que imediatamente ficou agitada.
“Eu não posso ficar vadiando por aqui eternamente, posso? E você se deu o trabalho de me acordar.”
“C-certo… M-mas...”
Basara deu um sorriso irônico para a afobada Mio. Enquanto olhava para Mio de baixo:
“Se isso é um problema pra você, acorde-me normalmente na próxima vez. Não sentada no meu quadril.”
Era um aviso gentil. Mas Mio ficou vermelha e fez uma cara frustrada  .”
“Eu, eu não estou realmente incomodada… bem, isso é apenas um simples fenômeno natural.”
Ela estava obstinada numa orientação estranha. Basara não tinha tempo para interrompê-la.
“Va-vamos logo, levante-se!”
Ela agarrou o cobertor de Basara e o puxou.
Com isso, algo imediatamente saltou para fora do cobertor para o ar, na direção da Mio.
“Eh?”
Deixando o cobertor cair inadvertidamente, Mia pegou o objeto. Não era um celular nem um video game portátil. E é claro, também não era um fenômeno fisiológico também. Era algo notável que veio do meio da sua virilha e disparou para o ar. Então o que era aquilo? Os olhos de Basara caíram na capa de plástico. Era uma coisa que antes era usada para jogos ou para um programa de editor de foto, ou melhor, para qualquer tipo de programa em si. A parte da frente da embalagem estava virada para ele, então Basara pôde ler o título.
O nome do produto com uma garota fofa de capa era:
“Edição especial para jovens: Minha verdadeira meia irmã e eu”
Era um jogo sobre uma irmãzinha.
“Oi… O que!?”
Mio jogou o jogo em cima do estômago de Basara e caiu da cama, pois perdera o equilíbrio nesse exato momento.
“H-hey, você está be… Mm?
Com isso, a embalagem virou de cabeça para baixo. Agora Mio estava olhando para a parte de trás com o sumário escrito. As imagens sobre a garota fofa estavam cheias de peles nuas e mosaicos.
Em resumo, era um jogo erótico. Além disso era um jogo com estilo de treinamento, se baseando no título.
A suposta atmosfera fresca da manhã se transformou na mais constrangedora cena do mundo por um momento.
“Por- por que tem algo assim na sua cama?”
Basara tinha quinze anos. Ele não se lembrava de ter comprado algo assim. No entanto, enquanto Mio estava tremendo no chão:
“Vo-vo-você… Você estava jogando esse tipo de jogo de noite no momento que começamos a morar juntos? Eu sabia… você quer fazer essas coisas do jogo com a gente também, certo?”
“O que quis dizer com você sabia? Na verdade, de jeito nenhum eu tenho… Oh?”
“Ah, hey… Kyaa!? 
Quando Basara negou vivamente enquanto tentava levantar-se da cama, ele também perdeu o equilíbrio e caiu no chão. Sua parte inferior deve ter ficado dormente com Mio sentada nele. 
Num instante, ele estava pendurado.
“Ah…”
Como se fosse puxado para baixo. Na distância onde a respiração poderia ser sentida, seus rostos perto um do outro.
Tão perto que isso fazia você exitar em falar. O aroma doce de uma garota.  No momentoque ele caiu, ambas as alças do top de Mio escorregaram pelos seus ombros e seu enormes seios estavam quase se derramando. Tinha descido tanto que o biquinho estava quase visível.
Além disso, um dos joelhos de Basara estava entre suas coxas charmosas que surgiam do seu short curto e se ele se mexesse mesmo que apenas alguns milímetros, ele poderia tocar um local que ele supostamente não deveria tocar de forma alguma.
E em silêncio por alguns segundos, que pareceram uma eternidade, incapazes de até mesmo arrepiar.
“Vo…”
“...Vo?”
Mio finalmente soltou a voz e Basara repetiu:
“Seu pervertidooo!”
“O queeee!?”
O joelho levantado de Mio atingiu Basara bem na boca do estômago. E enquanto o corpo de Basara flutuou um pouquinho, Mio escapou do local. Na porta, ela se virou para Barasa que se contorcia no chão:
“Na-na próxima vez que você fizer qualquer coisa estranha comigo, eu irei matá-lo mil vezes!”
Após dizer isso gritando, ela deixou o quarto. Apenas Basara foi deixado para trás, contorcendo-se no chão.
“Espera, isso foi um mal entendido…”
Estendendo a mão, ele murmurou gemendo, mas ninguém ouviu.
Do topo da sua cama, a adorável ilustração da garota olhava para ele como se estivesse o esnobando. A heroína da “Edição Especial para Jovens: Minha irmãzinha e eu” fez um sorriso gentil.
“Maldito… Pai. Para colocar algo tão rude na minha cama.”
Como ainda estava nas férias de verão, Basara desceu as escadas para o térreo, ainda de pijamas.
Atualmente, Jin estaria com problemas se Basara fosse odiado. Será que ele não se importava se o novo casamento fracassasse? Bem, independente de como o novo casamento fosse, ele não suportaria que uma dúvida sobre seu caráter fosse feita devido a um mal entendido.
“Pra começar, eu tenho que limpar propriamente esse mal entendido depois…”
Quando ele abriu a porta da sala, um cheiro delicioso instantâneamente fez cócegas nas suas cavidades nasais.
“Ah, Basara-san. Bom dia.”
No final da sua linha de visão, Maria, cozinhando do outro lado da cozinha notou ele.
“Ah, sim… Bom dia.”
Basara abaixou sua cabeça um pouco. Aparentemente Mio não havia ainda contado sobre o mal entendido mais cedo.
Jin e Mio não estavam na sala. Eles deveriam estar cada um se trocando ou tomando banho, arrumando-se. Fazendo um sinal de alívio, Basara entrou na cozinha.
“Hm… Espe…”
Então ele pôde ver Maria perfeitamente segurando uma grande frigideira com seu pequeno corpo.
Mesmo sendo a mais nova, Maria se encarregou de todas as tarefas domésticas, em parte devido ao fato de ela não ir à escola. De qualquer forma, ela estava se gabando de como tinha cuidado das tarefas antes de morarmos juntos também.
Maria vestia um avental branco com babados, algo que uma recém casada poderia usar. Sendo usado em alguém de aparência tão jovem como Maria dava na verdade uma sensação um pouco erótica, o que perturbou ele. 
Basara abriu a geladeira com um copo, que ele pegou do guarda-louça, em uma mão e pôs o leite do pacote nele.
“Por favor, espere um pouquinho. Estará pronto daqui a pouco!”
“É, então… PFFT!?”
Inadvertidamente Basara cuspiu o leite da sua boca, que fez um pequeno arco-íris no ar.
Porque ele acabara de ver Maria por completo, que se virou para encará-lo, frente a frente.
“Meu Deus, você cuspiu tudo.Você é tão travesso já pela manhã, Basara-san.”
Maria mostrou um sorriso calmo e chegou perto trotando.
“H-hey! Espera, Maria-chan!”
Basara rapidamente pôs ambas as suas mãos em frente a ela para pará-la.
“Eh? Qual o problema?”
Maria inclinou a cabeça. Era um comportamento fofo como de um pinguim. Fazia você sem perceber inclinar seu corpo também. Mas, mais importante,
“Para trás, que roupas são essas de manhã?”
Basara apontou. Afinal de contas, ela estava pelada por baixo do avental, um verdadeiro avental nu.  Mesmo que já estivéssemos no século 21. Nada bom, ele precisava se acalmar. Era um pinguim. Se ele pensasse sobre isso como sendo um pinguim pelado num avental, se tivesse como… como se!
“Ehm… algo errado com isso?”
Sem tempo para Basara interrompê-la, Maria deu uma voltinha mais uma vez. Contudo…
“...H-Huh?”
Maria estava propriamente vestida. Devido ao fato dela estar com uma combinação de uma camisola e uma mini saia por baixo, parecia que ela estava pelada por baixo do avental. Então Maria:
“...Hohoho, entendi.”
Quando ela olhou para baixo para o seu próprio traje, ela sorriu afetadamente, como se tivesse notado com o que Basara tinha ficado tão afobado.
“Você é um garoto adolescente afinal de contas, Basara-san… Isso é muito estimulante para você? Isso o despertou?”
Certamente era bastante estimulante. De uma maneira patética.
“...Você teve algum pensamento estranho?”
“Não, não.”
“Por favor, fique excitado.”
“Haha.”
Basara se perguntou se essa conversa não seria um pouco estranha para irmãos.
“Ok, certo. Mais cedo, Mio-chan foi acordar você, mas como foi?”
“...Graças a isso, eu estou completamente acordado agora.”
Ele não podia realmente contar que ele recebeu uma joelhada antes do café da manhã. Contudo,
“Não, não, não foi isso que eu quis dizer.”
Maria balançou sua mão e fez uma expressão séria:
“O jogo que eu contrabandeei para sua cama… Mio-chan chegou a ver?”
“ENTÃO FOI VOCEEEEÊ!”
Basara gritou instantâneamente. Culpado encontrado. Em pensar que tinha sido Maria.
“Mas por que você colocou algo tão rude lá?”
“Para quê? Porque você parecia não muito familiarizado em treinar suas meia-irmãzinhas.”
“Eu nem sequer quero me familiarizar com isso. Além do mais, por que eu que tenho que treiná-la de qualquer forma?”
“Eh? M-mas…”
Então Maria ficou completamente aturdida.
“A não ser para treinar, não há nenhum outro uso para meia-irmãs, há? 
“CLARO QUE TEM! Na verdade, o que você quis dizer com usos!”
Ah Deus. Ele sabia que alunas do ginásio não podiam ser subestimadas nos dias de hoje, mas o que exatamente essa irmãzinha loli queria para sua irmã mais velha? Então Maria balançou seus punhos fechados para cima e para baixo.
“M-mas… esse jogo parecia muito bom? No final, sua meia-irmãzinha se torna sua completa escrava e apenas com abuso verbal, ela faz uma expressão sensual e esguicha em tudo.  Então você pode aprender com isso, Basara-san.”
“Eu não me importo! Por que eu teria que aprender de algo como isso?”
“Eu, quer dizer… exceto em fazer uma expressão idiota sensual e esguichar em tudo, uma meia-irmãzinha, não tem razão para ser…”
“Ela tem! Um monte delas!”
Peço desculpas para todas as meia-irmãzinhas 3D e 2D! Não, mais importante:
“Ehm, Maria-san?”
Enquanto usando um chamado respeitos , Basara começou a perguntar para ela. Ele não queria acreditar… mas era uma possibilidade.
“Esse jogo… poderia ser seu?”
O que poderia fazer se fosse dela? Basara engoliu em seco.
“Ah, por favor, Basara-san, como poderia? Eu ainda estou no ginásio.
Maria balançou sua mão enquanto ria um ‘ahaha’.
“Você irá tomar conta de nós agora, Basara-san, então é uma espécie de presente.”
“Esse é o pior tipo de presente. Faça algo mais decente.” 
“... em outras palavras, você está dizendo ‘O jogo não é satisfatório, dê-me um corpo decente.” 
“Eh…?”
“Eu, eu entendi. É constrangedor, mas se é o que você deseja, Basara-san…”
Na frente de Basara, cujos olhos estavam em chamas, Maria tirou seu avental. Timidamente, ela enfiou a mão na minissaia, e quando a enrolou, mexeu-se intencionalmente.
“Uh-uhm… Eu não estou familiarizada com treinos, mas começar com isso numa manhã luminosa é um nível bem alto, não é?
“Como diabos eu estou fazendo isso? Além do mais, o treinamento em si é algo fora de questão para uma estudante do ginásio.”
“Mhm, qual é o tumulto?”
Havia uma voz vindo da porta da sala. Era Jin de pijamas e o jornal apertado debaixo do braço. Basara tentou rapidamente inventar uma desculpa, mas Maria avermelhou suas bochechas antes disso.
“Ehm… Na verdade, eu irei ter meu primeiro treinamento com Basara agora.”
“Eu já te disse, eu não vou…”
“...Hee, então é isso.” 
Seguindo, Mio entrou na sala e mandou para Basara um olhar como se estivesse observando um animal.
“Mais cedo… você me empurrou para baixo e agora está tendo uma Edição Especial para Jovens com Maria. Hee.”
“Não faça de mim um cara ruim. Minhas pernas estavam dormentes!”
E então Basara lembrou-se com um “Ah, verdade”
“Ouça, sobre o jogo de mais cedo, Maria tinha…”
“Eh? Sobre o que você está falando?”
Maria instantaneamente se fez de idiota.
“Eu não faço ideia do que você quer dizer. Basara-san, por favor não jogue a responsabilidades de seus passatempos para cima de mim.”
“Kuh… fazendo uma cara inocente só agora.”
Mesmo que ela tivesse colocado a mão na sua saia e estivesse pronta para treinar mais cedo, apenas para perturbá-lo.
“Pai… diga algo.”
Pai e filho tinham vivido juntos por anos. Seus pensamentos deveriam ser transmitidos. Depois disso, Jin, que havia sentado à mesa mais cedo, levantou a cabeça do jornal com um “Huh?”, depois descansou o queixo na sua mão com um “Mhm”.
“Eu entendo que você está com o espírito elevado sobre ter duas irmãzinhas fofas… mas por favor, sem crimes.”
“Não transmitiu nada!
Tão irracional, Basara pensou. Essa era para ser supostamente sua casa, contudo por que ele se sentia tão distante?

Parte 3
Quando se começa uma nova vida juntos, há coisas absolutamente necessárias.
Aquele dia, enquanto arrumavam as bagagens restantes da mudança naquela manhã, eles foram todos para a loja de móveis pela tarde e compraram novas coisas necessárias como cortinas e lençóis. Apenas olhando em volta pela loja uma única vez tomou uma quantidade surpreendente de tempo Quando eles retornaram para casa, o sol já tinha se posto.

… e no presente. Toujou Basara estava pedalando sua bicicleta.
Para conhecer melhor a cidade  em que eles se mudaram, ele foi andar pela vizinhança.
“A tardinha é bem mais relaxante.”
Suas palavras murmuradas não eram um monólogo.  Na garupa sentava Mio.
“Por que eu tenho que…”
Ela murmurou insatisfeita enquanto enroscava os braços ao redor de sua cintura.  Pedalando uma bicicleta com uma garota. Além disso, uma com grandes seios. Uma ocasião de tirar o fôlego mesmo para um homem , no entanto a atmosfera estava bastante tensa.
“Não diga isso… Eu não sei meu caminho por aqui, mas você vem aqui frequentemente.”
O ensino médio de Mio era perto da casa da qual eles se mudaram.  Portanto quando ele saiu, ele perguntou para Mio se ela podia guiá-lo pela cidade. Parecia que ela entendeu que o jogo daquela manhã era uma pegadinha de Maria, mas a estranheza não sairia tão facilmente. Mio fez abertamente uma expressão descontente e reclamou, mas no final ela aceitou guiá-lo por aí.
“Hey… Basara, você realmente vai estudar na mesma escola que eu?”
“Parece que sim.”
Em resposta da questão anterior, Basara respondeu afirmativamente.
A transferência de escola fora sugerida por Jin. Ele poderia ir para a sua velha escolha da sua nova casa, mas o ensino médio de Mio estava à distância de uma caminhada.  Também tinha uma boa tradição, então ele decidiu pela transferência.
Ele mal tinha passado um termo como estudante do ensino médio.  Claro que não era como se ele não tivesse se dado bem com seus colegas de classe, mas ele não tinha arrependimentos sobre deixar a escola.
Além do mais…
Tinha o lance sobre Mio ter sido atacada anteriormente.  Se Basara pudesse afastar tal coisa ou arriscar um pouco frequentando a mesma escola, uma transferência faria sentido.
Atrás, Mio apenas disse “Mhm” não afirmando se ela era contra ou não.  Basara e Mio avançaram lentamente de bicicleta pela cidade loucamente colorida de vermelho.
“Hey.  Eu poderia te perguntar que tipo de sonho você teve essa manhã?”
“...Aw.”
Perguntou de repente com um tom causal, Basara coçou sua bochecha.  Depois de Mio ir acordá-lo, ele deve ter tido um pesadelo feroz. Do ponto de vista de Mio, era uma pergunta óbvia.
“... Eu a fiz ficar ansiosa por minha causa.”
Basara refletiu o que fazer com a atmosfera, enquanto Mio não insistia para que ele respondesse.
Infelizmente, ele não poderia dizer para um pessoa normal como Mio sobre suas circunstâncias.  Assim sendo:
“No passado… quando eu vivia no campo, muita coisa aconteceu.  Você pode chamar isso de trauma… Mesmo agora eu sonho sobre essa época.”
“... Entendo.”
Mio disse bem pouco e não fez mais perguntas.  Ainda assim, por um tempo, ele sentiu a atmosfera entre eles dois dar uma suavizada. Isso deveria ser a consideração de Mio.
Obrigado.
Se Basara tivesse que contar para ela tudo… ele não seria mais capaz de viver junto de Mio e Maria mais tempo.
Já que pediram para eles comprarem alguns ingredientes enquanto passeava, Basara e Mio seguiram para o mercado.
“Nós compramos muita coisa…”
Como acabaram de se mudar, acabaram não apenas comprando ingredientes, mas também todo tipo de temperos.
“Eu irei pegar a bicicleta primeiro.  As coisas aqui são pesadas, então apenas vá até mim com o carrinho.”
“Mm, tudo bem.”
Deixando a Mio acenando para trás, Basara deixou o mercado primeiro.
Ele chegou no estacionamento para as bicicletas e abriu o cadeado da bicicleta, em que:
“Eu poderia te perguntar que tipo de sonho você teve essa manhã?”
Ele lembrou-se das palavras de Mio e sobre o sonho ruim dessa manhã passou em sua cabeça. Instantaneamente:
“.....!”
Basara esqueceu como respirar por um momento e pressionou seu peito enquanto seu coração disparava.
Como seria bom se ele simplesmente esquecesse. Mas, ele não poderia se dispor à esquecer.
O incidente cinco anos atrás.  Basara era a vítima e ao mesmo tempo o assaltante.
Assim sendo, Toujou Basara teria que suportar esta dor pelo resto da sua vida.
“...Aw, nada bom.”
Lembrando-se que Mio estava esperando por ele, Basara puxou sua bicicleta para a porta da loja.  Depois disso, ele imediatamente viu Mio rodeada por pessoas.
Geh, Basara fez uma careta.  Mio estava cercada por quatro óbvios caras maus.
E, Mio estava sacudindo o braço e encarou os caras ferozmente.
“Não toquem em mim.  Eu irei matá-los mil vezes se tocarem em mim!  Hey, Basara!”
Tanta agressividade.  Um garoto normal de ensino médio teria ficado assustado com isso.  Mas infelizmente não fez efeito nenhum nesses quatro garotos. Com um sorriso afetado em seus rostos, eles não deixaram Mio em paz.
“...Ehm, vocês tem algum compromisso com minha companheira?”
Então por agora, Basara tentou chamá-los pacificamente.
“Huh?  Quem é você?”
“Bem, companheiro dela.”
“Mhm… E daí?”
Huh? Normalmente recuavam quando percebiam que a garota tinha um garoto com ela?
Nesse tipo de atmosfera tensa, Mio olhou para ele com uma expressão rígida.
...Bem, e agora?
Enquanto Basara estava pensando, o cara mais próximo chegou mais perto com a cabeça inclinada na diagonal enquanto mastigava seu chiclete.  Era desconhecido se era uma ameaça ou uma provocação, de qualquer forma ele era bom em fazer cara de puto.
“Basara, huh? Que nome de merda…”
“Não tanto quanto a sua cara.”
Dizendo tão aborrecido, Basara puxou o guidão da bicicleta para levantá-lo.  Deixando a roda da frente flutuando no local, a bicicleta fez um cavalinho. 
“Huh…?”
O cara olhou para isso atraído e em seu rosto Basara dirigiu o pneu.
Um golpe direto.  “Gueh”, levantando uma voz curta, o cara foi derrubado para trás.
Com esse acontecimento repentino, todos os presentes ficaram estupefatos.
Basara naturalmente fez sua bicicleta ficar em pé novamente, então passou pelos três caras restantes para alcançar Mio. Ele pegou as sacolas de pano com as mercadorias compradas no carrinho de compras.
“Bastardo...!”
Com um olho na situação, Basara rapidamente abriu a tampa da garrafa recém comprada de tempero e jogou o conteúdo nos caras que vieram atacá-lo.
“Guah!?
“Cuzão... Achooo!”
“Meus, meus olhos, está doendo... Achooo!
Bem, mas é claro. Era uma lisa pimenta velha de 298 yen.
“...Hey, para de ficar parada ai perplexa e corre!”
“Eh? Eh?
Segurando a mão da confusa Mio e as sacolas de pano do carrinho de pano, ele correu.
Nesse momento, sair dali o mais rápido possível virou prioridade.  Basara imprudentemente puxou as sacolas de pano para a bicicleta do carrinho.
“Segure-se, nós vamos dirigir.”
Fazendo Mio sentar atrás, ele decolou a toda velocidade. Ao mesmo tempo.
“Guah...!?”
A bicicleta  passou por algo.  Mais provável ser o cara que ainda estava deitado no chão depois de ser atingido pelo pneu. No entanto, não havia tempo para sentir pena.
Basara pedalou em pé, recuando do local a toda velocidade.
E então... Eles fugiram juntos pela estrada principal na bicicleta por um tempo.
Eles não deveriam perseguí-los mais, naquele momento, o sinal ficou vermelho.
“Fuh, devemos estar salvos aqui...”
Sua respiração estava um pouco fora de controle pela arrancada no meio do verão e suor começou gradualmente a se espalhar por sua testa; Então,
“... desculpe. É minha culpa.”
De repente, a voz de Mio de trás se tornou audível. Mio encostou sua testa nas costas de Basara e inclinou seu corpo contra ele.  Basara virou-se sobre os ombros e olhou para Mio. Enquanto ela estava irritada por Basara ter sido envolvido em seus próprios problemas, Mio abaixou seus olhos e estava olhando para baixo com uma expressão amarga.
... Então ela podia fazer uma cara como essa...
Uma nova expressão de Mio estava diante de seus olhos.  Mas, Basara não queria que ela mantivesse aquela expressão. Ele não conseguiu encontrar nada adequado para dizer... Ainda assim:
“Ehm... Por que não pegamos um desvio para casa?”
Ao mesmo tempo o sinal ficou verde, Basara virou o guidão, que começou a fazer a bicicleta se mover.
“... Eh?”
Mio ergueu uma voz surpresa com a mudança do curso para longe da casa deles.
Mas Basara não parou. Era de tarde. Se eles fossem agora, eles chegariam no momento perfeito.
O local para onde Basara levou Mio era um parque, orgulhoso de seu amplo terreno.
Lá tinha até um posto avançado cênico chamado A Colina do Por do Sol, mas desde que era um lugar famoso entre os moradores, Mio, que estudava por aqui, deveria conhecer. Portanto, Basara ousou levá-la para um local raramente visitado.1
Não era uma plataforma de visualização pública, mas um ponto onde você poderia ter a vista da cidade inteira.
“Waah...!”
Mio, olhando para baixo para a paisagem urbana, ergueu a voz em surpresa e deleite. Assim como Basara previu, eles chegaram no momento perfeito.  O mundo estava equivalentemente colorido em um vermelho suave, abrangia todo o cenário do por do sol.
“Tão bonito... Mas você acabou de se mudar para cá, então como você conhece esse lugar?”
“Quando meu pai decidiu a casa, eu estava com ele e ouvi que o parque era famoso, então eu vim aqui sozinho enquanto meu pai assinava o contrato. E então encontrei este local por acaso.”
Basara se alinhou ao lado de Mio.
“Uma vista verdadeiramente esplêndida, não?”
“Sim. Eu nunca soube... Que havia um lugar como esse aqui.”
“Vamos vir de noite na próxima vez. O cenário da noite no parque é tão famoso quanto. Eu tenho certeza que daqui será bonito também.”
Ele sugeriu uma pequena promessa para o futuro. Depois disso:
“Sim... Você está certo. ... Próxima vez então.”
De repente a expressão de Mio escureceu. Da posição deles eles conseguiam ver o mercado de mais cedo também. Ela deveria estar lembrando sobre a briga de mais cedo com os garotos. Basara coçou sua bochecha com seu dedo e,
“Ehm.”
“Hoje... Essa manhã, você veio me acordar.”
Com essas palavras, Mio olhou para ele. Então Basara falou em tom baixo.
“Como família, sabe... É provável que quaisquer problemas ou incômodos um com o outro possam ser perdoados.”
“Eh...?”
“Para você, eu sou uma existência um pouco favorável, ao ponto de você vir me acordar, agora, correto? É claro que não está completamente arranjado que nossos pais vão se casar... Mas ainda vamos viver juntos de qualquer forma. Ajudando um ao outro com coisas triviais e reconhecendo um ao outro, eu acredito que aos poucos nos tornaremos uma família.”
Por que:
“Pelo menos, eu acredito que o que eu fiz no mercado é uma coisa natural a ser feita. Eu tenho certeza que é o mesmo para o meu pai. Se você ou Maria-chan se meter nesse tipo de problema de novo, meu pai ou eu vamos ajudar a qualquer hora. Mas isso não é algo para você se sentir preocupada ou relutante.  Quero dizer, é a mesma coisa natural de vir me acordar pela manhã.”
Por agora, ele tentou colocar de alguma forma seus sentimentos em palavras.
".........”
No entanto, Mio fechou sua boca e permaneceu em silêncio.  Talvez ele ficou dando voltas de mais?
... Eu não sou bom com palavras afinal.
Em momentos como esse, Jin seria capaz de convencer de forma com palavras mais claras e simples, mas para seu pesar, Basara não conseguia falar tão confiante quanto seu pai.
“Ehm, o que eu quis dizer é...”
Caindo seu olhar para o chão, ele tentou de alguma forma consolidar suas palavras, sobre que:
“... Tão insolente.”
Mio repentinamente resmungou, onde Basara levantou sua cabeça. Ao lado dele, Mio sorria.
“Nesse momento, você pode ter sido um pouco com um irmão mais velho.”
“... Sério?”
“Sim. Mas apenas um pouco.”
Ohh, Uma espécie de bom humor.
“Então agora porque nós não perdoamos e esquecemos o incidente na...”
“Ainda não.”
Dito friamente, a voz de Mio ainda estava contente. A tensa atmosfera de mais cedo parecia uma mentira. Então Basara pensou. O caminho para se tornar uma verdadeira família poderia estar ainda longe.
Mas neste momento, Mio e ele haviam diminuído a distância por um passo.  Assim sendo:
“Agora, já passou da hora de voltarmos para casa. Eu estou ficando com fome de qualquer forma.”
Voltar para a mesma casa... Como uma família. Basara se virou nos calcanhares e seguiram para a bicicleta estacionada.
“...Sim. Maria e Jin-san estão esperando.”
Ele ouviu a voz calma de Mio de trás, então seus passos o seguiram. Ambas as suas sombras lentamente avançaram para a mesma direção.
...Mas,
“......”
Com suas costas voltadas para ela e apenas vendo sua sombra, Basara não pôde ver a expressão de Mio naquele momento.
A expressão amargurada de Mio foi preenchida com uma tristeza ainda maior do que antes.

Parte 3
Uma semana havia passado, desde que eles começaram a viver juntos.
Tudo do mesmo, eles ainda não tinham saído do estágio “Mais do que conhecidos, menos do que família”.

Ainda assim, comparado ao começo, um monte de estranhezas desapareceram...  Nesse momento:
“... Acontece que eu terei que ir ao exterior por um tempo à trabalho amanhã.”
“Eh...?”
Ao chegar em casa, Basara perguntou inadvertidamente ao ouvir as palavras repentinas de Jin na porta da frente.
Mio e Maria não podiam ouvir. Nesse momento, as duas estavam preparando o jantar na cozinha.
“Um cliente italiano quer uma foto da Arábia. Então eu farei uma pequena visita à Dubai.”
O trabalho de Jin era de fotógrafo freelancer. Um profissional que vivia de tirar fotos.
Para isso, ele às vezes tinha que viajar para o exterior para tirar fotos, mas
“S-segure seu cavalinho!”
Basara apressadamente perseguiu Jin, que estava indo de forma lenta subindo as escadas depois de dá-lo um tapinha no ombro.
“O que você quis de dizer do nada sobre Dubai!”
Seguindo Jin para dentro do seu quarto, Basara perguntou. No entanto, Jin disse curto:
“É um cliente bastante confiável, então eu não tenho escolha.”
Preparando para o trabalho de amanhã, Jin começou a colocar as lentes em sua cama.
Jin era um fotógrafo renomado com clientes em todo o mundo. O nome [JIN] era muito famoso em parte desse ramo e suas próprias fotos eram avaliadas em ter uma natureza artística, como pinturas.  Ele tinha vários fãs e sua renda anual era dois dígitos mais alta que um fotógrafo normal nesse ramo.
“Eu sei que clientes são importantes, mas... Você não pode dar para trás?”
Atualmente era um período importante e delicado e eles tinham acabado de começar a viver juntos com Mio e Maria.
Se o único adulto deixasse a casa agora, o suporte mental iria embora.
“Nós já temos poupança suficiente para ter uma vida decente...”
“Confiança é a coisa mais importante em freelancer. Se eu der para trás uma vez, ele não vai mais me requisitar”
“Mas... Você é o chefe da nossa família. É o seu trabalho proteger a família.”
“E é exatamente por isso que eu estou indo. Escute, enquanto eu estiver fora, é o seu trabalho como filho mais velho proteger a família.”
“Isso é...”
Falando convencido desse jeito, Basara não tinha palavras para argumentar de volta. Jin repousou levemente sua mão nos ombros de Basara.
Ele sorriu.
“Não se preocupe. Você consegue... Afinal de contas, você é o filho do qual eu tenho orgulho.”
... E então na noite do próximo dia.
“Tudo bem, tome conta da casa.”
Com essas breves palavras, Jin foi embora em um táxi.
“Geez...”
Basara abaixou seu olhar para o objeto em sua mão... Uma simples foto que Jin entregou-lhe. Era a foto comemorativa dos quatro em frente a casa, tirada ontem. Como esperado, a expressão de Basara estava tensa nela.
“...Mh?”
No entanto, Basara de repente sentiu alguma coisa errada com a foto.
Na foto, Mio e Maria estavam com toda certeza mostrando um sorrindo. Porém,
... Apenas minha imaginação?
Provavelmente devido ao efeito da luz, o rosto de Mio parecia de alguma forma triste. Ela de fato parecia preocupada com o adulto, Jin, fora de casa.
“... Tudo bem.”
Basara deixou seu quarto determinado. Enquanto descendo as escadas, ele pensou sobre pedir Sushi ou Enguia hoje. Jin deu-lhe o cartão de crédito e comer algo gostoso era o melhor jeito de se alegrar em momentos como esse
Então Basara abriu a porta da sala.
“Hey meninas, sobre o jantar de hoje a noite...”
Ele não pôde dizer tanto. Pois ele percebeu a atmosfera pesada na sala;
".........”
".........”
Mio, sentada no sofá, e Maria, sentada em uma cadeira na mesa de jantar, permaneceram caladas com Basara chamando. Mas havia uma reação. Elas lhe deram um olhar congelante.
... Era o motivo de porque Basara suspirou cansado.
Aww, Aqui está. Finalmente. Ele pensou que com certeza era estranho ter, do nada, duas irmãzinhas fofas, mesmo que houvesse um leve problema com a personalidades delas.
Finalmente veio, a folga de toda a sorte grande até agora.
Incompreensível. Não apenas o único adulto saiu, mas as garotas e o garoto iriam viver debaixo do mesmo teto por si mesmos agora. Claro que elas iriam ser precavidas depois de serem de repente jogadas nessa situação. Ainda assim,
“.................”
“.................”
Esse silêncio não estava já muito grande? Era como uma interrupção completa de TV ou rádio.
“Uhm, o que vocês acham de pedir alguma coisa... Como Sushi ou Enguia.
Mesmo o de alta qualidade é aceitável, foi o que ele sugeriu com um tom educado. Depois disso:
“...Você sabe, Basara, eu tenho um favor para pedir.”
Mio finalmente abriu sua boca de lábios apertados.
“Sim, claro, o que é? Se é algo que você queira, apenas diga.”
Basara imediatamente se voltou para Mio.
Ela queria um favor. Esse assunto trivial sozinho fez ele ficar bastante feliz.
E então... Toujou Basara ouviu o “favor” de Mio. Foi dito com uma voz de medula, fria e penetrante.
“...Dê o fora dessa casa.”
Basara congelou por um momento e procurou palavras pra dizer.
“Ehm...”
Sim. Bem chocante. Ele estava um pouco surpreso.  Afinal de contas ela estava pedindo para ele abandonar a casa sem nenhum pretexto.
Havia um limite para falar uns dos outros.
“... Desculpe, mas você pode dizer de novo?”
Por que agora, Basara desejou tê-la entendido errado... Apesar de que havia pouca esperança.
“......”
Com isso, Maria levantou sua mão levemente em sua direção. A mão foi levantada para um propósito... Não, não de verdade. A palma da pequena mão foi erguida em direção de Basara.
“Eh...?”
A mão de Maria  brilhava... Naquele momento.
Basara foi repentinamente atingido por algum tipo de rajada e caiu sobre a parede.
“Guah...!?”
Um impacto em suas costas. Perdendo seu fôlego por um momento, ele inadvertidamente tossiu de forma violenta. Então:
“...Basara-san, você não ouviu o que Mio-sama disse?”
Quem poderia saber quando ele chegou ali, mas Maria estava bem em frente a ele.
Ele exibiu uma expressão cruel, o que fez ela parecer uma pessoa diferente do que era até agora.
“Agora mesmo... O que foi isso? Quem é você...?”
Na repentina... Não, inevitável pergunta:
“Hee... Você está se mantendo bastante calmo.”
Maria disse um tanto surpresa. As palavras decisivas que iriam mudar a vida de Basara:
“Humanos, quem vê magia pela primeira vez normalmente ficam em pânico.”
“Magia...?”
Maria afirmou à Basara que franzia a testa com um “sim”.
“Você acredita que isso seja apenas um produto de ficção e fantasia? Magia realmente existe... No, não apenas magia. Raças a parte dos humanos também.”
No primeiro instante que ela disse isso, alguma coisa cresceu nas costas de Maria com uma radiância azul. Algo que humanos com toda certeza não tinham... Asas negras. Suas orelhas também mudaram para um formato diferente de antes.
Não humano. Mesmo se eles não acreditassem em sua existência, todos sabiam o seu nome.
“Você é um demônio?”
“Exatamente.”
No momento que ele balbuciou isso, veio uma resposta imediata sem pausa.
Uma afirmação. Imediatamente ele não quis acreditar, mas parecia ser verdade.
“E nós teremos você fora daqui, Basara-san. Mio-sama irá tomar essa casa.”
Maria disse com seu peito estufado, enquanto Mio permanecia quieta desde o “dê o fora”.
... Mio-sama, huh...
Maria mudara sua forma de chamar por Mio, então Basara entendeu seu relacionamento. Portanto ele perguntou.
“... O que está acontecendo, Mio? Isso é obra sua?”
“Cuidado com sua língua, Basara-san.  Você, um mero humano, está sendo muito desrespeitoso com a futura Rainha dos Demônios.
Maria respondeu a pergunta de Basara ao lado.
“Rainha dos Demônios... ela?”
“Há uma raça chamada Demônios. É natural que tenha alguém que governe sobre eles. Assim como com nossos arqui-inimigos, a Tribo dos Deuses, tem um Deus de alto nível como soberano.
Por falar nisso, os seus tão chamados Heróis também existem, apesar deles basicamente viverem numa vila isolada para esconder suas presenças, então humanos normais não sabem sobre eles.
“...........”
Basara respondeu com silêncio para a história calmamente contada. Mesmo depois de tudo isso ter sido contado, ele ainda não podia acreditar na situação em que estava.

“.... O que a Rainha dos Demônios quer na minha casa? Eu tenho certeza que um soberano tem uma enorme mansão no Reino Demoníaco.”
“Há todo tipo de circunstâncias para isso. Eu não tenho obrigação alguma de te contar. Em todo caso. Mio-sama e eu iremos tomar esta casa... Para fazê-la como nossa base no mundo humano.”
Era um esquema para ter uma base de operações no mundo humano. Então,
“Então o casamento entre nossos pais...”
“Agora é algo que não existe. Nós conhecemos Jin-san por coincidência na rua. Ele parecia uma pessoa generosa e boa, de verdade... Então eu alterei suas memórias com minha magia de Succubus.
Succubus. Um demônio sedutor que tinha a forma de uma mulher e aparecia em sonhos. Se isso era o que Maria de fato fosse, ela não teria problema de fazer um sonho parecer realidade.
“Então você iludiu meu pai com magia criando uma falsa memória de encontros com sua mãe, que sequer existe, e até mesmo casar com ela...
“Sim. E você é o próximo, Basara-san.”
Dizendo isso, Maria levantou suas mãos para Basara.
“Basara-san deixará a casa até Jin-san voltar, porque ele não pôde se adaptar em viver com duas garotas depois que Jin-san partiu... Esse tipo de memória deve funcionar.”
A respeito disso, Basara permaneceu silencioso e observou Maria e então Mio.
Com isso, Maria levantou-se silenciosamente do sofá e finalmente retornou o olhar para Basara.
“Desculpe, mas... Nós tomaremos essa casa.”
Ela declarou friamente. Com o mesmo olhar em seus olhos daquele do incidente com os delinquentes no outro dia.
“Receba obedientemente a magia de Maria e saia dessa casa imediatamente. Ou de outra forma eu irei gritar e te dar uma memória sobre como você usou de violência contra a gente e que teve que se entregar. Então irei chamar a polícia. Você realmente não quer entrar numa briga violenta contra suas irmãs, quer?”
“..... Entendo.”
Basara olhou para baixo com as palavras de Mio e parecia pequeno e isolado.
Depois disso, a mão de Maria que estava de frente para ele brilhou.
“O que vai ser agora, Mio-sama? Pode ser verão, mas eu não sinto pena de fazê-lo dormir do lado de fora. Voltar para o campo, onde ele nasceu, e viver com seus parentes... Como isso soa?”
“...Sim, isso é bom.”
Mio disse.
“Tchau tchau, irmão... Não foi por muito tempo, mas até que foi divertido.”
Com essas palavras como sinal, a luz na mão de Maria foi liberada sobre Basara.
O que Maria liberou foi uma magia de Succubus que manipulava a memória através de um sonho.
Por causa disso, as memórias de Basara seriam alteradas e ele deixaria sua própria casa... Ou era o que supostamente aconteceria. No entanto,
“...Oh?”
A magia de manipulação de memória com certeza afetará Basara... Mesmo assim, ele não se mexeu.
... Que estranho.
Enquanto inclinava sua cabeça, ela estava prestes a liberar outra magia de manipulação de memória sobre Basara.
“Eh...?”
Maria de repente piscou os olhos. Basara, que deveria estar na frente dela, desapareceu.
Na pequena possibilidade, Maria virou-se imediatamente... Para o seu ponto cego.
Com isso, no meio da sala... Estava Basara.
Num instante ele tinha ido parar atrás dela.  Maria engoliu em seco com esse fato.
“Vo-você está resistindo? ... Então será doloroso.”
Ela enviou para Basara um olhar feroz. Ela não queria machucá-lo, mas agora não havia outra escolha. Maria cantou a magia de vento que tinha arremessado Basara mais cedo e a liberou. O vento produzido foi direto para Basara... Naquele momento. KEEEK, com um rugido estridente, a magia de vento desmanchou.
“O qu...?
Por um momento, ela pensou ter visto uma linha branca vindo da lateral... E no momento seguinte sua magia fora desmanchada. Maria olhou surpresa. Basara estava segurando na frente de seus olhos uma enorme espada em suas mãos. Que seu braço estivesse coberto por uma armadura até o cotovelo era principalmente devido a um contrato com a espada.
O poder de uma arma contratada alimenta-se mesmo do corpo do usuário.
“... Vocês estão surpresas com o que?”

Basara lentamente levantou sua cabeça. Ele a encarou com um olhar cortante, quase como se fosse uma pessoa diferente.
“Você mesmo disse. Que demônios e a Tribo dos Deuses, seus inimigos, existiam.”
Uma respiração.
“E que também... uma tribo de Heróis existia.”
“Não pode ser... Como?”
Próxima a ele, Mio levantou a voz incrédula.
“Quero dizer, os heróis estão escondidos... Por que você está vivendo aqui, vivendo como um humano normal...”
“Agora eu não tenho nenhuma obrigação de te contar isso.”
Maria deu à Basara, que friamente a ignorou, com um olhar surpreso.
... Como poderia ser...
Não se admirava que a magia de manipulação de memória não funcionou. Succubus podiam apenas manipular memórias através dos sonhos de uma pessoa de fraco poder mágico... Nomeadamente, humanos normais, que são indefesos contra poder mágico. Não funcionava contra experientes anti demônios como Heróis.
Mas... Maria estava mais confusa com uma surpresa diferente do que esse fato.
Impossível, ela pensou. Ou seja, a ação de Basara nesse momento.
Com certeza Maria não usara uma magia de vento ofensiva. Ela queria apenas um pouco de dor ao mandá-lo voando, então ela apenas o atingira com magia de vôo. Não era algo perigoso, nem poderoso. Então não era estranho um Herói repelir ou cortar fora.
... Ainda assim, Basara desmanchou a magia de Maria com um movimento de sua espada. Não, não apenas isso. Uma vez que a magia foi ativada, gerava algum tipo de restos mágicos, não importava a proteção contra isso. Apesar disso, não havia um único rastro deixado pela magia que Basara tinha interrompido. Foi completamente desmanchada. Como se nunca tivesse sequer existido.
“Eu não tenho mais... Nenhum laço com Heróis ou Demônios.”
Basara lentamente deu um passo para frente.
“Mas infelizmente para vocês, eu não tenho planos de ir embora silenciosamente.”
Dizendo isso, Basara se moveu sacudindo-se.
Uma velocidade surpreendente que encurtou a distância deles em um instante como se nunca tivesse estado ali.
“.........!”
Nada bom. Maria ficou na frente de Mio para protegê-la. No mesmo momento.
A espada de Basara desceu sobre Maria e Mio.
“......”
Toujou Basara olhou para as duas garotas, que tinham os olhos firmemente fechados, quando ele tentou cortar.
A espada em sua mão... Parou numa distância de uma folha de papel delas.
“..... Ah.”
Maria e Mio, percebendo que estavam seguras, afundaram ao chão.
Suas pernas não aguentaram. E por isso Basara desfez a incarnação mágica de sua espada - Brynhildr.
“Por quê...”
Na pergunta embasbacada de Mio, Basara voltou as costas para elas sem palavras.
Ele sentia uma raiva ardente sobre ele. Algo que nunca poderia ser perdoado. Porém,
“... Vão embora.”
Basara resmungou isolado.
“Eu não me importo se vocês são demônios ou a Rainha dos Demônios. Mas, nossa casa não tem tempo para amparar pessoas que enganam a mim, e mais importante ainda, enganam meu pai. Eu as deixarei ir por agora. Eu mandarei suas bagagens depois, então... Vão logo e dêem o fora daqui.”
Então, depois de alguns minutos... A sala da Casa Toujou estava envolvida em silêncio.
Depois de recuperar a força em suas pernas, Mio e Maria deixaram a casa.
Basara, transformando sua espada mágica Brynhildr outra vez na sua forma de espera, um pingente, sentou-se no sofá.
“.......”
Alisando seus dentes, ele segurou sua mão direita, que não parava de tremer.
.... Está tudo bem.
Basara desesperadamente tentava convencer a si mesmo. Ele não lutava fazia um longo tempo. Seu talento para isso ainda não havia retornado. Era por isso que tinha sido uma completa coincidência ele ter ativado sua habilidade.
.... Cinco anos atrás, quando ele estava na na Tribo dos Heróis, Toujou Basara causou um grande problema.
Um cento incidente fez seu próprio poder perder o controle.
Originalmente causara tanto dano que não era permitido a ele viver como ele vivia agora.
Ainda assim, como resultado de várias circunstâncias, acabou com ele deixando a vila junto de Jin. Em outras palavras, ele foi expulso. E vindo para Tokyo, pai e filho começaram a viver no não familiar estilo de vida da cidade.
“..... Merda.”
Basara resmungou com repugnância. Mas, não era dirigido à Mio ou Maria.
Claro que Toujou Basara não tinha intenção de perdoá-las. Era um fato inevitável que elas tentaram enganar Jin e a ele. Mas havia outro, que ele não podia suportar.
.... Era o cara que um dia foi chamado de o mais forte dos Heróis.
Era um herói com um poder ainda maior do que o seu, seu pai... Jin.
Não tinha como esse homem não ter entendido o esquema de Mio e Maria. Maria havia dito que tinha manipulado as memória com magia, mas Jin deve ter evitado isso sem sombra de dúvidas.
Esse era o motivo de porque Basara pegou seu telefone e discou para o número de celular de Jin.
“.... Olá. Como vai?”
Depois de alguns segundos de toque, uma voz completamente familiar saiu do telefone e basara respondeu com um voz baixa.
“Pai... Você tem um minuto?”
“Claro. O motorista do táxi é do tipo silencioso de qualquer forma, então estou entediado.
Misturando-se ao tom casual de Jin, ele podia ouvir levemente o som de um vento fraco soprando. Bem provavelmente, o táxi de Jin estava atualmente dirigindo numa alta estrada. O motorista não podia ouvir sua conversa, mas Jin viria certamente com algum tipo de desculpa. Assim sendo:
“... Qual foi a ideia?”
Basara perguntou. Mesmo que ele se esforçasse em ficar calmo, raiva ressoava em sua voz. Depois disso:
“Essa foi rápida... Você já percebeu? Eu esperava que você levasse mais tempo.”
Jin disse livremente sem nenhum sinal de vergonha.
“Eu sabia. Você sabia que elas eram demônios... Desde quando?”
Apertando firmemente o telefone, Basara perguntou impassível.
“Desde o começo. Eu sabia delas antes que elas me achassem na cidade.”
“... Achassem? O que você quer dizer...?”
Com as palavras de Jin, Basara franziu a testa. Maria havia dito “Nós encontramos Jin por coincidência na cidade.”
“Bem, eu tenho certeza que essas duas pensaram que era apenas uma coincidência.”
Jin disse num tom indiferente, então continuou com um “Mas”.
“Há um tempo atrás, eu tive algumas notícias de que a [vila] estava secretamente em movimento.  Faz quase cinco anos que nós deixamos a vila. Não parecia que eles iriam perturbar a gente depois de tanto tempo, então eu apenas mantive um olho nas coisas por um tempo... Mas então a situação tomou uma mudança repentina não muito tempo atrás. Era relativamente perto, então eu decidi verificar quem era, por via das dúvidas.”
Uma respiração.
“Afinal de conta... Os anciãos deram a ele uma vigilância rank S-.
“Vigilância Rank S-? Essas duas?”
A tribo de Basara dava um ranking de acordo com a ameaça que eles tinham. E o Rank S- era um dos mais altos. Apenas S e S+ eram maiores.
.... De verdade?
Os demônios geralmente viviam em um mundo diferente do mundo humano... Chamado Reino Demoníaco. É claro que alguns deles vinham para o mundo humano e causavam alguns problemas de vez em quando, mas eram apenas demônios de baixo nível. Basicamente eles não deixavam seu próprio mundo.
Porque atualmente havia uma trégua entre demônios e Heróis.
.... A luta entre Heróis e Demônios neste mundo havia durado tanto tempo que nenhum dos lados sabia quanto tempo exatamente tinha durado. Mas isso era uma coisa de antes do nascimento de Basara... A geração de seu pai tinha posto um fim nisso. O novo Senhor dos Demônios pôs um fim na luta contra os Heróis e a Tribo dos Deuses e retirou todos os demônios do mundo humano.
Então os demônios que vinham para o mundo humano eram todos demônios patifes de baixo rank de vigilância, como E ou D, ou alvos de terminação.
“Essas duas são S-...”
Basara resmungou em descrença. E então ele olhou para a palma da sua mão direita.
Mesmo se elas forem apenas -, ele jamais acreditaria em encontrar duas Ranks S em sua vida.
“Para ser mais preciso, Mio tem a vigilância Rank S-. Maria é apenas sobre vigilância por ser alguém ao seu lado.”
“Mio...”
Então Basara lembrou-se de repente das palavras de Maria. A batalha na sala mais cedo. Mesmo se elas tiverem deixado sua guarda baixa não sabendo que ele era um herói, pelo o que ele poderia dizer, Mio não passou tanto perigo. Assim ele levou as palavras de Maria como uma ameaça inventada, mas
“Então ela... Realmente é a futura Rainha dos Demônios?”
Dizendo isso, Basara ainda negava essa possibilidade. Não poderia ser. Afinal de contas,
“Quero dizer, O Rei dos Demônios sempre foi um homem... Mesmo atualmente.”
Wilbert... O nome do atual Rei dos Demônios que tinha retirado os demônios do mundo humano e era conhecido por sua política moderada. Originalmente os inimigos dos demônios eram a Tribo dos Deuses, “Arqui-inimigos” como Maria chamou. Então os demônios apenas pensavam nos humanos como insetos e meramente tentavam derrubar o mundo humano para lançar um ataque aos Céus. De todos esses demônios, Wilbert era o primeiro moderado que absteve da vingança contra os Deuses e estava traçando o caminho por paz vivendo no Reino Demoníaco. Acima de tudo, deveria ter sido proibido que eles ferissem humanos imprudentemente.
Essa era precisamente a razão pelo qual o mundo humano estava tão pacífico nos últimos sessenta anos .
No entanto. A voz de Jin do telefone sobrepôs os pensamentos de Basara.
“O Rei Demônio Wilbert morreu... Já faz um ano, ao que parece.”
“Eh...?”
Basara não podia compreender a verdade chocante reportada de primeira.
“Eu nunca ouvi...”
“Porque nós cortamos todos os laços com a [vila]. Eu apenas soube disso recentemente.”
Além do que, Jin acrescentou.
“Se eu tivesse te contado descuidadamente... Você poderia ter aquele pesadelo de novo.”
“Isso é...”
Basara parou inadvertidamente. Afinal de contas, ele tivera o pesadelo no outro dia.
“Mas... Isso significa, Mio é a próxima Rainha dos Demônios?”
“Não. Aparentemente algum outro demônio de alta classe atualmente governa no lugar de Wilbert sobre o Reino Demoníaco. E ele parece ser bastante radical... Ele é depois de Mio, como ela é a única filha de Wilbert e a sucessora do seu poder.”
O Rei Demônio Wilbert era conhecido por suas políticas moderadas, mas seu poder destacou na história dos Reis dos Demônios anteriores. Essa era precisamente a razão do porque ele pôde convencer os demônios de combate em parar as lutas e deixarem o mundo humano. Se Mio tiver herdado o poder do mais forte Rei dos Demônios,
Então ela é indispensável para alguém que queira governar como o novo Rei dos Demônios. Mas,
“Espera um minuto...”
Ainda havia algo que ele não entendia. Era,
“Eu entendi as coisa.... Mas, por que você se meteu com essas duas então?”
Isso era... Acima dele de todas as formas. Fazendo isso, não apenas os Demônios, mas até mesmo a vila poderiam se voltar contra ele. Isso também contradiz o fato de ele ter escondido a morte do antigo Rei dos Demônios de Basara apenas por consideração.
“Eu te contei que eu tinha que verificar as coisas, certo?”
Então, com o mesmo tom casual de antes, as palavras de Jin estavam cheias de seriedade.
“O moderado Wilbert tinha um monte de inimigos entre os Demônios. Para esses caras, a filha do seu odioso Rei dos Demônios teria sido uma refém perfeita. O próprio Wilbert com certeza entendeu o que seria melhor. E ouvi que assim que sua filha nasceu, ela a enviou para o mundo humano e a fez crescer como uma humana em segredo absoluto por subordinados que se fizeram de pais... “
Mesmo se ele quisesse fazer parte da vida dela... Ele fez isso para a felicidade da sua amada filha.
Isso com certeza deve ter sido uma decisão de partir o coração.
“Mas ironicamente, depois da morte de Wilbert... Seus poderes enormes foram transferidos para Naruse Mio, quem ele tinha mandado para longe da disputa. Ela era uma garota normal no ginásio nesse tempo... Eu tenho certeza que você sabe o que aconteceu depois.”
O novo Rei dos Demônios não podia ignorar a existência de Mio.  Nem os subordinados que se faziam de pais dela. E nesse momento, os pais que cuidaram dela foram embora. É difícil de adivinhar que tragédia caiu sobre Mio.
“Como... Como isso pôde acontecer.”
Basara disse espremendo sua voz.
“Nossa tribo e Demônios podem usar poderes sobrenaturais porque nós sabemos sobre as leis além do mundo humano. Quase um ano atrás, ela era apenas um garota normal, não sabendo de nada disso. Agora ela sabe principalmente como usar seu poder, mas ela apenas herdou o poder do Rei dos Demônios em si e ainda não foi completamente despertado. Esse é o porquê a vila a colocou como um alvo de vigilância ao invés de um de terminação.”
Ainda mais, Jin acrescentou.
“A facção moderada perdeu muito poder após a morte de Wilbert. O fato de Maria ser sua única guarda é prova suficiente disso.  Infelizmente, eu não acredito que essas duas sozinhas podem se opor a atual facção do Rei dos Demônios. Se deixadas sozinhas, elas irão perder suas vidas cedo ou tarde.”
“Então, você fingiu ser manipulado...”
Ele finalmente entendeu as intenções de Jin.
Basara suspirou e gritou suas palavras no telefone no próximo instante.
“Seu maldito imbecil... Contasse isso antes!”
Então Basara poderia ter ajudado.
“Desculpe. Eu havia decidido desde o começo que vocês três estivessem no mesmo pé de igualdade.”
Jin disse com uma risada.
“Eu escondi o fato que elas eram demônios e nós sermos Heróis. Se um lado soubesse a verdade sobre o outro, poderia se pensar que era enganador e toda a confiança iria embora. Mas se ambos escondem algo, então era uma dor compartilhada, certo? Ambos os lados foram enganados, dando a vocês espaço para comprometer... Comigo, sabendo de tudo, como o cara mal.”
“... Isso significa que o trabalho também foi uma mentira?”
Se era para apenas proteger Mio e Maria, ficar com elas teria sido melhor. Que Jin deixou a casa mesmo assim significava que ele tinha uma razão para isso.
“Bem, acho que sim. Desculpe, mas eu tenho que checar algumas coisa... Então eu estou indo para o Reino Demoníaco por um tempo.”
Isso significava ficar atrás das linhas inimigas. Claro, Jin havia tido antes como o mais forte dos Heróis. E em meio a grandes batalhas, ele aparentemente foi inúmeras vezes para o Reino Demoníaco, mas
“Isso é... seguro?”
“Sim, não se preocupe. Eu não posso te contar todos os detalhes, mas eu apenas quero entrar em contato com alguém. Se tudo correr bem, Mio não será mais perseguida.”
Aha. Então ele faria alguma coisa sobre a fonte. Então,
“Tudo bem... Deixe as coisas comigo. Eu farei algo sobre isso.”
“Estou contando com isso, meu filho. Então? Como estão as garotas? Bem, pelo que parece, eu chutaria...”
Jin ainda estava dizendo alguma coisa, mas Basara abaixou o telefone, encerrando a ligação.
E então, ele já estava correndo no instante seguinte... Através da porta da frente.
--------------------------
--------------------------
--------------------------
--------------------------